A DOENÇA MENTAL E OS GOVERNOS

Esta semana, fontes informaram ao Bloguinho Intempestivo sobre uma pesquisa que foi feita em um bairro da zona sul de Manaus sobre a incidência de doenças mentais e distúrbios entre moradores. O resultado surpreendeu alguns trabalhadores da saúde: altíssimos índices de tentativas de suicídio, problemas sexuais de diversas ordens, depressão, automedicação e orientação farmacológica equivocada. Infelizmente, para quem acompanha a questão da saúde mental no Amazonas, para além da imagem marketista produzida pela opinião oficial, o quadro não é novidade. Em Manaus, diferente de outros centros, a saúde mental, enquanto questionamento pertinente às políticas públicas de saúde e educação, sequer existe.

Como já colocado em outras oportunidades aqui neste bloguinho, em Manaus as tentativas de intervenção no quadro de produção subjetiva da doença mental inexistem, e ficam somente no terreno do marketing governamental, aliás, como a maior parte das questões políticas. Enquanto Santos, Campinas e Rio Grande do Sul avançaram na questão da mudança da perspectiva de atendimento ao doente mental, em Manaus o HPER (Hospital Psiquiátrico Eduardo Ribeiro) e o PAM da Codajás continuam sendo o referencial para atendimento e acompanhamento dos casos que, com muita sorte, conseguem marcar uma consulta com o psiquiatra. Não estamos colocando aqui sequer o aspecto institucional (ou a Desinstitucionalização) enquanto mudança paradigmática que entende a profilaxia e a terapêutica da saúde mental numa perspectiva mais social e política do que clínica científico-médica, mas ainda não haver nem mesmo um sistema de atendimento suficiente para atender a demanda nos moldes da psiquiatria tradicional.

As famílias que precisam lidar com alguém acometido de uma doença mental em Manaus deparam-se com a total falta de informação a respeito de como proceder e que cuidados tomar. A maior parte dos psiquiatras que atua na rede pública enfatiza um tratamento meramente farmacológico, deixando de lado o aspecto psicossocial, que permeia o acontecimento “doença mental”. Não há psicólogos na rede pública em número e estrutura suficientes para a demanda que a cidade produz. O paciente fica então fadado ao tratamento dos sintomas pelos psicofármacos, e convive com seus efeitos colaterais e mesmo com a sua inutilidade, visto que é tão difícil conseguir uma consulta na rede pública que um acompanhamento mais preciso e individualizado torna-se quase impossível. Assim, muitos abandonam o tratamento e tem que se virar com seus próprios problemas e dificuldades.

Por este quadro, Manaus não pode se afirmar como uma cidade que tem políticas para a saúde mental ao contrário do que pregam os seus autoproclamados representantes, que se alternam na subserviência aos desígnios do governo do Estado, se prestando inclusive a se tornarem ferramentas na falsa oposição entre governo e prefeitura.

O QUE ACONTECE AO NOSSO LADO

O especialista argentino Hugo Cohen, que trabalha com saúde mental na América Latina (OPS – Organização Panamericana de Saúde) fala sobre a experiência do Chile, onde o principal hospital psiquiátrico do país fechou por falta de pacientes. Naquele país, a política de saúde mental passa primeiramente pelo oferecimento de serviços alternativos ao confinamento que efetivamente modificam a relação entre os agentes públicos de saúde e os pacientes. A partir desta mudança, cria-se também uma forma diferente de entendimento da saúde mental pela própria população, que passa a enxergar as manifestações patológicas como tratáveis, e enfraquece o desentendimento supersticioso de que o doente mental, ou o “louco” são irrecuperáveis e precisam ser confinados. Outro aspecto desta abordagem da saúde mental é que ela ultrapassa o aspecto meramente clínico e transborda no social. Cohen deixa bem claro que não bastam os fármacos, mas que o aspecto do vínculo e do pertencimento ao grupo são igualmente ou mais importantes no sentido do tratamento (o conceito do vínculo foi desenvolvido pelo psiquiatra argentino Pichón-Riviére). E mais: posiciona a discussão sobre os direitos civis do doente mental, quando coloca o Estado como co-responsável pela produção das condições de adoecimento, e pela ausência de políticas sociais de apoio ao doente mental (como o direito ao afastamento do trabalho, o direito à previdência, etc).

Mais uma vez os argentinos na vanguarda, para desespero dos ressentidos pseudo-nacionalistas. Naquele país a questão da saúde mental é discutida há muito tempo, e há experiências de mais de 30 anos nesse aspecto (ver, por exemplo, o livro do psiquiatra Alfredo Moffatt, “Psicoterapia do Oprimido”). No Brasil há avanços, mas Manaus estagnou. Nem oferece a opção errônea do confinamento e do tratamento clínico-médico, nem oferece alternativas efetivas para o tratamento desta questão de saúde pública que em Manaus é alarmante. Ou seja, enquanto os dirigentes continuarem delirando, a solução para a saúde mental em Manaus é não enlouquecer!

6 Responses to “A DOENÇA MENTAL E OS GOVERNOS”


  1. 2 JURANILDA segunda-feira, 20 outubro, 2008 às 2:20 pm

    Gostaria de dizer que Manaus, por ser uma cidade com grande espaço de matas,digo, florestas muitas ainda virgens, poderia se fazer um espaço para se cuidar de pessoas com doenças mentais, afinal a recuperação é mais rápida, usando os recursos da natureza, por outro é lamentável, que os profissionais desta área não gostem de sua profissão, porque se assim fosse, já tinha um local de referência, para tal tratamento mesmo que fosse caro, (pois, o oque se diz Centrad é utópia), em outras cidade já existem, principalmente para as pessoas que sofrem com os trastornos Bipolar. Temos o Hospital Eduardo Ribeiro, mas já é pequeno para a demanda, então deveria os responsáveis pelo Estado e Município se unirem procurassem, fazer um local apropriado, que tivessem os profissionais da saúde trabalhando juntos (Psiquiatra, Psicológos, Assistentes Sociais, Neurológicos e outros que tivessem paciência para ministrar bons coselhos, quando estes saisem das crises psicóticas, aí no Amazonas teriam tb. um ponto de referência neste sentido, obrigada .. ainda espero que isso aconteça, afinal tem muitas pessoas precisando de tratamento mental devido ao chamado stress, que a cidade grande propociona, é o que estamos vendo..

  2. 3 Elizany Monteiro Moreira segunda-feira, 5 janeiro, 2009 às 3:26 pm

    Olá !

    Parabêns pelo blog e por vocês abordarem este tema tão pertinente nos dias de hoje!
    Gostaria de saber se vocês poderiam me informar como posseo ter acesso a pesquisa citada no texto referente a saúde mental na zona sul de Manaus.
    Um abraço
    Estarei aguardando a resposta………..

  3. 4 afinsophia segunda-feira, 5 janeiro, 2009 às 4:47 pm

    Elizany,

    Esta pesquisa foi feita pela SEMSA, foi um levantamento interno que eles fizeram a partir dos dados recolhidos pelos agentes de saúde das casinhas da família. Talvez você consiga os dados na própria SEMSA. Mas não sabemos se eles disponibilizam ao público em geral.

    Valeu!

  4. 5 Eliana teixeira da rosa terça-feira, 10 julho, 2012 às 7:35 pm

    muito boa a pesquisa serve para chamar atençao para a saude mental que esta esquecida nas ruas da nossa cidade, parabens, gostaria de saber se vocês poderiam me informar como posso ter acesso a pesquisa citada no texto referente a saúde mental na zona sul de Manaus.
    sou estudante de psicologia e esta area me intereca muito aguardo resposta eliana


  1. 1 A LEI E O PLÁGIO - TUDO COMO ERA D’ANTES « Trackback em sexta-feira, 12 outubro, 2007 às 11:42 am

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




USAR O CONTROLE REMOTO É UM ATO DEMOCRÁTICO!

EXPERIMENTE CONTRA A TV GLOBO! Você sabe que um canal de televisão não é uma empresa privada. É uma concessão pública concedida pelo governo federal com tempo determinado de uso. Como meio de comunicação, em uma democracia, tem como compromisso estimular a educação, as artes e o entretenimento como seu conteúdo. O que o torna socialmente um serviço público e eticamente uma disciplina cívica. Sendo assim, é um forte instrumento de realização continua da democracia. Mas nem todo canal de televisão tem esse sentido democrático da comunicação. A TV Globo (TVG), por exemplo. Ela, além de manter um monopólio midiático no Brasil, e abocanhar a maior fatia da publicidade oficial, conspira perigosamente contra a democracia, principalmente, tentando atingir maleficamente os governos populares. Notadamente em seu JN. Isso tudo, amparada por uma grade de programação que é um verdadeiro atentado as faculdades sensorial e cognitiva dos telespectadores. Para quem duvida, basta apenas observar a sua maldição dos três Fs dominical: Futebol, Faustão e Fantástico. Um escravagismo-televisivo- depressivo que só é tratado com o controle remoto transfigurador. Se você conhece essa proposição-comunicacional desdobre-a com outros. Porque mudanças só ocorrem como potência coletiva, como disse o filósofo Spinoza.

Acesse esquizofia.wordpress.com

esquizofia.wordpress.com

CAMPANHA AFINADA CONTRA O

VIRTUALIZAÇÕES DESEJANTES DA AFIN

Este é um espaço virtual (virtus=potência) criado pela Associação Filosofia Itinerante, que atua desde 2001 na cidade de Manaus-Am, e, a partir da Inteligência Coletiva das pessoas e dos dizeres de filósofos como Epicuro, Lucrécio, Spinoza, Marx, Nietzsche, Bergson, Félix Guattari, Gilles Deleuze, Clément Rosset, Michael Hardt, Antônio Negri..., agencia trabalhos filosóficos-políticos- estéticos na tentativa de uma construção prática de cidadania e da realização da potência ativa dos corpos no mundo. Agora, com este blog, lança uma alternativa de encontro para discussões sociais, éticas, educacionais e outros temas que dizem respeito à comunidade de Manaus e outros espaços por onde passa em movimento intensivo o cometa errante da AFIN.

"Um filósofo: é um homem que experimenta, vê, ouve, suspeita, espera e sonha constantemente coisas extraordinárias; que é atingido pelos próprios pensamentos como se eles viessem de fora, de cima e de baixo, como por uma espécie de acontecimentos e de faíscas de que só ele pode ser alvo; que é talvez, ele próprio, uma trovoada prenhe de relâmpagos novos; um homem fatal, em torno do qual sempre ribomba e rola e rebenta e se passam coisas inquietantes” (Friedrich Nietzsche).

Daí que um filósofo não é necessariamente alguém que cursou uma faculdade de filosofia. Pode até ser. Mas um filósofo é alguém que em seus percursos carrega devires alegres que aumentam a potência democrática de agir.

_________________________________

BLOG PÚBLICO

Propaganda Gratuita

Você que quer comprar entre outros produtos terçado, prego, enxada, faca, sandália, correia, pé de cabra ou bola de caititu vá na CASA UYRAPURU, onde os preços são um chuchu. Rua Barão de São Domingos, nº30, Centro, Tel 3658-6169

Pão Quente e Outras Guloseimas no caminho do Tancredo.
PANIFICADORA SERPAN (Rua José Romão, 139 - Tancredo Neves - Fone: 92-8159-5830)

Fique Frio! Sabor e Refrescância!
DEGUST GULA (Avenida Bispo Pedro Massa, Cidade Nova, núcleo 5, na Rua ao lado do DB CIdade Nova.Todos os dias).

O Almoço em Família.
BAR DA NAZA OU CASA DA VAL (Comendador Clementino, próximo à Japurá, de Segunda a Sábado).

Num Passo de Mágica: transforme seu sapato velho em um lindo sapato novo!
SAPATEIRO CÂNDIDO (Calçada da Comendador Clementino, próximo ao Grupo Escolar Ribeiro da Cunha).

A Confluência das Torcidas!
CHURRASQUINHO DO LUÍS TUCUNARÉ (Japurá, entre a Silva Ramos e a Comendador Clementino).

Só o Peixe Sabe se é Novo e do Rio que Saiu. Confira esta voz na...
BARRACA DO LEGUELÉ (na Feira móvel da Prefeitura)

Preocupado com o desempenho, a memória e a inteligência? Tu és? Toma o guaraná que não é lenda. O natural de Maués!
LIGA PRA MADALENA!!! (0 XX 92 3542-1482)

Decepcionado com seus desenganos? Ponha fé nos seus planos! Fale com:
PAI GEOVANO DE OXAGUIÃ (Rua Belforroxo, S/N - Jorge Teixeira IV) (3682-5727 / 9154-5877).

Quem tem fé naõ é um qualquer! Consultas::
PAI JOEL DE OGUM (9155-3632 ou paijoeldeogum@yahoo.com.br).

Belém tá no teu plano? Então liga pro Germano!
GERMANO MAGHELA - TAXISTA - ÁGUIA RADIOTAXI - (91-8151-1464 ou 0800 280 1999).

E você que gostaria de divulgar aqui seu evento, comércio, terreiro, time de futebol, procurar namorado(a), receita de comida, telefone de contato, animal encontrado, convites diversos, marocagens, contacte: afinsophiaitin@yahoo.com.br

Outras Comunalidades

   

Categorias

Arquivos

Blog Stats

  • 4.243.023 hits

Páginas

setembro 2007
D S T Q Q S S
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

Arquivos


%d blogueiros gostam disto: