DOS FAZERES E DIZERES DA ECONOMIA MENOR

Como disse o filósofo francês Jean Baudrillard, há uma única exigência para os capitalistas — a necessidade de consumidores — senão eles não nos legariam sequer o pão. E há muito teriam feito isso se por fora dos grandes fluxos capitais das corporações bilionárias não corresse uma pequena economia que, apesar de carregar códigos da exploração macroeconômica, baseia-se sobretudo na capacidade inventiva dos pobres de criar novos fazeres com uma inteligência imperceptível ao poder/saber. Quase sempre a economia maior tenta apropriar-se por usurpação dos feitos dessa economia menor, colando-lhe um falso rosto a partir da ordem do discurso que assegura a simulação das imensas cifras nas bolhas de valores. Seguindo os rastros da imanência necessária à criação desses fazeres e seus dizeres inauditos, este bloguinho começa hoje esta nova coluna, que trará entrevistas do discurso/prática de trabalhadores que, para além de uma mera subvivência, levam/constroem elementos materiais e imateriais nos percursos que fazem sobre a cidade, por isso importa-nos não as segregações existenciais a partir do trabalho capitalístico, nem as esperanças fantasiosas, mas as virtualidades desejantes na totalidade da existência dessas pessoas na rua, no mundo e o que delas passa liberando a vida, desestabilizando o ensejo totalitário do Mercado Global.

ELIELSON: O CASCALHEIRO ANDARILHO

Os pobres se esquivam pelas barreiras e

cavam túneis que enfraquecem as muralhas.”

(Toni Negri, filósofo italiano)

Telengotengo, lengotengo, lengotengo… Quem nunca ouviu a batida ritmada do triângulo? A criançada corre. É cascalho. Foi a partir dessa batida que Luiz Gonzaga atualizou o baião. Teve de estudar com os cascalheiros. Teve de ouvir os ritornelos das ruas. E é pelo som dessa batida que vai nossa primeira entrevista, é com um desses andarilhos do som. Saímos andando com ele pelas ruas e entrevistando-o, enquanto ele caminhava ao ritmo do metal, carregando sua lata ainda com mais de 100 cascalhos…

Bloguinho — Seu nome é…

Cascalheiro — Elielson Carvalho.

Bloguinho Qual a sua idade?

Cascalheiro — 23 anos.

Bloguinho Você é daqui mesmo de Manaus?

Cascalheiro — Sim. Nasci aqui e sempre morei aqui.

Bloguinho Fala pra gente um pouco desse trabalho que você faz, há quanto tempo…

Cascalheiro — Eu sou cascalheiro. Trabalho como cascalheiro faz 4 anos. Antes eu trabalhava com plastificação, separava sacos de plásticos de acordo com o tipo, o tamanho. Isso aí eu comecei lá pelos 17 anos, porque antes eu vendia açaí, quando tinha 13, 14 anos…

Bloguinho Atualmente você mora aonde?

Cascalheiro — No Armando Mendes.

Bloguinho É lá que você pega o cascalho?

Cascalheiro — Não. Eu pego no Zumbi II.

Bloguinho Depois que pega, qual é o trajeto que geralmente você segue?

Cascalheiro — Eu pego uma lotação. Fico na Grande Circular; daí corto o São José II e saio no Novo Aleixo; depois eu rodo toda a Cidade Nova; depois o Renato Souza Pinto I e II; aí vou para o Nova Cidade; e depois para o Canaranas; depois rodo o Conjunto Cidadão; saio então perto da garagem da Eucatur e rodo aquela parte ali; pra terminar eu desço a principal e acabo na Feira do Produtor. Daí da Feira eu pego de novo uma lotação, deixo o cascalho do homem, dou a parte dele e fico com a minha. Aí vou embora pra casa.

Bloguinho Com esse longo trajeto, a que horas você sai e a que horas retorna?

Cascalheiro — Pego assim pelas 9h, dou uma parada meio-dia para almoçar, depois quando chego na Feira do Produtor já é lá pelas 8 da noite, ainda vou entregar o cascalho. Então chego em casa lá pelas 9h da noite.

Bloguinho Com as chuvas que tem dado, não deve ser fácil fazer esse trajeto.

Cascalheiro — É, tem dia que pego chuva; quando não, é sol.

Bloguinho Tem comumente algum problema de saúde por causa disso?

Cascalheiro — Sim. As pernas ficam muito cansadas e às vezes dá muita dor de cabeça.

Bloguinho E, diante de tudo isso, qual é a base que você tira por dia de lucro?

Cascalheiro — Nos dias de semana, em torno de R$ 30,00, tirando o almoço, que é eu que pago, R$ 5,00, fico com uns R$ 25,00; no domingo dá mais, uns R$ 50,00.

Bloguinho Dá pro seu gasto?

Cascalheiro — Dá. É claro que eu gostaria de ganhar um pouco melhor, não pra ficar rico, mas melhor.

Bloguinho Melhor como?

Cascalheiro — Pra não ter de trabalhar tanto, pra ter tempo pra terminar meus estudos.

Bloguinho Você fez até que série?

Cascalheiro — Até a 5ª série. Desde 2003 que não estudo. Parei por causa do trabalho. Esse ano ainda me matriculei, mas não teve condições.

Bloguinho Ano que vem você vai tentar de novo?

Cascalheiro — Vou sim, com certeza.

Bloguinho E diversão, você pratica algum esporte, vai a festas?

Cascalheiro — Esporte não pratico não. Festa às vezes eu vou com meus amigos, um pagode. Eu gosto de ir pro cinema com a minha irmã e os amigos dela, gosto porque as histórias me divertem.

Bloguinho O que você acha mais interessante, curioso, na sua profissão?

Cascalheiro — O som do triângulo. Quando você bate, as crianças saem correndo, as pessoas já sabem que é cascalho. Os adultos compram para elas. Às vezes eles não tem dinheiro. Dá vontade até de dar pra elas às vezes, mas não dá. Se você está vendendo mal, às vezes num bairro inteiro você não vede um, aí você anda mais devagar, não bate direito. Quando você está vendendo bem, aí você anda rápido, bate com vontade o triângulo.

Bloguinho Pra fechar, você que anda por todos esses lugares, conhece a cidade, o trajeto deve ser dificultado com as ruas nessas condições.

Cascalheiro — Tem muito buraco por aí.

Bloguinho Tem outras como essa?*

Cascalheiro — Tem quase como essa, mas essa daqui está horrível.

Bloguinho Você acha que o prefeito vai conseguir fechar esses buracos até o final do mandato.

Cascalheiro — Acho que nem a metade.

Bloguinho — Mas você precisa seguir?

Cascalheiro — É, preciso ir.

* A rua em que a entrevista foi feita e a foto foi tirada é a rua Rio Jaú, no Novo Aleixo, que tem suas precárias condições demonstradas no Projeto Poseidon dois posts abaixo.

0 Responses to “DOS FAZERES E DIZERES DA ECONOMIA MENOR”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




USAR O CONTROLE REMOTO É UM ATO DEMOCRÁTICO!

EXPERIMENTE CONTRA A TV GLOBO! Você sabe que um canal de televisão não é uma empresa privada. É uma concessão pública concedida pelo governo federal com tempo determinado de uso. Como meio de comunicação, em uma democracia, tem como compromisso estimular a educação, as artes e o entretenimento como seu conteúdo. O que o torna socialmente um serviço público e eticamente uma disciplina cívica. Sendo assim, é um forte instrumento de realização continua da democracia. Mas nem todo canal de televisão tem esse sentido democrático da comunicação. A TV Globo (TVG), por exemplo. Ela, além de manter um monopólio midiático no Brasil, e abocanhar a maior fatia da publicidade oficial, conspira perigosamente contra a democracia, principalmente, tentando atingir maleficamente os governos populares. Notadamente em seu JN. Isso tudo, amparada por uma grade de programação que é um verdadeiro atentado as faculdades sensorial e cognitiva dos telespectadores. Para quem duvida, basta apenas observar a sua maldição dos três Fs dominical: Futebol, Faustão e Fantástico. Um escravagismo-televisivo- depressivo que só é tratado com o controle remoto transfigurador. Se você conhece essa proposição-comunicacional desdobre-a com outros. Porque mudanças só ocorrem como potência coletiva, como disse o filósofo Spinoza.

Acesse esquizofia.wordpress.com

esquizofia.wordpress.com

CAMPANHA AFINADA CONTRA O

VIRTUALIZAÇÕES DESEJANTES DA AFIN

Este é um espaço virtual (virtus=potência) criado pela Associação Filosofia Itinerante, que atua desde 2001 na cidade de Manaus-Am, e, a partir da Inteligência Coletiva das pessoas e dos dizeres de filósofos como Epicuro, Lucrécio, Spinoza, Marx, Nietzsche, Bergson, Félix Guattari, Gilles Deleuze, Clément Rosset, Michael Hardt, Antônio Negri..., agencia trabalhos filosóficos-políticos- estéticos na tentativa de uma construção prática de cidadania e da realização da potência ativa dos corpos no mundo. Agora, com este blog, lança uma alternativa de encontro para discussões sociais, éticas, educacionais e outros temas que dizem respeito à comunidade de Manaus e outros espaços por onde passa em movimento intensivo o cometa errante da AFIN.

"Um filósofo: é um homem que experimenta, vê, ouve, suspeita, espera e sonha constantemente coisas extraordinárias; que é atingido pelos próprios pensamentos como se eles viessem de fora, de cima e de baixo, como por uma espécie de acontecimentos e de faíscas de que só ele pode ser alvo; que é talvez, ele próprio, uma trovoada prenhe de relâmpagos novos; um homem fatal, em torno do qual sempre ribomba e rola e rebenta e se passam coisas inquietantes” (Friedrich Nietzsche).

Daí que um filósofo não é necessariamente alguém que cursou uma faculdade de filosofia. Pode até ser. Mas um filósofo é alguém que em seus percursos carrega devires alegres que aumentam a potência democrática de agir.

_________________________________

BLOG PÚBLICO

Propaganda Gratuita

Você que quer comprar entre outros produtos terçado, prego, enxada, faca, sandália, correia, pé de cabra ou bola de caititu vá na CASA UYRAPURU, onde os preços são um chuchu. Rua Barão de São Domingos, nº30, Centro, Tel 3658-6169

Pão Quente e Outras Guloseimas no caminho do Tancredo.
PANIFICADORA SERPAN (Rua José Romão, 139 - Tancredo Neves - Fone: 92-8159-5830)

Fique Frio! Sabor e Refrescância!
DEGUST GULA (Avenida Bispo Pedro Massa, Cidade Nova, núcleo 5, na Rua ao lado do DB CIdade Nova.Todos os dias).

O Almoço em Família.
BAR DA NAZA OU CASA DA VAL (Comendador Clementino, próximo à Japurá, de Segunda a Sábado).

Num Passo de Mágica: transforme seu sapato velho em um lindo sapato novo!
SAPATEIRO CÂNDIDO (Calçada da Comendador Clementino, próximo ao Grupo Escolar Ribeiro da Cunha).

A Confluência das Torcidas!
CHURRASQUINHO DO LUÍS TUCUNARÉ (Japurá, entre a Silva Ramos e a Comendador Clementino).

Só o Peixe Sabe se é Novo e do Rio que Saiu. Confira esta voz na...
BARRACA DO LEGUELÉ (na Feira móvel da Prefeitura)

Preocupado com o desempenho, a memória e a inteligência? Tu és? Toma o guaraná que não é lenda. O natural de Maués!
LIGA PRA MADALENA!!! (0 XX 92 3542-1482)

Decepcionado com seus desenganos? Ponha fé nos seus planos! Fale com:
PAI GEOVANO DE OXAGUIÃ (Rua Belforroxo, S/N - Jorge Teixeira IV) (3682-5727 / 9154-5877).

Quem tem fé naõ é um qualquer! Consultas::
PAI JOEL DE OGUM (9155-3632 ou paijoeldeogum@yahoo.com.br).

Belém tá no teu plano? Então liga pro Germano!
GERMANO MAGHELA - TAXISTA - ÁGUIA RADIOTAXI - (91-8151-1464 ou 0800 280 1999).

E você que gostaria de divulgar aqui seu evento, comércio, terreiro, time de futebol, procurar namorado(a), receita de comida, telefone de contato, animal encontrado, convites diversos, marocagens, contacte: afinsophiaitin@yahoo.com.br

Outras Comunalidades

   

Categorias

Arquivos

Blog Stats

  • 4.243.165 hits

Páginas

dezembro 2007
D S T Q Q S S
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Arquivos


%d blogueiros gostam disto: