O VICE E AS SUBJETIVIDADES

Os estóicos chamavam de lecton uma palavra sem suporte material. O filósofo Spinoza chamava de quimera um ente sem essência, que não pode ser pensado, e sem existência, que não pode ser experimentado. Freud chamava de fálico a representação simbólica de um objeto, no caso da teoria libidinal-sexual, o pênis. Que não é o órgão biológico, mas referente dele, mais castração (neurose) do que ação. O vice, em política, carrega estes três enunciados como sua suposta expressão. Ele, no discurso da praticabilidade, onde o sujeito se mostra no território dos estados de coisas sociais com sua enunciação, não realiza significações próprias. É sempre um virtual referente ao seu titular, no qual é assinalado, mas sem jamais ser encontrado. Um virtual nunca atualizado como real. É um engodo. Quando se pretende encontrá-lo, é seu titular que aparece. Em sua falsa aparição, ele evidencia mais seu modelo do que a si mesmo. Isso porque não chega nem a ser cópia.

E nessa dança fantasmagórica, ele não pode nem ser tido como o duplo do outro que aparentemente significa, já que é sua existência quem depende do outro e não o outro de si. Dolorosa aventura do vice. Não é nem Eu e nem Não-Eu. É apenas vice. Mesmo que venha a ser titular da posição com a ausência definitiva do personagem principal, será sempre vice, pois foi assim que foi dado a se dizer. Será sempre o rastro e não o objeto. Mais imaginação e menos razão. É um ente da superstição. Assim como lobisomem: nem lobo nem homem. Só uma aparição supersticiosa. Não pode realizar nem o lobo nem o homem. Talvez o filósofo o chamasse de uma falsa sedução, já que não desvia. O que é da sedução.

AS SUBJETIVIDADES

A subjetividade é um corpo heterogêneo constituído de elementos materiais e imateriais produzidos por instâncias individuais, coletivas e institucionais cuja expressividade prática se realiza por uma semiótica com o poder de afetar os sujeitos tornando-os sujeitados a seus regimes de valores. Como exemplo o sistema capitalista, com seu regime de signos econônimo/político/social, com força de subjetivação daqueles que se assemelham a ele e passam a ser seus agentes propagadores ou máquinas de subjetivação.

Na chamada instância política, quando predomina uma subjetividade retrógrada, triste, tirânica, espera-se que uma outra subjetividade constituída de outros elementos diferentes daquela se faça emergir para poder se tornar enunciação coletiva, um novo processual de subjetivação. No caso, a democracia. Entretanto, em quase todos (talvez todos) estados do Brasil, isto não acontece. Aqui em Manaus não escapa à regra. Predomina a subjetividade reacionária. E nisso, as coligações não escolhem seus vices como composição diferente. Mas como identificação. Aí a grande vingança do vice: ser o próprio titular. Ser a fidelidade real do cabeça de chapa. Ou seja, é também cabeça. Mesmo que não seja traduzida em votos. Assim é que tanto faz Sabá (PR) ser vice de Omar (PMDB), que é vice-governador de Braga (PMDB), que lhe apóia, como ser vice de Amazonino (PTB) ou de Serafim (PSB), dá no mesmo, já que todos são sujeitos sujeitados a subjetividade retrógrada, calculista, ambiciosa, que entristeceu o Amazonas durante mais de vinte e cinco anos. O mesmo se aplica para o deputado Carlos Souza (PP) — cuja eleição foi sempre conseguida com o uso perverso da miséria de parte da população —, que se coloca como vice de Amazonino. Estaria muito bem nos três prefeituráveis citados. O mesmo seria se Amazonino o preterisse e escolhesse um ‘intelectual’. Este aceitaria, pois faria parte desta força maquínica reacionária que não segrega o novo, mas só fortalece o buraco negro da dita política local.

A SUBJETIVIDADE PRAÇA

A candidatura do deputado federal Praciano (PT), o Praça, nos oferece um caso hilário. Embora transporte signos de uma subjetividade democrática como potência criadora de novas formas de existências, entretanto, tem como vice um sujeitado da subjetividade retrógrada: deputado estadual Luiz Castro. Cuja grande contribuição é mais de retração buraco negro, do que disjunção da dor para construir comunidade, “libertar as relações e determinar a alegria”, como afirma o filósofo Toni Negri. É aí que Praça não é Praça “do povo como o céu é do condor”, como diz o poeta. Não Caetano, que é reacionário.

No mais fica a expressão subjetivadora: “Vice, Maria!”.

0 Responses to “O VICE E AS SUBJETIVIDADES”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




USAR O CONTROLE REMOTO É UM ATO DEMOCRÁTICO!

EXPERIMENTE CONTRA A TV GLOBO! Você sabe que um canal de televisão não é uma empresa privada. É uma concessão pública concedida pelo governo federal com tempo determinado de uso. Como meio de comunicação, em uma democracia, tem como compromisso estimular a educação, as artes e o entretenimento como seu conteúdo. O que o torna socialmente um serviço público e eticamente uma disciplina cívica. Sendo assim, é um forte instrumento de realização continua da democracia. Mas nem todo canal de televisão tem esse sentido democrático da comunicação. A TV Globo (TVG), por exemplo. Ela, além de manter um monopólio midiático no Brasil, e abocanhar a maior fatia da publicidade oficial, conspira perigosamente contra a democracia, principalmente, tentando atingir maleficamente os governos populares. Notadamente em seu JN. Isso tudo, amparada por uma grade de programação que é um verdadeiro atentado as faculdades sensorial e cognitiva dos telespectadores. Para quem duvida, basta apenas observar a sua maldição dos três Fs dominical: Futebol, Faustão e Fantástico. Um escravagismo-televisivo- depressivo que só é tratado com o controle remoto transfigurador. Se você conhece essa proposição-comunicacional desdobre-a com outros. Porque mudanças só ocorrem como potência coletiva, como disse o filósofo Spinoza.

Acesse esquizofia.wordpress.com

esquizofia.wordpress.com

CAMPANHA AFINADA CONTRA O

VIRTUALIZAÇÕES DESEJANTES DA AFIN

Este é um espaço virtual (virtus=potência) criado pela Associação Filosofia Itinerante, que atua desde 2001 na cidade de Manaus-Am, e, a partir da Inteligência Coletiva das pessoas e dos dizeres de filósofos como Epicuro, Lucrécio, Spinoza, Marx, Nietzsche, Bergson, Félix Guattari, Gilles Deleuze, Clément Rosset, Michael Hardt, Antônio Negri..., agencia trabalhos filosóficos-políticos- estéticos na tentativa de uma construção prática de cidadania e da realização da potência ativa dos corpos no mundo. Agora, com este blog, lança uma alternativa de encontro para discussões sociais, éticas, educacionais e outros temas que dizem respeito à comunidade de Manaus e outros espaços por onde passa em movimento intensivo o cometa errante da AFIN.

"Um filósofo: é um homem que experimenta, vê, ouve, suspeita, espera e sonha constantemente coisas extraordinárias; que é atingido pelos próprios pensamentos como se eles viessem de fora, de cima e de baixo, como por uma espécie de acontecimentos e de faíscas de que só ele pode ser alvo; que é talvez, ele próprio, uma trovoada prenhe de relâmpagos novos; um homem fatal, em torno do qual sempre ribomba e rola e rebenta e se passam coisas inquietantes” (Friedrich Nietzsche).

Daí que um filósofo não é necessariamente alguém que cursou uma faculdade de filosofia. Pode até ser. Mas um filósofo é alguém que em seus percursos carrega devires alegres que aumentam a potência democrática de agir.

_________________________________

BLOG PÚBLICO

Propaganda Gratuita

Você que quer comprar entre outros produtos terçado, prego, enxada, faca, sandália, correia, pé de cabra ou bola de caititu vá na CASA UYRAPURU, onde os preços são um chuchu. Rua Barão de São Domingos, nº30, Centro, Tel 3658-6169

Pão Quente e Outras Guloseimas no caminho do Tancredo.
PANIFICADORA SERPAN (Rua José Romão, 139 - Tancredo Neves - Fone: 92-8159-5830)

Fique Frio! Sabor e Refrescância!
DEGUST GULA (Avenida Bispo Pedro Massa, Cidade Nova, núcleo 5, na Rua ao lado do DB CIdade Nova.Todos os dias).

O Almoço em Família.
BAR DA NAZA OU CASA DA VAL (Comendador Clementino, próximo à Japurá, de Segunda a Sábado).

Num Passo de Mágica: transforme seu sapato velho em um lindo sapato novo!
SAPATEIRO CÂNDIDO (Calçada da Comendador Clementino, próximo ao Grupo Escolar Ribeiro da Cunha).

A Confluência das Torcidas!
CHURRASQUINHO DO LUÍS TUCUNARÉ (Japurá, entre a Silva Ramos e a Comendador Clementino).

Só o Peixe Sabe se é Novo e do Rio que Saiu. Confira esta voz na...
BARRACA DO LEGUELÉ (na Feira móvel da Prefeitura)

Preocupado com o desempenho, a memória e a inteligência? Tu és? Toma o guaraná que não é lenda. O natural de Maués!
LIGA PRA MADALENA!!! (0 XX 92 3542-1482)

Decepcionado com seus desenganos? Ponha fé nos seus planos! Fale com:
PAI GEOVANO DE OXAGUIÃ (Rua Belforroxo, S/N - Jorge Teixeira IV) (3682-5727 / 9154-5877).

Quem tem fé naõ é um qualquer! Consultas::
PAI JOEL DE OGUM (9155-3632 ou paijoeldeogum@yahoo.com.br).

Belém tá no teu plano? Então liga pro Germano!
GERMANO MAGHELA - TAXISTA - ÁGUIA RADIOTAXI - (91-8151-1464 ou 0800 280 1999).

E você que gostaria de divulgar aqui seu evento, comércio, terreiro, time de futebol, procurar namorado(a), receita de comida, telefone de contato, animal encontrado, convites diversos, marocagens, contacte: afinsophiaitin@yahoo.com.br

Outras Comunalidades

   

Categorias

Arquivos

Blog Stats

  • 4.244.637 hits

Páginas

Arquivos


%d blogueiros gostam disto: