Arquivo para junho \24\-04:00 2008



GRUPO ABA CANTA PARA LULA

Depois que ocorreu no Brasil o processual da TransLulação, onde o operário teve seu referencial de indivíduo transfigurado em subjetividade política/social. Quando deixou de ser Luiz Inácio Lula da Silva para ser um subjetividade com seus corpos materiais e imateriais, suas instâncias, seus jogos de signos, capazes de modificar realidades inertes para emergir atuações socialidades, passou a ser o fluxo político mais procurado para elevar e instalar a alegria de candidatos. Passou a ser a companhia desejada até pelos inimigos para servir de suporte a candidaturas. Agora, em tempo de eleições municipais, o assédio tornou-se explicitamente constante. Candidatos disputam a tapa um momento de glória ao lado do bonachão Sapo Barbudo. Às vezes ele concede; outras, não. Aí o ciúme ambicioso e a ilusão do privilégio se rivalizam.

O ENCONTRO COM O GRUPO ABA

Foi então que, munido de suas partituras de canções deprimentemente lânguidas, as que fazem o veio talentoso dos reacionários, o grupo ABA, procurou o metalúrgico para realizar um Show Ao Vivo no Palácio com suas melhores (para o grupo) baladas, as que durante muito tempo mantiveram-no no hit-parade do palco ‘político’ do Amazonas e Manaus, para angariar fundos prefeituráveis. Presente com sua formação principal, o grupo, antes do espetáculo, apresentou seus eternos componentes a Lula, tentando um blefe, insinuando que talvez o garanhunsense não conhecesse as insignes personalidades do business Amazon River Capital. Fato que só o grupo ABA poderia acreditar.

Guitarra Solo e Black Vocal: Amazonino Mendes, prefeito biônico indicado pelo plural ex-governador Gilberto Mestrinho (exilado em Copacabana pela ditadura), duplo ex-governador, pai-político do governador atual, Braga, hoje padrasto de verve da madrasta de Branca de Neve: ambigüidade de parentesco. Amigo de Fernando Henrique. Acusado de estar envolvido no episódio anticonstitucional, compra de votos para reeleição do principesco, que redundou em uma dos maiores violências políticas do Brasil ‘pós-moderno’. Além de ser o célebre autor da letra pró-Collor depois do debate manipulado pela Globo, “Ele (Lula), não tem a menor condição de ser presidente do Brasil. Olha a linguagem dele: ‘Caçador de maracujá’ (Lula se referindo a Collor no final do debate)”. É habitué de vários partidos. No momento usa o clichê da quadra: “Agora é PTB”. Em tempos idos se tomava como comunista. Tem grande facilidade de inflexão vocal para vários ritmos.

Bateria e Black Vocal (terceira voz): Braga, governador-duplo, para não ficar atrás do padrasto. Foi prefeito amparado em um forte marketing, protegido por Amazonino, chamado de Ação Conjunta, que redundou no mote: “Manaus, Meu Ciúme!”, enquanto a população completava: “Eu sinto o teu perfume no vôo do urubu”. Na voracidade de realizar um sonho paternal, proporcionou para o povo uma das cenas ‘políticas’ mais dolorosamente globianas, quando da convenção do seu partido, abaixado ao lado do governador Amazonino em pé, que iria indicar o candidato a sua sucessão, o governador passando a mão em sua cabeça, o tratou como um menino, enquanto anunciava que ele seria seu candidato. E ele, embevecido, não via o povo deplorando a triste cena de submissão explícita jamais vista em Manaus. Hoje encena ser inimigo de seu mentor, Amazonino, mas o povo não leva a sério dada a ambigüidade de parentesco. Quis tomar para si a responsabilidade da expressiva votação de Lula no Amazonas. Triste tentativa. Agora quer a parceria de Lula para eleger seu candidato a prefeito, seu vice, Omar Aziz, o que teve o nome retirado da CPIM da exploração sexual da infância e adolescência, em uma das tramas mais escusas no Congresso com a participação de José Dirceu, Arthur Neto e com a conclusão de Ney Suassuna, que não viu nada para colocar o nome do vice no relatório constituído pela integra deputada do PT-RG, Maria do Rosário, que chorou diante de tamanha violência parlamentar. Ela, que veio a Manaus para colher provas contra a exploração, e participou de uma cena telefônica grotesca proporcionada pelo vice, o que a levou a citar seu nome no relatório, para ser depois tirado. Fatos que o parlamento quis apagar, mas o povo não esqueceu. Como diria Kundera: “A luta do homem contra o poder, é a luta da memória contra o esquecimento”.

Contra-Baixo Black Vocal (canta em falsete): Alfredo. Alfredo hoje é ministro do governo Lula, mas antes foi amigo íntimo de Amazonino, Gilberto e Braga. Foi secretário, prefeito, e durante todos os governos da direita teve muita influência. È daqueles que chega em Manaus meio que de baixo, e vai por ali, ali, acolá, piranga umas amizades, e logo se dá bem. Hoje é considerado, pelo menos pelos seus pares, o candidato ao governo do estado com apoio de Lula. Segundo eles dizem. Razão de está tão interessado nesta eleição, e apoiando Aziz. Se eleito governador, talvez produza o remake da velha “Ação Conjunta”. Que para o grupo já deu certo, mas para o povo, não.

OPINIÕES SOBRE O SHOW

Para o grupo foi um sucesso. Não só para o grupo, como também para toda imprensa que faz seu marketing. É bom que se diga: já faz muito tempo. Já para a turma do grupo SEPA: Serafim (PSB), Pauderney (PFL) e Arthur (PSDB), não. Já que Serafim, candidato à reeleição e próximo a Lula, não foi recebido pelo mesmo. Há dor de cotovelo. Ciúme sem motivo, pois nos parece que Lula, embora tenha sido o único público do Show, dada a sua formação musical em tons dodecafônicos, não se deixa afetar pela melosidade do grupo lamê. O resto é pura leseira.

O MEDIUM TELEVISIVO E A OPINIÃO PÚBLICA

.TELE-TOTALITARISMO.

Um regime totalitarista não está fechado em suas práticas fascistas de censura, de controle e restrição da liberdade política. Seu objetivo é impedir qualquer movimento intensivo que faça o povo produzir bons encontros. Deve-se conservar o povo na tristeza, na imobilidade, no irracional, na superstição. Fazer com que a realidade seja mitificada e mistificada. Daí que, em um regime totalitarista, tornam-se necessárias coligações com grupos que sejam clones de tal regime para uma melhor proliferação da tristeza. A mídia televisiva desempenha bem este papel de clone do totalitarismo. A Globo nunca conseguiu esconder sua afinidade com os militares durante o regime militar no Brasil. Assim, a mídia televisiva age de forma a aumentar a impotência imposta pelos regimes totalitários. Ela, então, torna-se a vitrine onde a tristeza será veiculada através das programações diárias. A televisão monta sua programação a partir do/para o sofrimento. Ela mantém o estado de coisas da tristeza do regime totalitarista como algo banal, cotidiano, habitual e natural.

“Nós vos pedimos com insistência: não digam nunca – Isso é natural: sob o familiar, descubram o insólito. Sob o cotidiano, desvelem o inexplicável. Que tudo o que é considerado habitual provoque inquietação. Na regra, descubram o abuso, e sempre que o abuso for encontrado, encontrem o remédio.” Bertolt Brecht

Mas não vão pensando que para a tevê ir alastrando a tristeza por aí tem que ter um regime totalitário rolando. Nada disso. Mirem-se nos exemplo que a tele-totalitária Globo gosta de nos dá. A Globo manda na seleção brasileira de futebol. Não teve Branca de Neve que segurasse o Dunga; ele disse logo que tava puto, mas como um bom Dunga, tranqüilo. Mas como ele vai ficar puto com a Globo porque ela manda no apático selecionado brasileiro? Ora, Dunguinha, e tu não sabes que com a televisão o estádio de futebol se tornou um grande estúdio de tevê e todas as partidas em espetáculos financeiros, e pra acabar logo com a frescura, que quem manda mesmo no futebol agora é a televisão? E os jogadores, juízes, torcedores, gandulas…? Simulacros perseguidos pelas câmeras disciplinares e controladoras. Tu és somente mais um dos vários que são, implacavelmente, atacados pela rancorosa Vênus Platinada. Quem não a obedece ou a desacata, ela bate mesmo. Olha o que o menino de recados da Globo Faustão tá fazendo: ele agora toma ares de analista de futebol, mas sabemos que apenas faz o que a patroa Globo manda. Assim como tu fez.

Em todo o Mundo, por meios diretos ou indiretos, a televisão decide onde, quando e como se joga. O futebol se vendeu a telinha de corpo, alma e roupa. Os jogadores são, agora astros de televisão. Quem concorre com seus espetáculos?” Eduardo Galeano

A Globo segue à risca o dito inspirado na bíblia: “Dize-me com quem tu andas e eu te direi quem tu és”. O clone Paulo Maluf ratificou a sua candidatura a prefeito de São Paulo ao lado da apresentadora globotária (também clone) Ana Maria Braga. Tudo certo: Globo e Paulo Maluf: tudo a ver. Paulo Maluf está sendo indiciado pela justiça America por desviar 11,6 milhões de dólares de obras públicas de São Paulo para um banco americano. Desta maneira mudamos, ao nosso modo, a frase de inspiração bíblica: “Dize-me quem tu apóias que eu te direi quem tu és”. Jornalismo Colonialista e tendencioso da Globo. Hoje no Jornal Bom Dia Brasil, Renato Machado, defendeu o regime colonialista na áfrica (Conversa Afiada). Em matéria feita no Jornal Nacional, sobre a operação da Polícia federal João de barro, o casal Simpson tentou envolver a ministra Dilma no caso de corrupção, proferindo a seguinte frase no final da matéria: “A ministra da Casa Civil, Dilma Roussef, não quis comentar sobre o escândalo” (Bodega Cultural). Estas duas situações demonstram o compromisso que a Globo tem com o tele-totalitarismo.

Ainda com a Globo. De rainha à bruxa: beicinho, beicinho e bye, bye,Xuxa caiu do alto dos píncaros do ibope e viu a realeza se esvair. De rainha dos baixinhos passou a ser a bruxa dos baixíssimos índices de audiência. Ainda lhe deram uma chance e a colocaram agora com um programa para o público adolescente. Mas agora veio o inaceitável: quiseram mudar o horário do programa dela por conta da olimpíada. Imaginemos que ela bateu o pé como baixinho infantilizado, olhou para os seus carrascos da Globo e tenha dito: beicinho, beicinho e bye, bye. Se foi para a Europa de férias. Será que a Globo agora usa a mesma tática de algumas empresas que quando querem demitir o funcionário lhe dão férias? Nada disso. Globo e Xuxa estão juntas, mesmo se separadas fisicamente, seja lá em que emissora for.

Esse Longo Caminho percorrido

lado a lado, nos bons e maus momentos,

faz de nós dois um ser unificado

pelos mais fundos, ternos sentimentos.”

Drummond

SBsTeira nega tudo… quase tudo. Veio a Mara Maravilha pensando que ia ser uma maravilha ter um programa familial, e o patrão Silvio cortou. Ainda teve o pagodeiro Netinho de Paula dizendo que ia pagodear pelo SBsTeira, mas também o patrão cortou logo o pagode dele. Mas quando a Madrinha da Noite, Hebe Camargo, reclamou da mudança de horário do seu programa, o patrão de pronto fez o que a Madrinha mandou. O patrão Silvio é submisso à apresentadora? Claro que não. Ele é acima de tudo, empresário. Ele não aborrece um dos seus mais fundamentais elementos fático televisivo. Ele sabe que a apresentadora tem o rosto que faz a imagem certa ir ao tele-espectador. Para Silvio antes os milhões do que uma briga com a Madrinha da Noite.

Num estudo de caso sobre o programa de Hebe Camargo, Sérgio Miceli demonstra como a animadora afetava sempre uma postura de ‘carinho e aconchego’, como se fosse uma madrinha (mãe postiça), mas alternando os papéis de mãe, filha, ou dona-de-casa.” Muniz Sodré

Que diga a sua amiga da Daslu, que quando foi presa pela Policia Federal, teve em Hebe uma mãe dizendo ser um absurdo uma menina como aquela ser algemada e levada presa.

Dizem que Ratinho pode ir pra Band e ter um programa de humor por lá. Mas um exemplo que a tevê é a grande lastradora da tristeza.

COLUNA VERTEBRAL

Se a Vertebral não analisou nada se realizou

https://i0.wp.com/farm2.static.flickr.com/1170/1215798491_0ee4c33e86.jpg

# Noticiam, em Manaus, que o jornal Diário do Amazonas, na madrugada de sábado, teve uma de suas paredes inscrita com onze balas. Onze balas perdidas como a seleção brasileira. Pergunta-se: Quem foi? Qual o objetivo? Esta vertebral responde convictamente que sabe QUEM NÃO FOI: O POVO! A certeza desta Vertebral sai de outra óbvia certeza: O Povo não tem dinheiro para comprar nem balas que alimentam lobrigas, e muito menos balas que matam. E mais: o Povo não tem nada a ver com a imprensa que é distante dele.

Este caso balístico seria engraçado se não fosse seu poder de furar. O engraçado é o que toca na imprensa manauara. O Diário do Amazonas é um dos jornais locais cuja liberdade jornalística está ligada a grupos ditos políticos. Durante anos a fio, foi ligado ao ex-governador Amazonino Mendes, hoje, novamente, candidato à prefeito. Com a eleição de Eduardo Braga para governador, se ligou a este “ex”- pupilo de Amazonino. Agora voltou a velha aliança com o ex-governador.

Em tempo de eleição a imprensa local se emaranha mais ainda em candidatos. A Crítica com Amazonino, o Amazonas Em Tempo com Eduardo Braga, e não vamos que não vamos. E a boa e amiga democracia só correndo por fora. E todos, tanto a imprensa como os candidatos, tinham Jefferson Péres como seu líder moral. Neste cipoal de ambição, pergunta-se: Qual moral? Segunda TDPM Transtorno Disfórico Pré Menstrual a alegria é São João com sua fogueira que não é da vaidade.

# Com objetivo de animar sua candidatura para reeleição, o prefeito Serafim Corrêa (PSB) SE ALIOU A DUPLA PA: Pauderney (PFL) e Arthur ‘5,5%’ Neto (PSDB). Bons momentos Serafim terá ouvindo essa afinadíssima dupla urbana, que em sua urbanidade trama contra o governo Lula ao qual Serafim é aliado. Vai que é tua Ambrósio!

# A BandNews, apresentando a Parada Gay na Irlanda, deixou evidente sua homofobia nacionalista. No momento em que mostrava a passeata, o repórter disse: “Em uma passeata como esta não poderia faltar o turista brasileiro. Turista. Então, apareceu um brasileiro dando sua opinião. Vic, assumidaço, perguntou, irônic@: “Ué! É um turista gay, ou um gay turista, queridinho? Para mim, primeiro é gay, depois turista. Quando voltar para o Brasil deixará de ser turista e continuará gay. Para nosso poder, não Rosthamd?”, completou gargalhando.

# Heitor Cony, esperto indenizado com uma boa quantia que o Estado lhe paga por nenhuma causa que defendeu no tempo da ditadura, continua, no auge de sua velhice sabotada, a tramar contra Lula. Anda dizendo que o nome de Dilma de tanto aparecer em suspeitas de atos contra o governo Lula, brevemente não terá importância nenhuma para concorrer à presidência. Wanderley, o bom deste velhaco jornalismo: eles mesmos tentam falsear a realidade para que o povo acredite. Como o povo não acredita, pois tem outra percepção do governo Lula, e nem sabe quem é o sabotador-reativo, os próprios velhacos passam a acreditar em suas falsificações.

# “Tem tanta fogueira

Tem tanto balão

Tem tanta brincadeira

Todo mundo no terreiro

Faz adivinhação”.

Nesta eleição

O povo não faz adivinhação

Ele sabe como vidente

Quem quer comer seu coração.

Quero Xote!

Beijos e Abraços Vertebrais!

*……….::::: CHAGÃO! :::::……….*

Quien quiera entender como funciona el mundo

deberá entender el fútbol”.
Roberto Perfumo (ex-jogador argentino).

Θ CHAGÃO PERGUNTA: Derrotada nas quartas-de-final, depois de apresentar o melhor futebol da primeira fase, a Holanda não honrou o belo futebol, pela enésima vez. Deixou triste o espírito de Klaas Smit, o primeiro jogador profissional a marcar um gol nas terras baixas, jogando pelo Alkmaar, a 14 de agosto de 1954. Agora, o ‘Chagão!’ quer saber: Quem é este pibe?

https://i0.wp.com/farm4.static.flickr.com/3057/2602668772_02134d1da7.jpg

Θ DUNGA, O BOM EMPREGADO. Em entrevista ao repórter Luciano Borges, do Terra Magazine, o técnico Dunga expôs algumas situações que rodeiam a seleção Nike-Brasil. Primeiro, falou da ingerência da TV Globo nos bastidores da seleção. Mostrou como a equipe de reportagem da tevê plim-plim tem acesso privilegiado aos jogadores e dependências da concentração da seleção. Aqui neste ‘Chagão!’, o leitor intempestivo já tinha lido que a Globo tem até embaixador na seleção – o virtuoso Kaká, o escorregadio – quanto mais ter ingerência em relação às outras emissoras. Prenunciou também que seria vítima da mesma chantagem labial que derrubou Parreira. Dito e feito. O técnico-anão também alfinetou o insuspeito Kaká. O inteligentíssimo futuro-pastor colocou a culpa de sua confirmada ausência nas olimpíadas em uma negativa do Milan, segundos antes do clube italiano informar via assessoria de imprensa que não impediria o jogador de defender a seleção amarela na competição. Dunga também questionou o fato do jogador abençoado ter afirmado que não jogaria jamais estando machucado (para escapar de uma convocação) mas ter jogador cinco partidas com problemas no joelho pelo Milan. Dunga afirmou ainda que a seleção tem status de empresa: sua relação com o patrão Ricardo Teixeira é profissional. O que não justificaria a convocação de Ronaldinho Gaúcho para o torneio olímpico pelo patrão. Os dois gaúchos devem carregar a cruz do fracasso, caso o time não retorne com a medalha dourada. Dunga agiu na seleção como aquele bom empregado que, tendo sido contratado pelo patrão para limpar a sala, e sendo tão fiel às ordens patronais, resolveu limpar até a sujeira debaixo do tapete, aquela que o próprio patrão esconde. Não deve durar muito no cargo. No entanto, há um certo heroísmo na sua atitude, ao menos naquilo que o heroísmo tem de mais patético: tentando ser fiel ao patrão, trabalhou contra ele. Até o iluminado Kaká teria afirmado que o técnico exagerou, e expôs questões que deviam ser tratadas “internamente”. Que a seleção está perdendo a força de atração que tinha na torcida brasileira, que sua casa é Londres há muito tempo, que seus patrões moram no Oriente Médio, que é um produto a serviço dos interesses corporativos da CBF (e de seus diretores), que jogadores já financeiramente estabilizados não arriscam uma unha numa dividida com a camisa amarela e os novos talentos não precisam dessa vitrine apedrejada para chegar ao exterior, que a Globo é proprietária dos direitos vitalícios de imagem e exploração da seleção, nada disso mais é novidade para ninguém. Para Dunga, o herói ressentido do futebol de resultados, que até hoje não perdoou o banho-de-cuia que tomou de Ronaldinho em campo, que não conseguiu parar Maradona na copa de 90 nem na base do pontapé, que venceu uma copa do mundo consolidando a Era do Futebol Feio na seleção brasileira, a fera que teme e odeia o Belo, só resta a frase Brechtiana, humoristicamente adaptada ao quebra-canelas: “Pobre da Seleção que Precisa de Heróis!”.

Θ PELÉ PERDE O REDONDO: O REI E AS CRIANCINHAS. Pelé, meu Rei Pelé. Quando você marcou aquele milésimo gol, e dedicou a nós, em plena ditadura, ninguém desconfiou que era demagogia barata. Ainda dava pra te deixar escapar numa boa. Depois, vieste com aquela de que o povo brasileiro não sabe votar, pra ficar bem na fita com os generais, pra se dar bem. Aí a gente começou a achar que tu não estavas do nosso lado. Quando parou de jogar, começou a viver da venda da tua imagem, transformando-se num produto à disposição de quem melhor pagasse. E as criancinhas, nada… E foi justamente o futebusiness de João Havelange quem mais usou a tua imagem pra transformar o futebol em produto – eles pensam! De qualquer forma, a tua imagem passou a ser também o que dizias, e o que dizias navegava ao sabor de quem era o patrão de ocasião. E tu se dando bem. E as criancinhas, nada… Aí aceitaste até ser garoto-propaganda de remédio para melhorar performance sexual. Logo tu, meu Rei? Ensaiou brigar com Ricardo Teixeira, pra logo depois se abraçar nele pra nunca mais largar. Participou do governo FHC, e fez uma lei que, se deu a alforria aos jogadores, também deu abertura para que o futebol se transformasse em máquina de lavar e levar: lavar dinheiro e levar os jogadores cada vez mais cedo e com cada vez menos investimentos no futebol braziniquim. E tu se dando bem. E as criancinhas, nada… Não abriu e continua calado – como um poeta, diria Romário – sobre as falcatruas e trambicagens que enfraquecem o futebol que deixa de ser uma brincadeira entre pessoas de bem pra se tornar uma máquina de triturar cérebros, joelhos, tornozelos, músculos, corações, alegrias, um meio, não uma finalidade: um querer sair da miséria com a bola nos pés. E tu se dando bem. E as criancinhas, nada… Quando Maradona foi pego usando drogas, o dedo moralizado em riste. Quando seu filho foi pego traficando drogas, as mãos moralizadas na testa: “onde foi que eu errei?”. Te toca, meu Rei! Tua relação com os outros é na base da troca comercial, com nada de afeto. Sem grana, nada feito. O filho apenas tentou colocar em prática o que aprendeu com o pai: se dar bem. E agora, aqui, tomando essa cervejinha, tu vem querer que a gente te libere vindo com esse papo de ‘Eu sou Pelé‘? Não vem com essa não, meu Rei! Agora não dá mais pra te deixar escapar. Vai logo passando o redondo pra cá que essas criancinhas do Brasil aqui tão querendo se dar bem também. (para entender melhor o caso da perda do redondo roxo do Rei, leia aqui).

Θ EUROCOPA AUSTRIA/SUÍÇA 2008. Na nossa linha de passe da quarta-feira passada, nenhuma das perspectivas se atualizaram no real. Estamos em 100%: equivocamo-nos em todas. Mas como o que vale no jogo do jogar é a alegria, e não a frustração como sintoma da incapacidade de suportar o real, tá valendo. Aqui você confere os placares dos jogos já realizados, a tabela dos confrontos e os confrontos eliminatórios. As resenhas das partidas você continua lendo no nosso Chagãozinho Eurocopa, diariamente:

QUARTAS-DE-FINAIS

1 – 19/06

Portugal 2 – 3 Alemanha

2 – 20/06

Croácia 1(1) – (3)1 Turquia

3 – 21/06

Holanda 1 – 3 Russia

4 – 22/06

Espanha 0(4) – (2)0Itália

SEMIFINAIS

25 e 26/06

Alemanha – Turquia

Russia – Espanha

FINAL

29/06

Vencedor SF 1 – Vencedor SF2

Θ BRASILEIRÃO 2008 SÉRIE A. Continua o certame com os quatro primeiros colocados inalterados. Flamengo, Grêmio, Cruzeiro e Náutico venceram seus confrontos e seguem firme nos primeiros lugares. Mudanças, só no meio e no final da tabela. São Paulo, Portuguesa e Vitória se aproximaram da ponta de cima. Já Vasco da gama, Atléticos e o Sport Recife, se achegaram da fogueira junina da zona de classificação para coisa-nenhuma, e flertam com os quatro últimos. Na briga pela vaga na série B, Santos e Goiás se pegaram na Vila Belmiro, e os jogadores alvinegros, abalados com o roubo do redondo do Rei, tomaram de quatro. Cheira a jogador querendo derrubar técnico, a técnica é a mesma, em qualquer lugar do mundo. Guilherme (Cruzeiro), Marcinho (Flamengo) e Alex Mineiro (Palmeiras) têm cinco tentos cada um, e lideram a artilharia. Resultados:

Série A: Atlético-MG, Atlético-PR, Botafogo-RJ, Coritiba, Cruzeiro, Figueirense, Flamengo, Fluminense, Goiás, Grêmio, Internacional, Ipatinga-MG, Náutico, Palmeiras, Portuguesa-SP, Santos, São Paulo, Sport, Vasco da Gama, Vitória-BA

7ª Rodada Série A – 21 e 22/06

Botafogo 0 – 1 Portuguesa

São Paulo 1 – 0 Sport Recife

Cruzeiro 3 – 0 Figueirense

Coritiba 2 – 1 Fluminense

Vasco 0 – 2 Palmeiras

Vitória 2 – 1 Internacional

Ipatinga 1 – 3 Flamengo

Grêmio 3 – 0 Atlético/PR

Santos 0 – 4 Goiás

Náutico 2 – 1 Atlético/MG

Classificação*

Flamengo  –  16

Grêmio  –  16

Cruzeiro  –  16

Náutico  –  14

Palmeiras  –  13

São Paulo  –  12

Vitória  –  11

Portuguesa  –  11

Coritiba  – 09

Atlético/MG  –  09

Atlético/PR  –  08

Vasco  –  08

Sport Recife  –  08

Figueirense  –  08

Internacional  –  07

Botafogo  –  07

Goiás  –  06

Ipatinga  –  05

Santos  –  05

Fluminense  –  02

* Em azul, os classificados para a Libertadores ’09; em verde, os classificados para a Sulamericana ’09, e em vermelho, os rebaixados para a série B.

Θ BRASILEIRÃO 2008 SÉRIE B. Finalmente alguém conseguiu tirar pontos do Corinthians. No clássico em alvinegro com a Macaca de Campinas, o matador de galinhas mortas não passou de um empate. Melhor para Avaí, São Caetano e Juventude, que se aproximaram do líder. Na meiuca da tabela, a surpresa é o Gama, que saiu da faixa de degola direto para o oitavo lugar. Teve também clássico nordestista, entre o Vovô Ceará e o tricolor baiano, ficando tudo num movimentado empate. No planalto central, Jacaré e Gama se encararam no clássico de Brasília, com vitória dos verde-e-brancos. Na artilharia, Herrera, o trombador, do Corinthians, e Túlio Maravilha, o incansável do Vila Nova, ambos com 6 gols. Confira os resultados:

Série B: ABC-RN, América-RN, Avaí, Bahia-BA, Bragantino, Brasiliense, Ceará, CRB-AL, Corinthians, Criciúma, Fortaleza, Gama, Grêmio Barueri, Juventude, Marília, Paraná Clube, Ponte Preta, Santo André, São Caetano, Vila Nova

7ª Rodada Série B – 17, 20 e 21/06

Santo André 0 – 0 São Caetano

Ceará 2 – 2 Bahia

CRB 1 – 2 Barueri

Marília 1 – 1 Bragantino

Criciúma 2 – 1 Fortaleza

Paraná Clube 1 – 0 ABC

América/RN 1 – 5 Avaí

Vila Nova 1 – 1 Juventude

Ponte Preta 1 – 1 Corinthians

Gama 1 – 0 Brasiliense

Classificação*

Corinthians  –  19

Avaí  –  13

São Caetano  –  12

Juventude  –  12

Ceará  –  11

Barueri  –  11

Criciúma  –  10

Vila Nova  –  10

Gama  –  09

Fortaleza  –  09

Santo André  –  09

ABC/RN  –  09

Bahia  –  09

Bragantino  –  08

Brasiliense  –  08

Marília  –  08

Ponte Preta  –  07

Paraná Clube  –  07

CRB  –  04

América/RN  –  03

* Em roxo, os classificados para a Série A do Brasileirão ‘09; em cinza, os rebaixados para a série C.

Θ PARAZÃO 2008. O Clássico Re-Pa movimentou a cidade de Belém. Milhares de torcedores, cada um com a sua manguita verde, um salzinho e dividindo uma garrafa Da Melhor, lotaram o Mangueirão para uma tarde de deleite no esporte por excelência. Protagonistas do espetáculo, os rivais Clube do Remo e Paysandu Sport Club encarnam a rivalidade entre os paraenses. E a partida foi emocionante, trazendo lucro até para os farmacêuticos de plantão, que venderam caixas de Captopril. Aos 22 do primeiro tempo, Samuel abriu o placar para o Papão da Curuçu, mas a torcida, tal qual a noiva em noite de núpcias que descobre a propaganda enganosa do noivo, sofreu um golpe inesperado. Um minuto depois, Lenílson, do Remo, deixou o jogo empatado novamente. Aos oito do segundo tempo, ele, Lenílson de novo, marcou, virando para o Remo. Com a expulsão de Altair, aos 11 minutos, ficou mais fácil para o Remo, que ampliou com Léo Guerreiro, aos 26. Mas quando os remistas já comemoravam, mandando em casa prepararem a maniçoba, eis que o Papão dá sinal de reação: aos 34, Zé Augusto diminuiu. Até o final, foi o Papão pressionando, o Remo defendendo e os torcedores dos dois times se segurando na arquibancada. Ao final, prevaleceu a vantagem do Clube do Remo, que faturou o segundo turno do Parazão 2008. Agora, na próxima quinta-feira, o jogo de ida da finalíssima contra o campeão do primeiro turno, o Águia de Marabá. A volta será no domingo que vem, quando conheceremos o campeão da Eurocopa e do Parazão 2008!

https://i2.wp.com/br.geocities.com/so_quer_futebol/remo2005.gif

!!! CLUBE DO REMO CAMPEÃO DO SEGUNDO TURNO !!!

Θ FINAIS URUGUAIO 2007/2008. Primeira partida entre o campeão do Clausura 2008 e o Apertura 2007, semifinal do campeonato Uruguaio. Peñarol e Defensor Sporting entraram em campo para a primeira partida, com mando dos carboneros. E enquanto os aurinegros dormiam, embalados em sonhos estranhos, os violetas de Parque Rodó foram logo mostrando a que vieram. Aos oito minutos, André Lamas, de cocuruto, empurrou pras redes, abrindo o placar. Daí o Peñarol resolveu ir ao ataque, mas era sempre parado pela boa defesa violeta. Até que aos 20, penal marcado em Sebastián Fernández, que Pablo Gaglianone marcou. Daí o Defensor resolveu se defender. E o Peñarol, ir pra cima, afinal, não há saldo de gols na final, perdido por um, perdido por mim, basta vencer a próxima por 1 a 0. E ao apagar das luzes do primeiro tempo, num chutaço de Matías Aguirregaray, os aurinegros diminuíam a vantagem violeta. Com medo de uma virada à Lá Turquia, os violetas reforçaram o meio de campo e saíam em perigosos contra-ataques, mais incisivos que os ataques aurinegros. Ao final da partida, os dois gols pesaram. Agora, na próxima quarta-feira, com um empate, o Defensor Sporting sagra-se automaticamente campeão uruguaio, já que é o campeão anual, dispensando finalíssima. Caso o Peñarol vença, haverá uma terceira partida no domingo que vem.

Θ CLAUSURA 2008 ARGENTINO. Derradeira rodada do certame que já tem campeão. Apenas as vagas para a Sudamericana e o rebaixamento estiveram em jogo na rodada 19 do Clausura. No apagar das luzes, o Boca encerra a participação com o vice-campeonato. Estudiantes, San Lorenzo e Vélez Sarsfield completam os cinco primeiros. O artilheiro foi Darío Cvitanich, do Banfiel, com 13 gols. Confira os resultados:

19ª Jornada

Argentinos Jrs 2 – 1 Rosario Central

Gimnasya La Plata 1 – 2 Lanús

Newell´s 1 – 0 San Martín

Huracán 1 – 2 Vélez

Independiente 1 – 1 Arsenal

Banfield 2 – 3 River Plate

Olimpo 1 – 2 Estudiantes

Colón 1 – 0 Racing Club

Gimnasya Jujuy 2 – 2 San Lorenzo

Boca Jrs 6 – 2 Tigre

A ROBERTA MIRANDA DE SABÁ REIS

Sabe-se que na macropolítica a maioria dos que almejam cargos públicos não buscam fazer composições numa linha democrática para o aumento da potência de agir da população. As relações geralmente são eleitoreiras e o que menos conta é a concepção política. Daí a generalização da chamada infidelidade parlamentar por todo o Brasil. Com a aproximação de pleitos eleitorais, também as coligações se dão de todas as formas. Partidos que tentam passar uma distinção de concepções mostram que na prática são idênticos clones.

Entre tantos pelo Brasil a dentro, eis um episódio ocorrido em Manaus que revela a forma como os candidatos e seus respectivos partidos estão formando suas coligações. Há poucos dias atrás, o braço destro do prefeito Serafim (PSB), Dr. Marcus Barros, e o secretário municipal de saúde, Jesus Pinheiro, fizeram em um restaurante uma reunião com os funcionários de cargos comissionados da área da saúde, na qual apresentaram o deputado estadual Sabá Reis (PR), o qual fez naquele momento um discurso inflamado, afirmando total apoio à candidatura de Serafim à reeleição. Consta que até pressionou os comissionados presentes, afirmando que para quem não estivesse contente era a hora de pedir pra sair e troçou, dizendo que já tinha até comprado vários CD’s da cantora Roberta Miranda com a música “Vá com Deus”. No entanto, parece que Reis gostou tanto da música que foi o primeiro a pedir pra sair: alguns dias depois deste encontro em que teria afirmado ir até o fim com o prefeito Serafim, é anunciado como vice na chapa que tem como candidato a prefeito o vice-governador Omar Aziz (PMN).

O acontecido não serve só a Manaus, é apenas um exemplo de como funcionam as coligações, quais os interesses envolvidos e também como continua depois das eleições. Quando Serafim assumiu a prefeitura de Manaus, em 2005, a maioria dos vereadores, por exemplo, fizeram-lhe e faziam-lhe oposição, mas de repente ele estava com a maioria esmagadora em sua bancada. E quem vai sendo esmagada é a população, que vê sua gestão chegando ao fim sem uma solução para o problema da falta d’água, com as ruas em péssimas condições, com o violento sistema de transporte público, etc. Muitos daqueles que se aproximaram dele pelos “acordões”, e que não confiam numa possível reeleição sua, já vão seguindo os passos de Sabá Reis.

Resta ainda saber se este, que recentemente foi um dos mais incisivos pela criação da CPI para investigar o prefeito do município amazonense de Coari, Adail Pinheiro, amicíssimo do governador Eduardo Braga, a quem os rastros dos escândalos de Coari podem vir a comprometer. Reis até alardeou que havia confeccionado com fundos próprios um livro denominado “Robalheira, prostituição infantil, pedofilia e deboche”, para distribuir gratuitamente para a população tomar conhecimento do acontecido em Coari.

Enquanto isso a música de Roberta Miranda vai embalando a campanha de Manaus e, provavelmente, muitos outros municípios do Brasil. Mas são muitos se querendo deuses, e cada um vai é com o seu, que sempre será o mesmo. Logo, não existiu infidelidade nenhuma.

Vá com Deus! Vá com Deus!

Que o amor ainda está aqui

Vá com Deus!

E tente sorrir por mim

Amor meu!

Se o destino tá traçado

Pra vivermos lado a lado

Vá com Deus!…

*….:: CHAGÃOZINHO EUROCOPA! ::.….*

Θ Espanhóis e italianos entraram em campo para decidir uma das vagas para as semifinais, mas tiveram posturas diferentes em campo. Enquanto os espanhóis tentaram, à medida do possível, tocar a bola com rapidez e chegar ao gol, os italianos se defendiam, com o time inteiro nos arredores da grande área. Sempre com entradas na base da violência, deixando o pé, as travas da chuteira, os pupilos de Berlusconi não chegaram, em 120 minutos, em nenuma situação clara de gol que não fosse dominada pela frágil defesa vermelha. Ao contrário, a Espanha no primeiro tempo, principalmente com Iniesta e Fernando Torres, assustava, embora sem muita objetividade. Não houve um momento de pressão intensa, mas a bola pertencia aos espanhóis, que eram os únicos a se preocupar em avançar além da linha de meio campo. No segundo tempo, o técnico espanhol joga contra: substitui os esforçados Fernando Torres e Iniesta, os dois que chutavam, e a Espanha continuam com o bom toque de bola (no lugar de Iniesta entrou Fabregas), mas os chutes rareavam. Ainda assim, durante todo o segundo tempo, e a prorrogação, o embalo foi o mesmo. Destaque para a atuação pró-Itália do árbitro, que inverteu faltas e não deu ao menos um penal a favor dos espanhóis. Também destacada a sobriedade e equilíbrio do volante Marcos Senna, que deixa os torcedores-testemunhas da seleção nike-Brasil com inveja. Conduzindo a pelota, levando o time ao ataque e chutando (muito para o volante mais recuado). E quanto a Itália esboçou alguma coisa, com a entrada de Del Piero e Di Natale, já não era possível: sem o lançador Pirlo, o time não tem jogada, fica na dependência do destino, superstição que não ganha jogo. Nos penais, De Rossi e Di Natale ficaram nas mãos do bom goleiro Casillas. Do lado dos vermelhos, o substituto de Torres, Güiza, perdeu o seu. Mesmo assim, pra completar os 100% de equívocos palpitantes do “Chagão!”, a Espanha eliminou a Itália, sem no entanto, romper a tradição de 88 anos sem vencer os azuis numa partida oficial decisiva.

Itália 0(2) – (4)0 Espanha

!!!!! O MUNDO É GAY !!!!!

O CÉREBRO-MUNDO É GAY!

Até quem não é da área científica ligada às neurociências sabe que o órgão mais estudado no século XX e neste início de XXI é o cérebro. Sabe-se sobre ele hoje zil vezes mais que se sabia no início do século passado. Ainda assim, é pouco. E quando a imprensa em geral se apodera de algum resultado científico, em geral procura limitar os resultados a um enunciado esvaziado e de aspecto marketológico, sem atentar para os elementos necessários à compreensão do estudo.

Um estudo publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences mostrou que há semelhanças anatômicas e funcionais entre os cérebros de homens heteros e lésbicas, e de gays e mulheres heteros. Tomografias mostraram uma similaridade no funcionamento dos respectivos grupos. Há ainda uma característica anatômica presente nas mulheres homo e nos homens heteros: o hemisfério direito é um pouco maior que o esquerdo. Descobriram ainda similaridades na funcionalidade e fluxo sanguíneo da amígdala cerebelar (centro da agressividade e memória emocional, segundo estudos).

Mas o mais interessante da pesquisa não são os resultados, mas sim as ampliações de entendimento que são possíveis de se fazer a partir deles. Os próprios pesquisadores, do Instituto Karolinska, levantam algumas. Não é possível, pelo estudo, determinar se as características encontradas se formaram antes ou após o nascimento das pessoas. Também não se pode estabelecer uma relação direta entre comportamento social/sexual e as diferenças anatômicas e funcionais na amígdala. Não se sabe ainda se as características são herdadas ou decorrente de processos bioquímicos fenotípicos. Os cientistas pretendem fazer um estudo em recém nascidos para, daqui a alguns anos, tentar desenvolver um método de “prever” a orientação sexual de uma pessoa.

Primeiro, é preciso ter cuidado com notícias de pesquisa científica na imprensa não-especializada. Os repórteres não tem condição epistemológica nem preocupação, na maioria das vezes, em explicitar aspectos metodológicos da pesquisa, determinantes para a compreensão correta dos resultados. Uma pesquisa só pode falar daquilo que se propôs a examinar, e só pode fazê-lo dentro de um quadro teórico específico. Assim, na imprensa dita grande, uma descoberta de uma substância que retarde um pequeno processo do complexo de reprodução do vírus HIV se transforma na mais nova esperança de cura da AIDS.

Mas mais perigoso é tentar ressuscitar a velha e falsa polêmica sobre a “origem” do chamado homossexualismo. O filosofante Michel Foucault, gaysíssimo, já mostrou que as instâncias disciplinares do Estado procuram dominar os elementos discrepantes da norma através dos saberes institucionais. Daí a masturbação, o erotismo e o orgasmo feminino, o homoerotismo chamado homossexualidade terem se transformado em objeto de estudos da Psiquiatria. Determinar uma origem, causa, é identificar formas de controle e erradicação. Alguém aí está preocupado em encontrar a “origem” do heteroerotismo? A pesquisa, que se pretende séria, e é em certo grau necessária, afirma que não é possível atribuir apenas à bioquímica humana a origem do homoerotismo. Mas passa longe de compreender o cérebro para além da massa cinzenta.

O cérebro não se reduz à massa intracraniana, não é apenas um órgão no sentido clínico-médico. Onde está a linguagem? No cérebro? Os comportamentos, os afetos, cabem nas sinapses nervosas? O cérebro é o próprio mundo, não no sentido do solipsismo, mas no sentido social, cultural, filosofante. A existência molda o cérebro-órgão: será a massa cinzenta de um esquimó idêntica em funcionamento e estrutura a de um habitante da equatorial Manaus-Manô-Manoniquim? Mas o cérebro-mundo ultrapassa a de-formação das sinapses e dos bilhões de neurônios. O homoerotismo não está no cérebro, mas no mundo, assim como a Vida corre fora da existência. O próprio conceito de homoerotismo, tal como o concebemos, é uma produção situada no plano histórico-cultural bem recente. Para os gregos, não havia essa cisão, não havia a classificação do sexo de acordo com os orifícios e características biológicas reprodutivas. O amor não é linear, é transbordante.

Pesquisas ditas científicas sobre a origem ou determinação da orientação sexual carregam, muitas vezes, mais fortemente o viés ideológico da polícia dos costumes do que da preocupação em determinar funções que possam enfraquecer a subjetividade homofóbica e a doença social da discriminação. Qual a vantagem ou necessidade, para qualquer pessoa que não carregue elementos de insegurança sexual e erótica, de ter determinados, identificados, capturados e classificados seus desejos e vontades, seus quereres eróticos, afetivos e sexuais?

Ui! E agora vamos ver outros sopros gayzísticos (ou não) que passaram no nosso Mundico!

Φ GAY, GAY, GAY! NORUEGA É GAY! A Noruega é o sexto país do mundo a criar uma legislação ampla e irrestrita para as famílias formadas por pares homoeróticos. A novidade é que, além do reconhecimento de todos os direitos civis dos casais héteros, o governo vai oferecer programas de adoção e reprodução assistidas. Pra variar, os partidos ligados à moralidade cristã mais cristãlizada criticaram a lei. Mas o governo não deu bola, e dá um passo adiante na adoção de políticas públicas relativas ao movimento LGBT. Mas que os críticos do governo brasileiro não aproveitem a deixa para detonar a lentidão do governo na adoção de políticas semelhantes. Lá, os partidos de situação tiveram que negociar com os de oposição, numa grande composição política favorável. Aqui, com a “diversidade” de deputados das mais variadas estirpes e espécies, é quase impossível uma costura política da mesma forma. Ainda assim, avançamos, e precisamos continuar forçando a barra. Ou ir casar na noruega! Chique, maninha! Sentiu a brisa, Neném?

Φ OLHA A AVALANCHEEEEE!!! Os gays vão invadir a Califórnia! De acordo com perspectivas governamentais e da UCLA (Universidade da Califórnia), mais de 100 mil casamentos homoeróticos deverão acontecer na capital Na lista de espera, já estão 50 mil californianos e mais 67 mil que deverão cobrir o Estado estadunidense das cores da bandeira do arco-íris. Incremento na economia, não é por acaso que se trata de uma economia maior que a de muitos países. Mesmo assim, os novos casais não terão direito a benefícios do governo federal, já que a Lei só se estende até as fronteiras estaduais. Na última eleição presidencial, o veto incondicional às uniões civis homoeróticas deram vantagem ao então candidato, Bush. Quatro anos depois, há uma indefinição no eleitorado estadunidense, e perde votos tanto quem se declara amplamente favorável quanto quem é contrário. Obama é a favor, timidamente. McCain, abertamente contra. Quem levará essa, meninas? Independente disso, de nada adianta casar se for pra cultivar os mesmos hábitos e modos de ser de um casal heteroburguês. Vixe, sai pra lá! Sentiu a brisa, Neném?

Φ EXÉRCITO ACUADO PELA JUSTIÇA E PELO OLHAR DO PÚBLICO. Uma semana após ser preso, o sargento Fernando Alcântara foi solto pelo exército. Como você acompanha nesta colunéeeeeeesima, ele foi preso sob a alegação de que usou um uniforme descaracterizado do padrão da corporação. Fernando alegou medo de retaliações, e apenas comentou que sua pena foi a máxima, quando o comum nestes casos é uma reprimenda verbal. Enquanto isso, o STF, através do ministro Gilmar Mendes, e a juíza relatora do processo do companheiro de Fernando, Laci, autorizaram a transmissão da sessão de interrogatório do caso pela TV Justiça. Será a primeira transmissão de uma sessão da justiça militar. Diante da repercussão do caso e a pressão dos movimentos sociais, significa um avanço tirar dos porões das casernas as decisões dos tribunais militares. O delírio de considerar o militar uma categoria social diferente da civil sofre desta maneira um golpe, já que será possível ao menos ver o julgamento: se a TV Justiça, neste aspecto, escapar do marketismo midiático para se transformar em máquina desestabilizante da subjetividade dura do militarismo, teremos um grande avanço. Não mudem de canal, menin@s. Sentiu a brisa, Neném?

Beijucas, até a próxima, e lembrem-se, menin@s:

FAÇA O MUNDO GAY!

i iNDA TEM FRANÇÊiS Qi DiZ Qi A GENTi NUM SEMO SERO

@CANDIDATOS COM PENDÊNCIAS NA JUSTIÇA PODEM SE CANDIDATAR?Entidades sociais, membros do Tribunal Superior Eleitoral e Tribunais Eleitorais regionais estão defendendo a proposta de impedir o registro de candidaturas de candidatos que estejam com pendências com a justiça para o pleito de 2008. O Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) reúne assinaturas para que a proposta seja registrada na Câmara dos Deputados como Projeto de Iniciativa Popular. O MCCE espera reunir 1,3 milhões de assinaturas. Especialistas em legislação eleitoral e parlamentares já se demonstraram contrários a proposta. Entre os parlamentares estão os vereadores Leonel Feitoza (PSDB) e Marcelo Ramos (PCdoB), ambos de Manaus. Eles dizem, respectivamente, que não se pode declarar alguém culpado antes que a justiça assim declare e que tal proposta se aprovada iria servir para muito candidato prejudicar seus inimigos nas eleições eleitorais. O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Carlos Ayres Britto, disse que não irá divulgar uma lista desses candidatos, mas que facilitará a consulta por parte de eleitores, partidos e candidatos. Embora se saiba que ninguém é culpado sem que antes se prove, também sabemos que ninguém entra na lista de suspeitos, por exemplo, da Polícia Federal, à toa. Senão o porquê da PF dedicar um longo tempo em estudos e estratégias para que as operações realizadas sejam realmente fundamentadas em provas concretas. Basta acompanhar o efetivo trabalho da PF durante o Governo de Lula para perceber isto. O que realmente preocupa aos políticos nesta lista é que apareçam ao público os candidatos que são contra o povo. Mas por mais que estes se esforcem para que suas ações contra o povo sejam esquecidas a memória do povo resiste. Que diga Amazonino Mendes, Omar Aziz (que teve seu nome retirado da CPI da Prostituição Infantil pelo senador Arthur Neto), Adail Pinheiro, Ari Moutinho, Sabino Castelo Branco, Nelson Azedo, Bosco Saraiva, Isper Abrahim, Cordeiro, entre outros tantos que já começam a ensaiar desculpas. A Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) faz campanha para que todos os nomes sejam divulgados. I inda tem françêis…

@BUSH, PETRÓLEO E MEIO AMBIENTE: UMA QUESTÃO ECONÔMICA. George W. Bush “pediu” ao congresso norte americano que seja derrubada a lei que proíbe a extração de petróleo em alto mar. A proibição já existe há mais de 25 anos e foi incentivada por causa dos grandes impactos ambientais que este tipo de extração causa quando feitos à revelia e com interesses unicamente capitalístico-mercantis. É estimado que existam 18 milhões de barris de petróleo na área protegida, dez vezes mais do que a produção do país atualmente. Segundo Bush, esta postura é em razão do alto preço da gasolina nos EUA. No entanto, percebemos há muito tempo o desespero de Bush por ver os países, antes submissos aos ditames político-econômicos dos EUA, agora autônomos e donos de suas riquezas. Como é o caso da Venezuela, agora dona de sua produção de petróleo. O interessante na notícia é que o republicano John McCainquando concorria com Bush para a candidatura a presidente em 2000 era a favor da proibição, agora se demonstrou favorável a Bush, mesmo tentando assegurar a imagem de um candidato “verde”. Bem sabemos que tanto para Bush como para John McCain, pouco importa o mundo, o meio ambiente, ou qualquer outra coisa importante a uma vida sem privações. Para eles tudo se resume ao maior amor do capitalismo: o dinheiro. I inda tem françêis…

@A POLÍCIA FEDERAL REPUBLICANA E A CHAMADA “OPOSIÇÃO”. A chamada Operação João de Barro, da PF, mobilizou mais de mil policiais, para cumprir 269 mandados nos Estados de Minas Gerais, São Paulo, Goiás, Tocantins, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Rio Grande do Norte e Distrito federal. A operação se refere a indícios de fraude na transferência de recursos do PAC através do BNDES e CEF. Casas populares e saneamento básico eram os grandes filões da quadrilha, que não executava os projetos de acordo com as especificações, e embolsando o “excedente”. No bolo dos investigados, os deputados federais mineiros João Magalhães (PMDB) e Ademir Camilo (PDT), que não foram presos graças às benesses da imunidade parlamentar. Antes da entrevista coletiva que anunciou os resultados da operação, o Ministro Tarso Genro, como bom gaúcho, ainda tirou um sarro da imprensa: “Nós gostaríamos de dizer que todas essas buscas, mandados de prisão e o trabalho de investigação feito não têm nenhuma destinação voltada a qualquer região ou facção política. Ela obedece estritamente o trabalho de órgãos técnicos da União Federal”. Tarso não esperou as óbvias perguntas da imprensa, e respondeu antecipadamente o que os repórteres-clones perguntam sempre que a Federal indicia algum colarinho branco. É preciso informar, já que combater a corrupção, para a chamada oposição, é fazer campanha eleitoral. Aí está a diferença entre este e os outros governos. Falta apenas a alguns eleitores estender esse olhar crítico que elegeu Lula, porque este faz o que os outros não fazem, ao seu voto para governador, prefeito, vereadores, deputados… I inda tem françêis…

@PARLAMENTO EUROPEU ENDURECE LEIS ANTI-IMIGRAÇÃO. O Parlamento europeu aprovou, sem emendas, um projeto que permite aos países membros expulsarem os imigrantes ilegais, condenando-os a não retornar num prazo de 05 anos. Eles poderão ainda ficar até 18 meses presos, à disposição da justiça do país. Com a ajuda de políticos da esquerda espanhola, e sem as emendas compensatórias de opositores, a lei é um duro golpe na idéia de integração. Claro, a medida vale para imigrantes de países periféricos, e não os co-irmãos europeus. Em tese. Com os principais países, como Itália, Espanha e França, alimentando convulsões sociais graças à políticas segregacionistas com imigrantes, e tendo o quadro da imigração relação indissolúvel de causa-e-efeito com as políticas expansionistas destes mesmos países transformando a África e a América em mercado explorado de consumo, é bem possível que em breve os próprios italianos (com uma rusga separatista entre Norte e Sul multicentenária), franceses (com as gangues da “escória” da periferia, assim chamadas pelo também filho de imigrantes, Sarkozy) e espanhóis (com uma onda de violência xenofóbica e um histórico de nações dentro da nação) comecem a brigar entre si, e o ideal do globalitarismo transforme vizinhos em inimigos declarados. Do outro lado, ecoa a fala de um jovem português, morador da Cova da Moura, filho de imigrantes: “O Estado simplesmente não nos ouve”. I inda tem françêis…

@AUSÊNCIA DE ESTADO, RECRUDESCIMENTO POLICIAL, FACÇÕES E TRÁFICO, MILÍCIAS… Até o assassinato dos jovens David Wilson da Silva (24 anos), Wellington Gonzaga Ferreira (19) e Marcos Paulo Campos (17), do Morro da Providência no Rio de Janeiro, depois de serem entregues a uma facção criminosa por 11 soldados, entre eles três sargentos e o tenente Vinícius Ghidetti, a linha é longa e rígida. Passa pela ausência do Estado Civil muito antes da ditadura, durante e depois dela. Destituída de direitos, a população só poderá se defender, se indignar, revidar. O que terá como resposta o recrudescimento policial que, se já era corrupta, piorou, agredindo e matando impunemente em chocantes imagens televisadas. É a partir disso que se formam as facções, como forma de defesa contra o crime oficial, e o tráfico, como forma de sobrevivência e poder econômico. Só a brutalidade rotineira já não dá conta, formam-se nas polícias inúmeras milícias que passam a dividir o controle das favelas. Até que chegam Lula, Dilma, muito bem acompanhados do PAC, pois sabem que nada poderá ser feito sem envolver todas as questões — sociais, políticas, culturais. Como sabem que está tudo por fazer , com o histórico da polícia, das facções, do tráfico, das milícias, Álvaro Lins, Garotinho, Rosinha, resolvem proteger as obras com o Exército. Mas logo alguns, 11, como um time de futebol de caserna, quiseram trocar de lado. Não é um fato isolado, mas precisa ser isolado longe da população, para que Lula, Dilma e o PAC possam fazer alguma composição democrática com a população das favelas cariocas, para diminuir a favelização carioca.I inda tem françêis…

@PSDB E PSDB/DEM SE DIGLADIAM. E quem escolher na convenção dos tucanos, que ocorre amanhã, à maneira da democracia direitista pode até levar R$ 100 mil (aqui). Quem oferece é um tal Marco Aurélio da Silva, que tem ligado para líderes de diretórios que apóiam a candidatura Alckimin à prefeitura de São Paulo, para que votem no apoio à reeleição do prefeito Kassab, apoiado por Serra. A denúncia foi feita por Pedro Vicente, presidente do diretório do Jardim São Luís, para quem Marco Aurélio, num encontro, ofereceu dois cargos na prefeitura paulista para mudar os 13 votos do de seu diretório. Como Pedro Vicente não aceitou, uma vez que seriam apenas 6 meses, então o comprador ofereceu os 100, sendo 50 no cash. E parece estar com a mala cheia, pois ligou para várias pessoas, que se conseguissem mais outros votos, levariam R$ 25 mil por cada voto. A surpresa do incidente é saber que o PSDB tem diretório, mesmo não servindo pra muita coisa, se tudo já foi decidido entre Serra e Alckimin . Na primeira vez que vem a público uma escolha interna no partido é uma pura ilusão, principalmente que, pra quem atentou na recusa aos cargos por Pedro Vicente, ele já sabe que serão apenas os próximos seis meses. Quem deve estar rindo das falsas contendas dos iguais é Marta. I inda tem françêis…

@TENTATIVAS DE GOLPE ÀS ESQUERDAS SUL-AMERICANAS. Não faz duas semanas que houve uma suspeita de tentativa de assassinato do presidente do Equador, Rafael Correa (aqui), com a prisão de dois equatorianos e dois colombianos. Um deles acusou o ministro de governo Fernando Bustamante e há indícios de que membros da CIA, que atuavam no Equador, também estejam envolvidos. Mais recentemente, na Bolívia, foram presos dois homens portando um fuzil de guerra e trinta projéteis próximo a um aeroporto em Santa Cruz de Sierra, onde o presidente Evo Morales pousaria nessa quinta-feira (aqui). Tudo indica que o atentado estava sendo programado pela direita separacionista, tanto que os dois homens foram liberados sem prestar quaisquer esclarecimentos. Mas ninguém corre mais esse risco do que o venezuelano Hugo Chávez. Consta que somente nesse final de mandato, Bush Jr. ordenou três planos para assassiná-lo (aqui). Mas na Sul-América os planos de invasão não param nos mandatários. Dirigem-se a movimentos sociais e, principalmente, segundo o sociólogo Boaventura de Sousa Santos (aqui), aos povos indígenas a partir de deturpações da definição de “terrorismo”: “Existe a intenção de transformar os indígenas nos terroristas do século XXI, como mostram os documentos da CIA”. No Brasil, então, parece que a invasão não se daria apenas utilizando-se de supostas questões ambientais. I inda tem françêis…

@E PARECE QUE BUSH QUER DEIXAR SEU PLANO BÉLICO EM ANDAMENTO. Enquanto duas mulheres muçulmanas são impedidas de sentar próximo ao pódio onde Barack Obama discursava, chega a notícia de que Israel fez um treino de simulação de ataque às instalações militares iranianas. Mas já é a guerra, pois nos tempos de mísseis teleguiados, será sempre apenas uma simulação televisada. E o pior é que não atinge somente os alvos ditos militares, mas feiras, hospitais, escolas, crianças, adultos, velhos e bichos, tudo. Obama pediu profundas desculpas às atitudes inaceitáveis de voluntários e que não refletem a sua campanha. Aconteceu a duas mulheres, foi um acontecimento considerável. Mas se Bush deixar a guerra rolando em tempo real, não dará para pedir desculpas, pois, como diz Baudrillard, a morte de mil não têm importância nenhuma na tela total do monitor. I inda tem françêis…

@NA FRANÇA DE SARKO, CENSURA A PIRATEAÇÃO. Está prestes a ser aprovada uma lei que pune internautas que realizam descargas ilegais de músicas e filmes (aqui). Esta “forma de distribuição inventada há pouco”, como diz o desmusicado Tom Zé. A lei denominada “Criação e Internet” foi apresentada pela ministra da Cultura, Christine Albanel, ao Conselho de Ministros. Se for aprovada, será criado um órgão para proteção de direitos autorais na internet (Hadopi). Quando for rastreada uma irregularidade, o infrator receberá um e-mail de aviso. Se persistir, receberá uma carta escrita. Se persistir, terá acesso a internet cancelado por um período que vai de três meses a um ano. Se persistir… Há quem diga que estas tentativas de censura são impossíveis no não-espaço internético. Mas há quem explique ser tecnicamente possível. Os franceses de 68 com certeza movimentarão a rede para lugares incapturáveis. Enquanto isso, aqui no Brasil, conosco na pirateação socializante, o maravilhoso ministro Gil se aproxima do cyber: “Sou hacker. Um ministro hacker”. I inda tem françêis…

@E FINALMENTE O TORNEIRO MECÂNICO SE JUNTOU AOS INTELECTUAIS. O Blog do Emir nos traz boas notícias do encontro que ocorreu depois de uma uma homenagem a Gilda de Mello e Souza, companheira do literato engajado Antonio Candido, falecida recentemente. Do lado dos intelectuais: Antonio Candido, Luis Fernando Veríssimo, Leonardo Boff, Moacir Scliar, Fernando Morais, Luis Gonzaga Belluzzo, Candido Mendes, Dalmo Dallari, Maria Vitória Benevides, Aluisio Teixeira, Marco Antonio Barbosa, Paul Singer, Luis Eduardo Wanderley, Ladislau Dowbor, Walnice Galvão, Margarida Genevois, Adauto Novaes, Leonardo Avritzer, Lucio Kovarick, Gabriel Cohn. Lula levou os seus: Dilma Rousseff, Fernando Haddad, Luis Dulci, Marco Aurélio Garcia e Paulo Vanuchi, que organizou o encontro. Mas logo tudo se misturou. Como todos somos intelectuais, pois temos intelecto, as intervenções foram sobre todas as ações que o povo tem visto e sentido. Lula começou dizendo que era uma apresentação de Dilma, daí seguiu, no primeiro ponto, falando sobre a política internacional, sobre a África, os outros países da América do Sul e América Central, a amizade com Chávez, Evo, o carinho por Rafael, a felicidade com a vitória de Lugo… Passou ao segundo ponto, com os programas sociais do governo, sobre a alegria com os “territórios de cidadania”, referindo-se ao geógrafo-político Milton Santos. Depois foi a vez do PAC, Petrobras, biocombustíveis, Tv Pública, bateu na Miriam Leitão, falou sobre o BNDS, o congresso dos GLBT… E aí vieram Dilma, Fernando Haddad e Luis Dulci… No final Lula acrescentou que existem intelectuais por todos os cantos do Brasil, e que agora, toda vez que viajar procurará se reunir com eles em todas as regiões. Quem perdeu essa foi Fernando Henrique; se não fosse orgulhoso, teria aprendido o que não aprendeu em Harvard, afinal todos somos intelectuais, pois temos intelecto. Com Lula, todos percebem que não há separação entre a inteligência e a práxis no mundo I inda tem françêis…

Vamos que vamos

Que fomos e não chegamos

E chegamos onde não fomos

Mas não ficamos…

*….:: CHAGÃOZINHO EUROCOPA! ::.….*

Θ A força da movimentação extensiva, da correria que ia do ataque a defesa, em ambas as equipes, marcou tanto o confronto entre Croácia e Turquia, que fez com que o pânico de perder fosse o combustível maior da partida. Exatamente a definição do que é o futebol profissional, preocupado mais com a vitória e seus resultados mercadológicos do que com um futebol alegre criativo. Os dois selecionados foram tão rápidos em campo que acabaram por transformar a partida em um espetáculo de resistência física e velocidade. Esquecendo de embalar a Leonor em um futebol mais suave onde força e velocidade são apenas detalhes da alegria de compreender que, ganhando ou perdendo, o futebol é realizado na intensidade criadora do novo. Daí a caduca frase do técnico da seleção inglesa, Don Howe, de 1987, ter resumido esta partida e tantas outras que se querem (não conseguindo) como futebol arte: “Nunca poderá ser um bom jogador de futebol quem se sentir contente depois de perder uma partida”.

A partida precisou de 119 minutos para ser definida. Os guerreiros Otomanos, destemidos aniquiladores de Constantinopla, passaram os primeiros 45 minutos do embate sendo acossados pela Jovem Croácia. Embora ambos os selecionados tenham deixado bem claro seus interesses unicamente pelo resultado, a Croácia apareceu mais no primeiro tempo, tanto que logo aos 18 e 03 minutos meteram uma bola na trave do gol do arqueiro turco Rustu. Daí em diante um equilíbrio sóbrio pendulando entre resistência física e velocidade. E nada de gol durante o primeiro tempo. Já no segundo tempo os turcos apareceram controlados e mais na retranca. A Croácia, no entanto, retorna afoita pela vitória e reforça mais o combustível da partida, perdendo algumas chances de gol. Os croatas não contavam com o seu carrasco maior na partida, o goleiro turco Rustu. O arqueiro defendia o gol turco como um guerreiro otomano disposto a dar a vitória ao seu povo. Mas também nada de gol. Então a partida fez história inaugurando a primeira prorrogação do torneio centroeuropeo 2008. Nos primeiros quinze minutos a Turquia foi dominante. Impôs o seu jogo de ir pra frente e contar com a sorte. Algumas jogadas surgiram, mas os gols de ambos selecionados continuaram virgem sem terem suas redes aquecidas pela querida Leonor. Nos minutos restantes, o jogo indicava retomar a velha sobriedade do primeiro tempo e parte do segundo. Mas desta vez com os jogadores cansados, não mais podendo dispor inteiramente da força e da velocidade, davam seus últimos suspiros para a batalha. E a necessidade fez a ocasião. Cansados, os jogadores tiveram que perceber a partida de outra maneira. Então, Modric pegando a bola na linha de fundo da direita do gol turco, pareceu chamar o guerreiro arqueiro Rustu para uma batalha individual. Este parecia tonto do cansaço da batalha, a dúvida pairou sobre a sua cabeça, e sem saber se ia ou se ficava resolver ir e deixar seu posto livre. Modric cruzou a bola na direção de Klasnic que a empurrou com a cabeça para dentro do gol turco. Aos 13:43 minutos da prorrogação a Croácia abria a vantagem e fazia a bola acalorar uma das redes do estádio de Viena. O técnico guitarrista-metaleiro da Croácia pulou e correu com a sua equipe, já cantando as glórias da vitória. Mas não contava que a Turquia tinha vindo para o certame a fim de fazer tradição. Depois de vencer a Suíça e a República Checa nos minutos e acréscimos finais das partidas disputadas, fez valer a produção de sua tradição. Os 30 minutos regulares da prorrogação já tinham saído da temporalidade terrena e começava os acréscimos da prorrogação. Aos 16:04 minutos do quarto tempo da partida, Sentürk forzó, de fora da grande área, com a força que lhe tinha restado, fez a bola invadir o gol croata. Pênaltis. Aí, após o rápido descanso, os combatentes retomam a partida, uma vez que ela não pode ficar sem um termino e sem um vencedor e um perdedor. Então a Croácia inicia jogando a bola para fora; vem a Turquia e mete a bola pra dentro; de novo a Croácia e dessa vez marca; a Turquia e bola pra dentro; Croácia novamente e a bola é condicionada a ir para fora do gol mais uma vez; aí vem a Turquia e Gol; Croácia cobra o pênalti e… aparece Rustu para mostrar que a sua atrapalhada foi apenas uma indecisão causada pelo cansaço e defende o chute. Turquia então já se prepara para enfrentar os alemães comandados por Joachim Löw.

Croácia 1 (1) – (3)1 Turquia

CLINAMEN

___ oblíquas variações infinitas dos corpos ___

__________sombra_____luz_____________________eclipse_____passagem_______________________________________Fim da linha: descida, subida. Fim da linha: subida, descida. Lá vai, lá vem, lá vai, lá vem, lá vai, lá vem, lá vai, lá vem… E o trem? Quantas fornadas? “Por ‘crueldade’ do real entendo, em primeiro lugar, é claro, a natureza intrinsecamente dolorosa e trágica da realidade” rosset O delírio, como ultrapassagem, ou dissipação da objetividade, não é um mal em si. Alguns filósofos sabem disso. O delírio em filosofia, é a linha de corte do real, pela potência criadora de novas existências. Só há acontecimento, o novo, quando o homem delira da objetividade em movimento estético. Nisso novos conceitos, novas criações artísticas e novos afectos. O delírio só é patológico quando o homem abstrai o real se perdendo em sua própria abstração. Delírio político. Estágio-imóvel. Mundo ecolálico fragmentado. Ressonância dos fragmentos. Estágio circular dos reacionários: proteção compulsiva da mesma idéia. Daí porque a direita jamais será democrática: seu delírio é em si mesmo, nunca uma ultrapassagem do mundo dado. “Alberto, foi morar na casa da sogra, e não deu certo. Alberto, era bom demais” Vanzolline _________________________________________________________ _________________________________________Notícias saltam em abundância descrevendo a produção administrativa do governo Lula: crescimento econômico, recorde histórico brasileiro de empregos formais, criação da Universidade Aberta do SUS, reconhecimento internacional da produção econômica do Brasil, Brasil referência ao combate a AIDS…………………………………., etc…….. São as instituições do Estado Brasileiro atualizando-realizando o virtual (potência) como real social através do trabalho de seus agentes de carreira e indicados do governo. A direita desespera. Atribui as realizações somente, e tão somente, ao Lula, indivíduo isolado. Não vê sua equipe a qual comanda. Alucina um Lula Deus em sua intriga. Não percebe. Como não percebe que quanto mais alucina, odienta, Lula, mais ele cresce e se distancia de suas garras. Assim, ela mesma se vitima: jamais poderá ter um candidato para concorrer com este Deus que ela criou e mantém com sua alucinação. Lula é, para ela, uma imagem inalcançável. Que bom! A Democracia está protegida. ___________ “Tenho cada vez mais certeza de que tudo que tem sido feito em torno da AIDS é uma armação extremamente sofisticada que terá conseqüências muito mais graves que toda capacidade de extermínio do próprio vírus”

Herbert Daniel _________________________________________

__________________________________“E lá vai meu boi, prenda da cidade. A maré invade no meio do boqueirão, levando recado ao meu senhor São João, lá na capital São Luiz do Maranhão” Rogério do Maranhão Os artistas singulares visibilizam o invisível com suas artes. Os artistas midiatizados desaparecem em seus simulacros. Na partida cacofutebolística entre Brasil X Argentina, quando o jogador Adriano deixou o campo, a torcida o aplaudiu. Quando Messi, jogador argentino, deixou a partida, a torcida também aplaudiu. O argentino é um craque. O brasileiro não é. O futebol do brasileiro se resume a sua estatura e seu peso, na linguagem passada: sua compleição física. Disputa bola com os adversários como um tanque. Nenhuma lembrança ao tanque do tufão da colina São Raimundo Futebol Clube: o craque Santarém. A torcida sentencia a seleção de Dunga como horrível. O futebol brasileiro mudou para pior, dizem. É verdade. Mas a torcida mudou também. Não porque aplaudiu o inimigo, nada disso. Sabemos que certos amantes quando abandonados desfilam aos abraços com mulheres que suas ex consideravam inimigas. Os aplausos para Messi foram para atingir Dunga. Quem conhece a estorinha de Branca de Neve sabe muito bem que não atingiu. A torcida mudou, porque tem Adriano como craque. Se houvesse moral aplicada ao futebol, fato que não há, essa torcida não poderia sentenciar Dunga. Dunga e Adriano, para o futebol, são semelhantes. Logo, a torcida também. E a maioria da mídia esportiva, principalmente da Globo. “Eu quero ver como é, Didi, Garrincha e Pelé, dando um baile de bola! Ééééééééééééééé…..” Jackson do Pandeiro

NÃO SE EXCLUA DO 14º GRITO DOS EXCLUÍDOS…

Participe de sua organização! Quem conclama é a equipe Cáritas-Manaus, a partir do convite que hora publicamos aqui neste bloguinho para todos que buscam se envolver nas visibilizações/discussões em torno das tentativas de modificação do estado de coisas que se quer imutável, mas que não pode resistir às relações afetivas de proximidades democráticas.

Salve! Salve! Articuladoras e Articuladores, Companheiros e Companheiras,

14º Grito dos excluídos e excluídas 2008

Vida em primeiro lugar: direitos e participação popular

O Grito dos Excluídos e Excluídas é uma manifestação popular carregada de simbolismo, é um espaço de animação e profecia, sempre aberto e plural de pessoas, grupos, entidades, igrejas e movimentos sociais comprometidos com as causas dos excluíd@s.

Com essa força e alegria, estamos convocando a todas e todos a participarem da organização do Grito 2008.

Local: CEFAM – Avenida Joaquim Nabuco, 1023 — Centro (Manaus-AM)

Dia: 26/06/2008 Horário: 8:00h as 12:00h

Francy Junior

Equipe Cáritas Manaus

DEMOCRACIA PRESCINDE HOMENAGEM

Tu atuas, eu atuo. Tua atuação implica minha atuação, assim como minha atuação implica a tua. Em nossas atuações entrelaçamos potências singulares constituidoras de nosso existir. Somos continuum processual ontológico de modus de existências. Nada do que carregas escapa a mim, da mesma forma, o que carrego escapa a ti. Somos nossa própria alter-idade (semelhança/intempestiva) que nunca nos escapa. Plano de Imanência que nos dispõe à práxis como pluralidade dos iguais. A Cartografia dos desejos (interesses) como sociedade dos amigos: Democracia. Logos, política e ética.

Implicados em nossa imanência política, reconhecemo-nos uns nos outros através de nossa produção material e imaterial, nossos saberes, nossos dizeres, nossas filosofia, ciência, arte… Produzimos nosso habitat de ser racional afetivo/afetante. Nada transcende a nós. Nada vem nos reconhecer, a não ser o que conhecemos como nosso, pois nada é mais que nós mesmos: o Devir-Democracia.

QUANDO A DEMOCRACIA É SÓ IDÉIA

Em linguagem virtual, a idéia é um simulacro abstraído de um ser real natural ou produzido pelo homem, jamais este ser. Como simulacro, serve para ser usado como signo de troca para circular nas fantasiosas relações sociais. Carrega valores que mantêm as regras do sistema que os criou para preservar seu próprio princípio de equilíbrio. Bom, mal, falso, verdadeiro são seus valores pilares. Ressentimento, culpa, dívida, reconhecimento, gratidão, vaidade, orgulho, etc, são as expressões destes valores. Nisso enreda-se a idéia de democracia, simulacro do Devir-Democracia. Simulacro até da democracia representativa, que, embora representação, carrega alguns corpos devir-democrático.

É aí nesse corpus, extenuado politicamente, que a homenagem de reconhecimento prolifera. É aí que a lógica do “eu fiz” e “ele fez” é posta como a realidade social a ser considerada. Mercado de troca demagógica. Nada de produzir é minha singularidade democrática. Mas síntese social do “eu fiz, mas poderia muito bem não fazer”. Parente do “roubou, mas fez, por isso merece homenagem, pior os que roubam e nada fazem”.

Triste lógica, que tanto homenageador como homenageado são cúmplices em um delito político contra a democracia, pois pregam o vício da chantagem calculista: preciso ser reconhecido. Aliança medíocre da dependência anti-democrática. E tome medalhas. Tome títulos de cidadão do estado. E tome brasão… E tome Câmara e Assembléia se tomando como pater do reconhecimento dos insignes personagens. E tome Câmara e Assembléia propagando sem qualquer pejo suas conturbações legislativas, já que tomaram o homenagear seus projetos de lei por excelência. De tão banal suas galerias não possuem mais espaço para tantos ilustres homenageadores e homenageados.

Como é fácil ser parlamentar na democracia idéia. Basta conhecer alguns bons senhores e senhoras. O suficiente para animar o corpus da tirania.

O MEDIUM TELEVISIVO E A OPINIÃO PÚBLICA

.A AMBÍGUA MORAL DA MÍDIA TELEVISIVA.

A MÍDIA TELEVISIVA ESTÁ BEM ADEQUADA À MORAL AMBÍGUA — produção subjetiva cristã, capitalística e judaica. O bem e o mal devem ser conservados como instâncias maiores de mensuração das atividades humanas. Portanto, na mídia televisiva, para cada atividade, uma representação simbólica que exerça bem a separação entre bem e mal. Seja uma palavra de elogio ou de censura, seja um aceno de incentivo ou de desaprovação, sejam recompensas ou punições, premiações ou desvalorizações. Seja o que for: mas que venha para impor a idéia de que verdadeiramente existem pessoas, programas, canais e emissoras de televisão que estejam alojadas nas categorias morais de bem e mal.

É preciso aniquilar a moral para libertar a vida” Nietzsche.

Emissoras de tevê se esforçam para se mostrarem diferentes entre elas. Então mergulham na moral da ambigüidade para terem a ilusão da separação dos bem aventurados dos mal aventurados televisivos. Esperam poder separar o joio do trigo, enquanto não há nem joio nem trigo. Só o vazio. Então forjam acusações, intrigas, acusações, rivalidades, disputas, sem saber que bem e mal são uma só moral que se complementam e em nada se diferenciam. Instâncias transcendentes que impõem uma ordem (o bem) que melhor se organiza pela desordem (o mal). Assim a mídia televisiva é pessimista e niilista, pois está em conformidade e impõe a percepção formatada pela moral.

Não importa saber o que a televisão está levando ao ar, se os seus programas são de alto ou baixo nível; é ela própria, enquanto veículo, que altera o comportamento, condicionando a percepção no sentido do envolvimento geral, da participação (‘estar por dentro’ — lema dos jovens de hoje), apesar da resistência das elites de formação literária, que gostariam de levar à televisão o que chamam de “cultura”, impondo soporíferos programas lineares…” Decio Pignatari.

A mídia forja diferenças para se querer numa diversidade e assim, fazer o jogo do não jogar. Daí Jorge Fernando acreditar existir diversidade na tevê e que há realmente uma disputa teledramatúrgica entre Globo e Record. Disparate que resvalou no colunista da Folha Daniel Castro,fazendo-o cair no engano de admitir que haja uma disputa entre os autores de telenovelas João Emanuel Carneiro (Globo) e Tiago Santiago (Record). Entre pares não há disputas ou diversidade, contudo pode haver trocas a partir do sistema que ordena esses pares.

Televisão é um sistema informativo

homólogo aos códigos da

economia de mercado (…)” Muniz Sodré.

Nenhuma emissora pode falar entre si, como os escolares falavam aos valentões: “Vá procurar alguém do seu tamanho; não bata em mim”. São todas do mesmo tamanho, com o mesmo perfil, com a mesma limitação intelectual e, sobre tudo, não brigam entre si. A não ser dentro dos negócios produzidos pelo capitalismo. A SKY cortou o sinal da MTV. A MTV disse que a Sky não respeita o telespectador. A SKY justificou o corte do sinal, que agora só está sendo transmitido para São Paulo, dizendo haver um “abuso de preços” por parte da MTV quando da renovação do contrato com o canal de TV pago. A MTV quer para si a ubiqüidade divina quando diz saber que houve um desrespeito aos telespectadores. Em outra perspectiva. Os tele-espectadores, talvez agora, comecem a sair da cultura inútil transmitida pela MTV e tracem caminhos outros; bem que podem apenas migrar de uma emissora para uma outra que é a mesma (e aí está a moral televisiva). A SKY, economicamente (ou seja, dentro da ordem televisiva), está certa em sua justificativa. Quem não agüenta o agitadíssimo mundo business do capitalismo é cortado.

Se as emissoras na mídia televisiva, por conservarem a moral da ambigüidade, podem dizer juntas “Somos Iguais, não mudamos jamais”. Para ela também serve a advertência de um apóstolo. Então para que a mídia televisiva continue com os seus pares, citemos um apóstolo que foi um dos fundadores e fortificadores da moral: Paulo de Tarso.

Ai daquele que enquanto prega aos outros é ele próprio um réprobo!”

SOBRE O ESPÍRITO DE JEFFERSON PÉRES

O fantasma da moralidade

Os conceitos como corpos imateriais ativadores dos enunciados trocam suas performances lingüísticas de acordo com a ordem dos discursos que eles procuram realizar em seus campos pragmáticos. Entretanto, na filosofia os conceitos tendem, depois do exame lingüístico a que são submetidos, a serem endereçados aos campos históricos produtores de suas emergências. Exame lingüístico/filosófico que o liberta do aprisionamento da força mítica e mística suporte da linguagem senso comum.

Apanhando, no caso em questão, o conceito espírito, teologizado lingüisticamente como alma, ente etéreo volátil, essência transcendental do homem que, metafisicado no dogma religioso, em sua emanação histórica/filosófica carrega o sentido de mente, razão, pensamento, logos, discurso, fala, de uma indivíduo ou de um povo, e em seu desdobramento marxista, a realidade política de uma época. Ou, como um povo se expressa, em um tempo e espaço, de acordo com suas estruturas econômica, política e social, que possibilitou ao filósofo desdobrá-lo e significá-lo como a força produtiva de uma sociedade, que quando de sua falta, torna-a sem espírito. Pois, para ele, há épocas sem espírito. As épocas da alienação de uma sociedade.

O USO DA CONDIÇÃO MORAL DE PERES

Este conceito epistemológico é o que nos interessa para arriscarmos um comentário sobre o senador Jefferson Péres e a avidez perversa (no sentido de desvio de seu objetivo) que alguns candidatos ao cargo de prefeito de Manaus, estão consumando para fazer uso da qualificação que lhe foi imposta politicamente como “reserva moral do Brasil”, para conseguir êxito em suas candidaturas. Como diria o filósofo Sartre, o cadáver ainda nem esfriou e os ímpios já se põem a devorá-lo.

É notícia em Manaus que discípulos do senador disputam entre si a presença de sua viúva como vice em suas chapas. Essa perversidade democrática nos coloca na vertigem da imobilidade moral. Eles dizem que o senador era seu modelo moral. Por quê não se modelaram a ponto de não executarem essa dança macabra sobre o cadáver ainda quente? Duas respostas: Uma, para eles o senador não era nada de”reserva moral”, por isso agem desta forma, expondo o que realmente pensavam sobre ele. Duas, o senador era modelo de “reserva moral”, mas só para o uso calculista no mercado do lucro ‘político’, já que o conceito de moral, na sociedade do capital, é apenas uma moeda retórica para se apossar do iludível poder. Por isso, é mais lucrativo conceituar alguém como modelo moral do que se fazer um homem moral em seus atos políticos. Aí a exuberância de enunciações exaltadoras das qualidades morais do senador Jefferson produzidas por anti democratas como Mão Santa, Arthur Neto, Agripino Maia, Jereissati, Sérgio Guerra, Afraim, e tantos outros que não conseguem produzir um só soluço democrático.

O certo é que este sinistro ritual apolítico, demonstra o quanto de dor carrega a religiosidade-moral destes ambiciosos que em seus atos anti-cristãos (para quem acredita) ao invés de somar votos para suas calculistas eleições, afirma ao povo de Manaus que não possuem as qualidades democráticas fundamentas para governarem uma cidade, que, acima de tudo, precisa da convivência política/moral de seus administradores que há muito não vivenciam.

*……….::::: CHAGÃO! :::::……….*

Quien quiera entender como funciona el mundo

deberá entender el fútbol”.
Roberto Perfumo(ex-jogador argentino).

Θ CHAGÃO PERGUNTA:Oficialmente, a Holanda só se tornou profissional no mundo do futebol em 1954. A KNVB (federação de futebol da Holanda) resistia ao profissionalismo. As pressões para que isso acontecesse tiveram seu ápice quando, um ano antes, duas seleções holandesas disputaram jogos amistosos no mesmo dia: a amadora perdeu para a Dinamarca, enquanto a profissional, organizada pela recém formada NVBV, venceu a poderosa França. Depois desse fiasco, veio então a fusão das duas entidades e o profissionalismo de um futebol que não abre mão (ao contrário do Brasil) de “desfrutar a partida”, ainda que em detrimento do resultado. Agora, o ‘Chagão!’ quer saber: Após a profissionalização, que jogador, e por qual time ele jogava, que marcou o primeiro gol da era profissional dos oranges?

ΘLINHA DE PASSE EURO’2008:Terminada a fase de grupos que é, na realidade, o corpo do torneio, dá para traçar um quadro do futebol europeu e de suas principais seleções, classificadas ou não. Aqui vão alguns toques: 1) E a Grécia, que chegou com a taça e não fez um pontinho sequer, levou os vovôs (velhos para o futebol, não para a filosofia) que ganharam a Euro anterior em dois escanteios e terá que renovar a equipe a partir do ano que vem se pretender alguma coisa além de ser coadjuvante no cenário internacional. O time nesta Euro esteve mais para o idealismo reacionário de Platão do que para as linhas de corte dos sofistas. 2) A Espanha, apesar de ter se classificado em primeiro e com 100% de aproveitamento, tem grandes chances de cumprir a profecia e cair nas quartas-de-final. É que o meio de campo, se pressionado, não produz. Contra os russos a coisa não ficou russa porque os Putin Boys ainda não tinham ritmo de jogo. Contra a Suécia, a Fúria mostrou que não tem criatividade diante de uma marcação mais apurada, e ganhou num balão pra frente que Villa aproveitou. Contra a Itália, a coisa deve pegar. Mas torceremos pelos vermelhos. 3) Já a azurra, sem o seu principal articulador de jogadas, o cara-imóvel Pirlo, irá sofrer nas jogadas de ataque. Ou não. Quem sabe, com um meio de campo mezzo Milan, mezzo Roma (com De Rossi e Aquilani, a confirmar), a esquadra berlusconiana pode melhorar o toque de bola e chegar com mais facilidade ao gol espanhol. De qualquer forma, é um time limitado, que só marca e depende da única jogada do time dar certo. 4) A França mostrou que se aposentou junto com Zizou. Os Bleus até ensaiaram um sufoco contra os italianos, mas sem o craque de Notre-Dame, Ribéry, o time não anda. Tempos obscuros para a França futebolisticamente. E não por falta de imigrantes como sementes de craques pelos subúrbios de Paris afora, mas pela decadência do modelo monopolista do futebol local, onde somente o Lyon pode tudo, inclusive ser sete vezes campeão seguido da Ligue 1 sem ninguém reclamar. Palpites para as quartas-de-final: Jogo 1: Portugal (sem torcida pra nenhum dos lados); jogo 2: Croácia (torcida pelo bom futebol dos pupilos do técnico-gato Bilic); jogo 3: é certo que o futebol é o único esporte do mundo onde tudo pode acontecer, e a Holanda é campeã em decepcionar nos momentos decisivos, mas a tecnolaranja de Van Basten deve chupar até a última gota de sangue dos russos, sem maiores dificuldades. E sem o direitista Seedorf, que pra não ficar na reserva do ótimo e gatíssimo Sneijder, preferiu pedir pra sair do que ser mandado embora; jogo 4: coração espanhol, torcida espanhola, apesar do técnico racista. Mas deve dar Itália. E você, torcedor intempestivo, arrisca um palpite antes da bola rolar?

Θ EUROCOPA AUSTRIA/SUÍÇA 2008. Aqui você confere os placares dos jogos já realizados, a tabela dos confrontos e os confrontos eliminatórios. As resenhas das partidas você continua lendo no nosso Chagãozinho Eurocopa, diariamente:

QUARTAS-DE-FINAIS

1 – 19/06

Portugal – Alemanha

2 – 20/06

Croácia – Turquia

3 – 21/06

Holanda – Russia

4 – 22/06

Espanha – Itália

SEMIFINAIS

25 e 26/06

Vencedor 1 – Vencedor 2

Vencedor 3 – Vencedor 4

FINAL

29/06

Vencedor SF 1 – Vencedor SF2

ΘELIMINATÓRIAS SUDAMERICANAS COPA 2010 (I).Disse um vidente mineiro esta manhã: “uma seleção sulamericana, cujo nome começa com B, vai golear uma grande seleção da América do Sul”. A IEER ficou em polvorosa, teve quem consultasse seu pai-de-santo pra confirmar com os orixás se a vidência era procedente. E todos foram unânimes. Era real a informação metafísica. O torcedor braziniquim que acredita na imprensa se aprumou na cadeira, e esperou pelo jogaço. Viu um PELADAZZO. Dois times desrespeitosos com a Leonor. Um primeiro tempo arrastado, cuja única cena digna de menção foi a saída apatetada do goleiro (isso é um goleiro?) Pato, à Lá comédia pastelão, perseguindo um Robinho que, pela imaginação, sem nenhum elemento material que sustentasse a idéia, pensou que fosse garrincha. Mané fosse, não teria se preocupado com o gol. Mas como é Rubens e não Manoel, ficou na marcação dos portenhos. O segundo tempo veio na mesma balada, mas ao menos os albicelestes conseguiram, enfim, acertar três passes. Mesmo assim, insistiam nas bolas longas, atravessando o meio de campo. Do outro lado, os amarelos pegavam vaias, e também prescindiam da meiuca. Alguns gols perdidos, muito chute de futebol americano, e a torcida vaiando a saída de Adriano. Aplausos, somente para Messi, da torcida brasileira inclusive. Ao final, vitimizada, violentada fisica e espiritualmente, a bola suspirou, exaurida, o fim da batalha. Aí o torcedor e a imprensa braziniquim lembraram do vidente, da profecia, da confirmação de todos os orixás, sem saber que os santos não erram: Bolívia 4 X 2 Paraguai.

ΘELIMINATÓRIAS SUDAMERICANAS COPA 2010 (II).Outros resultados, próximos confrontos e classificação:

6aRodada: 17 e 18/06

Uruguai 6 – 0 Peru (Montevidéu)

Equador 0 – 0 Colômbia (Quito)

Brasil 0 – 0 Argentina (Belo Horizonte)

Bolívia 4 – 2 Paraguai (La Paz)

Venezuela – Chile (Puerto La Cruz) – Jogam hoje *

Classificação:

Paraguai – 13

Argentina – 11

Colômbia – 10

Brasil – 09

Uruguai – 08

Venezuela – 07*

Chile – 07*

Equador – 05

Bolívia – 04

Peru – 03

*….:: CHAGÃOZINHO EUROCOPA! ::.….*

ΘDerradeiras partidas da fase de grupos, os suecos encararam os russos, enquanto os espanhóis jogaram amistoso contra os gregos. No confronto dos amarelos contra os vermelhos, a Suécia mostrou o quanto é dependente do sérvio Ibrahimovitch, enquanto a Russia melhorou substancialmente com o retorno do craque-gato Arshavin. Os nórdicos sempre no seu jogo: bola pelas laterais, lançamentos longos, ignorando a importância do meio de campo. Do lado dos Putin Boys, nada da potência criadora dostoieviskiana, mas ao menos um toque de bola razoável, e caminhões de gols perdidos. Aos 24 do primeiro tempo, numa jogada costurada pelo meio campo russo, o centroavante Pavlyuchenko empurrou para as redes. Tudo indicava que a Russia fosse golear. Mas a quantidade de gols perdidos ridiculamente pelo ataque vermelho fez com que os supersticiosos de plantão sussurrassem em uníssono: “quem não faz, leva”. Ainda assim, os vermelhos seguiam com mais incidência no ataque. A defesa até deu algumas chances aos loiros estonteantes, mas a Suécia passou anos-luz do humor e da intensidade afetiva de um Ingmar Bergman. Aos seis minutos do segundo tempo, quando os nórdiscos achavam que podiam virar o jogo, numa descida pela esquerda, Zhirkov arma e Arshavin coloca no fundo das redes suecas. O restante do segundo tempo foi na mesma balada, com a Suécia sem se entregar, mas sem organização, e dependendo eternamente do nariz artilheiro. Nem foi preciso se abrir os Sete Selos, e a Suécia vai pra casa assistir aos mata-matas. Tudo, é claro, em vão. Russo agora se debatem contra os holandeses, e caso não haja intervenção divina, devem se contentar com mais uma exibição na Euro’08. Na outra partida, sem análises, os gregos dão adeus ao bicampeonato, com nova derrota, desta vez para a Espanha B.

Suécia 0 – 2Russia

Grécia 1 – 2Espanha

25 ANOS DO MOVIMENTO NEGRO NO BRASIL

Um movimento nunca surge no exato momento em que suas notas-particulares passam a ser observadas e compreendidas como realidade objetiva. Esta assertiva filosófica cabe à luta dos negros no Brasil, que se manifestou como ação libertária séculos antes de 25 anos passados. Entretanto, como atividade racial engajada na pós-modernidade brasileira, conta exatamente 25 anos. Aí a assinatura política-histórica do Movimento Negro no Brasil. Aí a importância revolucionária do lançamento, hoje, do livro 25 Anos do Movimento Negro no Brasil. Obra que não testemunha apenas a luta de 25 anos dos negros isoladamente, mas apresenta, paralelamente, as transfigurações políticas e sociais do Brasil, afirmando o Movimento Negro como força profícua na construção da democracia, que agora, no governo Lula, se solidifica. O que não quer se dizer que durante estes 25 anos, os negros sempre encontraram governos dispostos a engajar-se na luta. Pelo contrário. O período Fernando Henrique foi de pouco avanço para o Movimento, e que se não fosse a própria atuação dos negros, teria estagnado.

Em suas multiplicidades discursivas, o livro conta com textos de várias pessoas envolvidas com as questões da negritude, entre elas o ministro Gilberto Gil. Com imagens-fotográficas de Januário Garcia, o livro revela os principais acontecimentos deste percurso com fatos produzidos tanto pela ação dos negros como pela ação de outras instâncias sociais em que os mesmo eram apenas coadjuvantes. Para o presidente da Fundação Zumbi dos Palmares, Zulu Araújo, o livro será importante, como elemento histórico-didático, nas pesquisas escolares, já que fará parte dos conteúdos do ensino da cultura negra no Brasil.

Uma obra mobilizadora, capaz de fundamentar a democracia como um processual continuum de modus de viver feliz em comunalidade.

OBSERVATÓRIO DO IDOSO

Em uma sociedade que tem por leitmotivprincipal a seleção, a classificação e a hierarquização para excluir aqueles que não carregam seus enunciados pragmáticos redutores, qualquer ação para fortalecer os que foram julgados ineptos para circular neste meio, é de fundamental importância. Essa a razão da criação do Observatório do Idoso, em Brasília, que tem como objetivo discutir e apresentar políticas que atinjam eficazmente este que é diretamente vitimado por esta força social perversa. O Observatório coloca em cena os direitos dos idosos de acordo com suas necessidades históricas, espaço-temporal. Do direito à saúde, à educação, o entretimento, e a proteção contra toda forma de violência, principalmente a familiar, a mais praticada e menos denunciada.

Todavia, é imprescindível que todos nós compreendamos que o que precisamos mesmo é criar uma sociedade em que os movimentos corporais e incorporais do homem não sejam definidos por uma linguagem-jurídica capaz de determinar a sua realidade sem levar em consideração sua potência contínua que o possibilita compor encontros de acordo com suas faculdades essenciais. Seu móbil ontológico, que o faz continuamente produtivo em qualquer estágio de sua existência, só estagnando na morte. E não produto da estratégia imobilizante dos incorpóreos da linguagem-jurídica, que o transforma em idoso e aposentado. Estigma excludente da sociedade paranóica. Como se houvesse uma única realidade para o homem em que a criança e o dito idoso não podem representá-la. Quando criança, ainda não é o ‘ideal’ homem. Quando idoso, já passou deste ‘ideal.’

PORTAL DO PROFESSOR

Foi inaugurado hoje pelo Ministério da Educação e já apto à consulta, o Portal do Professor, com suas múltiplas faces informáticas para que o professor possa interagir em informações de acordo com o entendimento sobre educação, escola, ensino, métodos, programas, conteúdos, etc.

O Portal, embora direcionado ao professor, pode ser acessado por qualquer pessoa interessada nas questões da educação. É a informática, para além das superfluidades, sendo usada como forma de democratização do conhecimento.

O PANOPTISMO EDUCACIONAL DOS GOVERNOS

Lá pelos idos dos anos 60, ao lado do Colégio Estadual, no centro de Manaus, havia a Escola Comercial Ruy Barbosa, na rua homônima. Escola particular, de propriedade do famoso professor Hamilton. Nela, o professor desenvolveu um sistema de som no qual, ao mesmo tempo em que podia falar a qualquer sala, podia também ouvir tudo o que acontecia. Daí, era comum a aula ser subitamente interrompida por algum comentário do professor/diretor troçando de algum comentário de aluno ou do professor que estivesse na sala de aula. Muito comum era a bagunça começar, e a voz altiva do professor Hamilton se fazer presente no alto-falante: “Professor Fulano de Tal, por favor, controle a sua turma!”. Gargalhadas garantidas de alunos, e até dos próprios professores, que diluíam a atitude bisbilhoteira do diretor no fato de que às vezes o pagamento atrasava, e aí já viu…

“ORIGINALIDADE” DE NOSSOS VEREADORES E DEPUTADOS

Daí a hilariedade dos edis municipais, quando discutem o projeto de lei do vereador Gilmar Nascimento, que coloca câmeras de vigilância nos corredores das escolas. Para o também edil, Jorge Luis, o projeto já está atrasado, e o município perdeu a disputa da originalidade da vigilância para as escolas estaduais. Jorge pretende impedir, com as câmeras, que os estudantes se beijem nos corredores. Vã ilusão dos vereadores manoniquins, que, desconhecendo a prática do professor Hamilton, já nos anos 60, nem desconfiam que a rasteira é mais antiga…

A diferença entre um sistema de som e uma câmera de vigilância é que a segunda é visual, paranóide, enquanto a sonora é esquizofrênica. “De vez em quando todos os olhos se voltam pra mim / De lá de dentro da escuridão / Querendo que eu seja um Deus”, rimesquizofrenizou o delirante Tom Zé, para quem a paranóia da vigilância não paga a liberdade criadora.

O PANOPTISMO DO GOVERNO DO ESTADO

Uma diretora de uma escola estadual das bandas da zona centro-sul resolveu usar as câmeras instaladas nos corredores para, além de coibir os beijaços, fiscalizar o trabalho dos professores. Daí, conta os minutos “perdidos” por estes fora da sala de aula, seja para ir buscar algum material, ir ao banheiro ou mesmo dar uma passadinha na sala de vigilância pra ver como as coisas estão. Atendendo à lógica da educação de governo, onde tempo é dinheiro, a diretora pretende que os seus professores tenham do salário descontadas as horas em que não estão na sala com seus alunos. Boa funcionária, estaria levando até as gravações para casa, a fim de tentar observar algum detalhe que o corre-corre do trabalho não permitiu capturar. Reuniões individuais com cada um deles, onde teriam que relatar onde foram, porque foram, com quem foram e porque voltaram, são periódicas.

QUEM VÊ QUEM?

Alguns professores, incomodados com o esfacelamento da autonomia pedagógica pelo olho que tudo vê (que também vê a diretora, embora ela pense que é o próprio olho), já pensam em trocar de escola. Alguns alunos se perguntam, no entanto, quem vê quem, e já sacaram que, a contragosto, professores paranóicos e amantes da chamada e das provas agora são também “avaliados” constantemente por uma força hierarquicamente superior.

Ao lado, alguns profissionais do legislativos podem tomar a atitude da eficiente funcionária de governo como exorbitância de função e invasão de privacidade. Não, evidentemente, os que votaram a favor da lei. Mas o que nenhum deles deve desconfiar é que na lógica do panóptico paranóide, ver é ser visto, e tudo desaparece sob o olhar despótico de Deus, ele mesmo observado.

Agora, se a idéia da câmera pegar, dentro em breve teremos olhos eletrônicos em cada gabinete de vereador, deputado, prefeito, governador…

*….:: CHAGÃOZINHO EUROCOPA! ::.….*

ΘGrupo C encerrado, com uma vaga em laranja e outra em azul. Mas na partida decisiva entre Itália e França foi o vermelho-sangue a cor predominante. Os azzurribaixaram a botina nos bleus. Com uma tática que lembrou a blitz nazi-fascistada seleção brasileira na final da Copa América, a ordem na Itália era derrubar os jogadores franceses a qualquer custo. Quando algum francófono tocava na bola, imediatamente vinham três ou quatro italianos a fechar-lhe os espaços, tocando, empurrando, derrubando: coletivos no ato de destruir, com direito a chute, rabo-de-arraia, e as solas das chuteiras sempre em riste contra os adversários. Aos oito minutos, sai o cara amassada, Franck Ribéry, o motor do meio-campo francês, machucado. Daí sobrou vontade e faltou criatividade ao meio-campo. A seleção mais negra da França, que carregou o estandarte da luta contra o preconceito na Copa de 2006, mais uma vez em desvantagem contra a ultra-direitista Itália. Uma luta entre iguais, a se considerarem os chefes-de-governo atuais. O técnico e astrólogo, Raymond Domenech, não previu que é pelos atos do homem que alguns virtuais se atualizam e o intempestivo acontece. Tirou o veterano filósofo da zaga, Lilian Thuram, para improvisar o tosco Abidal no miolo, e deu no que deu: zil falhas, que o estabanado centroavante Toni, não aproveitou. Ainda assim, Abidal, para fechar a opereta, chuta o nove azurri, e comete penal. Mais um golpe no já abalado scratchfrancês. O possesso Pirlo, mola da única jogada que dispõe o menu de opções italianas (Pirlo-lança-Toni), foi e não perdeu. No segundo tempo, mesmo com as modificações, a França parecia não querer jogar: faltou garra e talento. À exceção do jovem Benzema e do volante Toulalan, o restante se arrastava em campo. Henry, quando dominava a bola, parecia que a tevê entrava em modo slow motion.Govou atuando sempre eficientemente pela direita do ataque. Eficiente para a defesa italiana. Henry conseguiu marcar, contra, desviando a bola numa falta cobrada por De Rossi. O mais é menos. Domenech, de quem se diz dominar a arte de ler o futuro nos astros, se tivesse apelado aos afirmativos búzios dos pais Geovanno e Gilmar, nas bandas manoniquins, certamente saberia que o seu futuro é num café parisiense, com um jornal à mão, procurando emprego. Da Holanda, que não vimos, ficou a impressão de que mesmo os reservas carregam a mesma intensidade futebolística que os chamados titulares, e que a Romênia, de Drácula, não deu pro cheiro: 2 a 0 inapeláveis, e que venham russos e suecos juntos, que não dá pra quem quis.

Itália 2 – 0França

Holanda 2 – 0Romênia

PSDB/PFL NÃO É FREUD, RAPAZIADA!

Depois que Lula usou Freud para explicar a ida da ex-secretária da Anac, Denise Abreu, ao senado e confirmar a existência do vazio, o criador da psicanálise baixou entre os psdbistas e pfelistas para mostrar que estes irmãos siameses se entrecruzam nos meios das estultices ditas políticas.

Em plena a convenção do PFL para apresentar a candidatura de seu representante, Gilberto Kassab, o vice-governador de Serra, e pró-Kassab, Alberto Goldman, ‘desafeto’ da candidatura Alckmin à prefeitura, ao tecer comentários sobre seu apoio ao pfelista, chamou-o pelo nome de Geraldo Kassab. Alusão a Geraldo Alckmin. Alguns atribuíram a fono-revelação à mão de Freud, tomando-a como um ato falho: o vice queria, em verdade, falar Geraldo Alckmin. Tentou a censura, mas seu inconsciente lhe pregou a peça partidária.

Com todo respeito aos freudistas, não entendemos assim. Não houve ato falho. Houve propositadamente uma confissão de que PSDB e PFL são iguais. Goldman só blefou com Freud. Cobra criada, ele usou um recurso freudiano para mostrar que está tudo na mesma ordem. Tanto faz Kassab ou Alckmin, São Paulo estará sempre sob a força reacionária da direita. Daí que Freud mesmo, só o de Lula. Geraldo Kassab ou Gilberto Alckmin, não há dupla, mas o uno antidemocrático.

Todavia, há um grande entrave no blefe freudiano de Goldman: Martha. Ela não dá para chamar de Geraldo e sair impune.


USAR O CONTROLE REMOTO É UM ATO DEMOCRÁTICO!

EXPERIMENTE CONTRA A TV GLOBO! Você sabe que um canal de televisão não é uma empresa privada. É uma concessão pública concedida pelo governo federal com tempo determinado de uso. Como meio de comunicação, em uma democracia, tem como compromisso estimular a educação, as artes e o entretenimento como seu conteúdo. O que o torna socialmente um serviço público e eticamente uma disciplina cívica. Sendo assim, é um forte instrumento de realização continua da democracia. Mas nem todo canal de televisão tem esse sentido democrático da comunicação. A TV Globo (TVG), por exemplo. Ela, além de manter um monopólio midiático no Brasil, e abocanhar a maior fatia da publicidade oficial, conspira perigosamente contra a democracia, principalmente, tentando atingir maleficamente os governos populares. Notadamente em seu JN. Isso tudo, amparada por uma grade de programação que é um verdadeiro atentado as faculdades sensorial e cognitiva dos telespectadores. Para quem duvida, basta apenas observar a sua maldição dos três Fs dominical: Futebol, Faustão e Fantástico. Um escravagismo-televisivo- depressivo que só é tratado com o controle remoto transfigurador. Se você conhece essa proposição-comunicacional desdobre-a com outros. Porque mudanças só ocorrem como potência coletiva, como disse o filósofo Spinoza.

Acesse esquizofia.wordpress.com

esquizofia.wordpress.com

CAMPANHA AFINADA CONTRA O

VIRTUALIZAÇÕES DESEJANTES DA AFIN

Este é um espaço virtual (virtus=potência) criado pela Associação Filosofia Itinerante, que atua desde 2001 na cidade de Manaus-Am, e, a partir da Inteligência Coletiva das pessoas e dos dizeres de filósofos como Epicuro, Lucrécio, Spinoza, Marx, Nietzsche, Bergson, Félix Guattari, Gilles Deleuze, Clément Rosset, Michael Hardt, Antônio Negri..., agencia trabalhos filosóficos-políticos- estéticos na tentativa de uma construção prática de cidadania e da realização da potência ativa dos corpos no mundo. Agora, com este blog, lança uma alternativa de encontro para discussões sociais, éticas, educacionais e outros temas que dizem respeito à comunidade de Manaus e outros espaços por onde passa em movimento intensivo o cometa errante da AFIN.

"Um filósofo: é um homem que experimenta, vê, ouve, suspeita, espera e sonha constantemente coisas extraordinárias; que é atingido pelos próprios pensamentos como se eles viessem de fora, de cima e de baixo, como por uma espécie de acontecimentos e de faíscas de que só ele pode ser alvo; que é talvez, ele próprio, uma trovoada prenhe de relâmpagos novos; um homem fatal, em torno do qual sempre ribomba e rola e rebenta e se passam coisas inquietantes” (Friedrich Nietzsche).

Daí que um filósofo não é necessariamente alguém que cursou uma faculdade de filosofia. Pode até ser. Mas um filósofo é alguém que em seus percursos carrega devires alegres que aumentam a potência democrática de agir.

_________________________________

BLOG PÚBLICO

Propaganda Gratuita

Você que quer comprar entre outros produtos terçado, prego, enxada, faca, sandália, correia, pé de cabra ou bola de caititu vá na CASA UYRAPURU, onde os preços são um chuchu. Rua Barão de São Domingos, nº30, Centro, Tel 3658-6169

Pão Quente e Outras Guloseimas no caminho do Tancredo.
PANIFICADORA SERPAN (Rua José Romão, 139 - Tancredo Neves - Fone: 92-8159-5830)

Fique Frio! Sabor e Refrescância!
DEGUST GULA (Avenida Bispo Pedro Massa, Cidade Nova, núcleo 5, na Rua ao lado do DB CIdade Nova.Todos os dias).

O Almoço em Família.
BAR DA NAZA OU CASA DA VAL (Comendador Clementino, próximo à Japurá, de Segunda a Sábado).

Num Passo de Mágica: transforme seu sapato velho em um lindo sapato novo!
SAPATEIRO CÂNDIDO (Calçada da Comendador Clementino, próximo ao Grupo Escolar Ribeiro da Cunha).

A Confluência das Torcidas!
CHURRASQUINHO DO LUÍS TUCUNARÉ (Japurá, entre a Silva Ramos e a Comendador Clementino).

Só o Peixe Sabe se é Novo e do Rio que Saiu. Confira esta voz na...
BARRACA DO LEGUELÉ (na Feira móvel da Prefeitura)

Preocupado com o desempenho, a memória e a inteligência? Tu és? Toma o guaraná que não é lenda. O natural de Maués!
LIGA PRA MADALENA!!! (0 XX 92 3542-1482)

Decepcionado com seus desenganos? Ponha fé nos seus planos! Fale com:
PAI GEOVANO DE OXAGUIÃ (Rua Belforroxo, S/N - Jorge Teixeira IV) (3682-5727 / 9154-5877).

Quem tem fé naõ é um qualquer! Consultas::
PAI JOEL DE OGUM (9155-3632 ou paijoeldeogum@yahoo.com.br).

Belém tá no teu plano? Então liga pro Germano!
GERMANO MAGHELA - TAXISTA - ÁGUIA RADIOTAXI - (91-8151-1464 ou 0800 280 1999).

E você que gostaria de divulgar aqui seu evento, comércio, terreiro, time de futebol, procurar namorado(a), receita de comida, telefone de contato, animal encontrado, convites diversos, marocagens, contacte: afinsophiaitin@yahoo.com.br

Outras Comunalidades

   

Categorias

Arquivos

Blog Stats

  • 4.241.960 hits

Páginas

Arquivos