Arquivo para 5 de agosto de 2008

SEMINÁRIO: ÉTICA E RESPONSABILIDADE NA EDUCAÇÃO

A Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados, a Organização das Nações unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e o Movimento Educação para todos realizaram hoje (05/08/08), em Brasília, o Seminário Internacional de Ética e Responsabilidade na Educação cujo objetivo foi extrair das discussões elementos suficientemente necessários para criação de uma lei de responsabilidade na Educação.

Em seu pronunciamento, o ministro Haddad, além de comentar os avanços que vem ocorrendo na política educacional do governo Lula, mostrou dois pontos que devem ser preocupações constantes para que a política educacional possa se tornar uma realidade nacional.

1 – O entrelaçamento contínuo de todos os estágios da educação escolar, do maternal até as pós-graduações, para que não sofra corte em nenhuma série e prejudique as graduações das aprendizagens. Fato sempre constatado como um dos fatores do fracasso da educação escolar, possibilitando evasão escolar e a precária formação educacional.

2 – Como a política educacional é uma ação escolar do Governo Federal, juntamente com os estados e municípios, o ministério ficará vigilante para que os programas sejam realizados de acordo com as normas fundamentais do Ensino Público. Além de observar com atenção se as verbas dirigidas aos programas estão sendo aplicadas de forma eficaz, para que não haja desvio de seu real objetivo. Havendo uso irregular desta verba, o ministério advertirá os infratores.

TAUTOLOGIA DE PRINCÍPIOS

Embora observando o seminário como uma necessária iniciativa, entretanto, o tema Ética e Responsabilidade na Educação parece dirigir o acontecimento ontológico — além de ser uma tautologia de princípios — a uma redução tecnocratizante, colocando seus princípios mais na ordem da lei do que da vivência existencial, já que sendo a Ética um modus de ser criativo em comunalidade, ela por si mesma carrega a responsabilidade como cartografia tecida por todos, mostrando-se como educação (educare), a educação como movimento produção (producere) contínua. Ou seja, o modus de ser ético implica a educação e a responsabilidade. Impossibilitados destas vivências, muitos governantes, os geradores administrativos, responsáveis pelo processual educacional vêem nos três conceitos um forte apoio para o entendimento objetificado, um simples fato material que possuem sobre educação. E não educação potência criadora dos novos saberes e novos dizeres, novas existências; mas, sim, um dado estatístico-financeiro, a dupla burocrática facilitadora do fracasso educacional e, principalmente, do desvio do dinheiro público a ser usado na educação. Por isso, para estes, o ensino público realizado se resume a um eficiente relatório de prestação de contas. Um relatório acima de qualquer suspeita, mesmo com todas as suspeitas: o atraso e anulação escolar.

A AÇÃO DA AMB CONTRA A CANDIDATURA DE CANDIDATOS COM A FICHA SUJA

A ação da Associação dos Magistrados do Brasil (AMB) contra a candidatura de candidatos com ficha suja (ver lista por município aqui e a completa aqui) será julgada amanhã pelo STF (Superior Tribunal Federal). A AMB sustenta a tese de que os candidatos com processos na justiça não podem disputar as eleições e poderiam ser barrados pelo juiz eleitoral. Mas o STF já adianta a informação de que a ação da AMB não será aprovada. Isto pode ocorrer segundo a legação de que não está previsto na lei a vedação de candidatura por causa do político está respondendo a processo.

Uma inteligência perceptiva que leve o entendimento da ação movimentada pela AMB para fora dos códigos jurídicos constituídos poderá verificar o quanto esta ação tenta esclarecer a falta de compromisso e entendimento dos candidatos que se incluem na lista com a produção de um espaço público e outros que insistem em fazer ecoar os discursos antidemocráticos.

Sendo o espaço público a realidade efetiva produzida pela fala e pela ação autêntica de todos, onde todos podem aparecer com os seus talentos para criarem modos de existência na cidade que garantam as condições necessárias para uma vida sem privações, qualquer atividade que não contribua para a produção deste espaço público e, ao contrário, use cargos públicos para impor condições privadas, seja de forma legal ou não, não se resume somente a atos ilícitos, mas a atos contra o povo e contra uma existência alegre, pública, autêntica e livre.

PATOLOGIAS ELEITOREIRAS

É desta maneira que candidatos acometidos por patologias políticas que os impedem de perceber a cidade como uma produção pública não podem vivenciar a realidade como um conjunto de sensações e movimentos heterogêneos que são prolongados em ações coletivas. Incapazes de se tornarem pessoas públicas de fato, fazem da administração pública um vazio.

Dominados pelas redundantes discussões onde suas faculdades cognitivas não ultrapassam o discurso infantilizado, estes candidatos deliram, possessivamente, dizendo “Eu que fiz”, “Esta maternidade é minha”, “Este hospital é meu”, “Este viaduto foi eu que fiz”, “A minha cidade”, “Meu povo” etc. isto esclarece de forma evidente a cegueira política que limita estes políticos a perceberem a cidade como uma construção de todos. Para eles, onde estão os trabalhadores, operários que contribuíram nas edificações da cidade? Onde estão as verbas públicas que são compostas pela movimentação do dinheiro de todos na cidade? Onde se encontram as relações entre as pessoas que vão fazendo surgir saberes no mundo? Onde estão as falas e as ações de todos na cidade? A questão é que para o patologizado político nada disso existe e a sua existência é apartada da coletividade. E é por esta razão que o voto para ele pode ser comprado, negociado, trocado, enfim, tratado como uma mercadoria. Não percebem o voto como uma escolha coletiva, onde a escolha faz com que todos sejam responsáveis por todos. Não conseguem compreender o voto como uma potência democrática.

A TRISTE LISTA DE MANAUS

Tal situação tem se tornado comum em Manaus entre os candidatos a prefeito. Entre os prefeituráveis de Manaus, o que teve o seu nome na lista da AMB foi Amazonino Mendes (também o candidato Omar Aziz, que em tempo recorde teve os eu nome retirado da lista em três dias). Contudo, tirando os candidatos que nunca assumiram cargos executivos na cidade de Manaus e no Estado do Amazonas, todos os outros deixam saltar de suas falas mecanizadas suas limitações cognitivas e seus desentendimentos sobre o que é ser uma pessoa pública de fato. Conservam-se na crença de que podem ser os donos da cidade. Nem sequer chegaram a perceber que seus discursos, sem coloração afetiva e efetiva alguma, se juntados, apenas farão a soma de todas as tristezas que Manaus e o Amazonas vêm acumulando ao longo de mais de 20 anos. Sendo estes candidatos citados como irmãos siameses, tanto pelas suas más administrações como pelas limitações afetivas e cognitivas, eles se configuram como os verdadeiros inimigos do povo, por se juntarem para fazer a manutenção da tristeza na cidade.

Mesmo que alguns destes não apareçam na lista da AMB por estarem respondendo a processos, eles deixam mais do que claro que não entendem o que é produção política enquanto produção de um espaço que gere alegria para o povo.

VOTO APRISIONADO

A forma como a mídia tem noticiado o ato criminoso das milícias do Rio de Janeiro — grupos para-militares formados principalmente por policiais — que estão ameaçando e chantageando eleitores para que votem em candidatos indicados por elas, sobre pena de sofrerem severas punições se não acatarem essas ordens, vem afirmar a vetusta opinião que não existe inteligência no jornalismo, e que seu grande talento é transfigurar os acontecimentos em benefício do lucro.

Apresentando o fato como novo, a mídia confirma que não entende nada da história do populismo anti-democrático com todos os seus instrumentos sórdidos de manipulação dos eleitores, que vigorou, e ainda vigora, em tempos de eleições. Ao mesmo tempo que tenta ocultar, publicando a notícia como nova, a sua participação direta, não como coadjuvante, mas como personagem principal, neste tipo de chantagem. Para tal, basta lembrar da anti-democrática atuação do jornal o Globo contra a candidatura de JK. “Não pode se candidatar. Se se candidatar, não pode ganhar. Se ganhar, não pode governar”. O que já era uma ação miliciana. Que, por coincidência histórica, aconteceu também no Rio de Janeiro. O que não faz do estado de Roberto Marinho o único nesse tipo de trama politicamente conspiratória.

A VELHA NOVIDADE CHANTAGISTA

Não há nada de novo. A única novidade, se for novidade, é o modus operandi (o latim que foi adotado pela linguagem policial) dos psicopatas milicianos cabos eleitorais: eles se apresentam sem nenhum receio de punição diante da população e a justiça. Como se diz na gíria prepotente: “De cara limpa”. O resto é tudo tão velho como a glorificação que a própria mídia fazia (e ainda faz: a quem interessa Tropa de Elite) de certos policiais, elevando-os à categoria de heróis urbanos. Principalmente quando eles protegiam (e protegem) particularmente a insegurança das chamadas elites. Quem visitar a galeria encontrará desfilando Padilha (cantado por Moreira da Silva), Perpétuo (referente à prisão do meliante Cara de Cavalo), Mariel Mariscot (homem de ouro do governo), Fleury (torturador elogiadíssimo pelo apresentador de Tv Flávio Cavalcante), entre tantos. A didática miliciana de aprisionar o voto do pobre foi concebida no mesmo ventre miserável do coronéis de barranco que rebanharam os votos dos interioranos e os confinaram nos currais eleitorais para servirem aos seus propósitos legislativo e executivo. Currais que ainda hoje são usados em muitas regiões, mantidos pela força de tanger e ferrar o eleitor desprovido de qualquer segurança social que o possa assegurar em tempos de eleições, o exercício cidadão: o direito democrático de exercerem livremente, através do sufrágio universal, a escolha de seu candidato.

A MÍDIA MILICIANA NO PLEITO

Depois da ditadura militar, apareceu a ditadura televisiva. Dos anos 80 até esse 2008, a mídia, mormente a televisiva, foi tomada de assalto por programas violentamente teratológicos, nos quais os pobres são humilhados como mercadorias necessárias ao único fim: eleger seus apresentadores. Para tal objetivo, todos os meios são válidos. É o que se vê nos chamados quadros policiais apresentados nos programas, onde o apresentador se confunde com a polícia para ser tomado como um protetor dos pobres e oprimidos. O que, na prática antidemocrática, é convertido em voto. O Brasil está cheio destes parlamentares que, milicianamente, aprisionam os votos destes eleitores abandonados pelos governos que construíram este estado de insegurança em que sub-vivem e é um território fértil para proliferar este tipo de patologia política. É conhecida a prática de ameaça e chantagem que estes eleitores sofrem por parte destes candidatos patologizados, apresentadores de programas televisivos. Vai além do ato violador de tomar nota do número do título de eleitor até a promessa de “armar uma” (outra gíria policial usada pelos apresentadores-policializados), se eles não votarem conforme é indicado.

De sorte que o estardalhaço da mídia sobre a milícia cabo eleitoral não passa de uma abstração formal: metamorfosear um acontecimento desativado histricamente com o propósito capitalista de lucrar. E com uma bela pose moralista. Vide exemplo, a face do analista político da BAND, Fernando Mitre, insinuando, muito preocupado, a necessidade de intervenção, nestas eleições, da Força Especial no Rio de Janeiro. Logo ele, que miliciou claramente contra a reeleição de Lula.


USAR O CONTROLE REMOTO É UM ATO DEMOCRÁTICO!

EXPERIMENTE CONTRA A TV GLOBO! Você sabe que um canal de televisão não é uma empresa privada. É uma concessão pública concedida pelo governo federal com tempo determinado de uso. Como meio de comunicação, em uma democracia, tem como compromisso estimular a educação, as artes e o entretenimento como seu conteúdo. O que o torna socialmente um serviço público e eticamente uma disciplina cívica. Sendo assim, é um forte instrumento de realização continua da democracia. Mas nem todo canal de televisão tem esse sentido democrático da comunicação. A TV Globo (TVG), por exemplo. Ela, além de manter um monopólio midiático no Brasil, e abocanhar a maior fatia da publicidade oficial, conspira perigosamente contra a democracia, principalmente, tentando atingir maleficamente os governos populares. Notadamente em seu JN. Isso tudo, amparada por uma grade de programação que é um verdadeiro atentado as faculdades sensorial e cognitiva dos telespectadores. Para quem duvida, basta apenas observar a sua maldição dos três Fs dominical: Futebol, Faustão e Fantástico. Um escravagismo-televisivo- depressivo que só é tratado com o controle remoto transfigurador. Se você conhece essa proposição-comunicacional desdobre-a com outros. Porque mudanças só ocorrem como potência coletiva, como disse o filósofo Spinoza.

Acesse esquizofia.wordpress.com

esquizofia.wordpress.com

CAMPANHA AFINADA CONTRA O

VIRTUALIZAÇÕES DESEJANTES DA AFIN

Este é um espaço virtual (virtus=potência) criado pela Associação Filosofia Itinerante, que atua desde 2001 na cidade de Manaus-Am, e, a partir da Inteligência Coletiva das pessoas e dos dizeres de filósofos como Epicuro, Lucrécio, Spinoza, Marx, Nietzsche, Bergson, Félix Guattari, Gilles Deleuze, Clément Rosset, Michael Hardt, Antônio Negri..., agencia trabalhos filosóficos-políticos- estéticos na tentativa de uma construção prática de cidadania e da realização da potência ativa dos corpos no mundo. Agora, com este blog, lança uma alternativa de encontro para discussões sociais, éticas, educacionais e outros temas que dizem respeito à comunidade de Manaus e outros espaços por onde passa em movimento intensivo o cometa errante da AFIN.

"Um filósofo: é um homem que experimenta, vê, ouve, suspeita, espera e sonha constantemente coisas extraordinárias; que é atingido pelos próprios pensamentos como se eles viessem de fora, de cima e de baixo, como por uma espécie de acontecimentos e de faíscas de que só ele pode ser alvo; que é talvez, ele próprio, uma trovoada prenhe de relâmpagos novos; um homem fatal, em torno do qual sempre ribomba e rola e rebenta e se passam coisas inquietantes” (Friedrich Nietzsche).

Daí que um filósofo não é necessariamente alguém que cursou uma faculdade de filosofia. Pode até ser. Mas um filósofo é alguém que em seus percursos carrega devires alegres que aumentam a potência democrática de agir.

_________________________________

BLOG PÚBLICO

Propaganda Gratuita

Você que quer comprar entre outros produtos terçado, prego, enxada, faca, sandália, correia, pé de cabra ou bola de caititu vá na CASA UYRAPURU, onde os preços são um chuchu. Rua Barão de São Domingos, nº30, Centro, Tel 3658-6169

Pão Quente e Outras Guloseimas no caminho do Tancredo.
PANIFICADORA SERPAN (Rua José Romão, 139 - Tancredo Neves - Fone: 92-8159-5830)

Fique Frio! Sabor e Refrescância!
DEGUST GULA (Avenida Bispo Pedro Massa, Cidade Nova, núcleo 5, na Rua ao lado do DB CIdade Nova.Todos os dias).

O Almoço em Família.
BAR DA NAZA OU CASA DA VAL (Comendador Clementino, próximo à Japurá, de Segunda a Sábado).

Num Passo de Mágica: transforme seu sapato velho em um lindo sapato novo!
SAPATEIRO CÂNDIDO (Calçada da Comendador Clementino, próximo ao Grupo Escolar Ribeiro da Cunha).

A Confluência das Torcidas!
CHURRASQUINHO DO LUÍS TUCUNARÉ (Japurá, entre a Silva Ramos e a Comendador Clementino).

Só o Peixe Sabe se é Novo e do Rio que Saiu. Confira esta voz na...
BARRACA DO LEGUELÉ (na Feira móvel da Prefeitura)

Preocupado com o desempenho, a memória e a inteligência? Tu és? Toma o guaraná que não é lenda. O natural de Maués!
LIGA PRA MADALENA!!! (0 XX 92 3542-1482)

Decepcionado com seus desenganos? Ponha fé nos seus planos! Fale com:
PAI GEOVANO DE OXAGUIÃ (Rua Belforroxo, S/N - Jorge Teixeira IV) (3682-5727 / 9154-5877).

Quem tem fé naõ é um qualquer! Consultas::
PAI JOEL DE OGUM (9155-3632 ou paijoeldeogum@yahoo.com.br).

Belém tá no teu plano? Então liga pro Germano!
GERMANO MAGHELA - TAXISTA - ÁGUIA RADIOTAXI - (91-8151-1464 ou 0800 280 1999).

E você que gostaria de divulgar aqui seu evento, comércio, terreiro, time de futebol, procurar namorado(a), receita de comida, telefone de contato, animal encontrado, convites diversos, marocagens, contacte: afinsophiaitin@yahoo.com.br

Outras Comunalidades

   

Categorias

Arquivos

Blog Stats

  • 4.244.871 hits

Páginas

Arquivos