Arquivo para 28 de dezembro de 2008

VICE-PREFEITO ELEITO, CARLOS SOUZA AINDA NÃO RENUNCIOU AO CARGO DE DEPUTADO FEDERAL. POR QUÊ?

Se for a vontade do povo, a gente tem que diplomar até o Marcola”.

(Victor Liuzzi, do TRE/AM, juiz eleitoral que substituiu a juíza Maria Eunice Torres, e garantiu a aprovação das contas do candidato cassado, Amazonino Mendes. Marcola é líder do PCC, facção criminosa que atua em toda o país. A epígrafe vai acompanhar os posts sobre este caso, até a definição, via TSE).

Depois da confirmação de que Amazonino continua cassado e sua posse será sub judice, depois da melancólica diplomação, em que a dupla eleita provisoriamente recebeu seu regalo e saiu pela porta dos fundos, depois das afirmações do prefeito interino (ou provisório) de que Manaus “precisa ser salva” e de que a prefeitura está em “estado de coma”, surge mais um indício de que o reveillón da direitaça manoniquim será dos mais tenebrosos:

MAIS VALE UM PÁSSARO NA MÃO DO QUE DOIS VOANDO?

Se quiser assumir o cargo de vice-prefeito, o deputado federal Carlos Souza (PP) deverá oficializar a sua renúncia ao cargo legislativo federal até a próxima terça-feira, dia 30. Até a sexta-feira, 26, ele não tinha se pronunciado sobre o assunto, e não protocolou pedido na Câmara dos Deputados. Em se confirmando a cassação da dupla Amazonino-Souza pelo TSE (que será, moral e juridicamente, a cassação do TRE/AM também), Carlos ficará sem o cargo de vice-prefeito e ainda, de quebra, sem o seu mandato de deputado federal. Ter ou não ter, eis a questão.

Corre à boca pequena na cidade que Carlos Souza estaria temendo a cassação, dada como certa por todos os que acompanham o caso, direta ou indiretamente, mas, ao mesmo tempo, teme represálias do seu colega de chapa, Amazonino, o Prefeito Interino, que não gostaria de ver o parceiro pulando da barca antes da água chegar ao pescoço.

Se arriscar e se manter como deputado federal, Souza pode perder a chance de ser prefeito, caso – remotíssima chance – não se confirme a cassação e Amazonino – mais remotíssima ainda – seja eleito governador em 2010.

Caso escolha assumir como vice-prefeito, perderá o cargo em Brasília, e com a cassação, o cargo de vice-prefeito, e de quebra, os direitos políticos. Enquanto isso, o TSE só

Rumores das vozes roucas nas ruas afirmam que o hit musical a embalar a contagem regressiva dos irmãos Souza neste reveillón é o clássico de autoria de Domingos Lima e cantado por Abílio Farias, Coração Indeciso:

Um coração indeciso
Busquei no céu um abrigo
Me confessei a Jesus
Cristo, que fostes na terra um mártir
Sob o império de Pilatos
Fostes pregado na cruz
Quero ouvir de ti um conselho
Do qual farei um espelho
Pra refletir meu viver
Julga-me, julga-me como quiseres
Eu amoa duas mulheres
Por elas fico a sofrer
Uma tem graça, luxo e beleza
Produtos da natureza
Coisas que a outra não tem
E a outra é despida de encantos
Mas mesmo assim gosto tanto
E ambas eu quero bem
Meu bom Jesus, um coração indeciso
Não sei da qual eu preciso
Para tornar-me feliz

!!!!! O MUNDO É GAY !!!!!

UM COMENTÁRIO SOBRE UMA FALSA POLÊMICA REQUENTADA

Tudo bem, nós sabemos, o “artigo” foi escrito em 18 de dezembro, e não mereceria maior atenção do que a que estão lhe dando. Trata-se do texto do jornalista Hugo Studart, intitulado “Abaixo a Ditadura Gay, o Bolsa-Boiola e o KY do Temporão”. Faremos apenas algumas observações sobre o alcunhado artigo, a fim de dar um toque para @s leitor@s intempestiv@s sobre como evidenciar a homofobia latente e que tenta se proteger apelando – desarrazoadamente – ao princípio de liberdade de expressão. A ele, uh-lá lá!

Expressão, Opinião: a primeira frase do alcunhado de Hugo se vale logo do princípio de liberdade de expressão. Pois bem, Studart, o que é liberdade de expressão? No plano jurídico, o qual, cremos, você consegue chegar, afirma que é possível ao cidadão dizer o que quiser, e quem se sentir ofendido pode tanto replicar argumentativamente quanto apelar judicialmente, mostrando que houve dano de qualquer espécie para si ou para a sociedade naquilo que foi escrito/dito. Daí se depreende que não há necessidade de procurar abrigo antecipado na lei, a não ser que se saiba de antemão que o que irá escrever será ofensivo. Mas o direito à liberdade de expressão é anterior à constituição brasileira e não se reduz à lei.

Que é liberdade? Para o filósofo Spinoza, é governar os afetos, o que só é possível a partir do exame, pela Razão, da sua condição existencial no mundo. E que é expressão? É produção intensiva de dizeres através do átomo-letra, pelo engendramento desejante das afecções, a partir de Si. Produção de tese, fazer brotar o novo no mundo. Fora disso, não há expressão, mas tão somente redundância.

O artigo de Studart, cheio de clichês, não carece de defesa do direito à liberdade de expressão: ele próprio o cerceira, limitando sua escrita à manipulação de clichês do enunciado cristão-burguês.

Um clichê: “Os hospitais, isso é público, estão derretendo por falta de verba. Falta dinheiro para toda a sorte de medicamentos essenciais. Neste exato instante, por exemplo, faltam nos hospitais públicos bolsa para coleta de sangue e os hemoderivados fatores VIII e IX da coagulação, essenciais para a sobrevivência dos hemofílicos. O dinheiro está sendo desviado para KY, camisinhas e pênis de borracha”.

Equívoco fruto da estreiteza intelectiva ou do apêgo ao enunciado da privação. Ao Estado cabe fomentar e investir em ações de políticas públicas. Tanto um quanto outro são políticas públicas da área da saúde. Não são, portanto, concorrentes, senão dentro de uma visão de concorrência capitalística, medicina de mercado.

Mas se a lógica a ser usada for essa, então continue-se e libere-se a compra de órgãos. Assim, desonera-se o Estado, que pode investir em outras áreas enquanto quem tem mais dinheiro se salva comprando o rim ou o fígado que lhe falta. Se, para Studart, o Estado nada tem a ver com o fato de um transsexual ter nascido com um pênis que não lhe é funcional, o que teria o Estado a ver com outrem que nasceu com um fígado que degringolou? E não nos venham afirmar que se vive com um pênis indesejado mas não se vive com um fígado doente: a saúde não se reduz ao binômio morte/vida, mas é biopolítica: versa sobre os modos de existir. A lógica é a mesma dos mega-laboratórios: o lucro acima da saúde.

A crítica em relação aos excassos recursos para a área da saúde é válida, mas quando esta “crítica” é seletiva, excludente de quaisquer segmentos sociais, descofiem. Tem cheiro de defunto no ar: a economia (neo)liberal. O mesmo vale para o argumento (!) de que o Estado não deveria oferecer serviços psicológicos aos pretendentes à cirurgia de redesignação sexual. Errado: pelo documento normativo da conduta do profissional de psicologia, emitido pelo CFP, não deve haver discriminação a nenhum tipo de demanda psicológica. Ainda mais quando os conflitos advêm dos enunciados sobre o corpo produzidos por este mesmo Estado.

Outro clichê: “Temporão decidiu comprar mais 1 bilhão de camisinhas já lubrificadas. A licitação vai sair do armário na próxima semana. Está programada para o dia 29 de dezembro, no apagar das luzes do ano. Deve consumir outro R$ 1 bilhão dos cofres públicos. Por que tanta pressa? Por que tanto discrição com o dinheiro público?”.

Meu bem, isso se chama política de prevenção. O carnaval está chegando, faz parte da estratégia de enfrentamento à AIDS a distribuição maçiça e gratuita de camisinhas em todo o país, desde, pelo menos, o primeiro governo FHC, quando já era modelo reconhecidamente eficaz no combate à epidemia. E, para usar uma terminologia que deve agradar ao escriba: camisinha cabe em qualquer piroca, seja homo, hetero, bi, multi, pluri… Como se a funcionalidade de preservativos tivesse como alvo somente a população LGBT, apesar da fonte studartiana tê-lo afirmado. E não houve nada de “discrição”, a notícia está estampada na agência Brasil de Notícias. Vai lá e confere, boneca!

Outro clichê: “Recentemente, Temporão mandou comprar e distribuir pênis de borracha para usar em educação sexual e cartilhas ensinando as melhores técnicas de penetração anal entre parceiros do mesmo sexo. Ninguém entendeu direito o que a didática do prazer tem a ver com prevenção à Aids”.

Ninguém quem, cara pálida?!? Esta colunéeeeesima não é Odysseus, mas também se arvora a ser “ninguém” neste embate ciclópico. A didática do prazer, para continuar na terminologia studartiana, tem absolutamente tudo a ver com a prevenção da AIDS. Não obstante a tecnologia de apropriação do discurso médico-científico sobre o corpo, empreendida do século XVIII em diante, até descambar na biopolítica (Foucault), o Estado tem se imiscuído nos corpos e no seu uso. É bom lembrar, pro exemplo, que a masturbação, de pecado, passou a fonte de doenças, condenada pela psiquiatria e pela epidemiologia. Há, portanto, toda uma enunciação sobre o corpo e seu funcionamento, que determina os modos de existir e de cuidado. Portanto, o conhecimento do corpo e de seu uso, quando não se faz de modo intrusivo, mas sugestivo, é sim objeto de atuação do Estado. Nem precisa ter praticado para saber que o sexo anal sem proteção e sem lubrificação causa erupções e microfissuras por onde o vírus da AIDS passa tranquilamente. Este mesmo enunciado que produz saberes sobre o corpo e a sexualidade, os segrega a territórios obscuros socialmente, e também incide sobre as classes sociais. A educação sexual, neste sentido, é parte integrante de uma política de saúde democratizante, como o é em países socialmente desenvolvidos. Faltou comprar só a xoxota de borracha.

Outro clichê: “A licitação vai sair do armário…”, “Bolsa-Boiola”, “Os travestis optaram por ser assim”, “Gaystapo”, dentre outros.

Studart insinua, mais uma vez ofendendo a inteligência de seus leitores, que Temporão estaria “legislando em causa própria”, e vai até o império romano para insinuar que o Ministro estaria sendo favorável aos LGBT por ser gay, para em seguida afirmar que não se está em discussão a orientação sexual de Temporão, mas tão somente a “boa gestão do dinheiro dos nossos impostos”. Aqui a homofobia do texto de Studart é mais evidente. Ele usa a condição sexual para insinuar um ato de corrupção governamental, e até tenta usar a imagem do imperador Heliogábalo para tentar estabelecer a idéia. Uma colagem malfeita que não se sustenta ao primeiro senão. A orientação (não opção, como a ciência já provou, Studart) não incide sobre valoração ou qualificação de ninguém, exceto quando o discurso judicativo se baseia na xeno/homofobia. Se houve prevaricação, que se apresente provas, ou pelo menos indícios plausíveis. Se não há necessidade de compra do material, que se explique o porquê. Mas Studard prefere afirmar sub-repiticiamente que Temporão age em favor da prevenção à AIDS entre a população LGBT por que é gay. Quanto aos clichês, são fruto de um método de persuasão antigo: desqualificar o adversário, ao invés do argumento, através do humor homofóbico globístico. Studart usa os termos como se estivesse na telinha global (ou quaisquer das co-irmãs) num sábado à noite, pilotando pseudo-humorístico. E insiste que não é homofóbico. Acredite quem puder.

A homofobia nem sempre é uma atitude direta. Nem todos os homofóbicos são ingênuos a ponto de atacar de frente um movimento social que ganhou respeitabilidade. Isso a gente só espera dos disangélicos mais abissais. Mas que o texto do jornalista está carregado de elementos homofóbicos, e por isso mesmo a necessidade obsessiva de convencer o leitor de que se trata apenas de “boa gestão dos impostos”, isto não resta dúvidas.

Por isso esta coluna recomenda: ao invés de ficar esperando o beijo gay da Globo, vão estudar, lindonas!

Ui! E agora vamos ver outros sopros gays (ou não) que passaram no nosso Mundico!

Φ NATAL GAY, É NA HOLANDA, BABY. O Natal Gay, ocorrido no último domingo, no Pink Market, em Amsterdã, foi um sucessaço, com direito a encenação de uma versão gay da natividade, com a travesti Wendy Mills interpretando Maria. Um acinte, segundo a associação Christians for Truth, que tentou, mas não impediu o evento. Para Frank van Dalen, do Pro-Gay, o objetivo do movimento é mostrar que não basta ser tolerado, é preciso que os LGBT sejam protagonistas políticos e ativos cidadãos. O evento fará parte, agora, do calendário de eventos da cidade. Tá pra ti, doida? Sentiu a brisa, Neném?

Φ ATIVISTAS SE ACORRENTAM CONTRA HOMOFOBIA NO CHILE. Ativistas do grupo chileno Movilh – um dos mais ativos da América do Sul – acorrentaram-se na frente da sede do partido Unión Demócrata Independiente (UDI), para protestar contra o veto do partido à leis que estabelece medidas contra a discriminação. Segundo Rolando Jiménez, um dos acorrentados, presidente do Movilh, houve várias tentativas de negociação com o partido, antes da medida protestativa. Jimenez, Eduardo Ubilla, o ex-policial César Contreras e a transexual Claudia Espinosa, foram presos após serem retirados à força da frente do prédio. César Contreras processa a polícia por discriminação, enquanto Claudia move ação contra o prefeito da cidade de Idependencia, por impedir que ela trabalhe como camelô, por causa de sua aparência. Sentiu a brisa, Neném?

Φ 66 PAÍSES SE MANIFESTAM CONTRA CRIMINALIZAÇÃO DO HOMOEROTISMO NA ONU. O Brasil e mais 65 países assinaram a Declaração para Descriminalização da Homossexualidade no Mundo. A declaração foi proposta pela França, mas não foi assinada pela maioria dos 192 países que compõem a ONU. Mesmo assim, para a ministra francesa dos direitos humanos, Rama Yade, é um momento histórico para o mundo. No entanto, de pouco adiantará a assinatura se não se tomarem medidas efetivas para pressionar os países, sobretudo que usam a religião muçulmana como desculpa para perseguir homoeróticos, a mudarem de atitude. Sentiu a brisa, Neném?

Φ SÃO SILVESTRE TERÁ VERSÃO GAY. Enquanto milhares de corredores de todas as cores, nacionalidades, gêneros e orientações sexuais/eróticas disputam a principal corrida pedestre do Brasil, a São Silvestre, a boite paulista NostroMondo promoverá a versão gay da disputa, com premiação de 300 Reais para o vencedor e mais 100 para o segundo e terceiro lugares. Com a diferença que esta ocorrerá somente no dia 1o de janeiro, a partir das 16h, em frente à boite. Para tirar a ressaca, se divertir e conhecer gente interessante, é a pedida! Sentiu a brisa, Neném?

Beijucas, até a próxima, e lembrem-se, menin@s:

FAÇA O MUNDO GAY!


USAR O CONTROLE REMOTO É UM ATO DEMOCRÁTICO!

EXPERIMENTE CONTRA A TV GLOBO! Você sabe que um canal de televisão não é uma empresa privada. É uma concessão pública concedida pelo governo federal com tempo determinado de uso. Como meio de comunicação, em uma democracia, tem como compromisso estimular a educação, as artes e o entretenimento como seu conteúdo. O que o torna socialmente um serviço público e eticamente uma disciplina cívica. Sendo assim, é um forte instrumento de realização continua da democracia. Mas nem todo canal de televisão tem esse sentido democrático da comunicação. A TV Globo (TVG), por exemplo. Ela, além de manter um monopólio midiático no Brasil, e abocanhar a maior fatia da publicidade oficial, conspira perigosamente contra a democracia, principalmente, tentando atingir maleficamente os governos populares. Notadamente em seu JN. Isso tudo, amparada por uma grade de programação que é um verdadeiro atentado as faculdades sensorial e cognitiva dos telespectadores. Para quem duvida, basta apenas observar a sua maldição dos três Fs dominical: Futebol, Faustão e Fantástico. Um escravagismo-televisivo- depressivo que só é tratado com o controle remoto transfigurador. Se você conhece essa proposição-comunicacional desdobre-a com outros. Porque mudanças só ocorrem como potência coletiva, como disse o filósofo Spinoza.

Acesse esquizofia.wordpress.com

esquizofia.wordpress.com

CAMPANHA AFINADA CONTRA O

VIRTUALIZAÇÕES DESEJANTES DA AFIN

Este é um espaço virtual (virtus=potência) criado pela Associação Filosofia Itinerante, que atua desde 2001 na cidade de Manaus-Am, e, a partir da Inteligência Coletiva das pessoas e dos dizeres de filósofos como Epicuro, Lucrécio, Spinoza, Marx, Nietzsche, Bergson, Félix Guattari, Gilles Deleuze, Clément Rosset, Michael Hardt, Antônio Negri..., agencia trabalhos filosóficos-políticos- estéticos na tentativa de uma construção prática de cidadania e da realização da potência ativa dos corpos no mundo. Agora, com este blog, lança uma alternativa de encontro para discussões sociais, éticas, educacionais e outros temas que dizem respeito à comunidade de Manaus e outros espaços por onde passa em movimento intensivo o cometa errante da AFIN.

"Um filósofo: é um homem que experimenta, vê, ouve, suspeita, espera e sonha constantemente coisas extraordinárias; que é atingido pelos próprios pensamentos como se eles viessem de fora, de cima e de baixo, como por uma espécie de acontecimentos e de faíscas de que só ele pode ser alvo; que é talvez, ele próprio, uma trovoada prenhe de relâmpagos novos; um homem fatal, em torno do qual sempre ribomba e rola e rebenta e se passam coisas inquietantes” (Friedrich Nietzsche).

Daí que um filósofo não é necessariamente alguém que cursou uma faculdade de filosofia. Pode até ser. Mas um filósofo é alguém que em seus percursos carrega devires alegres que aumentam a potência democrática de agir.

_________________________________

BLOG PÚBLICO

Propaganda Gratuita

Você que quer comprar entre outros produtos terçado, prego, enxada, faca, sandália, correia, pé de cabra ou bola de caititu vá na CASA UYRAPURU, onde os preços são um chuchu. Rua Barão de São Domingos, nº30, Centro, Tel 3658-6169

Pão Quente e Outras Guloseimas no caminho do Tancredo.
PANIFICADORA SERPAN (Rua José Romão, 139 - Tancredo Neves - Fone: 92-8159-5830)

Fique Frio! Sabor e Refrescância!
DEGUST GULA (Avenida Bispo Pedro Massa, Cidade Nova, núcleo 5, na Rua ao lado do DB CIdade Nova.Todos os dias).

O Almoço em Família.
BAR DA NAZA OU CASA DA VAL (Comendador Clementino, próximo à Japurá, de Segunda a Sábado).

Num Passo de Mágica: transforme seu sapato velho em um lindo sapato novo!
SAPATEIRO CÂNDIDO (Calçada da Comendador Clementino, próximo ao Grupo Escolar Ribeiro da Cunha).

A Confluência das Torcidas!
CHURRASQUINHO DO LUÍS TUCUNARÉ (Japurá, entre a Silva Ramos e a Comendador Clementino).

Só o Peixe Sabe se é Novo e do Rio que Saiu. Confira esta voz na...
BARRACA DO LEGUELÉ (na Feira móvel da Prefeitura)

Preocupado com o desempenho, a memória e a inteligência? Tu és? Toma o guaraná que não é lenda. O natural de Maués!
LIGA PRA MADALENA!!! (0 XX 92 3542-1482)

Decepcionado com seus desenganos? Ponha fé nos seus planos! Fale com:
PAI GEOVANO DE OXAGUIÃ (Rua Belforroxo, S/N - Jorge Teixeira IV) (3682-5727 / 9154-5877).

Quem tem fé naõ é um qualquer! Consultas::
PAI JOEL DE OGUM (9155-3632 ou paijoeldeogum@yahoo.com.br).

Belém tá no teu plano? Então liga pro Germano!
GERMANO MAGHELA - TAXISTA - ÁGUIA RADIOTAXI - (91-8151-1464 ou 0800 280 1999).

E você que gostaria de divulgar aqui seu evento, comércio, terreiro, time de futebol, procurar namorado(a), receita de comida, telefone de contato, animal encontrado, convites diversos, marocagens, contacte: afinsophiaitin@yahoo.com.br

Outras Comunalidades

   

Categorias

Arquivos

Blog Stats

  • 4.245.413 hits

Páginas

dezembro 2008
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Arquivos