Arquivo para junho \30\-04:00 2009

GOFFREDO DA SILVA TELLES, UM DEVIR-POLÌTICO

foto: http://www.goffredotellesjr.adv.br/

O envelhecimento” é “uma ampliação da capacidade de agir, um aumento na simplicidade e na suavidade. O envelhecimento não é uma cessação, mas, ao contrário, é uma extensão suave e apaziguada da capacidade de agir”, diz o filósofo italiano Toni Negri. Nem todos chegam ao envelhecimento, já que envelhecer não é somente uma condição bio-cronológica do organismo. Alguns morrem antes da demarcação matemática da existência. Morrem crianças, jovens. Outros chegam à demarcação matemática, mas não experimentam o envelhecer como “um aumento de simplicidade e suavidade”. Estes são os que sabotaram suas infâncias, suas adolescências e suas juventudes. Chegam ao estágio bio-cronológico ressentidos, amargurados, rancorosos e, o pior, invejosos. São eficientes sabotadores de suas existências e, ao mesmo tempo, agentes sabotadores das existências de outros. Nada fizeram, em seus percursos, para ativar a vida e criar condições existenciais de diminuição das privações que impedem os não-sabotadores de chegarem à alegria da velhice. O direito ontológico dos oprimidos que não negam a vida.

A VIDA ATIVA DO DEVIR-POLÍTICO

Goffredo da Silva Telles Junior, jurista emérito, aos 94, existia em plena suavidade e apaziguado em sua “capacidade de agir”. Não podia ser diferente. Sempre promoveu a vida. Sempre sentiu e entendeu onde havia a opressão. Onde se declarava ou se ocultava a tirania. Assim, desde jovem se engajou nos seguimentos sociais libertários. Soldado, combateu na Revolução Constitucionalista de São Paulo. Como deputado Constituinte, lutou pelas salvaguardas nacionais, e profundamente pela defesa da Amazônia. Professor da Faculdade de Direto da USP durante 45 anos, sempre esteve envolvido nas causas pertinentes às questões políticas da Universidade, dos saberes independentes distribuídos igualitariamente social entre o povo em formas de políticas e das lutas contra uma pedagogia universitária moldada nos signos alienígenas importados de países colonizadores.

Em plena ditadura militar, que se apoderou do Estado Brasileiro, Goffredo da Silva Telles Junior teve participação destacada em defesa dos valores democráticos. Enfrentou com sua suavidade jurídica e sua determinação combatente os opressores. Juntamente com seu insigne e corajoso amigo, jurista Raimundo Faoro, colocou-se em defesa dos presos políticos e dos ameaçados em suas liberdade. Foi ele quem em 1977, redigiu e proferiu em público a contagiante e conscienciosa “Carta aos Brasileiros”, ato que iniciou a emergência das reivindicações sociais sem medo do autoritarismo militar. Foi onde o povo brasileiro começo a sentir que era hora de cessar a opressão. Aposentado como professor continuou combativo como orientador de estudantes que se igualavam às suas opiniões e crenças sociais. Não havia como parar o devir-político que carregava.

Olivia Raposo da Silva Telles, sua filha, afirmou que ele “morreu de velhice como um passarinho”. Uma figura terna construída historicamente pela semiótica familiar. Mas há um signo que salta desta serenidade linguística. Goffredo não morreu de velhice, ele morreu na velhice, o que é bem revolucionário. O que compromete todo o engajamento histórico deste homem. Alguns homens e mulheres, envelhecidos, vão morrer, mas não na velhice. Vão morrer de tédio, de angústias burguesas veladas pelas vaidades, aprisionados na velhice como um estágio-prisão, cela da impossibilidade de ser, gueto de espera da morte dos sabotadores. Nada do que construiu Goffredo, com seu devir-político. Goffredo atingiu a plenitude ontológica que leva os não sabotadores a se irmanarem, em serenidade, com o filósofo, Deleuze, quando ele diz que a velhice “é uma alegria pura”. E completa: “Amamos as pessoas de fato pelo que elas são. Acho que afina a percepção. Vejo coisas que não via antes, percebo elegâncias às quais eu não era sensível. Agora, eu as vejo melhor, porque olho para alguém pelo que ele é, quase como se eu quisesse carregar comigo uma imagem dele, um percepto ou tirar da pessoa um percepto. Tudo isto torna a velhice uma arte”.

Neste ativismo dos afetos e da razão, Goffredo da Silva Telles Junior, entrelaça-se com Toni Negri, no movimento construtor da velhice: “O que me agrada é a suavidade; é o tempo; é a intelectualidade, a imaterialidade das relações”. Potência infinita do devir-político.

INSCRIÇÕES ABERTAS – ESTÁGIO EM NÍVEL MÉDIO E SUPERIOR – PREFEITURA DE MANAUS

Atenção estudantes de ensino médio e superior. A Prefeitura de Manaus, em mandato sub judice do atual prefeito em exercício de imobilidade, depois de cumprir promessa onde demitiu os estagiários do programa Primeiro Emprego, agora anuncia que o processo seletivo para a contratação de novos estagiários em regime remunerado estão abertas.

Em se tratando desta gestão, é se inscrever e fiscalizar, a ver se as vagas serão preenchidas por critérios de ordem técnica e democraticamente, ou se predominará o mesmo “espírito público” que nomeou parentes e amigos de vereadores às vésperas da votação da emenda da meia-passagem. Neste caso, a questão é entrar no Ministério Público.

Assim, é exercer o seu duplo direito: atuar, com sua força de trabalho e criatividade para uma cidade melhor, colocar em prática seus conhecimentos, e ainda ganhar um cascalho.

Serão 1500 vagas, divididas em três instituições que irão realizar o processo:

IEL – http://www.iel-am.org.br/

Av. Joaquim Nabuco, 1919 – Centro

CEP 69020-031 – Manaus – Amazonas

Fone: (0xx92) 2125-8800 Fax: (0xx92) 2125-8838

E-mail: secretaria@iel-am.org.br

.

CIE-E – www.ciee.org.br

Endereço: RUA João Alfredo, 453 – São Geraldo

CEP: 69053-270

Telefone: 92 2101-4272

.

Conesul – www.conesul.org

Av. Eduardo Ribeiro, 520 sala 1007

Manaus Shopping Center – Centro – CEP: 69010-901

Tel: (92) 3877-1373 / 8189-3760 – Manaus Amazonas conesulam@conesul.org

.

Para participar, o estudante deve estar regularmente matriculado no ensino médio, ou no caso de ensino superior, já ter cursado 50% ou mais da carga horária total. Os candidatos também podem comparecer pessoalmente aos locais, para inscrição.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO DIVULGA SEGUNDA CHAMADA DO PROUNI

Brasília – O Ministério da Educação (MEC) divulgou hoje (30) a lista dos candidatos pré-selecionados em segunda chamada para receber uma bolsa do Programa Universidade para Todos (ProUni). Mais de 27 mil foram convocados nessa etapa. A lista está disponível na página do programa.

Para conferir o resultado, o candidato precisa informar o número do seu CPF e o número da matrícula no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2008. A consulta pode ser feita ainda na faculdade em que o aluno disputa uma vaga ou pelo telefone 0800 61 61 61.

Os estudantes pré-selecionados devem comparecer até 10 de julho à instituição de ensino para a qual foi selecionado a fim de comprovar os dados informados na inscrição. A lista dos documentos que devem ser apresentados está disponível na internet.

Para o segundo semestre de 2009, mais de 212 mil candidatos se inscreveram para disputar uma das 91 mil bolsas que estão sendo oferecidas. Do total , 57 mil são integrais e 33 mil parciais, que custeiam 50% da mensalidade.

A partir deste semestre, o programa contará com uma segunda etapa de inscrições, entre 20 e 24 de julho. Nessa fase, podem concorrer tanto estudantes que não se inscreveram na etapa anterior, quanto aqueles que participaram mas não foram selecionados.

Mais informações na página do ProUni.

Fonte: Agência Brasil

HOJE É O ÚLTIMO DIA PARA SACAR O ABONO PIS/PASEP ANO-BASE 2007

Vamos lá, moçada! Segundo o calendário do PIS/PASEP, publicado neste bloguinho, o último dia para o saque do benefício do ano-base 2007 é hoje. Se você ainda não sacou o seu, corra para uma agência da Caixa Econômica Federal. No Brasil inteiro, são 695 mil trabalhadores que ainda não foram buscar o cascalho a que têm direito. No Amazonas, são sete mil. Neste calendário, foram identificados mais de 15,5 milhões de trabalhadores com direito ao abono.

O abono salarial é o pagamento de um salário mínimo anual ao trabalhador ou servidor que esteja cadastrado há pelo menos cinco anos. Também é preciso ter trabalhado com carteira assinada durante pelo menos 30 dias (consecutivos ou não) no ano-base (2007) e ter recebido em média até dois salários mínimos de remuneração mensal no período.

O valor do abono é de um salário-mínimo, 465 reais. Se você cumpre esses critérios, não deixe de procurar uma agência da CEF ainda hoje. Se tem dúvidas se tem direito ao benefício ou não, procure também.

NOTAS SOBRE A PASSAGEM DA CPI DA PEDOFILIA POR MANAUS E COARI

Є O senador Magno Malta (PR/ES) não sabe que a pedofilia mais incisiva e perigosa socialmente é aquela que segrega os signos de uma infância solapada, um infantilismo sequelado, fruto da ilusão dos adultos capturados pela ordem do capital, e que foram interditados em seus fluxos intensivos e potência de agir, e que estão na tevê, na internet, na moda, nos dizeres, na música, nos corporais e incorporais da sociedade de consumo, submetendo as crianças a uma infância que não é a delas. Soubesse, a sua CPI teria que estabelecer uma base de atuação perene nas emissoras de tevê, com suas Anas Marias Bragas, Xuxas, Sashas, Maísas…

Є No entanto, a CPI tem se prestado, no plano democrático, a um importante trabalho: aproveitando a comoção emocional em torno da temática a pedofilia, bem mais carregada de elementos de ordem doutrinária igrejal que de ciência e de reflexão racional, desvelando aquilo que era evidente, mas que não se atualizava como real para o plano midiático: o envolvimento de membros das chamadas esferas do poder em práticas de violência sexual e exploração de mulheres, crianças e adolescentes, não apenas no sentido da tara psicopatológica, mas na tara social: o lucro pela exploração. Tal como no Caso Wallace, Adail, apontado como o chefe do esquema de desvios de royalties do gás natural de Urucum, é chefe, mas não apareceu ainda o chefe-do-chefe.

Є O presidente da CPI da Pedofilia, senador Magno Malta, ao chegar a Manaus, afirmou ter recebido muitas pressões para que a CPI não viesse à cidade. De certa forma, não veio. Contando com apenas o presidente como membro titular, que criticou a ausência dos colegas de CPI e dos três senadores do Amazonas, os trabalhos terão de se reduzir àquilo que já estava previamente estabelecido. Malta não poderá, por exemplo, convocar para depôr ninguém além daqueles que já estavam previamente convocados, nem mesmo se denunciados em audiência pública.

Є Um déjà vu: o senador Arhur Neto, por exemplo, já atuou em defesa do Amazonas quando o assunto era exploração sexual infanto-juvenil. Foi ele quem articulou, junto com o senador Ney Suassuna (PMDB/PB), a retirada do nome de Omar Aziz da lista de indiciados da CPI da Prostituição Infantil, numa articulação que deixou boquiaberta a relatora, Deputada Maria do Rosário (PT/RS) – leia aqui e aqui. O tratamento amplamente favorável à Omar dado pela imprensa local sobre o caso fez com que o professor do curso de Jornalismo da Universidade Federal do Amazonas, Gilson Monteiro, fosse agredido dentro das dependências do campus, por dois irmãos de Omar, atual vice-governador. Gilson usava a tibieza e comprometimento da imprensa local com os políticos locais como exemplo em uma aula de ética, quando uma sobrinha de Omar, debutante do curso, levantou-se e chamou o pai para defender a honra da família – leia aqui.

Є Em Manaus, a CPI tomou os depoimentos de 12 pessoas, dentre elas, Fábio Marques Martins, da agência Mega Models, Andréa Domingues de Abreu, ambos considerados agenciadores das adolescentes, e Haroldo Portela, ex-secretário de comunicação da prefeitura de Coari. Portela é considerado a peça-chave no inquérito do Ministério Público sobre os desmembramentos da Operação Vorax. Era Portela quem organizava a exploração, mantinha contatos com os agenciadores e realizava o pagamento. Uma adolescente, identificada como Brenda, supostamente vítima da exploração pela quadrilha de Coari, também foi ouvida. Os programas eram pagos sempre com dinheiro público, e discriminados como “prestação de serviços para eventos sociais”. Em Coari estão previstos mais dez depoimentos, entre eles o de Adriano Salam, ex-secretário de administração e o do ex-prefeito, apontado como o chefe da quadrilha, Adail Pinheiro. A CPI realiza hoje os trabalhos na cidade do gasoduto e da Operação Vorax.

ARTHUR NETO, DE ACUSADOR A ACUSADO

O senador amazonense, do PSDB, maior expressão partidária da direita do Brasil, ontem, segunda-feira, dia 29, subiu à tribuna do Senado para pedir investigação rigorosa sobre o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-MA), e de quebra investigação também sobre o senador Renan Calheiros (PMDB-AL).

De acordo com o senador 5% “Orgulho do Amazonas”, Arthur Neto, Sarney não tem condições morais para continuar como presidente do Senado por seu envolvimento com os obscuros atos administrativos secretos que nomearam vários parentes seus com conivência do ex-diretor geral do Senado, Agaciel Maia.

Embora em seu modelo performático estereotipado de sempre, onde saltam exuberantes clichês, seu tom já não era o mesmo de semana passada, quando andava pelos corredores e salas do Senado divulgando que o ex-diretor geral, Agaciel Maia, estava fazendo chantagem com senadores, entre eles Suplicy (PT-SP), Pedro Simon (PMDB-RG) e Cristóvam Buarque (PDT-DF). O motivo era a circulação da edição da revista Isto é, trazendo matéria com declarações de amigos próximos a Agaciel Maia, e do próprio Agaciel, sobre a verdadeira causa do ódio de Arthur Neto contra ele, Agaciel, e Sarney.

A matéria da revista informa que o senador amazonense, 5% “Orgulho do Amazonas”, se antecipou nas acusações, porque fora avisado que Agaciel tinha em mãos provas contra senadores, e que, se for preciso, pela delação premiada, vai entregar todos. Nas informações, aparece a tal viagem de Arthur em 2003 a Paris, quando teve seu cartão bloqueado e precisava de dinheiro. Na versão de Arthur, quem resolveu o seu problema foi um amigo do Senado. Já na informação da revista, quem verdadeiramente resolveu foi o próprio Agaciel, que fora procurado pelo amigo de Arthur, seu assessor, Carlos Homero Vieira Nina, em pleno domingo, que insistia que o caso fosse resolvido. Como era domingo, Agaciel se sentiu impossibilitado, e então retirou de sua própria poupança e mandou para o senador amazonense. E, de acordo com Agaciel, até o momento não fora ressarcido.

Outra informação que a revista traz é a existência de funcionários fantasmas em seu gabinete. Segundo a revista, Homero tem três filhos empregados no gabinete do senador: Guarani Alves Nina, Tomas Alves Nina e Carlos Alberto Neto, este morando no exterior, mas recebendo fielmente seu salário. Além do caso do tratamento de sua mãe que, de acordo com os estatutos do Senado, a verba para tratamento de saúde é de R$ 30 mil, e de acordo com as informações, ultrapassou os limites. Foram gastos R$ 723 mil, fato que na época causou estupefação no senador Antônio Carlos Magalhães, vulgo Toninho Malvadeza, amigo de Arthur.

Entretanto, para Agaciel Maia, o que mais irritou o senador amazonense foi a demissão de Vânia Maione, esposa de Homero, do Instituto Legislativo Brasileiro, por autorização de Agaciel Maia.

Assim, no rebojo das acusações e denúncias, a se fazer as investigações severas sobre Sarney e Agaciel, como sugere Arthur, e a se realizar as ameaças de Agaciel, cabeças vão rolar. Entre elas, a de Arthur Neto.

GOLPE DE ESTADO EM HONDURAS MOSTRA QUE OS TIRANOS NÃO DORMEM

O Golpe de Estado praticado pelas forças armadas hondurenhas, apoiadas pela Suprema Corte e o Congresso, vem chamar atenção sobre as ameaças que ainda vivem as democracias nos territórios latinos. O que confirma que ainda não se encontram fortemente protegidas das ambições dos tiranos. Por isto ainda se respira odores fortes de ditaduras sangrentas que permaneceram décadas dominando as Américas Latinas. Daí que a atenção maior sobre a defesa das democracias deve ser desdobrada, principalmente com políticas que aproximem solidariamente os governos dos povos, verdadeiras fortalezas democráticas.

FORÇAS DO GOLPE

Apoiados no entendimento de que o plebiscito convocado pelo presidente Manuel Zelaya, para uma possível reforma política, que seria realizado no domingo passado, era inconstitucional, o grupo não titubeou: deu o golpe e se apossou do palácio presidencial, elegendo Roberto Micheletti para governante interino. Alegando que, embora tenham tomado o poder, vão manter o compromisso de realizar eleições em novembro.

Enquanto isso, a população protesta veemente e é reprimida com violência pelas forças armadas. Ao mesmo tempo que OEA, Organização dos Estados Americanos, e governantes de todo mundo repudiam a força tirânica que se instalou em Honduras. Por sua vez, os países que formam o Grupo de união de vizinhança da América Central, Nicarágua, Guatemala e El Salvador, cortaram todas as relações como o governo tirânico, impedindo qualquer contato por qualquer via.

A mesma posição tomaram todos os países da América do Sul e os Estados Unidos, levantando a tese da defesa da democracia.

De sua parte, o presidente deposto, Manuel Zelaya, promete voltar à Honduras ainda esta semana, provavelmente quinta-feira, acompanhado por representantes de organismos latinos.

PROCISSÃO DE SÃO PEDRO SOBRE MANAUS FLUTUANTE

É cultural e tradicional a procissão de São Pedro realizada nas águas do Rio Negro, em frente à cidade de Manaus, no dia 29 de junho. São barcos grandes, médios, pequenos, motores de popa, canoas, pranchas de surfe, e até nadadores. Um conjunto hidro-veicular construindo um movimento sacro-policrômico. Festa dos que estão nos veículos, e festa dos que assistem em solo firme. Um São Pedro mais ritualizado em águas que em fogos, como Santo Antônio e São João. Principalmente João, o autor da fogueira.

Todavia, a festa de logo mais terá outra propulsão. As águas do Rio Negro elevadíssimas em seu nível, caracterizando a maior cheia de toda história vista pela cidade de Manaus. O que formará um outro quadro perceptivo tanto dos embarcados como dos observadores terrestres.

Em uma perspectiva alterada, os veículos-aquáticos aparecerão para seus usuários como uma penetração sobre a cidade. E para os observadores terrestres, um agigantamento das embarcações em suas direções. Verdadeiro Cinerama. Espetáculo imperdível para os olhos historicizados. Só que um espetáculo produzido não pela natureza, como das antigas cheias, mas produzido, em sua maior parte, por obra dos homens desatinados. Uma produção saída da realização econômica-social da anti-razão. Um espetáculo vindo das distantes e próximas alterações ecológicas, concebidas pela força propulsora do capital. A exploração dos elementos do eco-sistema para fins privados.

Neste panorama, as águas não serão para Pedro, as águas do pescador. Não traduzirão a relação-movimento, homem/peixe. Os veículos deslizarão sobre uma superfície segmentada, muito bem dividida pelo capital em forma de cheia e de pútridos odores de uma cidade abandonada em seu interior pelos governantes que, historicamente, só deram as costas para o rio. E São Pedro, que tanto sabe desta cidade, fará seu percurso, mas não operará milagres, pois sabe que milagre sem obra do homem não existe.

AFIRMAÇÃO DAS RELIGIÕES DE MATRIZES AFRICANAS E COMBATE À INTOLERÂNCIA RELIGIOSA NA CONFERÊNCIA NACIONAL DE PROMOÇÃO DE IGUALDADE RACIAL

Os líderes das religiões de matriz africana tiveram atuação marcante na 2ª Conferência Nacional de Promoção de Igualdade Racial, encerrada nesse domingo (28). A plenária final referendou uma série de propostas destinadas a garantir o combate à intolerância religiosa.

Os delegados recomendaram o mapeamento cartográfico social dos terreiros de todo o país, a garantia de aposentadoria para religiosos e a responsabilização de emissoras de TV ou rádio pela veiculação de matérias de cunho racista e discriminatório, com multas diárias no caso de práticas de intolerância.
O ministro da Secretaria Especial de Políticas da Promoção da Igualdade Racial (Seppir), Edson Santos, se comprometeu a formular um plano nacional de combate à intolerância religiosa e a apoiar a criação de um fórum nacional do movimento de religiosos de matriz africana. “Estamos à disposição das entidades para essa luta, que consideramos extremamente legítima”, diz o ministro.
O diretor de projetos e pesquisa da Federação Brasiliense e Entorno de Umbanda e Candomblé, Ribamar Veleda, acredita que a conferência marcará uma novo momento na conscientização da sociedade. “É uma luz que estávamos buscando ao longo de muito anos e que agora começa a se acender. Sabemos que muito tem a ser feito, mas sabemos que o pontapé inicial está sendo dado aqui hoje”.

A comunidade indígena também avalia como positivos os debates e encaminhamentos da 2ª Conferência Nacional de Promoção de Igualdade Racial. A defesa dos territórios indígenas e do processo de regularização foi reforçada na plenária final por representante de outros movimentos, como negros e ciganos. No âmbito institucional, a Seppir se comprometeu a analisar a proposta de criação de uma subsecretaria indígena.

Para a representante do Conselho Nacional das Mulheres Indígenas, Maria Helena Azumezohero, a garantia de espaço para as comunidades na conferência e o diálogo com outros movimentos também são importantes conquistas. “Tivemos a participação aqui de representantes indígenas de todos os estados e, por isso, conseguimos avançar nas nossas propostas. Agora vamos aguardar uma resposta sobre a subsecretaria na Seppir.”

A liderança indígena também levou para aprovação na plenária final recomendações na área de educação, principalmente visando ao cumprimento do Plano Nacional de Educação Indígena e ao aumento da oferta de vagas para índios no ensino superior.

Reproduzido da Agência Brasil.

O INTELECTUAL MANAUARA E SUA INSEGURANÇA HISTÓRICA

Uns dizem, “tempos de chumbo”. Outros, tempos opressivos. Outros, simplesmente ditadura. Foi nestes tempos em que, em um certo dia, um renomado arquiteto, não amazonense, foi levado à casa de uma família burguesa, para conversar sobre temas variados com alguns auto-considerados intelectuais amazonenses.

Chegando na entrada da sala, onde se encontrava o tal grupo de amazonenses seletos, o arquiteto, ainda em pé, ouviu o anfitrião, burguês, apresentar seus pares. Este aqui é o fulano, musicólogo. Este é o sicrano, poeta. Este, o escritor. Este, o crítico de cinema. Este, o pintor… E apresentou, orgulhoso, a plêiade de amazonenses auto-notabilizados. O arquiteto olhou-os, sempre calado, balançou a cabeça, deu meia volta e saiu da casa, acompanhado por seu cicerone.

Já na rua, o cicerone, perguntou por que saíra. Ao que o renomado arquiteto respondeu: “Diante de tantas sumidades, o que eu poderia fazer lá?”

Um espetáculo deprimente de busca de reconhecimento, onde qualquer sinal de intelectualidade é vista como dor.

Esta semana houve apresentação de tese no Curso de Comunicação da Universidade do Amazonas. Como convidado da mesa encontrava-se o notório e engajado jornalista Bernardo Kucinski. Terminada a sessão de apresentação e comentários, o jornalista foi levado por um professor-doutor do Departamento de Ciências Sociais para conhecer as dependências do ICHL, Mini-Campus. Em indicações e indicações, chegaram na LUA (Livraria da Universidade do Amazonas). Em seu interior, observando alguns exemplares, Kucinski, ouviu do professor-doutor a seguinte exaltação egóica:

— Eu leio quatro livros por semana.

O jornalista sorriu e afirmou:

— Eu não leio nenhum. — E acrescentou. — Eu tenho uma falha na minha formação intelectual: não li quase nada da literatura amazonense.

O professor-doutor, em solicitude de auto-reconhecimento, observou:

— Aqui tem bons livros sobre o tema. — Apontou uns livros, e continuou. — Tem estes livros do Márcio Souza.

Ainda não satisfeito em sua campanha de auto-promoção, o professor-doutor, mostrando um livro, disse que se tratava de um livro escrito por sua ex-mulher com ajuda de material colhido por ele mesmo. Uma auto-promoção pela anulação da ex-mulher. E Kucinski, sempre sorridente.

Quase 40 anos depois, em tempos sem ditadura, o intelectual professor-doutor repete a ilusão da fama de seus amigos diante do arquiteto. Nada lhe serviu ter vivido um tempo brutal, desumano, onde se entende com melhor facilidade que a vaidade é uma desgraça, vazio, que cada vez mais degenera o homem, como diz o filósofo Nietzsche. Um recurso dos que vivem no medo da desaprovação do outro. E, assim, nada constroem.

Quase 40 anos, o professor-doutor, chegando aos 70 anos, continua uma patética sombra de se querer valorado pelos conceitos dos outros. Da mesma maneira que seus antigos amigos. Nenhum momento suspeitou que se os saberes não forem para abrir brechas para fazer brotar o nome, nada nos serve. E que só se lê um livro quando ele é cortado como hecceidade. Como individuação, quando auxilia o leitor em individuações desterritorializantes.

MEIA-PASSAGEM ESTUDANTIL: DERROTA DA DEMOCRACIA NA CMM EMPRESARIAL (continuação)

Como já dissemos aqui neste bloguinho, no sábado passado, aquilo que os estudantes já sabiam, o rabo-de-arraia da Câmara Municipal de Manaus aos estudantes, aprovando a Emenda à Loman nº 008/2009, proposta do prefeito sub judice Amazonino Mendes (PTB), que reduz drasticamente a meia-passagem estudantil em Manaus, eram favas contadas. Acrescentamos aqui algumas falas que este bloguinho colheu no encontro com os estudantes, que demonstram o entendimento do que estava previsto ali e o quais seriam as ações possíveis para que haja alguma alteração política. Foi nesse sentido que este bloguinho conversou com Yann Evanovick, vice-presidente regional da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), e ele, lucidamente, colocava a questão:

Nós não temos dúvidas, o projeto deve ser aprovado hoje na Câmara Municipal. Ontem ocorreu uma nomeação de 60 pessoas que são vinculadas aos vereadores. Claramente já está muito bem amarrada essa votação. Em compessação, deve ser aprovado com muita resistência por parte dos estudantes. É preciso que se diga, não são os estudantes que estão desmobilizados, é a Câmara Municipal que dá um golpe na população. Um período de férias, num final de semana. Nós sabemos que há dias, nas suas sessões ordinárias, os vereadores faltam, e hoje, numa votação importante como essa, que a da meia-passagem, que deveria ser colocada em votação num dia em que pudesse haver a participação da maior parte da população, os vereadores articulam mais um golpe, assim como foi dado no dia 23 de dezembro passado. Nós, do movimento estudantil, estamos tentando construir um projeto de cunho popular. Isso significa que temos de recolher 5% de assinaturas de todo o eleitorado de Manaus. Nós precisamos contar com a população de Manaus para reapresentar um projeto de cunho popular.

Assim como Yann, a presidente da União Estadual dos Estudantes (UEE), Maria das Neves, atacou o ludíbrio da CMM Empresarial contra os estudantes de Manaus, votando um projeto nos mesmos moldes que sempre utiliza quando quer perpetrar alguma trama contra a população:

Primeiro é importante dizer para a população de Manaus que é mais uma atitude golpista do prefeito Amazonino Mendes botar em votação um projeto que é de grande importância para a cidade de Manaus. Esse projeto, que foi apresentado pelo prefeito Amazonino Mendes à Câmara Municipal de Manaus tira o direito dos estudantes, principalmente dos estudantes da periferia, fazendo com os estudantes pobres, carentes, andem todo dia dois quilômetros, um pra ir e outro pra voltar. E os estudantes que moram em locais considerados perigosos, por exemplo, vão ter de correr risco de morte pra poder ter acesso à educação. Sem contar que nós vamos voltar às grandes filas, não vamos mais poder pagar em dinheiro, vamos ter de procurar postos de venda da meia-passagem, que ninguém sabe onde fica, e os estudantes, com certeza, vão ter de enfrentar enormes filas pra poder usufruir da meia-passagem. É um golpe dos empresários, da Prefeitura e dos vereadores, que num momento de férias, sem discussão popular, colocaram pra votação nessa casa o projeto que reduz a meia-passagem, e não só reduz drasticamente o acesso à meia-passagem, mas sobretudo reduz a educação, o acesso que a nossa juventude tinha de forma irrestrita.

E Maria fez o convite para a os estudantes, pais de alunos, entidades estudantis, sindicatos, toda a população, para se mobilizar no sentido de restaurar, democraticamente, um direito adquirido que foi usurpado pela subserviência da CMM ao prefeito cassado Amazonino e a Acyr Gurgacz, presidente do Sinetram e “vitalício prefeito de Manaus”:

Devido a esse projeto, que foi votado e aprovado hoje, nós iremos denunciar para a população o nome de cada vereador, traidor, que votou contra o estudante, contra o trabalhador de nossa cidade, depois nós iremos mobilizar um projeto de ação popular com o qual o povo possa reapresentar o projeto da meia-passagem. Para isso, a gente vai montar em cada escola, em cada universidade um posto de arrecadação dessas assinaturas, e assim mostrar que nós, a população de Manaus, o povo de Manaus, o pai trabalhador, a mãe trabalhadora, quem paga a meia-passagem quer reaver esse direito de volta. Acabou a meia-passagem, acabou a integração temporal, é o retrocesso para os estudantes da nossa cidade, mas não temos dúvidas que o povo vai continuar se mobilizando, vai voltar às ruas assim que as aulas voltarem.

Depois de confirmado o engodo legalizado, tivemos com Dona Núbia, mãe de três estudantes, que pontuou situações práticas que não passam pela CMM Empresarial, muito menos pela Prefeitura cassada:

Não pude entrar. Eles dizem que é ridículo um aluno não querer caminhar um quilômetro até sua escola, mas ele não sabe que o verão está começando, onde as calçadas não dão condições para o nosso filho andar. Eu deixei o meu trabalho de carteira assinada pra estar acompanhando meus filhos. Eu tenho três filhos, dois estão na faculdade, eu tenho um projeto de vida, mas eu estou sentindo meu projeto amassado, massacrado por um prefeito irresponsável. Na época de campanha ele tá lá dando a mão, abraçando mãe, tirando foto com os estudantes, e agora ele faz isso. Ele humilha, ele diz um quilômetro, mas não sabe que são trinta postes, que dão de cinco a sete paradas de ônibus. Onde eu moro, pra sair e pra voltar, tem que subir e descer. O meu filho necessita de seis vales por dia, ele vai pra aula, mas tem de ir pro cursinho também, porque as redes públicas não dão condições para um filho da gente entrar numa escola profissionalizante, nós temos que se esforçar e pagar um cursinho, e à noite ele vai para a Vila Olímpica nadar pra não ficar envolvido com drogas, como a gente está vendo aí um parlamentar, deputado, envolvido com drogas, e o filho dele não conhece o que é educação.

Na saída, a guarda municipal, que antes já havia ocupado boa parte da galeria pública, começou a carregar alguns estudantes que se deitaram ao chão do lado de fora da Câmara. Nesse momento, começou um tumulto, quando alguns estudantes quiseram falar com vereadores, e a guarda municipal, mostrando-se totalmente despreparada, partiu para a brutalidade contra os estudantes, inclusive adolescentes, utilizando-se de cacetetes, empurrões e spray de pimenta. Alguns estudantes foram feridos, e todos saíram de lá diretamente para fazer corpo de delito. Este bloguinho conversou com alguns destes estudantes:

A gente estava ali querendo entrar para falar com os vereadores, só que a polícia bateu. A guarda municipal me agrediu, me meteu uma porrada aqui com o cacetete quando eu tentei passar. (Aurivan)

Nós estávamos em um local supostamente público e tentaram tirar a gente na marra, tentaram arrastar alguns de nossos integrantes lá pra dentro, nós não deixamos isso acontecer, aí eles chamaram os policiais com escudo, que chegaram empurrando a gente, batendo com o cacetete, jogando spray de pimenta. (Jéferson)

Nós estávamos parados, simplesmente deitados aqui na frente, e a guarda começou a tirar, empurrar todo mundo, aí quando o pessoal começou a relutar, eles vieram com spray de pimenta, com cacetete, e eu estou com um ematoma no braço, porque eu levei uma porrada de cacetete sem fazer nada para que isso acontecesse. (Gabriela)

Numa proximidade democrática com os estudantes, o vereador José Ricardo (PT), que tem puxado a oposição aos ludíbrios da CMM Empresarial contra os estudantes, falou-nos sobre as possibilidades de se reverter a decisão:

Agora nós vamos continuar na briga. Eu acho que não termina por aqui, primeiro porque esse projeto, na sua essência, ele tira direitos; ele não é operacional com essa história de um quilômetro de distância; ele não garante a meia-passagem (não está escrito) para todas as atividades que o estudante necessita; essa coisa de ir e voltar para a escola, ficar amarrado a isso é um retrocesso. Vamos continuar questionando, porque existem vários caminhos ainda: tem o lado jurídico e tem a possibilidade de outro projeto ser apresentado ainda para alterar. Nesse momento, é importante mesmo é a mobilização da sociedade, dos pais dos estudantes. Só que agora temos o recesso, provavelmente só depois do recesso nós vamos ter um espaço aí pra poder continuar debatendo.

Sobre a “jogada”, a covardia de se votar num sábado, num final de semana, diante de um recesso, um projeto de amplitude para toda a sociedade, e em contrário à opinião desta sociedade, Ricardo continuou:

Claro, é esperteza deles, tiraram, inclusive, pessoas do hospital. Eu acho até uma desumanidade tirar a vereadora, que estava hospitalizada, ela estava aqui com um aparelho respiratório em cima da mesa, podia ter morrido aqui, e eles fizeram essa desumanidade só pra poder ter o voto a mais pra garantir essa votação. É desumano com os estudantes e é desumano até para a própria bancada de vereadores deles.

Como ele tinha questionado a validade da Lei aprovada na CMM, ouvimos seus argumentos quanto a este questionamento:

Eu questiono até juridicamente, aquela questão do direito que o estudante tem da meia-passagem como parte de uma política educacional, é uma tese, é uma possibilidade, é uma questão bem prática, nós precisamos mexer na legislação para garantir que o estudante, enquanto estudante, que ele tenha acesso a quantas meias-passagens ele precisar para qualquer atividade, em qualquer horário. Então, vamos continuar questionando até juridicamente, conforme estamos avaliando com os advogados.

A vereadora a quem Zé Ricardo se refere é nada menos do que Marise Mendes (PTB), irmã do prefeito cassado Amazonino, que estava, inclusive, conforme fotos deste bloguinho, acompanhada de médico, recebendo medicação ali mesmo na CMM. A situação da vereadora era tão grave, como observou o vereador, que este bloguinho até captou, conforme foto abaixo, o momento que uma assessora de Marise votou por ela.

Meia-Passagem 02 por você.
Meia-Passagem 03 por você.

Enquanto isso acontecia, os estudantes na galeria gritavam: “Vai morrer em casa! Vai morrer em casa!” Os amigos da vereadora fizeram gestos de pedido de respeito ao estado da vereadora, mas os estudantes não embarcaram na piedade falso-cristã e gritaram ainda mais forte.

Os estudantes pretendem fazer reuniões e se mobilizar a partir de hoje para quando terminar o recesso retomarem as manifestações em passeatas e paralisações do trânsito da cidade.

CPI DA PEDOFILIA CHEGA A MANAUS E VAI OUVIR ENVOLVIDOS NA OPERAÇÃO ‘VORAX’

Hoje, segunda-feira, e amanhã, os integrantes da CPI nacional da pedofilia estarão finalmente em Manaus. O objetivo é colher depoimentos, cumprir diligências, investigar denúncias de pedofilia envolvendo os detidos e afins na operação Vorax, deflagrada em Coari, além de realizarem audiência pública para receber denúncias de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes.

Pouco mais de um ano atrás, a Polícia Federal realizou na cidade do gasoduto uma megaoperação que prendeu integrantes de uma quadrilha cujas ramificações chegavam, como aliás todas as outras operações da PF no Amazonas, às portas do palácio do governo do estado, envolvendo diretamente, segundo escutas divulgadas da PF, juízes, autoridades do executivo e legislativo, proprietários de jornal, dentre outros.

Somente em um ano de atuação da quadrilha, que tinha como principais envolvidos o então vice-prefeito da cidade, Carlos Eduardo Pinheiro, secretários municipais, o irmão do então prefeito, Adail Pinheiro, foram desviados dos royalties do gás natural de Urucum mais de 50 milhões de Reais. Malas de dinheiro foram encontradas em casas de um conjunto habitacional ainda em construção, e parte da população chegou a ir às ruas para cavar em busca de outras.

O próprio Adail escapou de ser preso graças a uma “viagem” realizada dias antes da operação ser realizada. O grupo, chefiado por Adail, além do desvio dos royalties, também é acusado de exploração sexual e pedofilia. Daí a vinda da CPI a Manaus.

A tomada dos depoimentos, bem como a audiência pública, ocorrem no auditório da ALE/AM. O primeiro a ser ouvido será o ex-assessor da prefeitura de Coari, Haroldo Portela.

POR FORA DE FUTEBOL

Por fora de futebol

“Eu entro em campo para ser feliz.”

Valdívia, craque chileno

Trave SELECIONA O SELECIONADO QUE O CANARINHO É “AMARELO”

Então, ‘meu cumpadi”, os gringos entraram em campo jogando à la contra a Espanha. A seleção é só amarelo: nada ‘dê’ ‘futebó’. Ta lá, 12 caras se dizendo ‘brasileiro’. 11 no campo e 1 na margem. E os gringos, rolando a Greta, em total garbo. E os canarinhos, amarelados. ‘Cumpadi’, 8 e qualquer coisa, cruzamento da direita, um gringo na área, toquinho de esguelha, tá lá, Greta, toda garbosa amada por Dempsey, pelos ‘fundos’ esquerdo do guarda-meta amarelo. Coisa de ianque: chama os adversários pra cima, e manda ver.

Greta rola, rola Greta, Greta rola… Disparada gringa pela esquerda, dois amarelos fingindo combate, gringo da esquerda cruza para gringo da direita, da direita dá queda de corpo no amarelo da direita, guarda meta amarelo, sai todo arreganhado, gringo da direita completa os 28 minutos: tá lá a Greta, novamente garbosamente, desta vez amante de Donovan. E a gringada, ‘cumpadi’, comemora com euforia fúnebre.

De formas, ‘cumpadi, que o estádio era azul e branco, com uma pequena nesga vermelha, contrastando com o amarelo ‘dungado’.

Cumpadi’, num queira crer. Veio o segundo ‘time’, ‘las vem’ os ‘amarelo’. E os gringos? Nada. O árbitro do apito esperou, esperou, esperou, e os gringos não deram as caras. ‘Então, ‘vamo pru jogo’, deve ter falado o árbitro do apito. Sem time, gringo em campo, foi uma mamata. ‘Aos 1 minuto’, os amarelos, na pessoa do irritado e não confiável L. Fabiano, empurrou a Paquita, que em rebolado comercial fez pose depois das traves. Chegou, se arrastando os 29 e nada, novamente o não confiável, bateu na Paquita, e lá foi ela se exibir em busca de um contrato na Globo. Aos 4…, escanteio pela direita, Elano e o grosso, ‘destrambelhado’, Lucio, sobe arreganhado, e a Paquita é contratada, ‘cumpadi’.

Segundo informação, ‘cumpadi’, ‘extra-oficiar’, os gringos não voltaram para o segundo ‘time’, porque acreditaram que era uma partida de um só tempo. Mas há quem afirme, ‘cumpadi’, que eles não voltaram para o segundo ‘time’, porque eles já estavam satisfeitos com a vitória no primeiro ‘time’.

Esperto estes gringos, não, ‘cumpadi’?

Trave#### Pergunta por fora de futebol: Você confia em um homem que chora por que ganhou uma partida de futebol? Confia? E se este homem que chora depois de uma partida de futebol tem na frente da camisa a frase: “Eu amo Jesus”? E atrás da camisa a frase: “Eu te amo, Ivone” (deve ser sua esposa, ou filha). Meu, se você confia, você confia no zagueiro grosso, Lúcio, ao mesmo tempo que não gosta de futebol, porque está por dentro do futebol, e, de quebra, não acredita em Jesus, porque Jesus não serve para estas presepadas.

O OLHAR DO GANDULA

_________

…………|   |######### oooooOOO0000

Alguns ingênuos do futebol acreditam que os que sabem mais sobre uma partida de futebol são os jogadores e os técnicos. Necas de pitiririca. Quem sabe mesmo são os gandulas. Eles conhecem o campo e todas suas regras espaciadas que alguns jogadores habitam, ou não. Os gandulas não são meros ‘boladeiros’. No estádio eles são mais do pensam seus patrões. Eles entendem de todas as nuances do futebol. Seja de peladeiros ou de craques. Em razão deste douto conhecimento futebolístico, eles são responsáveis pela condição das posições dos jogos nos campeonatos ou amistosos. Por este conhecimento, eles criaram signos indicadores das partidas. São eles. Partida bárbara de sofrível: º, partida reduzida em um bolinha. Nada de futebol. Partida regular: o, bolinha maior. Partida boa: O, partida bolão. Pura pelada: 0, partida com bola oval.

Assim, os jogos seguirão esta classificação dos gandulas.

CAMPEONATO BRASILEIRO

Pelejas de Sábado e Domingo

Atlético Mineiro e Barueri. 2 para os da terra do grande escultor Francisco Lisboa, o Aleijadinho, e 4 para a revelação do futebol paulista. Jogo quente. Não pelos seis gols, mas muito pela atuação do Barueri. Time que vem se mostrando peitudo. Encarador. Joga como time de muito tempo na elite. Já o mineiro, ainda em primeiro, jogou o suficiente para validar a vitória do ‘Bar”.

Gols para o Atlético: Diego Tardelli.

Gols para o Barueri: Thiago Humberto (doiszão), Fernandinho e Marcos Pimentel.

Cotação da partida: O.

No embate na arena da baixada, deu A. Paranaense. Na partida pela Copa do Brasil o A. meteu 3 a 2 no Timão, mas perdeu em Sampa. O jogo de sábado foi 1 para os paranaenses e ‘zerô’ pata o timão, com direito a lances de total abstinência futebolística dos paulistas. O que deu aos atleticanos motivo para ensaiarem superioridade.

Cotação da partida: o.

Palmeiras e Santos no Palestra, seu Zé, não houve embate, só cumprimento do contrato profissional. 1 gol para cada lado e ficaram conversados. Obina e Robson. O periquito/porco (com gripe suína de futebol) teve sob comando o técnico interino Serginho, mas foi o mesmo que como fosse com ‘Luxembuste’. O mesmo futebolzinho profissional.

O peixe, por sua vez, com Mancini, preocupado com puxadores de tapete, se segurou para não cair. No mais, não teve mais.

Cotação da partida: º.

Cruzeiro e Avaí, Zé Carlos cruza e lá vai um gol no Avaí. 1 gol para o Cruzeiro deu para o gasto, como dizem, para quem foi ao campo imaginando o Grêmio quinta-feira pela Libertadores.

Cotação da partida: o.

FluFla. Foi um fru-fru maneiro. Zero pra ti, zero pra mim. Clássico que vive do passado. “Recordar é viver, diz o velho ditado”, é engodo temporal. Os dois times não vivem os bons clássicos do passado. Do passado só têm a marcha fúnebre de quem um dia viveu.

Cotação da partida: °.

Não dando a menor pelota para a quadra fogueirante, o Bota não está botando nada, muito menos fogo. Nem Santo Antônio, nem São João, e sequer São Pedro acenderam o fogo do ex-time do Mané. Levou couro do Goiás, que fez 4, contra 1 do foguinho.

Cotação da partida: o.

O Vitória viu em sua casa um Santo André parado no ABCD do futebol, com Marcelinho, sem pé de anjo, perder uma penal. Vitória levada ao quadrado.

Elkeson, Uellinton e Roger (2) os acarajés e Moraes para os metalúrgicos.

Cotação da partida: o.

Na Ilha do Retiro, o Sport de retirou da linha de rebaixamento pelo Grêmio. Tentando nostalgicamente apresentar um ‘futebó’ semelhante ao da Libertadores, os ‘frevoeiros’ meteram 3 contra 1 dos pampeiros. O frevo ficou a critério de Fabiano, Élder Granja e Fumagalli. E o chimarrão, por conta de Jonas.

Cotação da partida: o.

Ainda no embalo de quem perdeu o embalo. E embora com técnico novo, o São Paulo, no Morumbi, se apresentou para o gasto. Empurrou 2 nos pernambucanos, que não empurraram nada nos paulinos. Na tristeza futebolística, Jean Roet e Hernanes acertaram o caminho dos travessões.

Cotação da partida: o.

CAMPEONATO AMAZONENSE

Depois de empatar em 1 gol na primeira partida da final, com o time da vila, o Nacional, o América, do técnico imortal do livro dos recordes, Amadeu Teixeira, tornou-se campeão ontem, ao abater, sem dor e piedade, o mesmo time da vila por nada mais que 3 gols a ‘zerô’.

O futebol amazonense, que no panorama nacional se encontra na série D, é, no momento, uma ilusão do governador Eduardo Braga e o jornal A Crítica, como possível mercadoria de sustentação ilusória para Copa de 2014, com micro exibição em Manaus.

Apesar dos pesares, valeu, Diablo Rublo!

_______

|   | ###### No meio do caminho havia uma bola. Havia uma bola no meio do caminho. Ele passou, nem ligou, e foi ser doutor. Hoje torce pela seleção do Dunga.

!!!!! O MUNDO É GAY !!!!!

O ORGULHO É UMA ARMADILHA

Vamos combinar uma coisa? O movimento LGBT no Brasil, em geral, é um movimento alegre, vivo, atuante, que carrega elementos de desestabilização da ordem moral estabelecida. Enfraquece a moral do rebanho a partir da liberação de outros signos de uso e produção estético-existencial do corpo e do público.

Se é assim, então pra quê continuar usando a palavra “orgulho”?

O orgulho, como já comentamos aqui, é um afeto triste. Não triste no sentido psicológico do termo, designando um estado emocional. Triste no sentido em que diminui a potência de agir, capacidade de produção ético-estética no plano da existência. O orgulho é um sentimento que paralisa, porque quem é orgulhoso, tem uma idéia de si maior do que realmente se é. Geralmente, a partir do olhar do outro. Uma idéia inadequada, solapada.

Se a atuação do movimento LGBT é resultado direto dos agenciamentos coletivos de enunciação, das potências de agir de seus membros, engendrando uma potência-ativa política, então não se pode falar em orgulho. Mas sim em honestidade. Conhecer as próprias qualidade e defeitos, suas potencialidades e limitações, auto-impostas ou não. Entrar na armadilha do orgulho significa abrir mão daquilo que se conhece de si mesmo e acreditar num engôdo. O que não precisa nenhum movimento social que se queira efetivamente movimento.

Entende-se que em algum momento da história se quisesse usar o termo ‘orgulho’ para se afirmar como significativo numa ambiência social hostil, mas se trata de má consciência. Auto afirmar-se um valor a partir do olhar dominante não liberta o dominado. Antes o envolve ainda mais na teia da relação patológica. Afirmar-se orgulhoso de ser algo só porque o outro carregou esta identidade negativamente não liberta do jugo semiótico. Assim, não é necessário ter orgulho de ser gay, como de resto, ter orgulho de nada. Bem diferente é ter consciência das conquistas, das vitórias, da produção existencial, de ser atuante e ativo no plano da socialidade. Mas aí, o orgulho torna-se não apenas desnecessário; ele é impossível.

Portanto, garotada, façamos a parada gay, mas sem orgulho. Orgulhoso é aquele que não conhece a si mesmo para além do olhar dominador do outro. Nada que interesse a um movimento autônomo e criador. E vamos pras paradas!

Ui! E agora vamos ver outros sopros gays (ou não) que passaram no nosso Mundico! A Lôca!

Φ CURITIBA SEDIARÁ ENCONTRO DA ILGA-LAC. O 5o encontro da Associação Internacional de Gays e Lésbicas para a América Latina e Caribe acontece este ano, entre os dias 24 e 26 de setembro, na bela cidade de Curitiba. A candidatura ao evento, definida no encontro anterior, em Lima, Peru, foi articulada pelo grupo Dignidade, que organizará também eventos preparatórios e paralelos ao encontro. A ILGA-LAC é uma entidade internacional que promove a defesa dos direitos da população LGBT em todo o mundo. Uma grande oportunidade de conhecer trabalhos do mundo inteiro sobre o movimento, além de dar uma força para o ativo movimento uritibano, que tem pressionado as autoridades quanto aos assassinatos com teor homofóbico que tem ocorrido. Esta semana o bloguinho publicou a nota de condolência do Dignidade pela bárbara morte do companheiro Gabriel Furquim, no último domingo. Como lá, a violência, um dos principais problemas que atingem a população LGBT, precisa estar na pauta. Nada mais oportuno do que aproveitar uma conferência internacional. Então, é mãos à obra com Dignidade! Sentiu a brisa, Neném?

Φ CENSO DOS EUA CONTARÁ COM CATEGORIA CASAL HOMOSSEXUAL. Maninha, o Estado não pensa: nós temos que pensar por ele. Assim, as mudanças incorporais e intempestivas que vão ocorrendo no plano da socialidade só se manifestam, para o Estado, a partir do momento em que entram na sua ordem burocrática. Daí a inclusão da categoria ‘casal homossexual’ no próximo censo norte-americano ser a materialização – bucrocrática, claro – do avanço dos direitos LGBT naquele país. Serão considerados casais homos aqueles oficialmente casados (nos estados cuja legislação permite) ou que oficializaram através de união civil. De qualquer sorte, este número, que não emerge do nada, mas é resultado dos movimentos intensivos e da luta social dos diversos grupos e pessoas ligadas ao movimento LGBT naquele país, é un indício de que a temática entrará definitivamente na pauta de políticas públicas dos States, morena. Além disso, trará um panorama socioeconômico destas famílias, como são, o que fazem, quais direitos lhes são assegurados e quais lhes são negados. Um exemplo que o IBGE podia muito bem copiar. Já que no tempo do governo PSDB – e ainda hoje, para as ‘zelites’ “esclarecidas” – a moda é copiar a matriz colonizadora, pelo menos nisso seria de bom alvitre copiar. Mesmo que há algum tempo um tal Sapo Barbudo tenha declarado a independência econômica e política da terra das stars and stripes. Sentiu a brisa, Neném?

Φ PROFESSORA TRANSSEXUAL É DISCRIMINADA PELO GOVERNO DE RONDÔNIA. A homofobia dentro do ambiente escolar é um sintoma da ausência da potência ativa do educar na instituição do ensino público. Não apenas a homofobia, como outras formas de discriminação odiosa são o resultado de uma sociedade que elege como valores morais aqueles que determinam uma segregação e um domínio de uma classe sobre a outra. O regime da decadência, má consciência. Daí a necessidade, para aqueles que compreendem a patologia social, se manifestar a cada vez que ela mostre a sua força coercitiva. Esta colunéeeeeeesima já havia tratado aqui sobre a homofobia e a neutralidade homofóbica do corpo de professores de uma escola de Manaus, quando do caso de constrangimento e violentação dos direitos da queridíssima Paola Bracho, do bairro Jorge Teixeira IV. Agora, no Estado de Rondônia, mais uma manifestação que precisa chegar ao plano nacional. Trata-se da situação da companheira Victória Bacon, professora da rede pública daquele estado, da disciplina Educação Física, e que tem sofrido, segundo ela própria, constantes ameaças e impedimentos ao exercício do seu trabalho. Victória, encontrando-se impossibilitada de recorrer à instâncias legais dentro daquele estado para auxiliar na garantia de seus direitos, elaborou uma carta, contando toda a sua situação, e traçando um breve panorama da situação da homofobia institucional na secretaria de educação. A carta, na íntegra, retirada do site Tudo Rondônia 2008, segue abaixo. Divulguem!

CARTA ABERTA DENUNCIANDO A SEDUC/RO.

A falta de apoio da SEDUC e de políticas públicas de inserção de professores pertencentes à classe GLBT é notória e muito evidente. Digo, por experiência própria.

Com 27 anos de idade, graduada em Letras e Física, mestra em educação e recentemente aprovada em doutorado, com 7 (sete) anos de experiência no magistério, abandonei toda uma história de vida e família deixando o Estado do Paraná e iniciando uma nova vida em Rondônia, desde 2004. Neste Estado tão carente de bons professores e, principalmente, na disciplina de Física, onde 70% das salas de aula de ensino médio rondoniense não têm o privilégio de terem um profissional formado e habilitado na área, estou sendo veemente perseguida por ser TRANSEXUAL.

Em todas escolas que executei atividades docentes, percebia desde o instante que tomava posse a não aceitação dos diretores, professores e alunos. Estes, começando pelos diretores, alegam que uma pessoa transexual ou travesti não possuem as devidas condições sociais de atuarem em sala de aula. A questão de nos travestirmos como mulher acaba afetando a moral e o costume de uma cidade que com uma altíssima porcentagem de evangélicos acaba sendo o nosso “calcanhar de aquiles”. Na última escola que estive lotada, Risoleta Neves, no bairro Tancredo Neves, faltou-me total apoio e, um grupo isolado de alunos, maquinados intelectualmente pela vice-diretora juntamente com seus pais, alegavam que eu não seria um bom exemplo para seus filhos pelo fato de eu vestir-me como mulher e ser transexual. Cheguei a levar a conhecimento da direção da escola que esquivando-se dos fatos, preferiu deixar os acontecimentos emergirem e acabando toda a culpa cair sobre mim. Fizeram-me um relatório difamatório e encaminhando à representação de ensino da SEDUC a pedido do senhor representante, percebi que não tive o direito de defender-me e este grupo mínimo e isolado de alunos que julgam-se superiores e homofóbicos conseguiram derrubar-me da escola.

Até o instante, desde o dia 10 de junho, estou aguardando comunicado do setor de lotação da SEDUC e a mesma esquiva-se em lotar-me, pois a discriminação e a homofobia são claros nesta secretaria que nunca apoiou a inclusão social de transexuais ou travestis que são professores, creio que em todo Estado de Rondônia, só haja eu, motivo este que estou sendo o “bode expiatório” desta terrível experiência.

Fiz duas provas através de concurso PSS aprovada em primeiro lugar com mérito. E o direito de lecionar está sendo me tirado por ideologias malditas e preconceituosas de pessoas que pensam ser superiores em relação a nós. Agora fica a pergunta: Quantos professores que com medo da reação desta sociedade podre e maldita formada por um grupo isolado de pessoas evangélicas que se rotulam donos da verdade têm medo de revelar sua opção sexual e serem feliz da forma como eles querem? Eu já vim como transexual. Sou feliz assim, vestida e trajada fisicamente como mulher. Antes de me julgarem pela minha vida sexual de ser transexual, deveriam olhar meu perfil profissional que com certeza quem tende a ganhar é a sociedade e todo Estado de Rondônia já tão carente de professores de física (disciplina da qual leciono) e principalmente de baixos níveis em educação.

Sempre me preocupei com a qualidade da educação pública deste Estado. Aqui resido há 5 anos. Deixei, como disse no início deste desabafo de vida, toda uma história de vida e família para trazer meus conhecimentos de vida e de formação acadêmica aos filhos de Rondônia… Vejam o que eu recebo??? É triste saber que em pleno século XXI isto ocorra. Como Rondônia quer atingir sua modernidade seja material, econômica, industrial sem que a intelectual e a social ainda encontra-se inerte no tempo. Não me calarei a vontade destas pessoas medíocres, formada por alunos, pais, professores, diretores e a própria SEDUC que não querem pessoas pertencentes à classe GLBT atuando nas salas de aula. Pagamos impostos, votamos, temos uma identidade e principalmente uma vida toda a enfrentar toda esta sociedade podre e maldita, é importante que mais irmãos que estejam na mesma situação também se manifestem.

Contatei diversos jornais, deputados, senadores e outros meios de comunicação em Rondônia e fora do estado e todo momento venho recebendo manifestação de apoio. Precisamos lutar pelos nossos direitos, como os negros lutaram para terem um espaço na sociedade e as mulheres serem reconhecidas como cidadãs há décadas atrás. É nossa vez. Pagamos o preço por divulgar abertamente nossa escolha de vida que imposta pelo destino e pela genética fomos conduzidos. A vida de sermos transexual, de sermos travestis de sermos gays. Não serei mais uma a ter de ganhar a vida na prostituição ou tendo que ser humilhada pela a vida sexual que possuo. Para isto estudei, fiz 2 graduações, especialização e mestrado. Recentemente fui aprovada no doutorado em educação. Isto prova o quanto tenho capacidade e o quanto posso ensinar aos filhos de Rondônia.

Chega de preconceito. Basta a homofobia.

Professora Victória Bacon

Porto Velho- Rondônia

.

Beijucas, até a próxima, e lembrem-se, menin@s:

FAÇA O MUNDO GAY!

MEIA-PASSAGEM ESTUDANTIL: DERROTA DA DEMOCRACIA NA CMM EMPRESARIAL

Terminou ainda há pouco, por volta do meio dia, sendo aprovada melindrosamente a Emenda à Loman nº 008/2009, proposta pelo Executivo municipal, que regulamenta a meia-passagem estudantil em Manaus, o que é um retrocesso em comparação com a antiga Lei e com a tendência em priorizar os estudantes, em outras partes do país.

RESULTADO MELINDROSO

  • 27 votos a favor

  • 08 votos contra

  • 03 faltosos

VOTOS DEMOCRÁTICOS: CONTRA A PROPOSTA

  • José Ricardo (PT)

  • Ademar Bandeira (PT)

  • Marcelo Ramos (PC do B)

  • Mário Frota (PDT)

  • Hissa Abraão (PPS)

  • Elias Emanuel (PSB)

  • Eduardo Castelo (PSB)

  • Socorro Sampaio (PP)

VOTOS NÃO-DEMOCRÁTICOS: A FAVOR DA PROPOSTA

  • Amauri Colares (PSC)

  • Glória Carrate (PMN)

  • Cida Gurgel (PRP)

  • Dr. Denis (PTB)

  • Dr. Modesto (PT do B)

  • Eloi Abreu (PTN)

  • Fausto Souza (PRTB)

  • Dr. Gomes (PMN)

  • Gilmar Nascimento (PSB)

  • Henrique Oliveira (PP)

  • Homero de Miranda Leão (PHS)

  • Isaac Tayah (PTB)

  • Jeferson Anjos (PV)

  • Luiz Alberto Carijó (PTB)

  • Marcel Alexandre (PMDB)

  • Mario Bastos (PRP)

  • Marise Mendes (PTB)

  • Massami Miki (PSL)

  • Mirtes Sales (PP)

  • Mitoso (PV)

  • Paulo Nasser (PSC)

  • Reizo Castelo Branco (PTB)

  • Roberto Sabino (PRTB)

  • Vilma Queiroz (PTC)

  • Vítor Gomes (PTN)

  • Wilker Barreto (PHS)

  • Wilton Lira (PTB)

VOTOS NÃO-DEMOCRÁTICOS: FALTOSOS

  • Arlindo Júnior (PMDB)

  • Jaildo dos Rodoviários (PRP)

  • Leonel Feitosa (PSDB)

O resultado não foi nenhuma surpresa para os estudantes, haja vista o histórico da CMM Empresarial. Ao final, houve tumulto, e a guarda municipal utilizou-se fartamente de cassetetes e spray de pimenta contra os estudantes. Logo mais, fotos e entrevistas do ludíbrio aqui neste bloguinho.

HURRA, MEU BOI!

DEFENDE O TEU PASTO COM A FORÇA DE TUA TURRA!

Os calculistas, os aproveitadores, os maledicentes não sabem que uma enunciação coletiva é produzida pelas relações de elementos construtivistas que criam corpos agenciadores de saberes e dizeres. E como enunciações coletivas não nascem dos interesses de sujeitos sujeitados em particularidades lucrativas. Assim são todos os conteúdos e expressões que segmentam a tal crente realidade social. O que significa que não são as manias de um homem, grupo, que constroem as manifestações coletivas.

Desta forma, não só os paradigmas científicos e os sistemas filosóficos são produtos dos encadeamentos sociais, mas também qualquer manifestação social por mais insignificante que seja. Aí está a força do folclore. Toda manifestação coletiva que perdura como prazer e afirmação de um povo é produção coletiva. E foi exatamente nesta potência coletiva que emergiram, como enunciados coletivos, os bois Caprichoso e Garantido. Ambos engendrados no município de Parintins nos fluxos do Bumba-Meu-Boi do Maranhão. O folguedo lúdico real.

Mas eis que na década de noventa, um político, a Coca-Cola e a mídia, visando seus próprios interesses pragmáticos, resolveram realizar a desaparição do Caprichoso e Garantido de Parintins e colocar sobre seus espíritos antropológicos a máscara artificial dos interesses capitalistas do Show business urbano da cite Manô. Os dois bois plastificados tornaram-se mercadoria de lucro destes mercenários.

Assim, passaram mais de uma década de efervescência lucrativa, até que tudo entrou na ordem das regras contraditórias do capitalismo. “O que era doce acabou-se”. Os dois bois já não servem mais para o pragmatismo lucrativo dos calculistas interesseiros. Hoje, os dois bois urbanos plastificados não mais elegem nem vereador em Parintins, e muito menos prefeito e governador em Manaus. O povo entendeu o malogro folclórico aplicado por estes exploradores.

PARA NÃO DIZER QUE NÃO FALEI DE BOI

No auge lucrativo dos empreendedores capitalistas, depois da segunda metade da década de 90, no frisson do “vermelho vermelhaço”, em uma tarde, duas senhoras viajavam conversando em um ônibus. Atrás dela uma variação do Rock Cabocão. Passando em frente ao Sambódromo, uma disse para outra que os dois bois, Caprichoso e Garantido, eram muito diferentes de um boi verdadeiro. Ouvindo a observação da amiga, a outra afirmou que os dois pareciam que tinham feito plástica. A primeira, então, sorrindo, concluiu que os dois não pareciam bois, mas duas vacas loucas. Era o pique da patologia bovina.

Por tudo isto, o Rock Cabocão criou esta toada com verve maranhense:

Botaram tanto blush

Refletor e purpurina

Fizeram a cunhantã

Menstruar inda menina

Com tanta Coca-Cola

A selva se resfriou

Tupã envergonhado

Sua proteção tirou

.

Ê, ê, meu boi!

.

Botaram dois pra lá

Dois pra cá

Amarra pé

Se curvaram para mídia

Sorriso de jacaré

.

E o nosso boizinho

Da fazenda à paixão

Hoje é boi de canga

Humilhado no Faustão

.

Ê, ê, meu boi!

.

Até o bom Vaqueiro

O Pai Francisco

E a Catirina

Deixaram a fazenda

Para garimpar na mina

.

Que pras ‘ortoridades’

É uma ato ‘curtura’

Mas que pru nosso puvo

Ta causando um grande má

.

Hurra, meu boi!

Defende o teu pasto

Com a força de tua turra!

.

Mas que doença é esta

Que o povo alesado

Não sabe se é aftosa

Caganeira ou mal olhado?

.

Inté o nosso amo

Com medo não abre a boca

Pois se chama o boizinho

Quem responde é a vaca louca

.

Vaca louca pra cá!

Vaca louca pra lá!

Vai pra lá, vaca louca!

Viva o Caprichoso e o Garantido que sobreviveram à sanha dos ambiciosos! O resto é só brincar!

‘LUXEMBUSTE’ É DEMITIDO DO PALMEIRAS

Eu sou um profissional. Se me pagam eu defendo a empresa, se não, não”. Esta é a ordem mundial do capital. E ai daquele que não segui-la. Esta ordem não deixa brecha para afetos solidários. Assim é o futebol capitalístico. Dois exemplos breves: Alex Mineiro e ‘Luxembuste’. Alex, do Atlético Paranaense, do Palmeiras e do Grêmio, é o senhor da frieza capital. Não se vê nele qualquer afeto de amor à camisa que cultua o torcedor. Ele é tão somente uma peça regida pelo salário. “Faço meu trabalho”. O mesmo se vê em Luxembuste. Tudo é para ele lucro. O velho amor à camisa é substituído pelo amor ao lucro. Este, o motivo do litígio com Keirrison, que desapareceu do Centro de Treinamento em busca de um contrato com o Barcelona. Que, segundo dizem, não aconteceu.

Grana! Grana, meu! É o fator básico da discórdia entre os dois. O argumento de ‘Luxembuste’ em dizer que o jogador faltou com respeito a ele e aos outros jogadores é tiração de broncas para não mostrar o fator precípuo que é a grana.

Nisto, a própria diretoria do Palmeiras, que não é ingênua nestas causas, vem com o papo de que ‘Luxembuste’ não deveria ter tornado público a desavença entre os dois, por isto o demitiu. De qualquer sorte, errando, a diretoria acertou: Luxemburgo é um embuste. Embora este Bloguinho Intempestivo seja “Por Fora de Futebol”, ele já havia chamado atenção sobre o embuste que é ‘Luxembuste’.

Enquanto isto, Muricy, é sondado e esta gostando. Quem sabe com o enjoado Muricy, a torcida do Palmeiras comemore o tricampeonato do Brasileirão.

ARRAIAL DE SÃO JOÃO NO TERREIRO DE MINA GÊGE-NAGÔ TOY LISSÁ/AGBÊ MANJÁ

Arraial São João 01 por você.

Clique nas imgens para ampliá-las.

Fogueira, iguarias juninas, quadrilha de crianças e um boizinho lá do Maranhão, foi no Arraial de São João no terreiro de Mãe Emília de Toy e Lissá, que mantém a maravilhosa tradição há quase três décadas.

Todo ano, desde quando eu morava na Pça 14, eu faço esse arraial, já faz mais de 25 anos. Sempre assim com alegria, vem os amigos, é uma tradição que a gente sempre faz. Todo ano a gente comemora São João, faz a fogueira, faz esse arraialzinho, tudo é dado de graça.

Arraial São João 02 por você.

E logo veio a primeira atração da noite, uma engraçada e divertida quadrilha de crianças dançantes e sorridentes em brincar de corpo e alma na noite de São João.

Arraial São João 03 por você.


Arraial São João 06 por você.

No intervalo, a meiga Mariana distribuía as fichas para os convidados, tudo de graça, como falou Mãe Emília. E no delicioso cardápio: tacacá, vatapá, milho cozido, bolo de tapioca, mingau de milho, mungunzá. Tudo com direito a repeteco…

Arraial São João 07 por você.

Arraial São João 08 por você.

Arraial São João 09 por você.

Arraial São João 10 por você.

Teve quem agradecesse e quem fizesse os seus pedidos a São João ao redor da fogueira ardente em labaredas.

Arraial São João 11 por você.

Arraial São João 12 por você.

Então chegou a hora do boizinho vir ao terreiro para brincar, hora tão esperada pela moçada afinada, que não chegada ao boi comercializado. Mãe Emília nos faz a apresentação do tão amado boizinho:

O boizinho chama-se Estrela do Oriente. Tá com três anos que veio do Maranhão. Ganhei da casa de santo do Pai Zé Catarandi. Eu fui pra uma festa lá, e quando terminou tudinho, na hora da matança dos bois, me enregaram ele. Aí eu batizei ele aqui, com toda cerimônia. Vem umas entidades do povo de Légua, que vem dançar. No dia do boizinho, elas acompanham, vem comemorar, louvar, porque o boi pertence ao povo de Légua lá, então eles vem também, o povo de Légua.

Arraial São João 14 por você.

Arraial São João 13 por você.

Como anunciou Mãe Emília, a primeira entidade que veio, para dançar como miolo do Estrela do Oriente, baixando em Danilo, filho da Mãe Orny, foi seu Manezinho de Légua, que santificou as evoluções na velocidade da ginga no terreiro.

Arraial São João 15 por você.

Arraial São João 16 por você.

Já em Mãe Orny quem veio foi Dona Suzana de Légua, que já foi entoando toadas melodiosas e dançando sempre vigorosamente.

Arraial São João 31 por você.

Boi, Boi, Boi,

Vaqueiro meu vá se preparar

Se tu vais no Codozinho

Se tu vais no Maranhão

Vá dizer pro meu Pai Légua

Que aqui está melhor do que lá


Arraial São João 22 por você.

As matracas, cada vez mais afinadas, fez empolgar os brincantes, e o boizinho Estrela do Oriente, boi de raça, vindo lá do Maranhão, passou para as mãos de um por um, que o empunhavam com carinho e devoção.

Arraial São João 17 por você.

Arraial São João 18 por você.

Arraial São João 20 por você.

Arraial São João 24 por você.

E assim o boizinho tão amado no Terreiro de Mina Gêge-Nagô Toy Lissá/Agbê Manjá fez, segundo Mãe Emília, apenas uma pequena demonstração, mas que, para este bloguinho, é uma apresentação do autêntico boi, fora da simulação comercial parintinense. Mãe Emília recorda…

Esse boi de hoje tá muito folclórico, não é mais como o boi de antigamente. Meu pai dançava no Mina de Ouro, no Corre-Campo, Tira-Prosa, logo que começou, eu ainda era mocinha e acompanhava ele no boi. Você via aquela trincheira de índio, você dizia que era índio de verdade, agora se acabou desses bois, tá tudo muito artificial.

Arraial São João 23 por você.

Arraial São João 25 por você.

Ainda segundo Mãe Emília, Estrela do Oriente já tem algumas toadas compostas, ela e os filhos irão compor mais, irão ensaiar e no ano que vem fazer uma apresentação maior, com o ritual completo do verdadeiro Bumba-Meu-Boi. Este bloguinho com certeza virá para ver toda a beleza do Estrela do Oriente. Urra, Meu Boi!

Arraial São João 26 por você.

Danilo com o Estrela do Oriente, aqui já sem seu Manezinho de Légua, a entidade-miolo do boi.

Arraial São João 30 por você.

Arraial São João 28 por você.

i iNDA TEM FRANÇÊiS Qi DiZ Qi A GENTi NUM SEMO SERO

@ MINISTRA DILMA ROUSSEF CONCLUI TRATAMENTO MÉDICO. A Ministra da Casa Civil e provável candidata do PT, com o apoio do presidente Lula, à sucessão em 2010, Dilma Roussef, concluiu o tratamento preventivo quimioterapêutico que vinha realizando devido a um linfoma. Dilma, que tem crescido nas pesquisas de opinião visando as eleições do ano que vem, realizou a última sessão de quimioterapia nesta quinta-feira, e agora deve realizar somente sessões de radioterapia, também preventivas. Os médicos consideram que ela está curada do linfoma. Mais que uma boa notícia para a própria Dilma e sua família, uma boa notícia para o país, que vê um dos principais nomes a carregar o projeto de país iniciado pelo governo Lula continuar na luta pública e política. No plano midiático, Dilma tem contado com as benesses da mídia sequelada, que ao tentar apresentá-la de maneira negativa, acaba tenho que noticiar que ela é, nas palavras desta mídia, “a candidata de Lula”. Daí a propaganda ter uma força positiva maior, que tem se refletido nas pesquisas. Mas o que se evidencia disso é o que a mídia, há mais de uma década, sofre e não compreende: a sua ausência de capacidade de manipulação e influência popular naquilo que é considerado socialmente importante. I inda tem françeis…

@ LULA VETA DISPOSITIVO QUE PERMITIRIA CONCESSÃO DE FLORESTAS A EMPRESAS ATRAVÉS DE TERCEIROS. O presidente Lula sancionou com vetos hoje a MP 458, chamada de “MP da Grilagem”, pelos ambientalistas. A sanção parcial visou a atender os interesses de dois grandes grupos em conflito pela questão agrária e ecológica: ruralistas e ambientalistas. Do lado dos primeiros, o desejo de que a MP fosse sancionada na sua íntegra, já que em sua passagem pela Câmara, teve emendas e se tornou ainda mais atrativa àqueles que querem transformar o verde das folhas nos azuis e vermelhos do R$. Lula, no entanto, vetou os 7o e 8o parágrafos, que tratavam da concessão de partes da floresta a empresas e pessoas que ali não residem, através de terceiros, os prepostos. Lula, assim, tenta contemporizar. No entanto, conseguiu desagradar aos dois lados. O veto presidencial pode – e deve – ser derrubado no legislativo, e a MP deve abrir espaço para o agronegócio e para a concentração de renda. Do ponto de vista do desenvolvimentismo capitalista, nada mais acertado: não por acaso, os países desenvolvidos não tem grandes áreas florestais intactas. Por outro, a questão da prevalência do sistema biológico como o conhecemos é cada vez mais importante. Além disso, há a questão agrária. Muda-se o formato, mas as relações de exploração continuam. A MP 458 trata de uma área ocupada do tamanho da Itália e Alemanha juntas. I inda tem françeis…

@ BLOG DO GOVERNO FEDERAL SAI EM UM MÊS. Enquanto Lula participava, na PUC-RS, em Porto Alegre, do 10o Fórum Internacional de Software Livre, o ministro da Secretaria de Comunicação Social, Franklin Martins, informou que o Palácio do Planalto pretende lançar um canal de comunicação via internet em formato de blog. O objetivo é aproximar o governo federal da parcela da população que se informa predominantemente pela internet. Franklin também aproveitou para se posicionar a favor da maioria dos usuários da rede e os participantes do fórum, contrários ao projeto de lei Azeredo, chamado de AI-5 Digital, e que instaura dispositivos de censura na internet. Indo no rastro da potência ativa democratizante da rede intensiva da mídia-minoria, o governo já havia incomodado a sequelada mídia venal com o Blogue da Petrobrás. Este bloguinho intempestivo já havia abordado a pulverização dos investimentos em comunicação por parte do governo, que investe cada vez mais em mídias alternativas e distantes do oficialismo da grande imprensa. O governo brasileiro, neste sentido, sai à frente de outros governos. E dá aula de democratização da internet. Obama que o diga. I inda tem françeis…

Vamos que vamos

Que se não partirmos

Nunca nos encontraremos

Lá fora do outro lado do rio…

GRUPO ABA REALIZA SHOW EM MANAUS

O prefeito cassado, em primeira instância, pela magnânima juíza Maria Eunice Torres do Nascimento, Amazonino (PTB), em aliança com o governador Braga (PMDB), na Câmara Municipal por ocasião da cerimônia de doação de uma medalha de ouro ao vice-governador, Omar Aziz (PMN), lançou a candidatura do eterno vice para as eleições de 2010 como governador, e teve da parte de Braga o comprometimento de assinar embaixo. Envaidecido, Aziz, afirmou que ainda era cedo para se falar em candidatura.

Um show do grupo ABA. Mas um show de humor sádico. Manaus inteira, e adjacências, sabem que Amazonino ainda não digeriu a contribuição democrática de Aziz, quando sua coligação entrou com recurso no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM) pedindo a cassação do ex-governador por corrupção eleitoral, compra de votos. Ato que fez com que a insigne juíza, Maria Eunice Torres do Nascimento, engajada na democracia real, cassasse o então prefeito, Amazonino. Somando-se à isto, recurso impetrado junto ao TER-AM contra Amazonino, pelo próprio Braga. Daí que Aziz, que sempre se manteve na sombra dos dois governadores, fez sua parte, diante da ilustre indicação, sorriu envaidecido e agradeceu.

Sem contar que na altura da realidade política do Brasil, nem Amazonino nem Braga, tem poderes para lançar qualquer candidato por suas próprias vontades. Amazonino, em fim de carreira, se arrastando em uma gestão fantasmagórica, onde não consegue ser prefeito real em função da força de uma medida liminar que a qualquer momento pode dá lugar a uma cassação definitiva, não aglutina aliados e nem é escutado, como nos velhos tempos em que impunha, e estavam conversados. E Braga, que não tem carreira autônoma, similar ao vice, Aziz, cria de Amazonino, jamais dará um passo sem o consentimento de Lula, ou Dilma.

Em síntese: candidato pra valer em 2010 passa primeiro por Brasília. Ou melhor, por Lula. No mais, o grupo ABA, para a população, desafinou no show. E esta, para não perder a viagem, tomou-o como um espetáculo humorístico-sádico, comandado por Amazonino, tirando um sarro de Aziz. Como sempre, tendo Braga em sua dependência.


USAR O CONTROLE REMOTO É UM ATO DEMOCRÁTICO!

EXPERIMENTE CONTRA A TV GLOBO! Você sabe que um canal de televisão não é uma empresa privada. É uma concessão pública concedida pelo governo federal com tempo determinado de uso. Como meio de comunicação, em uma democracia, tem como compromisso estimular a educação, as artes e o entretenimento como seu conteúdo. O que o torna socialmente um serviço público e eticamente uma disciplina cívica. Sendo assim, é um forte instrumento de realização continua da democracia. Mas nem todo canal de televisão tem esse sentido democrático da comunicação. A TV Globo (TVG), por exemplo. Ela, além de manter um monopólio midiático no Brasil, e abocanhar a maior fatia da publicidade oficial, conspira perigosamente contra a democracia, principalmente, tentando atingir maleficamente os governos populares. Notadamente em seu JN. Isso tudo, amparada por uma grade de programação que é um verdadeiro atentado as faculdades sensorial e cognitiva dos telespectadores. Para quem duvida, basta apenas observar a sua maldição dos três Fs dominical: Futebol, Faustão e Fantástico. Um escravagismo-televisivo- depressivo que só é tratado com o controle remoto transfigurador. Se você conhece essa proposição-comunicacional desdobre-a com outros. Porque mudanças só ocorrem como potência coletiva, como disse o filósofo Spinoza.

Acesse esquizofia.wordpress.com

esquizofia.wordpress.com

CAMPANHA AFINADA CONTRA O

VIRTUALIZAÇÕES DESEJANTES DA AFIN

Este é um espaço virtual (virtus=potência) criado pela Associação Filosofia Itinerante, que atua desde 2001 na cidade de Manaus-Am, e, a partir da Inteligência Coletiva das pessoas e dos dizeres de filósofos como Epicuro, Lucrécio, Spinoza, Marx, Nietzsche, Bergson, Félix Guattari, Gilles Deleuze, Clément Rosset, Michael Hardt, Antônio Negri..., agencia trabalhos filosóficos-políticos- estéticos na tentativa de uma construção prática de cidadania e da realização da potência ativa dos corpos no mundo. Agora, com este blog, lança uma alternativa de encontro para discussões sociais, éticas, educacionais e outros temas que dizem respeito à comunidade de Manaus e outros espaços por onde passa em movimento intensivo o cometa errante da AFIN.

"Um filósofo: é um homem que experimenta, vê, ouve, suspeita, espera e sonha constantemente coisas extraordinárias; que é atingido pelos próprios pensamentos como se eles viessem de fora, de cima e de baixo, como por uma espécie de acontecimentos e de faíscas de que só ele pode ser alvo; que é talvez, ele próprio, uma trovoada prenhe de relâmpagos novos; um homem fatal, em torno do qual sempre ribomba e rola e rebenta e se passam coisas inquietantes” (Friedrich Nietzsche).

Daí que um filósofo não é necessariamente alguém que cursou uma faculdade de filosofia. Pode até ser. Mas um filósofo é alguém que em seus percursos carrega devires alegres que aumentam a potência democrática de agir.

_________________________________

BLOG PÚBLICO

Propaganda Gratuita

Você que quer comprar entre outros produtos terçado, prego, enxada, faca, sandália, correia, pé de cabra ou bola de caititu vá na CASA UYRAPURU, onde os preços são um chuchu. Rua Barão de São Domingos, nº30, Centro, Tel 3658-6169

Pão Quente e Outras Guloseimas no caminho do Tancredo.
PANIFICADORA SERPAN (Rua José Romão, 139 - Tancredo Neves - Fone: 92-8159-5830)

Fique Frio! Sabor e Refrescância!
DEGUST GULA (Avenida Bispo Pedro Massa, Cidade Nova, núcleo 5, na Rua ao lado do DB CIdade Nova.Todos os dias).

O Almoço em Família.
BAR DA NAZA OU CASA DA VAL (Comendador Clementino, próximo à Japurá, de Segunda a Sábado).

Num Passo de Mágica: transforme seu sapato velho em um lindo sapato novo!
SAPATEIRO CÂNDIDO (Calçada da Comendador Clementino, próximo ao Grupo Escolar Ribeiro da Cunha).

A Confluência das Torcidas!
CHURRASQUINHO DO LUÍS TUCUNARÉ (Japurá, entre a Silva Ramos e a Comendador Clementino).

Só o Peixe Sabe se é Novo e do Rio que Saiu. Confira esta voz na...
BARRACA DO LEGUELÉ (na Feira móvel da Prefeitura)

Preocupado com o desempenho, a memória e a inteligência? Tu és? Toma o guaraná que não é lenda. O natural de Maués!
LIGA PRA MADALENA!!! (0 XX 92 3542-1482)

Decepcionado com seus desenganos? Ponha fé nos seus planos! Fale com:
PAI GEOVANO DE OXAGUIÃ (Rua Belforroxo, S/N - Jorge Teixeira IV) (3682-5727 / 9154-5877).

Quem tem fé naõ é um qualquer! Consultas::
PAI JOEL DE OGUM (9155-3632 ou paijoeldeogum@yahoo.com.br).

Belém tá no teu plano? Então liga pro Germano!
GERMANO MAGHELA - TAXISTA - ÁGUIA RADIOTAXI - (91-8151-1464 ou 0800 280 1999).

E você que gostaria de divulgar aqui seu evento, comércio, terreiro, time de futebol, procurar namorado(a), receita de comida, telefone de contato, animal encontrado, convites diversos, marocagens, contacte: afinsophiaitin@yahoo.com.br

Outras Comunalidades

   

Categorias

Arquivos

Blog Stats

  • 4.243.307 hits

Páginas

Arquivos