GOFFREDO DA SILVA TELLES, UM DEVIR-POLÌTICO

foto: http://www.goffredotellesjr.adv.br/

O envelhecimento” é “uma ampliação da capacidade de agir, um aumento na simplicidade e na suavidade. O envelhecimento não é uma cessação, mas, ao contrário, é uma extensão suave e apaziguada da capacidade de agir”, diz o filósofo italiano Toni Negri. Nem todos chegam ao envelhecimento, já que envelhecer não é somente uma condição bio-cronológica do organismo. Alguns morrem antes da demarcação matemática da existência. Morrem crianças, jovens. Outros chegam à demarcação matemática, mas não experimentam o envelhecer como “um aumento de simplicidade e suavidade”. Estes são os que sabotaram suas infâncias, suas adolescências e suas juventudes. Chegam ao estágio bio-cronológico ressentidos, amargurados, rancorosos e, o pior, invejosos. São eficientes sabotadores de suas existências e, ao mesmo tempo, agentes sabotadores das existências de outros. Nada fizeram, em seus percursos, para ativar a vida e criar condições existenciais de diminuição das privações que impedem os não-sabotadores de chegarem à alegria da velhice. O direito ontológico dos oprimidos que não negam a vida.

A VIDA ATIVA DO DEVIR-POLÍTICO

Goffredo da Silva Telles Junior, jurista emérito, aos 94, existia em plena suavidade e apaziguado em sua “capacidade de agir”. Não podia ser diferente. Sempre promoveu a vida. Sempre sentiu e entendeu onde havia a opressão. Onde se declarava ou se ocultava a tirania. Assim, desde jovem se engajou nos seguimentos sociais libertários. Soldado, combateu na Revolução Constitucionalista de São Paulo. Como deputado Constituinte, lutou pelas salvaguardas nacionais, e profundamente pela defesa da Amazônia. Professor da Faculdade de Direto da USP durante 45 anos, sempre esteve envolvido nas causas pertinentes às questões políticas da Universidade, dos saberes independentes distribuídos igualitariamente social entre o povo em formas de políticas e das lutas contra uma pedagogia universitária moldada nos signos alienígenas importados de países colonizadores.

Em plena ditadura militar, que se apoderou do Estado Brasileiro, Goffredo da Silva Telles Junior teve participação destacada em defesa dos valores democráticos. Enfrentou com sua suavidade jurídica e sua determinação combatente os opressores. Juntamente com seu insigne e corajoso amigo, jurista Raimundo Faoro, colocou-se em defesa dos presos políticos e dos ameaçados em suas liberdade. Foi ele quem em 1977, redigiu e proferiu em público a contagiante e conscienciosa “Carta aos Brasileiros”, ato que iniciou a emergência das reivindicações sociais sem medo do autoritarismo militar. Foi onde o povo brasileiro começo a sentir que era hora de cessar a opressão. Aposentado como professor continuou combativo como orientador de estudantes que se igualavam às suas opiniões e crenças sociais. Não havia como parar o devir-político que carregava.

Olivia Raposo da Silva Telles, sua filha, afirmou que ele “morreu de velhice como um passarinho”. Uma figura terna construída historicamente pela semiótica familiar. Mas há um signo que salta desta serenidade linguística. Goffredo não morreu de velhice, ele morreu na velhice, o que é bem revolucionário. O que compromete todo o engajamento histórico deste homem. Alguns homens e mulheres, envelhecidos, vão morrer, mas não na velhice. Vão morrer de tédio, de angústias burguesas veladas pelas vaidades, aprisionados na velhice como um estágio-prisão, cela da impossibilidade de ser, gueto de espera da morte dos sabotadores. Nada do que construiu Goffredo, com seu devir-político. Goffredo atingiu a plenitude ontológica que leva os não sabotadores a se irmanarem, em serenidade, com o filósofo, Deleuze, quando ele diz que a velhice “é uma alegria pura”. E completa: “Amamos as pessoas de fato pelo que elas são. Acho que afina a percepção. Vejo coisas que não via antes, percebo elegâncias às quais eu não era sensível. Agora, eu as vejo melhor, porque olho para alguém pelo que ele é, quase como se eu quisesse carregar comigo uma imagem dele, um percepto ou tirar da pessoa um percepto. Tudo isto torna a velhice uma arte”.

Neste ativismo dos afetos e da razão, Goffredo da Silva Telles Junior, entrelaça-se com Toni Negri, no movimento construtor da velhice: “O que me agrada é a suavidade; é o tempo; é a intelectualidade, a imaterialidade das relações”. Potência infinita do devir-político.

1 Response to “GOFFREDO DA SILVA TELLES, UM DEVIR-POLÌTICO”


  1. 1 yvian fernanda melo de moraes quinta-feira, 21 junho, 2012 às 7:12 am

    eu gostei de saber e com eu faço para mim conseguir um emprego?


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




USAR O CONTROLE REMOTO É UM ATO DEMOCRÁTICO!

EXPERIMENTE CONTRA A TV GLOBO! Você sabe que um canal de televisão não é uma empresa privada. É uma concessão pública concedida pelo governo federal com tempo determinado de uso. Como meio de comunicação, em uma democracia, tem como compromisso estimular a educação, as artes e o entretenimento como seu conteúdo. O que o torna socialmente um serviço público e eticamente uma disciplina cívica. Sendo assim, é um forte instrumento de realização continua da democracia. Mas nem todo canal de televisão tem esse sentido democrático da comunicação. A TV Globo (TVG), por exemplo. Ela, além de manter um monopólio midiático no Brasil, e abocanhar a maior fatia da publicidade oficial, conspira perigosamente contra a democracia, principalmente, tentando atingir maleficamente os governos populares. Notadamente em seu JN. Isso tudo, amparada por uma grade de programação que é um verdadeiro atentado as faculdades sensorial e cognitiva dos telespectadores. Para quem duvida, basta apenas observar a sua maldição dos três Fs dominical: Futebol, Faustão e Fantástico. Um escravagismo-televisivo- depressivo que só é tratado com o controle remoto transfigurador. Se você conhece essa proposição-comunicacional desdobre-a com outros. Porque mudanças só ocorrem como potência coletiva, como disse o filósofo Spinoza.

Acesse esquizofia.wordpress.com

esquizofia.wordpress.com

CAMPANHA AFINADA CONTRA O

VIRTUALIZAÇÕES DESEJANTES DA AFIN

Este é um espaço virtual (virtus=potência) criado pela Associação Filosofia Itinerante, que atua desde 2001 na cidade de Manaus-Am, e, a partir da Inteligência Coletiva das pessoas e dos dizeres de filósofos como Epicuro, Lucrécio, Spinoza, Marx, Nietzsche, Bergson, Félix Guattari, Gilles Deleuze, Clément Rosset, Michael Hardt, Antônio Negri..., agencia trabalhos filosóficos-políticos- estéticos na tentativa de uma construção prática de cidadania e da realização da potência ativa dos corpos no mundo. Agora, com este blog, lança uma alternativa de encontro para discussões sociais, éticas, educacionais e outros temas que dizem respeito à comunidade de Manaus e outros espaços por onde passa em movimento intensivo o cometa errante da AFIN.

"Um filósofo: é um homem que experimenta, vê, ouve, suspeita, espera e sonha constantemente coisas extraordinárias; que é atingido pelos próprios pensamentos como se eles viessem de fora, de cima e de baixo, como por uma espécie de acontecimentos e de faíscas de que só ele pode ser alvo; que é talvez, ele próprio, uma trovoada prenhe de relâmpagos novos; um homem fatal, em torno do qual sempre ribomba e rola e rebenta e se passam coisas inquietantes” (Friedrich Nietzsche).

Daí que um filósofo não é necessariamente alguém que cursou uma faculdade de filosofia. Pode até ser. Mas um filósofo é alguém que em seus percursos carrega devires alegres que aumentam a potência democrática de agir.

_________________________________

BLOG PÚBLICO

Propaganda Gratuita

Você que quer comprar entre outros produtos terçado, prego, enxada, faca, sandália, correia, pé de cabra ou bola de caititu vá na CASA UYRAPURU, onde os preços são um chuchu. Rua Barão de São Domingos, nº30, Centro, Tel 3658-6169

Pão Quente e Outras Guloseimas no caminho do Tancredo.
PANIFICADORA SERPAN (Rua José Romão, 139 - Tancredo Neves - Fone: 92-8159-5830)

Fique Frio! Sabor e Refrescância!
DEGUST GULA (Avenida Bispo Pedro Massa, Cidade Nova, núcleo 5, na Rua ao lado do DB CIdade Nova.Todos os dias).

O Almoço em Família.
BAR DA NAZA OU CASA DA VAL (Comendador Clementino, próximo à Japurá, de Segunda a Sábado).

Num Passo de Mágica: transforme seu sapato velho em um lindo sapato novo!
SAPATEIRO CÂNDIDO (Calçada da Comendador Clementino, próximo ao Grupo Escolar Ribeiro da Cunha).

A Confluência das Torcidas!
CHURRASQUINHO DO LUÍS TUCUNARÉ (Japurá, entre a Silva Ramos e a Comendador Clementino).

Só o Peixe Sabe se é Novo e do Rio que Saiu. Confira esta voz na...
BARRACA DO LEGUELÉ (na Feira móvel da Prefeitura)

Preocupado com o desempenho, a memória e a inteligência? Tu és? Toma o guaraná que não é lenda. O natural de Maués!
LIGA PRA MADALENA!!! (0 XX 92 3542-1482)

Decepcionado com seus desenganos? Ponha fé nos seus planos! Fale com:
PAI GEOVANO DE OXAGUIÃ (Rua Belforroxo, S/N - Jorge Teixeira IV) (3682-5727 / 9154-5877).

Quem tem fé naõ é um qualquer! Consultas::
PAI JOEL DE OGUM (9155-3632 ou paijoeldeogum@yahoo.com.br).

Belém tá no teu plano? Então liga pro Germano!
GERMANO MAGHELA - TAXISTA - ÁGUIA RADIOTAXI - (91-8151-1464 ou 0800 280 1999).

E você que gostaria de divulgar aqui seu evento, comércio, terreiro, time de futebol, procurar namorado(a), receita de comida, telefone de contato, animal encontrado, convites diversos, marocagens, contacte: afinsophiaitin@yahoo.com.br

Outras Comunalidades

   

Categorias

Arquivos

Blog Stats

  • 4.242.086 hits

Páginas

Arquivos


%d blogueiros gostam disto: