O SERVIÇO PÚBLICO A SERVIÇO DA DOR DO CAPACHO

No conceito de corrompido concebido pelo filósofo Nietzsche, para quem o corrupto é um degenerado, aquele que optou pela existência enferma, o capacho encontra-se bem ajustado nessa série. O filósofo Sartre diria que o capacho sempre está em Má-Fé. Nunca é um homem livre. É um malogrado, um frustrado, que, em razão de seu medo, produzido por um profundo sentimento de inferioridade, se submete a todos que acreditam ser detentores do poder – sem nunca suspeitar que o poder não existe – para, assim, pela fantasia, também se sentir importante diante daqueles que ele considera seus subalternos. Uma espécie de imagem emprestada.

Com uma infância malograda, capturada pela interferência alienada de seus pais, e uma adolescência confusa, onde exercita os primeiros passos da submissão, ele entra na existência adulta pronto para sua patológica missão. Seja representando um personagem tímido, ou um personagem colérico. Não importa a personagem, o certo é que sua existência é uma insuportável sensação de fracasso, que ele alimenta com a ilusão de ser amado por aquele que toma como poderoso, e por aquele que ele toma como seu subalterno. Sim, porque embaixo de um capacho há sempre outro capacho. Aliás, a sociedade não é formada só de capacho, mas que ele está espalhado por toda sociedade, está. Em casa, na escola, no trabalho, em todos os quadrantes sociais. É por isso que é difícil produzir uma democracia constitutiva. O capacho é de direita, de centro, de esquerda, e de outros lados, justo porque ele é produto/produtor de uma cadeia viral. Como a democracia é a sociedade dos homens livres, e sendo o capacho um escravo, é difícil ela se tornar uma práxis ontológica. Vejamos o caso do Amazonas, mormente Manaus, no que tange ao que se convencionou, eufemisticamente, chamar de política.

UM CASO EXPLÍCITO DE CAPACHO NO SERVIÇO PÚBLICO

Dia 24, véspera de Natal, ponto facultativo nas repartições públicas. Funcionários contentes pela efeméride cristã, e também contentes pelos dias de folga, que ninguém é de ferro para suportar a temporalidade sujeitante da mais-valia expressada no limitado salário. Em casa, os planejamentos para a ceia, ou, quem sabe, aquela visita “serra” à casa de um parente, ou amigo, ou talvez uma descansada em uma boa rede ouvindo os fogos lá fora, imaginando um amor.

Pois bem, seguros pelo feriado oficial, funcionários de uma instituição estadual passaram a ter suas seguranças comprometidas. Motivo: o diretor dessa instituição pública recebeu um comunicado que o governador Eduardo Braga iria fazer uma visita nas instituições do Estado. Azáfama, corre-corre! “Chama os funcionários para vir para cá!” E tome telefonadas intranquilizadoras para os servidores envoltos na paz natalina. O diretor, personagem colérico, queria por tudo mostrar ao governador – que estava mais para Robério Braga do que para a instituição do tal diretor – que ali na “sua” instituição se trabalhava com denodo, até nos dias de Cristo.

Como diria o pedagogo-teatrólogo Abdiel, “resulta, resultado”, alguns servidores servis (quem sabe também capachos) foram, outros não deram bolas, ficaram nos seus envolvimentos natalinos. E o personagem central causador da cena capachista, o governador, necas de aparecimento. Não deu as caras. Enquanto, por seu lado, o ‘concordino’ diretor, ficou com aquela cara do tipo, “o que foi que eu fiz para não ser amado?”.

Na segunda-feira, na dita instituição, um funcionário, aos risos debochados, disse: “Lembra daquele fim de ano que a direção deu um almoço pra gente dizendo que o governador viria visitar a instituição, e a gente ficou quatro horas esperando, olhando para comida que não era servida, e ele não apareceu? Pois é, eu lembro. Por isso não vim dessa vez. Não sou otário e nem moleque para ser tratado desse jeito.

Moral do fato: o diretor-capacho sofreu, mas não desesperou. Ele terá outros momentos para exibir sua submissão. Assim como a maioria que exerce funções semelhantes a dele, e que são institucionalmente enfermos como ele. Aliás, o que é a regra nos cargos indicados. Perdulariamente, comissionados.

0 Responses to “O SERVIÇO PÚBLICO A SERVIÇO DA DOR DO CAPACHO”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




USAR O CONTROLE REMOTO É UM ATO DEMOCRÁTICO!

EXPERIMENTE CONTRA A TV GLOBO! Você sabe que um canal de televisão não é uma empresa privada. É uma concessão pública concedida pelo governo federal com tempo determinado de uso. Como meio de comunicação, em uma democracia, tem como compromisso estimular a educação, as artes e o entretenimento como seu conteúdo. O que o torna socialmente um serviço público e eticamente uma disciplina cívica. Sendo assim, é um forte instrumento de realização continua da democracia. Mas nem todo canal de televisão tem esse sentido democrático da comunicação. A TV Globo (TVG), por exemplo. Ela, além de manter um monopólio midiático no Brasil, e abocanhar a maior fatia da publicidade oficial, conspira perigosamente contra a democracia, principalmente, tentando atingir maleficamente os governos populares. Notadamente em seu JN. Isso tudo, amparada por uma grade de programação que é um verdadeiro atentado as faculdades sensorial e cognitiva dos telespectadores. Para quem duvida, basta apenas observar a sua maldição dos três Fs dominical: Futebol, Faustão e Fantástico. Um escravagismo-televisivo- depressivo que só é tratado com o controle remoto transfigurador. Se você conhece essa proposição-comunicacional desdobre-a com outros. Porque mudanças só ocorrem como potência coletiva, como disse o filósofo Spinoza.

Acesse esquizofia.wordpress.com

esquizofia.wordpress.com

CAMPANHA AFINADA CONTRA O

VIRTUALIZAÇÕES DESEJANTES DA AFIN

Este é um espaço virtual (virtus=potência) criado pela Associação Filosofia Itinerante, que atua desde 2001 na cidade de Manaus-Am, e, a partir da Inteligência Coletiva das pessoas e dos dizeres de filósofos como Epicuro, Lucrécio, Spinoza, Marx, Nietzsche, Bergson, Félix Guattari, Gilles Deleuze, Clément Rosset, Michael Hardt, Antônio Negri..., agencia trabalhos filosóficos-políticos- estéticos na tentativa de uma construção prática de cidadania e da realização da potência ativa dos corpos no mundo. Agora, com este blog, lança uma alternativa de encontro para discussões sociais, éticas, educacionais e outros temas que dizem respeito à comunidade de Manaus e outros espaços por onde passa em movimento intensivo o cometa errante da AFIN.

"Um filósofo: é um homem que experimenta, vê, ouve, suspeita, espera e sonha constantemente coisas extraordinárias; que é atingido pelos próprios pensamentos como se eles viessem de fora, de cima e de baixo, como por uma espécie de acontecimentos e de faíscas de que só ele pode ser alvo; que é talvez, ele próprio, uma trovoada prenhe de relâmpagos novos; um homem fatal, em torno do qual sempre ribomba e rola e rebenta e se passam coisas inquietantes” (Friedrich Nietzsche).

Daí que um filósofo não é necessariamente alguém que cursou uma faculdade de filosofia. Pode até ser. Mas um filósofo é alguém que em seus percursos carrega devires alegres que aumentam a potência democrática de agir.

_________________________________

BLOG PÚBLICO

Propaganda Gratuita

Você que quer comprar entre outros produtos terçado, prego, enxada, faca, sandália, correia, pé de cabra ou bola de caititu vá na CASA UYRAPURU, onde os preços são um chuchu. Rua Barão de São Domingos, nº30, Centro, Tel 3658-6169

Pão Quente e Outras Guloseimas no caminho do Tancredo.
PANIFICADORA SERPAN (Rua José Romão, 139 - Tancredo Neves - Fone: 92-8159-5830)

Fique Frio! Sabor e Refrescância!
DEGUST GULA (Avenida Bispo Pedro Massa, Cidade Nova, núcleo 5, na Rua ao lado do DB CIdade Nova.Todos os dias).

O Almoço em Família.
BAR DA NAZA OU CASA DA VAL (Comendador Clementino, próximo à Japurá, de Segunda a Sábado).

Num Passo de Mágica: transforme seu sapato velho em um lindo sapato novo!
SAPATEIRO CÂNDIDO (Calçada da Comendador Clementino, próximo ao Grupo Escolar Ribeiro da Cunha).

A Confluência das Torcidas!
CHURRASQUINHO DO LUÍS TUCUNARÉ (Japurá, entre a Silva Ramos e a Comendador Clementino).

Só o Peixe Sabe se é Novo e do Rio que Saiu. Confira esta voz na...
BARRACA DO LEGUELÉ (na Feira móvel da Prefeitura)

Preocupado com o desempenho, a memória e a inteligência? Tu és? Toma o guaraná que não é lenda. O natural de Maués!
LIGA PRA MADALENA!!! (0 XX 92 3542-1482)

Decepcionado com seus desenganos? Ponha fé nos seus planos! Fale com:
PAI GEOVANO DE OXAGUIÃ (Rua Belforroxo, S/N - Jorge Teixeira IV) (3682-5727 / 9154-5877).

Quem tem fé naõ é um qualquer! Consultas::
PAI JOEL DE OGUM (9155-3632 ou paijoeldeogum@yahoo.com.br).

Belém tá no teu plano? Então liga pro Germano!
GERMANO MAGHELA - TAXISTA - ÁGUIA RADIOTAXI - (91-8151-1464 ou 0800 280 1999).

E você que gostaria de divulgar aqui seu evento, comércio, terreiro, time de futebol, procurar namorado(a), receita de comida, telefone de contato, animal encontrado, convites diversos, marocagens, contacte: afinsophiaitin@yahoo.com.br

Outras Comunalidades

   

Categorias

Arquivos

Blog Stats

  • 4.243.047 hits

Páginas

dezembro 2009
D S T Q Q S S
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Arquivos


%d blogueiros gostam disto: