Arquivo para 7 de novembro de 2010

!!!!! O MUNDO É GAY !!!!!

Parada Gay na Argentina homenageia Kirchner

“¡Derechos / legales / para travestis y transexuales!”

Daniel Garci/AFP

Mi Buenos Aires querido estava toda enfeitada, toda brilhante, toda colorida pela multidão que saiu às ruas para celebrar sua Marcha do Orgulho Gay 2010. Além dos portenhos, compareceram também milhares de participantes em caravanas de outras cidades, como San Luis, La Pampa, Santa Fé Córdoba e Entre Rios.

Entre tantas canções e dizeres, duas manifestações deram o tônus do movimento conglomerado ontem à noite em frente à Casa Rosada: a afirmação dos direitos LGBT e as homenagens a Néstor Kirchner. A parada percorreu o caminho que vai da histórica Praça de Maio até a sede do Congresso Argentino, onde houve diversos discursos acompanhados de inúmeras apresentações musicais e artísticas.

foto: Laura Gallo

Os manifestantes lembravam com alegria que ali estiveram durante horas do dia e da noite e que na madrugada do dia 15 de julho desse ano a Argentina se tornou o primeiro país da América Latina a aprovar a legalização da união civil de pessoas do mesmo sexo.

Muitos aproveitaram para homenagear o ex-presidente Néstor Kirchner, falecido no último 27 de outubro, e que, como deputado federal, foi um dos que mais lutou pela aprovação do casamento gay e outros direitos LGBT. Os emocionados discursos e poemas estenderam-se a sua companheira, a atual presidenta Cristina Kirchner.

Congratulações e Solicitação à presidenta eleita Dilma Rousseff

O presidente da ABGLT, Toni Reis, e o coordenador nacional da Rede Afro LGBT, Nilton Luz, enviaram na última sexta-feira (5) à presidenta eleita Dilma Rousseff um ofício no qual fazem suas congratulações e solicitação. Reproduzimos aqui o corpo do ofício distribuído.

Assunto: Congratulações e Solicitação

Cara Presidenta Dilma,

Em primeiro lugar, gostaríamos de parabenizá-la pela vitória na disputa eleitoral de 2010, que a elegeu a primeira mulher presidenta do Brasil. Sabemos que o sucesso eleitoral reflete as mudanças promovidas pelo Governo Lula, aprovadas por maioria popular, o que também nos leva a compartilhar as felicitações com o atual presidente.

É importante lembrar o apoio expressivo recebido pela então candidata na comunidade LGBT, como esperança de que o caminho apontado pelo Governo Lula seja aprofundado pela futura presidenta na perspectiva de superar a homofobia e resgatar a cidadania LGBT. Nossa expectativa é que, nesse governo, sejam aprovados pelo congresso e sancionados pela presidenta os projetos que criminalizam a homofobia, permitem a substituição do prenome de travestis e transexuais e garantem a união estável de casais do mesmo sexo. Naturalmente, nossa tarefa é reivindicar as mudanças em uma luta cotidiana, que se dá nos espaços criados no processo recente de democratização do Estado, mas também e prioritariamente nas ruas, com o povo.

Recebemos com alegria a informação de que a primeira incursão internacional da presidenta eleita seria pelos continentes africano e asiático. Reforçamos a importância de valorizar as regiões mais exploradas historicamente em tempos de reconfiguração geopolítica do poder global, na qual o Brasil tem desempenhando um papel central.

É oportuna, também, a visita a uma fábrica de medicamentos. Sabemos que a homofobia é uma das principais responsáveis pela vulnerabilização da população de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais em Moçambique e outros países africanos de perfil similar, como o Mali, o Senegal e o Congo, na prevenção às doenças sexualmente transmissíveis (DST), em especial o HIV/AIDS. A homofobia institucional se reflete nas agressões aos direitos humanos de LGBT pelo próprio Estado.

Na Uganda, que recentemente analisou lei que punia a homossexualidade com pena de morte, jornais homofóbicos têm revelado a identidade e informações pessoais de homossexuais e pedindo que sejam agredidos ou presos, prática coibida apenas por decisão judicial no caso do jornal Rolling Stone, dias atrás.

Sabemos que boa parte dos estados-nacionais africanos são solapados de seu povo por uma elite a serviço dos interesses imperialistas. Uma das formas mais vis de desviar o foco dos problemas sociais e econômicos que afetam a toda a população é insuflar o ódio às diferenças. E o passado colonial cuidou de deixar a marca do conservadorismo nas nações africanas, reforçadas pelo fundamentalismo religioso com sede nos Estados Unidos.

Acreditamos que o governo brasileiro pode influenciar decisivamente pelo cumprimento dos tratados internacionais dos direitos humanos por parte de estados africanos como Moçambique e Uganda. Pedimos ao presidente Lula, bem como à presidenta eleita Dilma Rousseff, que envidem esforços nesse objetivo.

No mais, desejamos que a viagem possa representar a continuação de uma política externa soberana e democrática, em sintonia com o sonho de um mundo onde as diferenças não se transformem em desigualdades. E sabemos que o papel do Brasil nesse cenário pode ser estratégico. Queremos que as vítimas da homofobia institucional nessas nações saibam disso.

Respeitosasmente

Toni Reis, Presidente da ABGLT

Nilton Luz, Coordenação Nacional da Rede Afro LGBT

As taras, enrustimento e homofobia de Berlusconi

foto: Julien Warnand/Efe

O premiê Berlusconi é famigerado no mundo não apenas por ser um dos políticos mais grotescos e corruptos do mundo, mas também por suas compulsões sexuais, que já lhe renderam inúmeros escândalos. O último desses escândalos ocorreu essa semana, devido às acusações de que ele estaria explorando sexualmente uma garota marroquina de 17 anos conhecida como Ruby.

Como sempre, ao falar, Berlusconi dá vazão a suas perversões travestidas de preconceitos e patologias. “Como sempre, eu trabalho sem interrupção e, se ocasionalmente ocorreu de eu olhar nos olhos de uma garota bonita, é melhor gostar de garotas bonitas do que ser gay”, justificou ele no decorrer de uma reunião em uma exposição da indústria de motocicletas em Milão.

Como sempre, a justificativa só piora o enunciado de violência. Alguém pode achar que um homem de 74 anos, como Berlusconi, expressar sua suposta virilidade demonstra sua saúde sexual. Não. Primeiro porque hoje se sabe que a diminuição da atividade sexual dos velhos é uma lenda. O fato de Berlusconi, para tentar justificar seu ato, vangloriar-se demonstra, pelo contrário, seu sentimento de inferioridade, a infantilidade e a corrupção de seu desejo. Por trás de sua riqueza e de sua compulsão sexual está uma existência vazia. É um buraco oco que Berlusconi tenta preencher, mas que é impossível preenchê-lo. Assim, Berlusconi jamais teve uma relação real com uma mulher.

Assim, para não nos alongarmos mais, como que Berlusconi pode falar da experiência de ser gay. Para ele, o caso de já ter tido ou não, em todas essas décadas de altíssima compulsão sexual, um relacionamento homossexual, não teria como ser uma relação homoafetiva. Berlusconi não pode sentir, apenas a ilusão da posse.

Assim, além do crime da exploração sexual, Berlusconi é, provavelmente no mundo de hoje, a face mais verossimilhante do poder: um vazio como primeiro-ministro da Itália.

ABGLT congratula Haddad por questão sobre homofobia no Enem

A questão:

Pecado nefando” era expressão correntemente utilizada pelos inquisidores para a sodomia. Nefandus: o que não pode ser dito. A Assembleia de clérigos reunida em Salvador, em 1707, considerou a sodomia “tão péssimo e horrendo crime”, tão contrário à lei da natureza, que “era indigno de ser nomeado” e, por isso mesmo, nefando.

O número de homossexuais assassinados no Brasil bateu o recorde histórico em 2009. De acordo com o Relatório Anual de Assassinato de Homossexuais (LGBT – Lésbicas, Gays, Bissexuais e Travestis), nesse ano foram registrados 195 mortos por motivação homofóbica no País.

A homofobia é a rejeição e menosprezo à orientação sexual do outro e, muitas vezes, expressa-se sob a forma de comportamentos violentos. Os textos indicam que as condenações públicas, perseguições e assassinatos de homossexuais no país estão associadas

A) à baixa representatividade política de grupos organizados que defendem os direitos de cidadania dos homossexuais.

B) à falência da democracia no país, que torna impeditiva a divulgação de estatísticas relacionadas à violência contra homossexuais.

C) à Constituição de 1988, que exclui do tecido social os homossexuais, além de impedi-los de exercer seus direitos políticos.

D) a um passado histórico marcado pela demonização do corpo e por formas recorrentes de tabus e intolerância.

E) a uma política eugênica desenvolvida pelo Estado, justificada a partir dos posicionamentos de correntes filosófico-científicas.

Corpo do ofício da ABGLT

Ao: Exmo. Sr. Fernando Haddad

Ministro da Educação

Exmo. Sr. Joaquim Soares Neto

Presidente

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP)

Assunto: ENEM 2010 – congratulações

Senhor Ministro, Senhor Presidente,

Como é de seu conhecimento, a ABGLT – Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – é uma entidade de abrangência nacional que congrega 237 organizações congêneres e tem como objetivo a defesa e promoção da cidadania desses segmentos da população.

Neste sentido, gostaríamos de congratular o Ministério da Educação e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira pela inclusão da pergunta (na folha anexo) sobre homofobia no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) realizado ontem (06/11).

É gratificante ver as deliberações da Conferência Nacional de Educação sendo respeitadas, e esforços sendo feitos para contribuir para o cumprimento do Plano Nacional de Promoção da Cidadania e dos Direitos Humanos de LGBT.

Sem mais, renovamos nossos votos de estima e consideração.

Cordialmente

Toni Reis

Presidente

Beijaço para Bento XVI em Barcelona

Foto: Pere Duran

O papa foi bem recebido hoje em Barcelona. O grupo Queer Kissing Flashmob (Mobilização Beijaço Gay, em tradução literal) organizou pelo Facebook um beijaço que se realizou hoje na passagem de Bento XVI pela cidade espanhola. Casais de lésbicas e gays, além de vários casais heterossexuais simpatizantes participaram da manifestação.

Milhares de pessoas se reuniram, contando com a presença não apenas de ativistas LGBT, como também de faministas e outros movimentos alternativos, numa festa de protesto pacífico contra posições dogmáticas da Igreja, que é contra o casamento gay, a liberação do aborto e o uso de contraceptivos.

Não estamos contra o Papa, o beijo coletivo é uma forma de manifestar o nosso desacordo com a maneira como a igreja vê as relações entre as pessoas”, disse Joan Pérez, um dos organizadores das manifestações.

Audiência Pública “Escola sem Homofobia” e entrega do prêmio “Educando para a Diversidade Sex”

Esta audiência pública e este prêmio foram encaminhados pela ABGLT e recebida e acatada pela Frente Parlamentar pela Cidadania LGBT, passando por diversas comissões e oficializado o evento. Quem informa é Toni Reis, digno presidente da ABGLT.

Audiência Pública “Escola sem Homofobia”

23 de novembro de 2010, das 13.30 às 18 horas, Plenário 03, Anexo II, Câmara dos Deputados

PROGRAMAÇÃO (em 05/11/2010)

13h30 – Abertura

– Deputado Ângelo Vanhoni, Presidente da Comissão de Educação e Cultura

– Deputado Paulo Pimenta, Presidente da Comissão de Legislação Participativa

– Deputada Iriny Lopes, Presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias

– Deputada Fátima Bezerra, Representante da Frente Parlamentar pela Cidadania LGBT

– Dr. Pedro Chequer, Coordenador no Brasil do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids – UNAIDS

– Dr. Dirceu Greco, Diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde

– Yone Lindgren, Coordenação Política Nacional da Articulação Brasileira de Lésbicas – ABL

– Jovanna Baby, Presidente da Articulação Nacional de Travestis e Transexuais – ANTRA

– Toni Reis, Presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – ABGLT

14h – Escola sem Homofobia

Moderador(a): Deputado Iran Barbosa

Tema: Projeto Escola Sem Homofobia

– Carlos Laudari, diretor da ONG Pathfinder do Brasil

Tema: Pesquisa Escola Sem Homofobia

– Margarida Díaz, presidente da ONG Reprolatina

Lançamento – Materiais Didáticos do Projeto Escola Sem Homofobia

– Lena Franco, ONG Ecos – Comunicação em Sexualidade

Tema: Unicef: Políticas de Inclusão e Diversidade na Escola

– Marie-Pierre Poirier, Representante do Unicef no Brasil

Tema: Por uma Educação que Respeite a Diversidade Sexual

– Deputado Carlos Abicalil

Tema: Conferência Nacional de Educação – Diversidade Sexual na Escola

– André Lázaro, Secretário de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade  do Ministério da Educação

16.30h – Entrega do Prêmio Educando para a Diversidade Sexual

Premiados(as):

(Relação de premiados(as) abaixo)

18h – Encerramento

Promoção

Comissão de Educação e Cultura

Comissão de Legislação Participativa

Comissão de Direitos Humanos e Minorias

Apoio

Frente Parlamentar pela Cidadania LGBT

GALE – Aliança Global para Educação LGBT

ABGLT – Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais

ABL – Articulação Brasileira de Lésbicas

ANTRA – Articulação Nacional de Travestis e Transexuais

ABRAGAY – Associação Brasileira de Gays

E-jovem e Escola Jovem LGBT

GHP – Associação Brasileira de Pais e Mães de Homossexuais

Revista Viração

Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República

Ministério da Saúde – Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais

UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura

UNAIDS – Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids

UNICEF – Fundo das Nações Unidas para a Infância

Conselho Federal de Psicologia

Conselho Federal de Serviço Social

Pathfinder do Brasil

Reprolatina – Soluções Inovadoras em Saúde Sexual e Reprodutiva

Ecos – Comunicação em Sexualidade

PRÊMIO EDUCANDO PARA A DIVERSIDADE SEXUAL – EDIÇÃO 2010

PREMIADOS(AS)

Anis – Instituto de Bioética, Direitos Humanos e Gênero: Publicação: “Homofobia nas Escolas: o papel dos livros didáticos”

Dayana Brunetto Carlin dos Santos: Dissertação de Mestrado (UFPR, 2010) “Cartografias da Transexualidade: a experiência escolar e outras tramas

Luma Andrade – Homenagem especial à travesti doutoranda em educação pela Universidade Federal do Ceará

ECOS – Comunicação em Sexualidade: Boletins Escola Sem Homofobia – Bolesh

Escola Estadual de Ensino Fundamental Rio de Janeiro (Porto Alegre): Diga não è homofobia escolar, valorizando as singularidades e as diferenças

Grupo de Teatro do Oprimido Diversidade EnCena: Espetáculo de Teatro-Fórum Coisas de Menina

Maria Alcina Ramos de Freitas: Dissertação de Mestrado (UFAL, 2009) “Purpurina na Terra do Cangaço: refletindo a homossexualidade na escola”

Mary Neide Damico Figueiró: Grupos de Estudos sobre Educação Sexual e GEES/Escola: a criação de “Rede de Formadores”

Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social / Centro de Referência em Direitos Humanos e Combate à Homofobia (Mato Grosso do Sul): Projeto Educar para a Vida é Educar para a Diversidade

Universidade Federal do Rio de Janeiro/ Projeto Diversidade Sexual na Escola

Menção Honrosa – de iniciativas inscritas

Eliana Teresinha Quartiero: Dissertação: “A Diversidade Sexual na Escola – produção de subjetividade e políticas públicas

Fernando Silva Teixeira Filho / Carina Alexandra Rondini Marretto: Artigo: “Ideações e tentativas de suicídio em adolescentes com práticas sexuais hetero e homoeróticas”:

Paula Beatriz: Monografia: “Homossexualidade na Escola: inclusão ou exclusão”

Agradecimentos Especiais pela dedicação à Educação para o Respeito à Diversidade Sexual

Senadora Fátima Cleide

Deputado Federal Iran Barbosa

Deputado Federal Carlos Abicalil

* Caso você precise de um convite personalizado, para fins de dispensa do trabalho etc., ou para conseguir passagens e diárias para ir a Brasília, favor pedir através do e-mail gisele.villasboas@camara.gov.br ou clp@camara.gov.br.

O desnecessário Álvaro Dias

O retrógrado senador pelo Paraná Álvaro Dias, que ainda tem quatro anos de mandato pelo apequenado partido PSDB, demonstra porque, num momento de consolidação da democracia no Brasil, seu partido cada vez se divide e se extingue mais.

Em plena página sua na internet, ao ser inquirido por um internauta, que pediu para ele votar contra a PLC 122 – a PEC da Homofobia – ele chamou-a de “desnecessária”. “Prezado senador, vote contra a lei PL 1200/2006. Por favor”, disse o internauta. “Você deve estar se referindo ao PLC 122/2006, que trata da homofobia. Fique tranquilo. Entendo que o grupo que esse projeto pretende defender já encontra suficiente amparo na legislação em vigor no país”, secundou o homofóbico senador.

O Mix Brasil, que noticiou e tentou entrar em contato com o senador, não o encontrando, informa que o projeto, “de autoria da ex-deputada petista Iara Bernardi, o PLC 122 tramita há anos no Congresso Nacional e hoje aguarda para ser votado pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado Federal”.

Por tais posições, Álvaro Dias demonstra porque não serve para o Senado, assim como seu partido, PSDB, não serve para o Brasil.

Disponibilização do Guia de Advocacy e Prevenção do Curso Virtual do Projeto Interagir

Pessoal;

Tudo bem?

Estaremos disponibilizando aos 242 participantes do curso virtual do projeto  Interagir  o  Guia de Advocacy e Prevenção, através do correio convencional – sistema  PAC.

Neste  sentido, vimos por meio deste solicitar o endereço completo de  todos e  todas os(as) participantes e também pessoas que queiram receber o Guia de forma inteiramente gratuita.

O curso virtual está sendo executado por 7 tutores(as). Através do site www.asical.org/br. Infelizmente não há mais vagas nesta turma. Era para 70 pessoas e já estamos com 242.

Em fevereiro e março, teremos 7 cursos presenciais de 5 dias de duração, cada um para 10 cursandos selecionados(as) dentre os participantes do curso virtual, nas seguintes cidades: Salvador, Belém, Rio de Janeiro, Florianópolis, Alfenas, Recife, Campo Grande.

Sobre o projeto Interagir:

A Associação Paranaense da Parada da Diversidade – APPAD, em parceria com o Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, a ASICAL , vem desenvolvendo o “Projeto Interagir – Ações de Advocacy e Prevenção em HIV/Aids para a comunidade de gays e outros HSH”

O Projeto está sendo desenvolvido em rede desde janeiro de 2009, através de 7 organizações distribuídas entre as 5 macrorregiões do país:

Norte – Grupo Homossexual do Pará

Nordeste – GLICH e Instituto Papai

Sudeste – Cellos e Movimento Gay de Alfenas

Sul – Cepac

Centro-Oeste – Associação de Travestis e Transexuais do Mato Grosso do Sul

O Projeto prevê ações de advocacy no Executivo estadual e municipal, visando ao fortalecimento das atividades dos Planos de Ações e Metas em HIV/Aids, na área de gays e outros HSH, a implementação dos Planos Estaduais de Enfrentamento da Epidemia da AIDS e das DST entre Gays, HSH e Travestis, inclusive no que diz respeito a ações de prevenção. Também prevê a promoção da cidadania e dos direitos humanos de pessoas vivendo com HIV/Aids e da população LGBT, por meio de ações de advocacy no Legislativo estadual e municipal.

Informações com os pontos focais/tutores regionais.

Cordialmente

Marcio Marins

Presidente da APPAD

Toni Reis

Coordenador Geral

O Mapa de Combate à Homofobia

Clique para ampliá-lo.

Estimad@s colegas,

Em um esforço realmente coletivo e nacional conseguimos finalizar o mapa IDAHO-Brasil.

Muitas foram as vozes que se escutou para que este produto pudesse tomar forma. Das sugestões sobre as cores à reivindicações do símbolo que representaria a legislação, as sugestões foram sendo incorporadas quase em tempo real. O companheiro Dartanhã Silva (AM) teve papel fundamental na busca e revisão da legislação, que é superior em número ao que imaginávamos.

Infelizmente algumas sugestões não puderam ser incorporadas. Como é o primeiro mapa acho que podemos nos dedicar a uma melhor sistematização dos dados para o ano que vem. Também não há como sabermos, por enquanto, se as ações realmente aconteceram e o público atingido, variáveis sugeridas para serem incorporadas na valoração dos estados.

Finalizo o mapa 2010 sabendo que há muito a ser feito e melhorado, mas com a certeza que essa imagem nos dá uma clareza de como podemos avançar nessa política mundial do Dia de Combate à Homofobia, Lesbofobia e Transfobia.

Fazendo coro com o presidente da ABGLT e coordenador do Comitê IDAHO-Brasil, há modelos de projetos de lei sobre o 17 de Maio no site da ABGLT (http://www.abglt.org.br/port/leis_homofobia.php). Fica a sugestão de atualização do site da ABGLT segundo nosso mapa e o trabalho intenso do Dartanhã.

Penso que revisões serão necessárias e que o processo não acabou. É apenas o começo! Para ações de análise e sistematização futuras vamos melhorar o que ficou bom e abandonar o que ficou ruim. Que acham?

Espero que o mapa contribua para a política, nos mostrando ações bem  sucedidas e lugares que podem avançar ainda mais.

Por fim acho que o Comitê IDAHO-Brasil, que reúne pessoas de várias instituições e de todo o país, poderia começar a pensar em uma forma de sistematizar os dados das ações para que facilitasse tanto a leitura do relatório nacional como uma imagem global da política. Penso numa “ficha” com todos os dados e variáveis sugeridos: título da ação, resumo, número de pessoas afetadas, fotografias, etc.

Quem quiser se integrar no Comitê IDAHO-Brasil envie um email para idahocontrahomofobia-subscribe@yahoogrupos.com.br.
Obrigado a tod@s que enviaram críticas construtivas!!!!!

Um grande abraço!

Felipe

Seminário sobre Assassinatos de LGBT na Câmara dos Deputados

Mais um seminário que foi encaminhado pela ABGLT e que foi recebido e acatado pela Frente Parlamentar pela Cidadania LGBT, passando por diversas comissões e oficializado o evento. Quem informa é Toni Reis, digno presidente da ABGLT, que distribuiu a programação.

Ele informa ainda que, “caso você precise de um convite personalizado, para fins de dispensa do trabalho etc, ou para conseguir passagens e diárias para ir a Brasília, favor pedir através do e-mail gisele.villasboas@camara.gov.br  ou clp@camara.gov.br”, salientando que “não há passagens ou diárias disponíveis através da organização do evento”.

O Seminário ocorrerá no dia 24 de novembro de 2010, das 13h30 às 17 horas, Plenário 09, Anexo II, Câmara dos Deputados.

Clique para baixar a programação.

Pastor Gay lança segundo livro sobre a Bíblia*

Pastor gay lançará seu segundo livro: “Pode a Bíblia Incluir? Por um olhar inclusivo sobre as Escrituras”, pela editora Metanoia.

No próximo dia 10 de novembro, a partir das 19 horas, o Rev. Márcio Retamero lançará seu segundo livro pela editora Metanoia, no Centro Cultural da Justiça Federal na Cinelândia, Rio de Janeiro.

A obra é um guia de leitura inclusiva da Bíblia usando o método histórico crítico de análise das Escrituras, o método mais ensinado nas mais renomadas faculdades de teologia do mundo e ainda não aplicado no Brasil.

O livro é um golpe no fundamentalismo religioso praticado pela maioria das igrejas cristãs no nosso país. O assunto é urgente e necessário, pois o Brasil, nestas eleições, sentiu o peso da ala fundamentalista dos cristãos que ditou o “tom” do segundo turno, trazendo para o debate eleitoral temas como homossexualidade, PLC 122, casamento gay e aborto. Os acordos que os candidatos fizeram com a ala fundamentalista das igrejas cristãs nos põem de alerta para o crescimento em progressão geométrica desta ala da igreja e para o peso eleitoral e capital simbólico que eles já possuem, sendo 25% da população brasileira.

O Rev. Márcio Retamero é teólogo e historiador, mestre em História Moderna pela UFF/Niterói e pastor da Igreja Presbiteriana da Praia de Botafogo e da ICM Betel do RJ. É o autor de “O Banquete dos Excluídos”, editora Metanóia e assina a coluna Religião do site LGBT “A Capa”.

* Texto também enviado por Toni Reis

Para que serve essa sua “realidade”?
Raso realismo, o de vocês.
O argumento da experiência reservada
…………………….é um mau argumento
reacionário.
…………………….…..Gilles Deleuze

Cultura passou a fazer parte de um projeto nacional, diz Juca Ferreira

Buenos Aires – em entrevista à Agência Brasil, o ministro da Cultura, Juca Ferreira, faz um balanço das realizações da sua pasta durante o governo Lula, das ações que desenvolveu ao longo de sua gestão e das verbas e projetos culturais em andamento, além de sinalizar seu interesse  em relação ao governo da presidenta eleita, Dilma Rousseff. A seguir, os principais trechos da entrevista.

O que mudou na cultura brasileira desde que o senhor assumiu o ministério?

Quando assumimos, em 2003, o então ministro (Gilberto) Gil chamou a atenção para o fato de que a cultura era tratada como algo secundário. Os recursos para o setor eram o menor orçamento da República – 0,2%; não se tinha noção de política pública; não se tratava da cultura como uma necessidade básica de todo ser humano. A grande mudança foi esta: hoje, a cultura é parte de um projeto nacional. O governo Lula não só aumentou o poder aquisitivo da população, incluindo milhões de brasileiros  em outro nível da sociedade, mas melhorou o padrão de outras políticas públicas, incluindo a educação e a cultura. Nós saímos de um orçamento de 0,2% para 1,3%, ou seja, em termos concretos saimos de R$ 287 milhões para quase R$ 2,5 bilhões. Isso é um crescimento vertiginoso mas, para as necessidades de demanda de um país com 190 milhões de habitantes, acho que o orçamento ainda precisa crescer mais um pouco. Acho que a cultura precisa chegar a, no mínimo, 2% do orçamento público.

Como esse dinheiro é distribuído?

A verba atual é distribuída a projetos de todo o Brasil. Essa é uma qualidade da nossa gestão: desconcentramos o acesso aos recursos. Quando nós chegamos, 80% desses recursos iam para projetos culturais do Rio de Janeiro e de São Paulo. Hoje, estamos conseguindo disponibilizar os recursos para o Brasil inteiro e para todas as áreas da cultura, sem discriminação e sem privilégios. Não fizemos opção por nenhuma área. Pelo contrário: optamos pela diversidade cultural brasileira e pela abrangência, pelo seu conjunto.  Acho que estamos perto de afirmar que dinheiro não é mais o principal problema da cultura.

Qual é o principal problema?

O principal problema da cultura brasileira é formação, capacitação, montagem de uma infraestrutura que dê atendimento a todo o território nacional. Mais de 90% dos municípios brasileiros não têm um teatro, um cinema sequer. Estamos zerando agora municípios sem biblioteca. Só não zeramos ainda porque abrimos uma biblioteca, mas o prefeito fecha porque não quer pagar o salário de duas bibliotecárias e três funcionários. Mas vamos zerar. Estamos perto de montar uma estrutura, mas o déficit é muito grande no Brasil. Nunca se cuidou, seriamente, de disponibilizar cultura para todos os brasileiros, em todo o território nacional.

Como o senhor analisa o atual momento da cultura brasileira?

Acho que  estamos vivendo um excelente momento. Por exemplo: pela primeira vez, depois de muitos anos, tem mais filme brasileiro sendo exibido nas salas de cinema do que filme estrangeiro. Isso acontece sem nenhum mecanismo de proteção. É pelo interesse da população. Nós estamos colocando mais dinheiro no cinema brasileiro do que na época da Empresa Brasileira de Filmes (Embrafilme, criada em 1969 e extinta em 1990). Estamos vivendo um novo ciclo que, evidentemente, ainda tem seus problemas, mas isso é parte desse processo que estou relatando, de investimento pesado na cultura.

Quais os projetos culturais em andamento até o fim do governo Lula?

Temos muitos projetos em andamento até o fim do ano. Abrimos agora uma série de editais, em torno de R$ 300 milhões, para atender a várias áreas culturais. Vamos lançar a pedra fundamental de um centro de referência sobre Luiz Gonzaga  (cantor e compositor pernambucano e autor, juntamente com Humberto Teixeira, do clássico Asa Branca) e outro centro sobre  Sivuca (sanfoneiro paraibano). Estamos recuperando o engenho onde José Lins do Rego escreveu o principal romance dele – Menino de Engenho –  e também estamos criando uma casa de samba no Rio de Janeiro para a velha guarda das escolas de samba. Estamos com muitas iniciativas. Eu prometi ao presidente Lula que iria trabalhar até o dia 31 de dezembro e até 31 de dezembro estarei trabalhando.

De Buenos Aires o senhor segue para Montevidéu, no Uruguai. Alguma associação cultural em vista?
A missão no Uruguai é uma demanda pessoal do presidente José Mujica. Na última reunião que tivemos do Mercosul Cultural,  o presidente pediu maior integração com as políticas do Ministério da Cultura do Brasil. Então, vamos começar essa conversa. A missão no Uruguai é o primeiro passo para estabelecer novo termo de cooperação com a área cultural do governo Mujica.

O governo da presidenta eleita Dilma Rousseff começa no dia 1ª de janeiro. Se for convidado, o senhor continuará no cargo?

Se for convidado a permanecer no Ministério da Cultura, continuo. A presidenta eleita deixou claro que ela vai escolher o seu ministério na volta desta semana de descanso. Se me convidar, eu tenho todo o interesse.


USAR O CONTROLE REMOTO É UM ATO DEMOCRÁTICO!

EXPERIMENTE CONTRA A TV GLOBO! Você sabe que um canal de televisão não é uma empresa privada. É uma concessão pública concedida pelo governo federal com tempo determinado de uso. Como meio de comunicação, em uma democracia, tem como compromisso estimular a educação, as artes e o entretenimento como seu conteúdo. O que o torna socialmente um serviço público e eticamente uma disciplina cívica. Sendo assim, é um forte instrumento de realização continua da democracia. Mas nem todo canal de televisão tem esse sentido democrático da comunicação. A TV Globo (TVG), por exemplo. Ela, além de manter um monopólio midiático no Brasil, e abocanhar a maior fatia da publicidade oficial, conspira perigosamente contra a democracia, principalmente, tentando atingir maleficamente os governos populares. Notadamente em seu JN. Isso tudo, amparada por uma grade de programação que é um verdadeiro atentado as faculdades sensorial e cognitiva dos telespectadores. Para quem duvida, basta apenas observar a sua maldição dos três Fs dominical: Futebol, Faustão e Fantástico. Um escravagismo-televisivo- depressivo que só é tratado com o controle remoto transfigurador. Se você conhece essa proposição-comunicacional desdobre-a com outros. Porque mudanças só ocorrem como potência coletiva, como disse o filósofo Spinoza.

Acesse esquizofia.wordpress.com

esquizofia.wordpress.com

CAMPANHA AFINADA CONTRA O

VIRTUALIZAÇÕES DESEJANTES DA AFIN

Este é um espaço virtual (virtus=potência) criado pela Associação Filosofia Itinerante, que atua desde 2001 na cidade de Manaus-Am, e, a partir da Inteligência Coletiva das pessoas e dos dizeres de filósofos como Epicuro, Lucrécio, Spinoza, Marx, Nietzsche, Bergson, Félix Guattari, Gilles Deleuze, Clément Rosset, Michael Hardt, Antônio Negri..., agencia trabalhos filosóficos-políticos- estéticos na tentativa de uma construção prática de cidadania e da realização da potência ativa dos corpos no mundo. Agora, com este blog, lança uma alternativa de encontro para discussões sociais, éticas, educacionais e outros temas que dizem respeito à comunidade de Manaus e outros espaços por onde passa em movimento intensivo o cometa errante da AFIN.

"Um filósofo: é um homem que experimenta, vê, ouve, suspeita, espera e sonha constantemente coisas extraordinárias; que é atingido pelos próprios pensamentos como se eles viessem de fora, de cima e de baixo, como por uma espécie de acontecimentos e de faíscas de que só ele pode ser alvo; que é talvez, ele próprio, uma trovoada prenhe de relâmpagos novos; um homem fatal, em torno do qual sempre ribomba e rola e rebenta e se passam coisas inquietantes” (Friedrich Nietzsche).

Daí que um filósofo não é necessariamente alguém que cursou uma faculdade de filosofia. Pode até ser. Mas um filósofo é alguém que em seus percursos carrega devires alegres que aumentam a potência democrática de agir.

_________________________________

BLOG PÚBLICO

Propaganda Gratuita

Você que quer comprar entre outros produtos terçado, prego, enxada, faca, sandália, correia, pé de cabra ou bola de caititu vá na CASA UYRAPURU, onde os preços são um chuchu. Rua Barão de São Domingos, nº30, Centro, Tel 3658-6169

Pão Quente e Outras Guloseimas no caminho do Tancredo.
PANIFICADORA SERPAN (Rua José Romão, 139 - Tancredo Neves - Fone: 92-8159-5830)

Fique Frio! Sabor e Refrescância!
DEGUST GULA (Avenida Bispo Pedro Massa, Cidade Nova, núcleo 5, na Rua ao lado do DB CIdade Nova.Todos os dias).

O Almoço em Família.
BAR DA NAZA OU CASA DA VAL (Comendador Clementino, próximo à Japurá, de Segunda a Sábado).

Num Passo de Mágica: transforme seu sapato velho em um lindo sapato novo!
SAPATEIRO CÂNDIDO (Calçada da Comendador Clementino, próximo ao Grupo Escolar Ribeiro da Cunha).

A Confluência das Torcidas!
CHURRASQUINHO DO LUÍS TUCUNARÉ (Japurá, entre a Silva Ramos e a Comendador Clementino).

Só o Peixe Sabe se é Novo e do Rio que Saiu. Confira esta voz na...
BARRACA DO LEGUELÉ (na Feira móvel da Prefeitura)

Preocupado com o desempenho, a memória e a inteligência? Tu és? Toma o guaraná que não é lenda. O natural de Maués!
LIGA PRA MADALENA!!! (0 XX 92 3542-1482)

Decepcionado com seus desenganos? Ponha fé nos seus planos! Fale com:
PAI GEOVANO DE OXAGUIÃ (Rua Belforroxo, S/N - Jorge Teixeira IV) (3682-5727 / 9154-5877).

Quem tem fé naõ é um qualquer! Consultas::
PAI JOEL DE OGUM (9155-3632 ou paijoeldeogum@yahoo.com.br).

Belém tá no teu plano? Então liga pro Germano!
GERMANO MAGHELA - TAXISTA - ÁGUIA RADIOTAXI - (91-8151-1464 ou 0800 280 1999).

E você que gostaria de divulgar aqui seu evento, comércio, terreiro, time de futebol, procurar namorado(a), receita de comida, telefone de contato, animal encontrado, convites diversos, marocagens, contacte: afinsophiaitin@yahoo.com.br

Outras Comunalidades

   

Categorias

Arquivos

Blog Stats

  • 4.242.060 hits

Páginas

novembro 2010
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Arquivos