“Nosso objetivo é redistribuir a renda e o poder”, diz fundador do Occupy Wall Street

Stephen Lerner, um dos militantes “fundacionais” do movimento Occupy Wall Street, que tomou o centro do capital financeiro norteamericano, esteve em São Paulo esta semana participando de um debate no Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região. “As pessoas acordaram. A polícia entrou na ocupação no final do ano passado. A ocupação quebrou. No inverno achamos que acabaria, mas não. O Occupy que tanto inspirou as pessoas, começou a se engajar com outros movimentos comunitários”.

Fábio Nassif

(*) Os vídeos do debate estão disponíveis na página do Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região.

São Paulo – O movimento que tomou o centro do capital financeiro norte-americano, no auge da crise financeira internacional, foi um marco, a partir do qual se espera uma “fertilização cruzada” segundo Stephen Lerner, um dos militantes “fundacionais” do Occupy Wall Street. Lerner, que tem 54 anos e 30 de militância, defende que o novo movimento, que tomou as ruas do centro financeiro com questionamentos claros à concentração de renda pelo capitalismo financeiro, inspire os tradicionais sindicatos americanos, ao mesmo tempo em que usufruam da experiência dessas organizações. “Espero que o encontro seja entre o melhor do mundo dos sindicatos e o melhor do Ocuppy. Deve ser uma visão combinada, conjunta”, afirmou.

Lerner fez parte de entidades como International Ladies’ Garment Workers’ Union (ILGWU) e Communications Workers of America (CWA). Na década de 80, entrou para o Service Employees International Union (Seiu), entidade integrante da UNI Sindicato Global, onde permanece até hoje. Ele veio ao Brasil participar de várias atividades, incluindo uma reunião com o MST e um debate no Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osaco e Região, na última quarta-feira (28). Abaixo, os principais trechos do debate:

Conjuntura
Estamos em um momento que abre possibilidades nos EUA depois de muitos anos de defensiva. Pelo movimento Occupy, a população descobriu que o sistema financeiro influencia diretamente na nossa democracia.

Durante 30 anos tivemos um processo de transferência de renda para uma ínfima minoria. Neste período, os sindicatos foram destruídos. Hoje somente 7% dos trabalhadores estão nos sindicatos. Quanto mais as pessoas se endividavam, mais os bancos emprestavam.

Em 2008 tivemos uma crise enorme, com a perda de emprego de milhões de pessoas. Nós demos US$ 17 trilhões de ajuda aos bancos e grandes empresas. Mas as pessoas não reagiram. Sentiam-se chocadas e não houve protestos no começo. De uma maneira estranha, as pessoas que marcharam e se organizaram foram as pessoas de direita. Eles diziam que o problema era que os trabalhadores ganhavam demais.

Foi uma estratégia brilhante: na beira de jogar o mundo inteiro na crise, ao invés de você se defender, você ataca.

Cabe uma crítica às organizações, pois repetiam os mesmos protestos que faziam antes da crise. O movimento Occupy sabia que os culpados eram os muito ricos e que precisávamos entrar em confronto diretamente com os responsáveis.

Mídia
No começo a mídia ignorou, depois passaram a falar que eram malucos. Quando a polícia chegou batendo nas pessoas, de repente a coisa começou a acontecer, muito por conta da internet e redes sociais que desbloquearam esse caminho. O Occupy liberou a verdade sobre a gula do capital financeiro.

O despertar
O movimento já dura seis meses e uma semana. As pessoas que nunca você esperaria se manifestaram, por todo o país. Isso dominou as discussões nos EUA.

As pessoas acordaram. A polícia entrou na ocupação no final do ano passado. A ocupação quebrou. No inverno achamos que acabaria, mas não. O Occupy que tanto inspirou as pessoas, começou a se engajar com outros movimentos comunitários. O mundo de Occupy, que todos dizem que é horizontal, começou a se juntar com o movimento mais tradicional.

Novas ações
Iniciamos o “Occupy as nossas casas”. É uma ação para impedir que as pessoas sejam despejadas de suas casas. E as pessoas que já foram desalojadas por causa das dívidas, estão voltando às casas que os bancos roubaram.

Estima-se que estudantes americanos devem 1 trilhão de dólares pros bancos. Quando houve o corte dos subsídios públicos, as pessoas fizeram empréstimo aos bancos. Então agora temos um movimento estudantil pra ocupar as escolas e universidades.

Outra iniciativa é o treinamento de cerca de 100 mil pessoas para ações não violentas, para saberem o que fazer quando a polícia interfere nos movimentos.

Alguns estão levando seus móveis para as agências de bancos, já que esses levaram suas casas. Outros depositam no interior do banco todo o lixo retirado de suas casas. Em um dos bancos iremos fazer um grande “beijaço”.

Perspectivas
Este é um movimento que está caminhando a passos de bebê. Nos EUA não temos, historicamente, a idéia de desafiar. Agora, nosso objetivo é redistribuir a renda e o poder. Queremos dizer que a crise é apenas para pessoas normais.

Alguma coisa está se construindo nos EUA. Algo está acontecendo. Nos próximas semanas e meses vocês vão ver que o movimento Occupy vai chacoalhar e esperamos que isso abra brechas para a construção de um mundo diferente.

Novas formas de organização
As vezes essas formas funcionam, mas as vezes é muito difícil. Numa assembleia grande é muito complicado. Esvaziam por conta disso. Mas precisamos sempre pensar como expandimos a democracia, transparência e participação direta, mas de uma forma que avance.

Em Nova York, o movimento se divide em grupos de trabalho e subcomissões. Muitas demonstrações de movimentos sindicais tradicionais não criam poder. O Occupy deixa as pessoas participarem de maneira mais ativa e isso cria uma nova energia. Cria vontade da desobediência cívica não violenta.

Ideologia
No começo os fundadores tinham uma ideologia anarquista. Mas há muitas tendências. A unidade vem de uma análise em comum de onde está o poder. Conseguimos evitar as lutas sectárias.

O inimigo
Das relações históricas do movimento anti-global, tem muita gente em comum que participa hoje. Eu não sei se o Banco Mundial e o FMI seriam alvos principais desse movimento. Acho que as pessoas querem manter o foco nas empresas e bancos. Mas isso deve ser debatido. Se milhares de pessoas estão envolvidas, não precisa todo mundo fazer a mesma coisa.

Eu acho que os progressistas e a esquerda deram facilidades pra direita pressionar a conjuntura. Eles dominaram a narrativa do país.

Uma posição única é que Occupy pode forçar que os candidatos vencedores se preocupem com a questão de Wall Street. Nós teríamos uma fraqueza muito grande se acreditássemos que temos poder só nas eleições.

Alternativa de esquerda
As organizações mais tradicionais acharam legais o Ocuppy, mas não podem voltar a fazer as coisas exatamente como era antes. As pessoas acham ruim que o Occupy não cabe em uma ideologia. E o Occupy precisa saber que sozinho não vai ser grande o suficiente. Nos EUA os sindicatos estão diminuindo, as organizações tradicionais também. Espero que tenha uma fertilização cruzada, onde o Ocuppy ajude as organizações, inspire os sindicatos americanos para lutar de outra forma. Inspirar e lutar junto. E que os recursos e a experiência dessas organizações sejam muito valorizadas pelo Occupy. Espero que o encontro seja entre o melhor do mundo dos sindicatos e o melhor do Ocuppy. Deve ser uma visão combinada, conjunta.

*Carta Maior

0 Responses to ““Nosso objetivo é redistribuir a renda e o poder”, diz fundador do Occupy Wall Street”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




USAR O CONTROLE REMOTO É UM ATO DEMOCRÁTICO!

EXPERIMENTE CONTRA A TV GLOBO! Você sabe que um canal de televisão não é uma empresa privada. É uma concessão pública concedida pelo governo federal com tempo determinado de uso. Como meio de comunicação, em uma democracia, tem como compromisso estimular a educação, as artes e o entretenimento como seu conteúdo. O que o torna socialmente um serviço público e eticamente uma disciplina cívica. Sendo assim, é um forte instrumento de realização continua da democracia. Mas nem todo canal de televisão tem esse sentido democrático da comunicação. A TV Globo (TVG), por exemplo. Ela, além de manter um monopólio midiático no Brasil, e abocanhar a maior fatia da publicidade oficial, conspira perigosamente contra a democracia, principalmente, tentando atingir maleficamente os governos populares. Notadamente em seu JN. Isso tudo, amparada por uma grade de programação que é um verdadeiro atentado as faculdades sensorial e cognitiva dos telespectadores. Para quem duvida, basta apenas observar a sua maldição dos três Fs dominical: Futebol, Faustão e Fantástico. Um escravagismo-televisivo- depressivo que só é tratado com o controle remoto transfigurador. Se você conhece essa proposição-comunicacional desdobre-a com outros. Porque mudanças só ocorrem como potência coletiva, como disse o filósofo Spinoza.

Acesse esquizofia.wordpress.com

esquizofia.wordpress.com

CAMPANHA AFINADA CONTRA O

VIRTUALIZAÇÕES DESEJANTES DA AFIN

Este é um espaço virtual (virtus=potência) criado pela Associação Filosofia Itinerante, que atua desde 2001 na cidade de Manaus-Am, e, a partir da Inteligência Coletiva das pessoas e dos dizeres de filósofos como Epicuro, Lucrécio, Spinoza, Marx, Nietzsche, Bergson, Félix Guattari, Gilles Deleuze, Clément Rosset, Michael Hardt, Antônio Negri..., agencia trabalhos filosóficos-políticos- estéticos na tentativa de uma construção prática de cidadania e da realização da potência ativa dos corpos no mundo. Agora, com este blog, lança uma alternativa de encontro para discussões sociais, éticas, educacionais e outros temas que dizem respeito à comunidade de Manaus e outros espaços por onde passa em movimento intensivo o cometa errante da AFIN.

"Um filósofo: é um homem que experimenta, vê, ouve, suspeita, espera e sonha constantemente coisas extraordinárias; que é atingido pelos próprios pensamentos como se eles viessem de fora, de cima e de baixo, como por uma espécie de acontecimentos e de faíscas de que só ele pode ser alvo; que é talvez, ele próprio, uma trovoada prenhe de relâmpagos novos; um homem fatal, em torno do qual sempre ribomba e rola e rebenta e se passam coisas inquietantes” (Friedrich Nietzsche).

Daí que um filósofo não é necessariamente alguém que cursou uma faculdade de filosofia. Pode até ser. Mas um filósofo é alguém que em seus percursos carrega devires alegres que aumentam a potência democrática de agir.

_________________________________

BLOG PÚBLICO

Propaganda Gratuita

Você que quer comprar entre outros produtos terçado, prego, enxada, faca, sandália, correia, pé de cabra ou bola de caititu vá na CASA UYRAPURU, onde os preços são um chuchu. Rua Barão de São Domingos, nº30, Centro, Tel 3658-6169

Pão Quente e Outras Guloseimas no caminho do Tancredo.
PANIFICADORA SERPAN (Rua José Romão, 139 - Tancredo Neves - Fone: 92-8159-5830)

Fique Frio! Sabor e Refrescância!
DEGUST GULA (Avenida Bispo Pedro Massa, Cidade Nova, núcleo 5, na Rua ao lado do DB CIdade Nova.Todos os dias).

O Almoço em Família.
BAR DA NAZA OU CASA DA VAL (Comendador Clementino, próximo à Japurá, de Segunda a Sábado).

Num Passo de Mágica: transforme seu sapato velho em um lindo sapato novo!
SAPATEIRO CÂNDIDO (Calçada da Comendador Clementino, próximo ao Grupo Escolar Ribeiro da Cunha).

A Confluência das Torcidas!
CHURRASQUINHO DO LUÍS TUCUNARÉ (Japurá, entre a Silva Ramos e a Comendador Clementino).

Só o Peixe Sabe se é Novo e do Rio que Saiu. Confira esta voz na...
BARRACA DO LEGUELÉ (na Feira móvel da Prefeitura)

Preocupado com o desempenho, a memória e a inteligência? Tu és? Toma o guaraná que não é lenda. O natural de Maués!
LIGA PRA MADALENA!!! (0 XX 92 3542-1482)

Decepcionado com seus desenganos? Ponha fé nos seus planos! Fale com:
PAI GEOVANO DE OXAGUIÃ (Rua Belforroxo, S/N - Jorge Teixeira IV) (3682-5727 / 9154-5877).

Quem tem fé naõ é um qualquer! Consultas::
PAI JOEL DE OGUM (9155-3632 ou paijoeldeogum@yahoo.com.br).

Belém tá no teu plano? Então liga pro Germano!
GERMANO MAGHELA - TAXISTA - ÁGUIA RADIOTAXI - (91-8151-1464 ou 0800 280 1999).

E você que gostaria de divulgar aqui seu evento, comércio, terreiro, time de futebol, procurar namorado(a), receita de comida, telefone de contato, animal encontrado, convites diversos, marocagens, contacte: afinsophiaitin@yahoo.com.br

Outras Comunalidades

   

Categorias

Arquivos

Blog Stats

  • 4.243.174 hits

Páginas

Arquivos


%d blogueiros gostam disto: