Arquivo para 6 de setembro de 2016

CBF GOLPISTA IMPEDE TORCEDORES DE SE MANIFESTAREM COM FORA TEMER EM JOGO DA SELEÇÃO DELES EM MANAUS

Para o Por Fora de Futebol
A notícia abaixo foi captada do Blog do Miro. É importante compartilharmos porque o futebol no Brasil por ser o esporte mais popular ele na maioria das vezes foi usado para anestesiar o povo brasileiro mantendo-o a parte dos fatos, acontecimentos políticos que afetam suas vidas. Durante a ditadura de 1964 quanto a tortura era praticada “90 milhões em ação” era o canto anestésico. Na atualidade, como o time não é mais respeitado por ninguém, pois depois dos 7 a 1 ninguém mais liga. E pelos jogadores que temos, todos apolíticos, mascarados o melhor é nem ligar a Tv ou o rádio. Vamos à matéria. 
Por Altamiro Borges
Os cartolas da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que festejaram o “golpe dos corruptos” que depôs a presidenta Dilma, decidiram proibir os protestos políticos no jogo da seleção desta terça-feira (6), em Manaus (AM), pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. Com certeza, os conhecidos mafiosos ficaram preocupados com a exibição de faixas do “Fora Temer” que poderiam atrapalhar a transmissão da partida pela “parceira” TV Globo. Segundo o noticiário esportivo, a entidade orientou os seguranças a confiscarem qualquer material de protesto das mãos dos torcedores.

A atitude autoritária lembra o que ocorreu durante as Olimpíadas no Rio de Janeiro, no mês passado. O COI também cerceou a liberdade de expressão e inúmeras pessoas foram abordadas – algumas de forma agressiva – por agentes da segurança. A reação da sociedade foi imediata e a Justiça revogou a censura, Faixas e cartazes do “Fora Temer” apareceram em várias competições, forçando as emissoras de tevê – subordinadas a TV Globo – a fazer uma baita ginástica para evitar a exibição dos protestos. Na partida desta noite, contra a Colômbia, o governo do Amazonas já acionou 1.500 servidores para fazer valer as ordens da máfia da CBF.

 

Em maio passado, quando o tribunal de exceção do Senado deu início ao processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff, postei no blog a matéria que reproduzo abaixo:

*****

Máfia do futebol festeja queda de Dilma

O “golpe dos corruptos”, liderado pelo Judas Michel Temer, tem deixado muita gente feliz da vida – incluindo os mafiosos que comandam o futebol brasileiro. Nesta quarta-feira (11), o jornalista Martin Fernandes postou no insuspeito site do “Globo Esporte” uma notinha reveladora: “O afastamento da presidente Dilma Rousseff (PT), a ser confirmado pelo Senado, será comemorado na CBF. Dilma e seus auxiliares mais próximos nunca tiveram simpatia por quem toma as decisões na confederação – e a recíproca é verdadeira. Tanto aliados quanto críticos da CBF em Brasília avaliam que a interlocução com o governo federal vai melhorar e muito com Michel Temer (PMDB)”.

A festa dos cartolas é compreensível. Afinal, eles viviam em pleno inferno astral desde a descoberta, no exterior, dos bilionários esquemas de propinas na Fifa. As investigações resultaram na prisão de sete dirigentes da entidade, inclusive do presidente da CBF, o aecista José Maria Marin. Elas também aumentaram as suspeitas contra a TV Globo, que ganha fortunas com a exclusividade de transmissão do futebol – a principal fonte de corrupção neste setor. Nesta fase delicada, os cartolas esbarraram na antipatia da presidenta Dilma, que nunca escondeu sua aversão aos corruptos da CBF. Agora, eles se sentem vingados e festejam. Sabem que poderão roubar à vontade na gestão do ‘amigo’ Michel Temer.

E essa máfia é craque em roubalheira. Nesta semana, a revista Época exibiu o balanço contábil das 27 federações estaduais em 2015. “Foram arrecadados R$ 144,8 milhões pelos cartolas que não chutam uma bola, não pagam salários de atletas, nem constroem e mantém estádios, mas detêm o monopólio sobre o futebol. Não existe partida oficial sem o aval das federações, da Confederação Brasileira de Futebol e da Fifa. O dinheiro está concentrado no eixo Rio-São Paulo. As duas federações recebem metade de todo o faturamento”. Esta grana, sem qualquer controle, garante as orgias dos cartolas. Não é para menos que os três últimos chefões da CBF – são acusados de corrupção…, mas nos EUA!

No início de março, a Justiça Federal até determinou a condução coercitiva do presidente da entidade, coronel Antônio Carlos Nunes de Lima, após ele ter se negado a depor na CPI do Futebol no Senado. A decisão judicial, porém, não teve qualquer efeito e o cartola da CBF segue sem dar explicações sobre as várias denúncias de corrupção na confederação, inclusive nas transmissões televisivas dos jogos. Agora, com a chegada ao poder do “amigo” Michel Temer, talvez os mafiosos nem precisem mais se preocupar com as acusações. Isto explicar o clima de festa na CBF com a queda de Dilma!

Post Script: Temos uma visão diferente do Companheiro Judas Iscariotes que pode ser lido e pesquisado aqui no nosso Blog. Não o consideramos traidor. Não foi Judas que traiu JC.

GOLPISTA IMPEDE AVIÃO QUE LEVOU A PRESIDENTA DILMA ROUSSEFF DE POUSAR EM POA. CANOAS A RECEBEU COM ROSAS VERMELHAS E CARINHAÇO

Dilma chega a Canoas.jpg

Sob gritos de “Dilma, guerreira da pátria brasileira” a presidenta deixou o palácio do Alvorada. Havia muita gente para abraçá-la. 

Num voo em avião da FAB a presidenta se dirigiu para Porto Alegre agora no início da noite.

O avião, por determinação dos golpistas não pode pousar no Aeroporto Salgado Filho. Isto não é aceitável. 

Motivo: uma multidão aguardava a presidenta. Mandaram-no para Canoas.

Em Canoas, na Base Aérea os militares armaram uma barreira com mais de mil metros de distância da comitiva da presidenta.

Pelo que se apresenta querem dar mais um golpe. Dessa vez contra a mobilização do povo contra o Senhor Fora Temer.

Foi programada uma recepção para a presidenta no Centro de Porto Alegre com várias personalidades devendo ser marcante para todos, pois é o primeiro contato após o golpe com a mulher que mudou nosso país pra melhor.

Independente disso, a presidenta foi recebida em Porto Alegre com o carinhaço dos gaúchos e do povo brasileiros que a elegeram a primeira mulher presidenta do Brasil.

 

DILMA, EM ENTREVISTA AO JORNAL FRANCÊS LE MONDE, DIZ QUE O GOLPE FOI DADO PELA OLIGARQUIA BRASILEIRA COMO UMA GUERRA POLÍTICA, SUJA E HIPÓCRITA

Dilma ao Monde: guerra política, suja e hipócrita

A presidenta Dilma Vana Rousseff concedeu, no Palácio da Alvorada, mais uma entrevista histórica. Dessa vez foi para a jornalista Claire Gatinois, enviada especial do famoso jornal francês Le Monde. Leia trechos da histórica entrevista.

“Esse processo de impedimento é uma fraude. Uma ruptura democrática que criou um clima de insegurança nas instituições políticas e afetam toda a América Latina.”

Sua demissão ocorreu em um clima de profunda crise e a corrupção e escândalos econômicos espirrou nos partidos políticos, incluindo o seu, o Partido dos Trabalhadores (PT, esquerda). Qual é a sua opinião sobre o julgamento do Senado?

Os argumentos que levaram à minha demissão são pretextos. Depois de ter sido deposta sem perder meus direitos políticos, isso demonstra que, não há lógica, este processo não tem base jurídica. Para justificar o meu impeachment, tiveram que encontrar outras razões, como “um conjunto de ações” [o conjunto da obra]. Isso não é permitido pela Constituição Brasileira. Não são os oitenta e um senadores que tem de julgar minha política, mas toda a população, por meio de eleições diretas.

Na verdade, eu acho que houve outra motivação por trás disso, que é a de interromper a operação Lava Jato, para interromper todas as investigações relacionadas com a corrupção, a lavagem dinheiro, a existência de caixa dois [para o financiamento dos partidos e das campanhas eleitorais].

“Eu entendo que os eleitores ficaram desapontados com todos os partidos políticos”.

Para Dilma, “não havia outra motivação” por trás de sua destituição: “Isso foi para interromper a operação Lava Jato, para parar todas as investigações relacionadas com a corrupção, a lavagem de dinheiro, a existência de caixa dois (para o financiamento dos partidos e das campanhas eleitorais). “O escândalo de corrupção da operação Lava Jato, da estatal petrolífera Petrobrás,  afetou toda a classe política brasileira.

“Eu entendo que os eleitores ficaram desapontados com todos os partidos políticos”, explica a ex-presidente, que defende seu balanço (prós e contras) e também de seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva.

Para ela, sem as leis adotadas, desde a chegada do seu partido ao poder, o Partido dos Trabalhadores, em 2003, “a polícia nunca conseguiria passar por cima do sistema (de corrupção) na Petrobras”.
“O outro interesse obscuro (dos seus adversários) foi implementar uma agenda neoliberal, que não estava prevista no meu programa”, Rousseff também explica: “Os protagonistas desta destituição são a oligarquia brasileira”.  Um grupo dos mais ricos, como os meios de comunicação (que, de acordo com a presidente, auxiliou para transmitir informações tendenciosas).

Critica um sistema político de 35 partidos onde se é obrigado a fazer alianças. E reconhece a incapacidade de uma reforma em 2013. “É como se você pedisse para uma raposa proteger o galinheiro”.

“Eu já deixei de estar sujeita às observações machistas”.

A ex- chefe de Estado, finalmente, evoca as “observações machistas” que ela tinha que ouvir: “primeiro disseram que eu era dura ( … ) . Em seguida, queriam fazer de mim uma mulher frágil, doente, deprimida.”.

Mas para ela, este revés não é o fim: “A resistência vai acontecer através da crítica, do debate político. Este é o início de uma luta. Estou otimista, a indignação está mais viva hoje no Brasil. O país vai se agigantar.”.

“CARINHAÇO COM DILMA PELA DEMOCRACIA”, EM PORTO ALEGRE, QUE VAI, POR ENQUANTO, MORAR NO RIO GRANDE DO SUL

Resultado de imagem para imagens de manifestações pro dilma

A presidenta Dilma Vana Rousseff, eleita com mais de 54 milhões de votos e afastada do governo por força da psicopatologia dos golpistas, embarcou para Porto Alegre, Rio Grande do Sul, onde vai residir, por enquanto até que possa voltar ao cargo que lhe foi outorgado democraticamente pelos eleitores.

       Para sua chegada a população gaúcha está preparando um “Carinhaço Com Dilma Pela Democracia”. O Carinhaço ocorrerá na Esquina da Democracia, no centro da capital, território das lutas pelas liberdades. Presente ao ato, o ex-ministro Miguel Rossetto, afirmou que vai ser uma recepção forte e emocionante, posto que o povo não aceita um presidente golpista.

         “Vai ser uma recepção muito forte e carinhosa à presidenta Dilma em Porto Alegre. O fato é que seguem crescendo manifestações contrárias ao governo golpista e para não mexerem em nenhum direito do povo trabalhador. Cresce a expectativa de recompor a democracia a partir a antecipação das eleições. A sociedade brasileira não vai reconhecer um presidente golpista e não eleito pelo povo brasileiro. Neste país quem elege o presidente da República é o povo brasileiro.

    A presidenta vai acompanhar a resistência ao golpe. Essa é a prioridade dela. Temos ações no Supremo Tribunal Federal e continuaremos com várias iniciativas políticas denunciando o golpe. A presidenta vai acompanhar o processo eleitoral que está em curso, as eleições municipais”, observou Rossetto.

 

XADREZ DO GOLPE EM MARCHA E A TEORIA DA AVESTRUZ

https://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-4/js/ext.js

GGN- Luiz Nassif

O processo de fechamento político obedece a uma lógica conhecida:

Etapa 1 – o golpe inicial nas instituições, com a destituição do presidente eleito.

Etapa 2 – a perseguição implacável aos derrotados.

Etapa 3 –reação dos atingidos, na forma de protestos.

Etapa 4 – superdimensionamento e criminalização dos protestos, para induzir a mais repressão.

Etapa 5 – o golpe final, com a suspensão formal das garantias individuais.

Peça 1 – é golpe em preparação, sim

O editorial da Folha, conclamando ao endurecimento contra os manifestantes marcou a entrada na Etapa 4. Some-se a ela a coluna de hoje do Secretário de Redação (https://is.gd/x5gmKd) retomando todos os bordões das guerras ideológicas dos anos 50: uma “elite vermelha” com um “comitê central” mirando os alvos – empresários, imprensa, parlamentares, procuradores e juízes – para planejar seus atentados. Os atentados, em questão, consistem em chama-los de “golpistas”, “dia e noite”. Depois, nas ruas, as “tropas de assalto” entendendo o recado e partindo para a ação. “Nas derivações subletradas do marxismo de hoje, o culto da revolução —o banho de sangue que abriria caminho para o mundo pacificado— deu lugar ao prazer estético da depredação e do confronto provocado com a polícia”.

Não há mau jornalismo, piração ou estratégia editorial que explique esses artigos. Trata-se de uma ação deliberada visando utilizar as manifestações contra o impeachment como álibi para a suspensão dos direitos civis.

Em São Paulo, o indiciamento de 16 adolescentes por formação de quadrilha, colocando como indício celulares, gazes, algodão, vinagre e um chaveiro do Pateta; no Rio, a PM invadindo a sede do PCdoB, a pretexto de estar investigando suspeitas de atentados nas Olimpíadas, tudo isso configura um quadro claro de endurecimento político e de interrupção das garantias individuais.

Essa estratégia está ligada ao rápido esvaziamento do governo Michel Temer e à perda de perspectiva em relação a 2018. Especialmente à enorme dificuldade encontrada pela Lava Jato para liquidar com Lula.

A campanha persecutória contra Lula entra na fase delicada, colocando em risco a imagem do Brasil no mundo. É este o dilema.           

Peça 2 – a encruzilhada da Lava Jato

A ideia da Lava Jato era a de que Lula chefiava uma organização criminosa e se locupletava disso. Julgava que bastaria uma acusação, a quebra dos sigilos fiscais e bancário, dele e da família, uma prensa em alguns delatores para entregar Lula de bandeja à opinião pública.

Ao longo do ano, o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, porta-voz da Lava Jato, deu várias entrevistas, prometendo entregar o serviço da condenação de Lula.

Feita a devassa, não foi identificado nenhum elemento que comprovasse corrupção. Começa aí uma sucessão de operações contra Lula, uma perseguição implacável, meio sem nexo, que em breve submeterá o Brasil ao julgamento das cortes internacionais de direitos humanos.

Peça 3 – a última bala contra Lula

A última tentativa foi na semana passada, em um relatório da Polícia federal com erros grosseiros e uma base factual fictícia que apresentou diversas evidências da perseguição imposta a Lula.

Evidência 1 – a caracterização do crime.

O relatório imputa um crime – corrupção passiva – que só se aplica a funcionário público. Colocaram os supostos delitos na linha do tempo em 2014. Desde 1o de janeiro de 2011 Lula não é funcionário público. Dona Marisa nunca foi. E não se incluiu nenhum funcionário público na lista dos indiciados.

Evidência 2 – os inquéritos ocultos

O que mais surpreendeu foi o fato da denúncia ter ocorrida no âmbito de um inquérito que tramitou de forma oculta na PF. 

Há um inquérito público que apurava os verdadeiros proprietários dos apartamentos no edifício Solaris. Foi relatado sem imputar crime algum a Lula. O inquérito oculto que só foi descoberto porque o Ministério Público Federal (MPF), talvez por engano, peticionou no inquérito público indicando o número do inquérito oculto. Os advogados de Lula fizeram pedido de acesso ao juiz Sérgio Moro. Que respondeu que só poderia dar acesso com concordância do MPF. Nesse ínterim, soube-se da existência de um terceiro procedimento, também oculto.

No dia 19 de agosto, os advogados ajuizaram no STF (Supremo Tribunal Federal) a reclamação. No dia 24 de agosto Moro deu acesso ao inquérito. Dois dias antes, sem permitir nenhuma possibilidade de esclarecimento, a PF anunciou o indiciamento de Lula e Marisa. Nada foi instaurado para apurar os fatos relatados. A rigor, ninguém apurou nada. Indiciamento em si não tem o menor valor legal. Serve apenas para estigmatizar pessoas e garantir palanque para delegados.

Lula e Marisa se tornaram alvo da cobiça de todas as partes, inclusive da Associação dos Peritos da PF que acusou o delegado de divulgar o inquérito sem dar o devido crédito aos peritos.

O grande feito do delegado – surrupiando o mérito da Associação dos Peritos – foi a descoberta de uma rasura em um documento privado. Quem fez, por que fez, não se sabe e nem se foi atrás para saber. Mas graças à rasura o delegado pode atribuir a Lula o crime de “falsidade ideológica”.

Enfim, uma cena de vaudeville em uma das dez maiores economias do planeta.

Peça 4 – os abusos identificados pelo Supremo

O Supremo reconheceu pelo menos duas ilegalidades graves na Lava Jato:

  1. A ilegalidade do grampo entre Dilma e Lula.
  2. Ilegalidade na conduta de Serio Moro, de dar publicidade às interceptações telefônicas.

Se o Supremo reconheceu que Moro agiu de forma ilegal, e afirmou que tal conduta poderia configurar crime, de acordo com jurisprudência pacífica caberia ao PGR tomar providências. Afinal, confirmou-se que o monitoramento atingiu 35 advogados de defesa, atingiu a privacidade de um ex-presidente da República e teve papel relevante na votação do impeachment.

Advogados estrangeiros consultados não conseguiram identificar episódio semelhante em qualquer outro país civilizado. O que de mais remoto se levantou foi o juiz espanhol Baltazar Garzon que monitorou a conversa de um réu preso com seu advogado. Sequer teve a ousadia de divulgar o áudio. Mas foi punido.

No Brasil, o monitoramento de 35 advogados não resultou em nada, nenhuma consequência, nem administrativa nem penal. Havia claro desvio funcional com a lei definindo a conduta como criminosa. Diversas representações no CNJ (Conselho Nacional de Justiça) foram arquivadas. Em junho foram feitas representações ao MPF para apurar os crimes de abuso de autoridade e crime previsto no artigo 10- da Lei das Interceptações. Até agora não houve nenhum desdobramento relevante. Foi feita uma representação por abuso de autoridade dirigida ao PGR Rodrigo Janot. A medida que tomou foi reencaminhar para o MPF do Paraná.

Todas as medidas nem foram no sentido de punir os abusos, mas de paralisar os abusos contra direitos fundamentais de Lula. Em vão.

Peça 5 – a denúncia à ONU

Com o Estado se recusando a fazer a apuração, sem nada mais a fazer no Brasil, a defesa de Lula decidiu levar o caso ao Comitê de Direitos Humanos da ONU. Esse recurso está previsto naqueles casos com ausência de medidas eficazes para paralisar violações.

Agosto foi mês de férias. Em setembro as demandas passaram a ser analisadas. A primeira etapa é o juízo de admissibilidade da comunidade. Aceito, faz-se a instrução do caso e leva-se a julgamento.

Se condenado, a ONU monitora o país para verificar o cumprimento dessa obrigação. A ONU tem aprimorado mecanismos de execução. Em 2005 ditou novas regras estreitando a análise do monitoramento, com relatórios a serem encaminhados para a Assembleia Geral afim de dar ciência sobre o cumprimento ou não do que for acordado.

Nos tempos em que se apresentava como defensor dos direitos humanos, o PGR Janot deu parecer no sentido de que o Brasil tem obrigação de cumprir todas as decisões proferidas por órgãos internacionais em relação aos quais o país aceitou a jurisdição.

Se a ONU identifica violação, a condenação envolve tanto a parte de reparação aos danos acusados – tanto moral como específica – e também impõe que país puna todos agentes envolvidos na violação, não apenas o juiz que cometeu violações. Uma das consequências da condenação seria exigir que o país puna todos aqueles que concorreram para o cometimento de abusos. A condenação é individual.

No Tratado da ONU, aliás, há um capítulo específico sobre o MPF, indicando como procuradores e promotores devem atuar na persecução penal, dando parâmetros de conduta.

A base da denúncia é a parceria procuradores-Judiciário e a pressão da mídia sobre o Judiciário.

Foi denunciado que a Lava Jato atropelou um princípio sagrado de direito, que é a separação entre quem denuncia, quem investiga e quem julga. Há entrevistas do procurador Deltan Dallagnol dizendo que eles e Moro formavam um time só.

Uma outra tese levantada pelos advogados de Lula será a da “teoria do avestruz”.

Tenta-se imputar a Lula a chamada “teoria do fato” – segundo a qual seria impossível ao presidente da República não saber as falcatruas cometidas na Petrobras. Nos Estados Unidos, um juiz isentou a Price Watherhouse de responsabilidade nas falcatruas da Petrobras, entendendo que ela não teria como saber.

Levado ao pé da letra, é possível que sobre para o Ministério Público.

A fiscalização da Petrobras passava pela auditoria interna, pelo conselho fiscal, pela auditoria externa, pela Presidência da Petrobras, pelo Ministério das Minas e Energia, Controlador Geral da União e Tribunal de Contas da União.

Todos os órgãos têm em comum a presença de um procurador do Ministério Público. Como alegar, então, que o MPF não sabia das falcatruas. O inquérito inicial é de 2006 e diz que desde então o doleiro Alberto Yousseff era monitorado. Como nada se descobriu durante anos?

Esse conjunto de circunstâncias configuraria a chamada “teoria da avestruz”, da cegueira


USAR O CONTROLE REMOTO É UM ATO DEMOCRÁTICO!

EXPERIMENTE CONTRA A TV GLOBO! Você sabe que um canal de televisão não é uma empresa privada. É uma concessão pública concedida pelo governo federal com tempo determinado de uso. Como meio de comunicação, em uma democracia, tem como compromisso estimular a educação, as artes e o entretenimento como seu conteúdo. O que o torna socialmente um serviço público e eticamente uma disciplina cívica. Sendo assim, é um forte instrumento de realização continua da democracia. Mas nem todo canal de televisão tem esse sentido democrático da comunicação. A TV Globo (TVG), por exemplo. Ela, além de manter um monopólio midiático no Brasil, e abocanhar a maior fatia da publicidade oficial, conspira perigosamente contra a democracia, principalmente, tentando atingir maleficamente os governos populares. Notadamente em seu JN. Isso tudo, amparada por uma grade de programação que é um verdadeiro atentado as faculdades sensorial e cognitiva dos telespectadores. Para quem duvida, basta apenas observar a sua maldição dos três Fs dominical: Futebol, Faustão e Fantástico. Um escravagismo-televisivo- depressivo que só é tratado com o controle remoto transfigurador. Se você conhece essa proposição-comunicacional desdobre-a com outros. Porque mudanças só ocorrem como potência coletiva, como disse o filósofo Spinoza.

Acesse esquizofia.wordpress.com

esquizofia.wordpress.com

CAMPANHA AFINADA CONTRA O

VIRTUALIZAÇÕES DESEJANTES DA AFIN

Este é um espaço virtual (virtus=potência) criado pela Associação Filosofia Itinerante, que atua desde 2001 na cidade de Manaus-Am, e, a partir da Inteligência Coletiva das pessoas e dos dizeres de filósofos como Epicuro, Lucrécio, Spinoza, Marx, Nietzsche, Bergson, Félix Guattari, Gilles Deleuze, Clément Rosset, Michael Hardt, Antônio Negri..., agencia trabalhos filosóficos-políticos- estéticos na tentativa de uma construção prática de cidadania e da realização da potência ativa dos corpos no mundo. Agora, com este blog, lança uma alternativa de encontro para discussões sociais, éticas, educacionais e outros temas que dizem respeito à comunidade de Manaus e outros espaços por onde passa em movimento intensivo o cometa errante da AFIN.

"Um filósofo: é um homem que experimenta, vê, ouve, suspeita, espera e sonha constantemente coisas extraordinárias; que é atingido pelos próprios pensamentos como se eles viessem de fora, de cima e de baixo, como por uma espécie de acontecimentos e de faíscas de que só ele pode ser alvo; que é talvez, ele próprio, uma trovoada prenhe de relâmpagos novos; um homem fatal, em torno do qual sempre ribomba e rola e rebenta e se passam coisas inquietantes” (Friedrich Nietzsche).

Daí que um filósofo não é necessariamente alguém que cursou uma faculdade de filosofia. Pode até ser. Mas um filósofo é alguém que em seus percursos carrega devires alegres que aumentam a potência democrática de agir.

_________________________________

BLOG PÚBLICO

Propaganda Gratuita

Você que quer comprar entre outros produtos terçado, prego, enxada, faca, sandália, correia, pé de cabra ou bola de caititu vá na CASA UYRAPURU, onde os preços são um chuchu. Rua Barão de São Domingos, nº30, Centro, Tel 3658-6169

Pão Quente e Outras Guloseimas no caminho do Tancredo.
PANIFICADORA SERPAN (Rua José Romão, 139 - Tancredo Neves - Fone: 92-8159-5830)

Fique Frio! Sabor e Refrescância!
DEGUST GULA (Avenida Bispo Pedro Massa, Cidade Nova, núcleo 5, na Rua ao lado do DB CIdade Nova.Todos os dias).

O Almoço em Família.
BAR DA NAZA OU CASA DA VAL (Comendador Clementino, próximo à Japurá, de Segunda a Sábado).

Num Passo de Mágica: transforme seu sapato velho em um lindo sapato novo!
SAPATEIRO CÂNDIDO (Calçada da Comendador Clementino, próximo ao Grupo Escolar Ribeiro da Cunha).

A Confluência das Torcidas!
CHURRASQUINHO DO LUÍS TUCUNARÉ (Japurá, entre a Silva Ramos e a Comendador Clementino).

Só o Peixe Sabe se é Novo e do Rio que Saiu. Confira esta voz na...
BARRACA DO LEGUELÉ (na Feira móvel da Prefeitura)

Preocupado com o desempenho, a memória e a inteligência? Tu és? Toma o guaraná que não é lenda. O natural de Maués!
LIGA PRA MADALENA!!! (0 XX 92 3542-1482)

Decepcionado com seus desenganos? Ponha fé nos seus planos! Fale com:
PAI GEOVANO DE OXAGUIÃ (Rua Belforroxo, S/N - Jorge Teixeira IV) (3682-5727 / 9154-5877).

Quem tem fé naõ é um qualquer! Consultas::
PAI JOEL DE OGUM (9155-3632 ou paijoeldeogum@yahoo.com.br).

Belém tá no teu plano? Então liga pro Germano!
GERMANO MAGHELA - TAXISTA - ÁGUIA RADIOTAXI - (91-8151-1464 ou 0800 280 1999).

E você que gostaria de divulgar aqui seu evento, comércio, terreiro, time de futebol, procurar namorado(a), receita de comida, telefone de contato, animal encontrado, convites diversos, marocagens, contacte: afinsophiaitin@yahoo.com.br

Outras Comunalidades

   

Categorias

Arquivos

Blog Stats

  • 4.246.601 hits

Páginas

setembro 2016
D S T Q Q S S
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Arquivos