Arquivo para 14 de abril de 2017

NIETZSCHE E REICH FALAM SOBRE CRISTO NA SUA PERMANENTE E ETERNA CRUZ QUE LEVOU AO GOZO O DYSANGELISTA SÃO PAULO

Resultado de imagem para imagens de cristo no filme de pasolini, o evangelho segundo são mateusResultado de imagem para imagens de friedrich nietzsche

Resultado de imagem para imagens de w. reich

Fotograma da obra cinematográfica O Evangelho Segundo São Mateus, de Pier Paolo Pasolini, produzida em 1964 e considerada pelo Vaticano o melhor cinema sobre Cristo.

Em mais uma sexta-feira Santa, ou da paixão de Cristo em que os cristãos influenciados pelo Apóstolo Paulo veneram a morte que para Nietzsche é a coisa mais imunda, numa criação literária política, entrevistamos Reich e Nietzsche, dois pensadores que defenderam a vida dos maus encontros na luta contra a coisa imunda.

Blog Afinsophia: Neste momento há no Brasil uma perseguição de apolíticos, mídia golpista, judiciário,  governo e empresas norte americanas e de outros países envolvidos no golpe contra a Democracia e os governos populares de Lula e Dilma. No ser humano isso é provocado por quem e se com essa prática Jesus Cristo, o maior socialista do mundo continua sendo assassinado? O  que fazem os promotores e o que acontece com a Justiça?

Reich: “Quando a Peste emocional ataca sua vítima, ela ataca forte e rapidamente. Ataca sem piedade ou interesse pela verdade dos fatos; só interessa uma verdade: matar a vítima.”

“Há promotores públicos que agem como verdadeiros advogados, estabelecendo a verdade, recorrendo a múltiplas fontes. Há outros cujo único objetivo é a morte da vítima, seja essa morte certa ou errada, justa ou injusta.”

“Aí está o assassinato de Cristo, hoje como a dois mil ou quatro mil anos atrás.”

“Quando a peste emocional ataca, sua vítima está exposta aos olhos e julgamento de todos, difundem-se largamente as acusações que existem contra ela. A vítima fica nua diante de seus juízes , como um servo no meio de uma clareira, prestes a ser morto, enquanto os caçadores se escondem nas moitas. O verdadeiro acusados raramente aparece em cena; geralmente sua identidade permanece secreta até pouco antes do golpe fatal. Não existe lei que puna o caçador escondido.”

“[…] Quando a peste emocional ataca a justiça recua mansamente, chorando.”

Resultado de imagem para imagens de cristo no filme de pasolini, o evangelho segundo são mateus

Blog Afinsophia: Hoje é sexta-feira Santa. Nietzche, você fala numa verdadeira história do cristianismo. Qual sua crítica ao termo “cristão”?

Nietzche: ” A palavra “cristão” é já um equívoco; no fundo só existiu um cristão e esse morreu na Cruz. O Evangelho “morreu” na cruz. O que desde então se chamou “Evangelho” era já o contrário do que Cristo havia vivido; uma “má mensagem”, um dysangelium. É falso até a estupidez, o ver em uma “fé”, por exemplo, a fé na salvação por Cristo, o sinal distintivo de cristão. […]”

BA: Em que momento se decidiu a sorte do Evangelho?

N: “A sorte do Evangelho decidiu-se no momento da morte: estava suspenso da cruz. Só a morte, essa morte inesperada e ignominiosa, a cruz que geralmente estava reservada à canaille; esse espantoso paradoxo foi que conduziu por si mesmo os discípulos perante o verdadeiro problema. “Quem era este? Que significa isto”? […] “Quem foi que o matou? Quem era o seu inimigo natural? Esta pergunta surgiu como um relâmpago. Resposta: o judaísmo “reinante”, a sua classe diretora. Desde esse momento encontraram-se em rebeldia contra a ordem, considerou-se Jesus como um “sublevado contra a ordem estabelecida”.

Resultado de imagem para imagens de cristo no filme de pasolini, o evangelho segundo são mateus

BA: Depois do assassinato de Cristo se falou em boa nova. Qual delas foi seguida e quem o manteve crucificado até os dias de hoje?

N: “[…] A boa nova foi seguida de perto pela “pior” de todas, a de São Paulo. Nele se encarna o tipo contrário do “gozozo mensageiro”, o gênio no ódio, na visão do ódio, na implacável lógica do ódio. Quantas coisas sacrificou ao ódio, esse Dysangelista! Antes de tudo ao Salvador: cravou-o na “sua” cruz. […]”

Com o depoimento destes dois grandes estudiosos da alma humana; no Brasil, temos perseguidores e perseguidos. Não temos cristãos como diz Nietzsche. O único teve um fim que o povo junto com os judeus e o império romano assassinaram. No Brasil, os golpistas já assassinaram nossa democracia, depuseram nossa presidente e perseguem nosso virtual presidente em 2018. A peste emocional é motivo de preocupação porque ela está na direita brasileira que neste momento produz uma camiseta com o presidente Lula degolado. Isso não é admissível, é uma provocação. A guilhotina só foi usada na Revolução Francesa. Neste momento que os yankes intimidam a Coreia do Norte, bombardeiam o Afeganistão, não é intenção do povo brasileiro ir à guerra civil. A pior das guerras. Se faz necessário neste momento que o governo golpista renuncie e se convoque eleições gerais em todos os níveis. Só assim é possível, nesta sexta feira reverenciarmos o mais lindo de todos os homens, o propagador da paz, da liberdade, da solidariedade, da vida, sem milagres, acreditando no homem como potencial agente de superação para chegar ao super-homem como falou Nietzsche.

Resultado de imagem para imagens de cristo no filme de pasolini, o evangelho segundo são mateus

Fonte: Os textos da entrevista com Reich foi sacado do livro O Assassinato de Cristo, publicado pela Martins Fontes e o papo com Nietzsche foi do seu  O Anticristo, publicado pela Editora Moraes.

EMÍLIO DELATA OS MARINHOS: PETROLÃO COMEÇOU COM “SOCIEDADE PRIVADA” DE ODEBRECHT E GLOBO, SITE CAFEZINHO

No minuto 12:45, Emilio Odebrecht menciona a organização, pela Odebrecht, de uma “sociedade privada”, com participação da Globo, com objetivo de fazer lobby pela privatização da telefonia pública e pela quebra do monopólio do Estado no setor de petróleo.

É um lobby diretamente ligado ao financiamento político do PSDB e do governo FHC.

A delação de Emilio Odebrecht está muito interessante. O empresário é um contraste chocante com os burocratas do Ministério Público, que não tem a mínima ideia de como funciona a vida real no mundo da política e dos negócios.

Pelo depoimento de Emilio, fica evidente que a Lava Jato começa com Odebrecht e Globo organizando, para o governo, o arcabouço jurídico dos setores de telecomunicação e petróleo, no Brasil, durante os anos seguintes. É o início do “petrolão”.

O famigerado “cartel das empreiteiras” foi idealizado inicialmente por uma sociedade privada formada por Odebrecht e Globo.

Se eu fosse um blogueiro sensacionalista, poderia dizer que se a Odebrecht é o pai, a Globo é a mãe do petrolão.

Lula era um elemento estranho nas grandes negociatas. Um “Amigo” politicamente simpático, porque interessado em ampliar a infra-estrutura do Brasil e financiar a exportação nacional de serviços de engenharia, uma liderança política a quem a Odebrecht tentava agradar com ajudas financeiras às campanhas eleitorais do PT.

No mesmo vídeo, Emilio admite que sua empresa financiou, via caixa 1 e 2, as duas campanhas de Fernando Henrique Cardoso, de quem era muito próximo.

No vídeo, o procurador parece um personagem de Porta dos Fundos, ultranervoso com as citações a FHC, tentando fugir, em vão, de assuntos que possam envolver o PSDB.

Escute com atenção e dê sua opinião.

DO JORNAL GGN DE NASSIF. “EM 2014, TEMER ASSUMIU PEDIDOS DE ARRECADAÇÃO DE MODO “RELEVANTE”, AFIRMA DELATOR

Jornal GGN – Comandando o PMDB na Câmara dos Deputados, Michel Temer não tinha o hábito de pedir propinas e caixa dois diretamente a executivos, papel que era dos atuais ministros do governo Eliseu Padilha e Moreira Franco. Mas no ano de 2014, quando concorria a vice da presidente Dilma Rousseff pela segunda vez, Temer assumiu os pedidos de contribuições financeiras para o partido “de maneira relevante”.
 
A afirmação é do executivo da Odebrecht, Claudio Melo Filho, em delação à equipe de procuradores da República da Operação Lava Jato. “O núcleo político organizado do PMDB na Câmara dos Deputados é historicamente liderado por Michel Temer, atual presidente da República. À semelhança do que ocorre no Senado, esse grupo capitaneado por três nomes: Michel Temer, Eliseu Padilha e Moreira Franco”, disse em trecho do depoimento.
 
A lógica foi usada por Cláudio Melo Filho para explicar aos investigadores que os valores e porcentagens de repasses da Odebrecht no acerto de contratos junto à Petrobras em benefício dos deputados da sigla eram feitos com Padilha e Moreira Franco.
 
 No Senado, explicou o delator, os recursos eram negociados junto a, sobretudo, Romero Jucá, um dos braços direitos de Michel Temer no governo e apontado inclusive pelo ex-executivo como o “‘homem de frente’ nas tratativas diretas com agentes particulares'”, afirmou. “Um exemplo disso é encontrado no fato de que o gabinete do Senador sempre foi concorrido e frequentado por agentes privados interessados na sua atuação estratégica”, completou.
 
Em casos pessoais, citou Cláudio Melo Filho, Jucá foi o principal articulador pela arredação de recursos pelo PMDB no Senado. Era ele o responsável, também, pelas parcelas angariadas às campanhas de Renan Calheiros e Eunício Oliveira, atual líder do governo no Senado e presidente da Casa, respectivamente.
 
Já Temer, disse o ex-diretor, “atua de forma muito mais indireta”. Em seu nome, atuava Padilha e Moreira Franco.
 
“Pelo que pude perceber ao longo dos anos, a pessoa mais destacada desse grupo [político do PMDB na Câmara] para falar com agentes privados e centralizar as arrecadações financeiras é Eliseu Padilha. Ele atua como verdadeiro preposto de Michel Temer e deixa claro que muitas vezes fala em seu nome. Eliseu Padilha concentra as arrecadações financeiras desse núcleo político do PMDB para posteriores repasses internos”, descreveu.
 
Segundo ele, Moreira Franco atuava também nas arrecadações, apesar de “em menor escala”.
“Michel Temer atua de forma muito mais indireta, não sendo seu papel, em regra, pedir contribuições financeiras para o partido, embora isso tenha ocorrido de maneira relevante no ano de 2014, conforme detalharei adiante”, narrou.
 

Leia trechos do acordo de delação do executivo:
 

JUSTIFICANDO ENTREVISTOU O PROFESSOR DA UNICAMP FREDERICO DE ALMEIDA PARA QUEM “O ESTRAGO ESTÁ FEITO PARA QUEM SE ALIMENTOU DO ESPETÁCULO DAS DELAÇÕES”

A “lista do Fachin”, expressão utilizada nessa semana para designar quem será investigado a partir da delação premiada do executivo da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, tomou os noticiários nacionais e as redes sociais pela vasta abrangência do espectro político nacional, trazendo profundas consequências para o meio político e jurídico, que se veem em apuros ante a proliferação de investigações e depoimentos nas mais variadas direções.

Procurado pelo Justificando, o Cientista político, Colunista, Frederico de Almeida, e também Professor da Unicamp, avalia que o impacto da lista de Janot “é grande e é difícil mensurar o que pode acontecer a partir de agora”, embora tanto os políticos, quanto a mídia tiveram tempo ante a morte de Teori para prepararem as defesas para esse momento, como é o caso do esforço em demonstrar que caixa dois seria algo distinto que propina.

Para ele, são consequências da delação premiada, que é algo parcial e depende de outras provas, mas muitos que estão hoje comprometidos se alimentaram da espetacularização das investigações e agora se veem atingidos. A profundidade da crise, na avaliação do cientista, é tamanha que até a as eleições de 2018 esperadas para “zerar” o jogo podem não ser suficientes. Leia na íntegra:

Justificando – Qual leitura você faz desse momento em que grande parte do sistema político sob suspeita e comprometido?

Frederico – Esse momento era esperado, e a demora em divulgar os áudios e analisar os pedidos de inquérito, em função da morte de Teori Zavascki, de certa forma ajudou os envolvidos e a imprensa que os blinda a se prepararem e a prepararem suas defesas. O esforço de diferenciar caixa dois e recebimento de propina de corrupção por meio de contribuição eleitoral, que temos ouvido já há algumas semanas e que tem se repetido nas declarações dos acusados ao longo desses dias é um exemplo disso. De qualquer forma, me parece que o impacto ainda assim é grande e é difícil mensurar o que pode acontecer a partir de agora

Mas delações premiadas podem não ser confirmadas. O estrago está feito?

Sim, delações são meios de prova parciais e que devem ser tomadas com cautela e dependem de outras comprovações. Além disso, o que foi feito pelo STF é apenas a abertura de investigações, que podem ou não resultar em denúncias, que por sua vez podem ou não resultar em condenações.

Mas o estrago está feito e quem alimentou essa espetacularização das delações e das investigações anteriormente se vê agora na difícil posição de recorrer à presunção de inocência e à necessidade de comprovação de responsabilidade para livrar a pele do julgamento instantâneo da opinião pública e dos adversários. E é bom lembrar que esse estrago instantâneo sobre reputações e indivíduos acontece o tempo todo com presos provisórios pobres e negros que lotam prisões sem terem sido julgados, ou que são expostos em programas policiais de TV.

E como você vê a superação dessa crise política?

O horizonte mais certo de superação da crise política, e que ainda assim é muito incerto, são as eleições de 2018, quando o jogo poderia ser “zerado”. Mas mesmo esse cenário é incerto, porque o governo Temer vai sofrer muitas pressões até lá, e corre o risco de ser interrompido por uma decisão do TSE.

Além disso, mesmo as eleições de 2018 vão acontecer sob a espada da Lava Jato, já que novas denúncias e operações podem acontecer, e dificilmente os inquéritos iniciados no STF terão sido concluídos até lá. E mesmo a parte da Lava Jato que corre mais rapidamente, na primeira instância no Rio e em Curitiba, tende a agravar ainda mais a crise, com novas operações espetaculares e com a eventual condenação e prisão de Lula.

Enfim, a crise está longe de acabar e, o que é pior, não há nenhum ator político ou projeto de futuro que indique um caminho seguro se superação da crise sem enfraquecer ainda mais a democracia que já foi vítima de um golpe.

EMÍLIO ODEBRECHT: “POR QUE NÃO FIZERAM ISSO HÁ 10, 15, 30 ANOS?”

Da Redação do site Rede Brasil Atual.

São Paulo – O empresário Emílio Odebrecht, ao qual analistas e imprensa se referem como “patriarca” da empreiteira considerada um dos grandes alvos da Operação Lava Jato, afirmou em depoimento a procuradores da República, em Brasília, que a mídia sempre soube dos fatos hoje denunciados como escândalo. Ele manifestou perplexidade e “tristeza” com a dimensão dada às revelações, que, graças aos elos estabelecidos com a Petrobras, serviram de combustível para o golpe contra a presidenta Dilma Rousseff e continua a alimentar a crise política.

 “O que me entristece (…) é que a imprensa toda sabia que efetivamente o que acontecia era isso. Por que agora estão fazendo isso? Por que não fizeram isso há 10, 15, 30 anos?”, questionou Odebrecht. “A imprensa sabia disso e agora fica com essa demagogia.”

Segundo ele, as informações divulgadas a partir das investigações da Força Tarefa estão longe de ser novidade e são conhecidas de políticos, empresários e imprensa há 30 anos.

“O que me surpreende é quando vejo todos esses poderes, até a imprensa, todos como se fosse uma surpresa. Me incomoda isso. Não exime em nada nossa responsabilidade. Não exime em nada nossa benevolência. Não exime em nada que nós praticamente passamos a olhar isso com normalidade. Porque em 30 anos, é difícil não ver isso como normalidade”, disse Odebrecht. De acordo com o depoimento do empresário, as práticas que hoje são sinônimo de crime eram um “negócio institucionalizado” no país.

Iniciada em março de 2014, a Lava Jato é considerada por diversos analistas um catalisador da grave crise econômica e política brasileira e responsável por iniciar a destruição da indústria naval do Brasil.

Memória técnica

Em seminário realizado em São Paulo ainda no final de 2014, o economista Luiz Gonzaga Belluzzo já alertava para os riscos de se comprometer os investimentos no país, fundamentais para a então esperada retomada de um crescimento econômico a médio prazo. “Tem de separar as malfeitorias e punir. Tem de substituir a direção das empresas e preservá-las. Porque não se vai reinventar de repente uma grande construtora que participou, por exemplo, de Itaipu e outras grandes obras. Você não vai substituir a memória técnica dessas empresas por outra que se vai inventar na hora”, afirmou na ocasião.

A destruição da indústria naval brasileira começou com a Operação Lava Jato em 2014. No segundo mandato do governo Dilma Rousseff, o setor empregava 83 mil trabalhadores. Depois da crise, com o agravamento da recessão, são pouco mais de 30 mil.

Em debate na sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, há um ano, o jurista Gilberto Bercovici e o jornalista Luis Nassif também discutiram o tema com abordagem semelhante. “Ninguém é contra combater a corrupção, mas não se pode violar direitos e garantias individuais, nem se pode punir empresas no lugar de punir pessoas”, afirmou Bercovici, professor de Direito Econômico da Universidade de São Paulo (USP), no evento.


USAR O CONTROLE REMOTO É UM ATO DEMOCRÁTICO!

EXPERIMENTE CONTRA A TV GLOBO! Você sabe que um canal de televisão não é uma empresa privada. É uma concessão pública concedida pelo governo federal com tempo determinado de uso. Como meio de comunicação, em uma democracia, tem como compromisso estimular a educação, as artes e o entretenimento como seu conteúdo. O que o torna socialmente um serviço público e eticamente uma disciplina cívica. Sendo assim, é um forte instrumento de realização continua da democracia. Mas nem todo canal de televisão tem esse sentido democrático da comunicação. A TV Globo (TVG), por exemplo. Ela, além de manter um monopólio midiático no Brasil, e abocanhar a maior fatia da publicidade oficial, conspira perigosamente contra a democracia, principalmente, tentando atingir maleficamente os governos populares. Notadamente em seu JN. Isso tudo, amparada por uma grade de programação que é um verdadeiro atentado as faculdades sensorial e cognitiva dos telespectadores. Para quem duvida, basta apenas observar a sua maldição dos três Fs dominical: Futebol, Faustão e Fantástico. Um escravagismo-televisivo- depressivo que só é tratado com o controle remoto transfigurador. Se você conhece essa proposição-comunicacional desdobre-a com outros. Porque mudanças só ocorrem como potência coletiva, como disse o filósofo Spinoza.

Acesse esquizofia.wordpress.com

esquizofia.wordpress.com

CAMPANHA AFINADA CONTRA O

VIRTUALIZAÇÕES DESEJANTES DA AFIN

Este é um espaço virtual (virtus=potência) criado pela Associação Filosofia Itinerante, que atua desde 2001 na cidade de Manaus-Am, e, a partir da Inteligência Coletiva das pessoas e dos dizeres de filósofos como Epicuro, Lucrécio, Spinoza, Marx, Nietzsche, Bergson, Félix Guattari, Gilles Deleuze, Clément Rosset, Michael Hardt, Antônio Negri..., agencia trabalhos filosóficos-políticos- estéticos na tentativa de uma construção prática de cidadania e da realização da potência ativa dos corpos no mundo. Agora, com este blog, lança uma alternativa de encontro para discussões sociais, éticas, educacionais e outros temas que dizem respeito à comunidade de Manaus e outros espaços por onde passa em movimento intensivo o cometa errante da AFIN.

"Um filósofo: é um homem que experimenta, vê, ouve, suspeita, espera e sonha constantemente coisas extraordinárias; que é atingido pelos próprios pensamentos como se eles viessem de fora, de cima e de baixo, como por uma espécie de acontecimentos e de faíscas de que só ele pode ser alvo; que é talvez, ele próprio, uma trovoada prenhe de relâmpagos novos; um homem fatal, em torno do qual sempre ribomba e rola e rebenta e se passam coisas inquietantes” (Friedrich Nietzsche).

Daí que um filósofo não é necessariamente alguém que cursou uma faculdade de filosofia. Pode até ser. Mas um filósofo é alguém que em seus percursos carrega devires alegres que aumentam a potência democrática de agir.

_________________________________

BLOG PÚBLICO

Propaganda Gratuita

Você que quer comprar entre outros produtos terçado, prego, enxada, faca, sandália, correia, pé de cabra ou bola de caititu vá na CASA UYRAPURU, onde os preços são um chuchu. Rua Barão de São Domingos, nº30, Centro, Tel 3658-6169

Pão Quente e Outras Guloseimas no caminho do Tancredo.
PANIFICADORA SERPAN (Rua José Romão, 139 - Tancredo Neves - Fone: 92-8159-5830)

Fique Frio! Sabor e Refrescância!
DEGUST GULA (Avenida Bispo Pedro Massa, Cidade Nova, núcleo 5, na Rua ao lado do DB CIdade Nova.Todos os dias).

O Almoço em Família.
BAR DA NAZA OU CASA DA VAL (Comendador Clementino, próximo à Japurá, de Segunda a Sábado).

Num Passo de Mágica: transforme seu sapato velho em um lindo sapato novo!
SAPATEIRO CÂNDIDO (Calçada da Comendador Clementino, próximo ao Grupo Escolar Ribeiro da Cunha).

A Confluência das Torcidas!
CHURRASQUINHO DO LUÍS TUCUNARÉ (Japurá, entre a Silva Ramos e a Comendador Clementino).

Só o Peixe Sabe se é Novo e do Rio que Saiu. Confira esta voz na...
BARRACA DO LEGUELÉ (na Feira móvel da Prefeitura)

Preocupado com o desempenho, a memória e a inteligência? Tu és? Toma o guaraná que não é lenda. O natural de Maués!
LIGA PRA MADALENA!!! (0 XX 92 3542-1482)

Decepcionado com seus desenganos? Ponha fé nos seus planos! Fale com:
PAI GEOVANO DE OXAGUIÃ (Rua Belforroxo, S/N - Jorge Teixeira IV) (3682-5727 / 9154-5877).

Quem tem fé naõ é um qualquer! Consultas::
PAI JOEL DE OGUM (9155-3632 ou paijoeldeogum@yahoo.com.br).

Belém tá no teu plano? Então liga pro Germano!
GERMANO MAGHELA - TAXISTA - ÁGUIA RADIOTAXI - (91-8151-1464 ou 0800 280 1999).

E você que gostaria de divulgar aqui seu evento, comércio, terreiro, time de futebol, procurar namorado(a), receita de comida, telefone de contato, animal encontrado, convites diversos, marocagens, contacte: afinsophiaitin@yahoo.com.br

Outras Comunalidades

   

Categorias

Arquivos

Blog Stats

  • 4.241.958 hits

Páginas

Arquivos