Archive for the 'Clinâmen' Category

O ÊXODO DE JESUS PARA A VIDA

Ser um animal falante é o que faz o homem produzir para si uma nova natureza naturada, posto que rompa com a natureza naturante; e isto faz com que ele se torne responsável pelos mundos humanos construídos. Daí a transformação da natureza em múltiplos mundos políticos. O homem não apenas diz sua existência em uma coletividade, mas se faz, constitutivamente, ele próprio, um dizer para o bem comum da cidade. Homem, discurso e cidade estão imbricados como uma síntese disjuntiva. Negando a capacidade intelectiva humana de traduzir o mundo através do discurso, e assim, fazendo com que o mundo seja humanizado em uma práxis transformadora dos códigos constituídos, o homem nega sua própria existência liberada do corpus normalizado e normalizante de uma cidade de sujeitos mudos, estes que são a doença da cidade. Jesus, filho de Maria e José (ambos camponeses), não foi uma doença da cidade. Pelo contrário, fez com que a fala se agitasse como processual de inovação de um mundo com valores decadente. Assim, fez da sua existência a afirmação da mortalidade humana, percebendo a necessária importância de suas ações políticas na antecipação de sua própria impossibilidade (a morte). Acreditamos que é justamente nisso em que Jesus praticou o êxodo dos lugares de poder de sua época e coroou a afirmação da Vida contra a cultura tanática de um cristianismo doente. Jesus desertou os lugares de poder, produziu a linha de fuga, necessária, desvinculando a Vida dos buracos negros constituídos pela perversidade da lógica castradora da lei e da tradição do capital. É deste modo que percebemos Jesus como subversivo, isto é, como singularidade que não se deixou ser tomado e absorvido pela relação de dominação, onde sempre deve haver o subordinador e o subordinado. Jesus, pelo dizer, fez a si mesmo antes de falar junto da multidão. Jesus, negador da potestas (poder). Jesus, afirmador da potentia (potência). O discurso de Jesus foi e é um esforço de elucidar o discurso responsável por dissociar a violência da lei, a fé da exploração, o espírito da superstição, a Vida da morte. Tudo isto efetivando o corolário entre a Vida e o Amor Político.

Desertar os lugares de Poder

A Vida é produção. A produção não está reduzida ao ciclo de reprodução da economia política capitalística. Nesta impera a reprodução dos valores do mercado autônomo aos quais está subordinada a vida. Neste sentido, a vida deve obedecer à lógica da propriedade privada para que a liberdade, a igualdade e a fraternidade possam surgir como verdades inquestionáveis. Não é à toa que é após a revolução burguesa francesa onde o Estado de Direito vai se constituir. O Estado se funda na violência do direito a propriedade e faz da economia a base de sua estrutura regulamentar, tendo na ordem jurídica a normatividade necessária para a exploração. Deste modo, a vida em sociedade deve obedecer às leis da economia, da troca de mercadorias, capitalista, fazendo da equivalência a medida das relações de produção e das relações sócio-políticas. É necessário separar o social do político para que a economia possa exercer sua organização, pois:

“A esfera da circulação, ou seja, da troca de mercadorias, em cujos limites realiza-se a compra e a venda da força de trabalho, era um verdadeiro Éden dos direitos inatos do homem. Ali reinavam apenas a Liberdade, a Igualdade, a Propriedade e Bentham. Liberdade!- pois o comprador e o vendedor de uma mercadoria, como força de trabalho, por exemplo, são determinados apenas por suas livres vontades. Firmam o seu contrato como pessoas livres, juridicamente iguais. O contrato é o resultado final, através do qual suas vontades assumem uma expressão jurídica comum. Igualdade! – pois entram em relação recíproca somente como possuidores de mercadoria e trocam equivalente por equivalente. Propriedade!- pois cada um dispõe apenas do que é seu. Bentham- pois cada um cuida apenas de si mesmo. O único poder que os reúne e põe em relação é o próprio proveito, da vantagem pessoal, dos seus interesses privados. Exatamente porque, deste modo, cada um cuida de si e ninguém do outro, todos realizam – sob os auspícios de uma harmonia preestabelecida das coisas ou de uma providência sagaz ao extremo – tão somente a obra da vantagem recíproca, do proveito comum e do interesse geral” (Karl Marx).

Isto tudo enraizado na violência da acumulação como única forma de organização da cidade. Esta produção própria do capital é reproduzida e ecoada para os mais distantes níveis da sociedade e pretende ser o invólucro da vida. Esta produção dobra-se no real (Antonio Negri). E o Estado não se contenta em ser o único lugar desta violência, como muitos já asseveraram. O Estado não é foco de poder por excelência, o centro de toda emanação e dispersão da violência estatal e de seus aparelhos ideológicos. Em sua completa falta de natureza e essência, “O Estado não é um ponto que toma para si a responsabilidade dos outros, mas uma caixa de ressonância para todos os pontos” (Deleuze e Guattari).
E isto não significa dizer que o poder vá de um ponto a outro, de uma instituição prescritiva a outra, de um poder discricionário a outro. Há agenciamentos entre os múltiplos pontos que, constitutivamente, vão formando os lugares de poder e sua dinâmica. Há o eco, a reprodução, a caixa de ressonância que se dá como “vaso fechado”. Mas também não há apenas distribuição de poder pelos diversos lugares por onde o poder irá realizar seus exercícios, mais do que a disciplina dos corpos para que estes sejam dóceis, numerados, classificados e divididos para a produção de mais-valia, há um poder sobre a vida, esta produção pretende gerenciar a própria vida em sua dinâmica. Daí quando se falar de Estado, e principalmente de violência do estado, a necessidade de não reduzirmos as análises ao Estado como único foco de poder; e que ao derrotar o Estado poderíamos, enfim, constituir uma nova realidade. O maior perigo no Estado está na reprodução do seu discurso. Ou seja: fazer com que as singularidades sejam destruídas e que os indivíduos não se realizem no acontecimento, mas como produtos de um discurso carregado de pressuposto. Deste modo, seremos apenas sujeitos sujeitados, efeito da imagem do pensamento do Estado.

Mas, contudo, a Vida continua a ser produção. Mas agora a Vida já não é produzida no ciclo da produção capitalística, mas torna-se o processo pelo qual uma nova economia política é engendrada. A própria Vida torna-se a condição necessária da produção. Tudo emerge da atividade social que não é dissociada da política e não se reduz ao domínio do econômico (relações de troca fundamentada no direito a propriedade privada). E para que a Vida seja o devir de uma produção humana, “a chave essencial para transformar o próprio em comum” (Antonio Negri), há a exigência de desertarmos os lugares de poder. Mais do que isso: é necessário que possamos recusar e resistir toda a reprodução e eco do discurso do poder do capital difundido, para que não tenhamos o mesmo fim de Narciso e Eco. Desertar os lugares de poder para efetuarmos o êxodo para a Vida.

Jesus efetivou este êxodo. Fez pulsar a Vida como devir da humanidade. Jesus não foi apenas contra o domínio perverso político, econômico, social e espiritual de sua época. Ele não apenas sabotou a estrutura e ordem estabelecida. Fez muito mais. Ele teve uma atitude diagonal, efetivou um declive nos códigos religioso-jurídicos e no sistema dominante do Império Romano. Jesus recusou e resistiu a reprodução do discurso constituído e se fez turbulência. O que pode ser produzido em uma ordem auto-referente? O que pode ser produzido em um campo homogêneo? Nada. Nestes lugares tudo deriva para o estável, para o equilíbrio pré-estabelecido. O iniciar é já chagar ao fim que é o equilibrado. Todos os caminhos levam ao mesmo. E todos os caminhos que se originam do mesmo são reproduções. É necessário esvaziar os lugares de poder. É preciso vencer os obstáculos. É preciso ter a potência do rio que nunca é o mesmo e como fluído vai criando seu próprio leito na desmedida em que vai compondo com o terreno, destruindo as barreiras. Quando o vazio surge da destruição da ordem pré-estabelecido os caminhos tornam-se relativos, multiplicidades, moleculares. E não é necessária a força maior, molar,  para que o vazio venha a ser a condição da multiplicidade e da criação de um novo modo de existir. Estamos no terreno do menor. O menor declive, o menor desvio, a menor descida, o menor discurso, mas o menor que inaugura uma existência completamente apartada dos códigos constituídos:

“De modo que se pode dizer, à escolha, que a queda atômica é dotada de declive total ou de declive nulo. É um fluxo como tal, homogêneo, desfrutando de uma força única. De um certo modo, é o equilíbrio, mas seria antes um pré-equilíbrio. Então, a declinação define um declive. É o declive desencadeado por um desvio do equilíbrio, por uma diferença em relação a esse pré-equilíbrio que é homogêneo. Ora, justamente, o clinâmen é definido por Lucrécio, e duas vezes, por um mínimo. É o menor declive possível abrindo os caminhos para a existência. (…) Logo, o clinâmen é o menor desvio e o declive ótimo” (Michel Serres).

O (dis)curso de Jesus é diferença, não identidade. O dizer de Jesus é o menor porque vai contra os obstáculos posto por sua época e codificado em atos reacionários. Jesus nega reproduzir o discurso que gera a doença da cidade e começa a fazer do discurso a arma que engendrou quando criou a linha de fuga dos buracos negros. E não basta este discurso ficar com Jesus, ele deve ser partilhado, ele deve trabalhar para o bem comum, para a riqueza de todos na cidade. A cidade tem que ser o lugar do discurso, pois é dela que o discurso sai. Jesus vive primeiro para depois discursar, sente o mundo para poder ser o que diz. Bem comum, perseverar a existência como produção nova da Vida, da Vida como condição da produção do novo. Eis a importância política de desertar os lugares de poder e seguir o fluxo do novo.

Da Cidade surge a lei: não há morte 

Pensar a morte. Ter a experiência da morte – a saber, são disposições humanas que estão intimamente relacionadas à linguagem, ao falar e ao dizer. A morte como antecipação da impossibilidade própria a nós mortais (Heidegger). Nesta antecipação podemos nos afastar da morte e fazer de sua negatividade uma paixão positiva. Para não morrer é preciso estar disposto para a Vida. Talvez o lugar por excelência (arete) para pensar o pensar e a negação da morte seja a cidade e suas leis.

Primeiro, o que é pensar? Deleuze, a partir da conferência “O que quer dizer pensar?” de Heidegger diz: “Lembremo-nos dos textos profundos de Heidegger, mostrando que, enquanto o pensamento permanece no pressuposto de sua boa natureza e de sua boa vontade, sob a forma de um senso comum, de uma ratio, de uma cogitatio natura universalis, ele nada pensa, prisioneiro da opinião, imobilizado numa possibilidade abstrata…: ‘o homem sabe pensar, na medida em que tem a possibilidade disto, mas este possível não nos garante ainda que sejamos capazes disto’; o pensamento só pensa coagido e forçado, em presença daquilo que ‘dá a pensar’, daquilo que existe para ser pensado  – e o que existe para ser pensado é do mesmo modo o impensável ou não pensado, isto é, o fato perpétuo que ‘nós não pensamos ainda”.

Pensar, portanto, seria pensar o impensado, o novo, tudo que está “fora” dos pressupostos. Pensar não é representação. Seria uma disposição para o impensado, para o novo. Para nós, pensar seria não reproduzir a imagem do pensamento do Estado, isto é, não reproduzir as definições de liberdade, igualdade e solidariedade, segundo os pressupostos das relações econômicas da produção capitalística. Percebe-se, nesta reprodução, na organização jurídica das relações de troca, a lei como coerção, a justiça como castigo, uma imposição que, como nos diz Antifonte, gera uma legalidade capaz de coagir nossos sentidos, prescrevendo aos olhos “o que devem ver e o que não devem ver” (Barbara Cassin). Pensar a lei nesta produção significa agir, comportar-se e viver de acordo com os pressupostos impostos, conhecidos como legalidade.

É a cidade que é o lugar da lei. E quando a cidade é governada por leis motivadas pelo danoso, pelo castigo e pela vontade privada de satisfazer a admoestação como exemplo de conduta, a cidade perde sua potência de compartilhamento do pensar como novidade e transgressão da ordem natural. A lei é produção humana coletiva, desvinculada da produção econômica (por exemplo, a lei de mercado) a lei é um consenso que se dá pela ação do discurso, da persuasão pertencente a todos, onde todos possuem a técnica justaposta à razão e decidem juntos pelo bem comum da cidade. Lei: transgressão da ordem natural para a produção da cidade através da cooperação de todos aos olhos de todos.

Jesus via na lei não a coerção, mas a disposição de se compreender a necessidade do bem comum a todos na cidade. A lei, portanto estava para a Vida, não para a reprodução da violência do imperialismo romano e dos códigos religioso-jurídicos de sua época. Tanto que foi um subversivo, não se fez um subordinado, mas criou um novo modo de ser, posto que criou um novo pensar sobre a Vida. Daí Jesus ser Vida e ninguém ir ao Bem se não através dele, digo, de seu discurso. Podemos dizer, destarte: Jesus estava para além do bem e do mal, foi uma pessoa rara, um espírito livre, pois tinha a disposição para pensar o impensável no fato e, assim, problematizar o real.

Se a lei é um produto da cidade e da relação recíproca entre os discursos de seus concidadãos, a lei surgindo da cidade e não ao contrário, esta lei é uma tendência ao bem comum, e é saudável que nela possamos viver conforme, pois ela não se perseverar pela coerção, nem pelo temor, tão pouco pelo sentimento de vingança ou por um dinamismo do qual apenas transfere a interdição, a dor e o mesmo de um lugar a outro como uma metástase, mas porque, ela própria, a lei, será a ordem racional da cidade, a transgressão da ordem natural e mística a serviço da cidade e de todos que nela vivem. A lei será a fala de todos produzindo a cidade e sempre será o mote da jurisprudência filosófica.

É deste modo que dizemos: Jesus jamais morreu. Longe da morte que os cristãos são remetidos através de um Cristo paulino, acreditamos, singularmente, que o discurso de Jesus habita no mundo, é preservado por cada pensamento disposto a pensar o impensável. A estreita relação entre morte e linguagem (o domínio da linguagem sobre a morte, a forma pela qual o incondicional, o desconhecido é apreendido pela classificação gramatical) aqui ganha um novo fôlego: a linguagem não mais domina a morte, mas a liberta de seu fim inconteste, pois o homem como animal falante preserva seu ser nas inúmeras composições de seus discursos. Jesus não mais na Cruz. Jesus livre, solto como criança, como nos diz o poeta lusitano Pessoa. Jesus Vivo.

É deste modo que a paixão de Cristo aqui é transformada em uma paixão positiva de Jesus e sua caminhada até a crucificação é simplesmente o sentido da sua subversão e desertificação dos lugares de poder, da reprodução dos discursos perversos do poder. Importa Jesus Vivo. Por isso, em meio a multiplicidades de verdades, caminhamos junto a ternura, o humor e a inteligência com uma: a páscoa é linha de fuga, recusa e resistência, libertação e possibilidade de uma nova Vida, de novos códigos para a existência, sempre a pensarmos no bem comum na cidade. Jesus efetivou o êxodo para a Vida.       

    

CLINAMEN

___ oblíquas variações infinitas dos corpos ___

_______________Dissolução____________)))))))________Um curso não é uma meta com meios providentes para um fim objetivado. Um curso é um devir que ora é apanhado por corpos, ora apanha corpos em um processus in infinituum____________

____________(((((((((((((((((((((((((((((((((())))))____________Em sua construção etimológica-histórica, indivíduo salta do latim individuum e desdobra-se no grego, atomon. Corpus singular e indivisível. Como corpus social é uma potência individuação. Aí o medo das tiranias e o desespero em aprisioná-lo com seus medos apocalípticos_______________________(((((((((((((((((_____________A escola, como instituição arquitetônica, apanha o aluno, sem luz, para que o reflexo segmentado do professor inscreva em seus corpus cognitivo/afetivo os pontos geométricos do Estado. Enquanto o porteiro fecha o portão ao educando e ao educador_____________)))))))))
))))))))))))))))))(((((((((((((_____________Sobre Deus e seus préstimos
Nietzsche diz: “Deus está morto!” Sartre diz: “Se Deus está morto, tudo é permitido.” Deleuze diz: “Se Deus existe tudo é permitido.” Os “políticos” dizem: “Vivo ou morto, Deus serve para alguma coisa. Tem préstimo: serve para ganhar eleição.”__________________

____________________))))))))))))))))))))))))))__________O sorriso do tirano é a película de seu medo. A imagem que ele não consegue manter aprisionada, e impedir que ela chegue ao exterior________________((((((((((((((((((((((()))))))___________________Antes a escola era o território onde os saberes se movimentavam como liberdade. Hoje, dado o seu corpus arquitetônico-presidiário, é o olho paranóico de onde seus habitantes fantasiam a liberdade fora_________))))))))))))(((((((()))))))_________Maior mentira dos amantes “Te amarei por toda a vida”. Como o amor é um processual infinintuum, escapa a pontuação temporal. Logo, os amantes não encontram-se em sua duração__________

(((((((((((((()))))))))))))))____________O filósofo Walter Benjamin disse sobre a temporalidade da câmara cinematográfica: “A câmara confere ao instante uma espécie de choque póstumo.” Daí quê, se não for cinema, o público verá tão somente uma sessão necrofílmica

CLINAMEN

___ oblíquas variações infinitas dos corpos ___

________Limiares________((((((((((((((((((((((((((((((_____________A Vontade de Saber não é acumular significados instrumentais, mas afirmar a Vida Poiética da Vontade de Potência____________)))))))))))))))))))))))))))))))))__________________

_____________Se o orgasmo não é humano, porque tanta fabulação colocando-o como a metafísica do prazer humano?__________________________))))))))))))))))))))))))))))

))))))))))))))______________________O filósofo Aristóteles diz que o homem é uma animal político, cujo fim racional é atingir o Bem. O animal não é da polis. É nômade: não tem finalidade. Logo, o animal político não é animal. É outro que Aristóteles não pôde conceber______________________________________(((((((((((((((((((((((((((((((

)))))))))))))))))))_____________O sistema capitalista é comparado com o buraco-negro. Uma zona-morta. Se alimenta de corpos que captura quando estes estão próximos. Quando captura estes corpos, ou eles também estão mortos, ou o buraco negro é fantasma______________________(((((((((((((((((((((((((_____________Se o orgasmo é impossível no homem, então que ele “relaxe e goze”. Mas antes um gozo simulado que um prazer mitificado____________________________________(((((((((((((((((())))

))))))))))))))))))))))))))))))))_______________Os ministros da justiça se sentem ofendidos: um juiz sentenciou fora de suas jurisprudências________________________

____________))))))))))))))((((((((((((((((((_________Como o espectro é sonoro, o poeta está certo: Ouvem-se estrelas! Não se vê estrelas. Elas não são forças construtoras de imagens: são elementos indiscerníveis__________________(((((((((((((((((((((()))))))))))
)))))))))))))))))))))))______________________Há homens que se tomam justos: julgam pelas leis de Deus. Há homens que se tomam justos: julgam pelas leis do homem. Não importa: são juízes-deuses. Niilistas_________________________(((((((((((((((((((((((((

))))))))))))))))))))))))____________________“Sou um ser que conhece!” Exclama, vaidoso, o homem. Mas como, se ele não pode se conhecer!?______________________

((((((((((((((((((((((((((()))))))))))))))))))))))))__________A Sofística afirma que o homem não é, não está sendo, no máximo move-se como um quase-nada. Ah! O seu orgulho é o nada!

CLINAMEN

___ oblíquas variações infinitas dos corpos ___

_____________Hiatos____________________O curso da Democracia é seu processual coletivo cujas variações produtivas escapam das vigilâncias paranóicas da posição rígida da tirania_______________           ))))))))))))))))))))))))))))________Emaranha-se como força-ativa entre as forças-reativas: o que não mata, rejuvenesce_____________
_________(((((((((((((((((((((((((((((______________Se o diabo existisse, possivelmente o corrupto o temeria: o dinheiro não seria valor para o senhor das luzes. Ajoelhado, o corrupto, chora clamando a Deus, não para ser perdoado, pois ele sabe que Deus é bondade, mas para buscar mais força para sua corrupção____________________((((((((

(((((((((((((((((((((((((((((((((___________Janus, o deus latino, têm duas faces: uma virada para trás, olha o passado; outra, virada para frente, mira o futuro. Janus não tem face no presente. Sendo ao mesmo tempo as duas faces, ele não ilude: o presente é um nada faceiro que nada conta___________________(((((((((((((((((((((((((__________A criança sentada faz percursos, trajetos, movimentos, repousos, velocidades, cortes, saltos, contrações, meios, produz afetos, enquanto, observando-a, sua mãe balbucia: “Como minha filha é ducada”_______________)))))))(((((((((((((_________

_____________Desenharam um imenso portão no deserto. A população inteira correu para ultrapassá-lo. Quando chegou do outro lado, percebeu que sua angústia continuava. Tentou voltar, mas o portão só abria para dentro_______________))))))))))))((((((((((((

)))))))))))))))))))))))))))______________________Há dois tempos: O tempo que perturba, e o tempo suave. Esse não mensura, daí não lhe ser útil__________________

__________________(((((((((((((((((((((((______________O escritor que extrai de suas vivências conteúdos para sua escritura, acredita ser necessário para seus leitores. Logo, credita-se Deus___________________________________))))))))))))))))))))))))))))))))))

____________Se a Obra de Arte é disjuntiva, a Exposição, para o mercado, é conjunção

CLINAMEN

___ oblíquas variações infinitas dos corpos ___

______________Longínquo______((((((((((((((((((((((((((((_______Se uma criança narrasse aos seus pais a infinita beleza que compõe com a intensidade dos corpos que encontra em seus percursos, eles, assombrados, talvez, negassem sua paternidade____

_______________))))))))))))))))))))))))))))))))______________Nos incomoda o fato de Paulo fixar Cristo na cruz como símbolo de salvação. É impossível alguém ser salvo pela dor da crucificação. Na dor não passa vida. O peixe seria melhor símbolo: ele transporta devir-alegria___________________________((((((((((((((((((((((((((((((((((((

(((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((__________Se o gol é o fato fundamental do jogo de futebol, seria melhor que ele fosse reduzido ao bater pênaltis___________________

____________________)))))))))))))))))))))))))))))_________________É verdade que ao possuir objetos o homem aumenta sua relação no mundo objetificado. Mas é verdade, também, que diminui seu movimento no território livre___________________

__________________________(((((((((((((((((((((((((((((((((((_________Honestidade de uma mãe. A mãe, apontando sua própria barriga, disse para filhinha que ela saíra de lá. Espantada, a filhinha perguntou: “E por que tu me comeu?”_______________________

__________________))))))))))))))))))))))))))________________Freud, afirmou que o ato-falho é a ocultação de um signo-objeto que em verdade se quer revelar. Escrever uma carta a alguém que se tem estima e não remetê-la é um ato-falho. Ora, não há nada de ato-falho. Ao se escrever a carta revela-se um dom literário. Enviar ou não a carta é apenas uma conseqüência que depende do que se vive naquele momento___________

____________________________)))))))))))))))))))))))))))))))))______Em Athenas, a praça era o povo, assim como o céu era o voar. Na pós-modernidade há cidades sem praças e sem céus. Logo, não são cidades_____________________________________

____((((((((((((((((((((((((((((((((((((_____________________O poeta apóia o candidato demagógico. Qual sua escola poética, e qual seu estilo poético?

CLINAMEN

___ oblíquas variações infinitas dos corpos ___

__________________Desvanecer__________________))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))________________________O egoísmo do homem lhe faz temente à morte, não pela morte em si, mas por sua imortalidade que continuará nos vivos(((((((((((((((((( (((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((((____________________________A Lei enquanto Corpus-Jurídico é virtual. Só se torna real quando atualizada no Corpus-Social(((((((((((

((((((((((((((((((((((((((((_____________________Enquanto o filósofo Platão perseguia os sentidos (conceitos) das coisas (res) no Mundo das Idéias, o não-ser das coisas evanescia-se no Mundo Sensível)))))))))))))))))))))))))_________________Se o Devir é um processual de corpos afetivos/cognitivos permeados em zonas de indiscernibilidades que levam o sujeito a surgir como outro diferente do que era antes do Devir, o dito, “Recordar é viver”, é um sintoma esquizo-paranóide(((((((((((((((((((_______________ O silêncio de mulheres violentadas por homens interditados faz da Lei Maria da Penha um corpo amorfo que dormita no leito jurídico virtual)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))

_______________________________A fraude epistemológica do filósofo Kant foi afirmar que o homem não pode conhecer a “coisa em si”, mas só o fenômeno. Com essa afirmativa, além de propor um conceito sem matéria (suporte sensível), acreditou se livrar do Devir)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))__________________Para o filósofo Bérgson a representação mental de uma idéia-imagem é um resquício atrasado, quase nada, do que restou da percepção de um sujeito com a matéria (entrelaçamento). Nisso, infere-se que a idéia do futuro é um duplo logro do homem((((((((((((((((((((((((((((((( ((((((((((((((((((((________________________Não há a mínima condição de afirmar que o beijo de Judas (se é que houve) em Cristo foi o símbolo da traição, já que o beijo ante de ser castidade é sensualidade, o que a má consciência não consegue negar

CLINAMEN

___ oblíquas variações infinitas dos corpos ___

_______________Vítreo_____________(((((((((((((((((A sensualidade encontrada no marketing da sociedade de consumo não passa de elogio a castidade: faz do consumidor eunuco__________________________________))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))______________Quando o ressentido afirma que o outro é responsável por sua dor, na lógica da projeção, ele é sua própria responsabilidade, o outro inexiste((((((((((((((((((((

_______O desconhecimento de alguém que se surpreende com um político corrupto iniciando seu filho em sua carreira, é mais surpreendente do que o paternalismo do político corrupto)))))))))))))))))))))))))))))))))Os tratamentos como companheiro, camarada, passaram historicamente por três estágios políticos. 1 – As relações espontâneas entre os homens. 2 – Fluxos dos enunciados marxistas iniciados no século XIX. 3 – No embaralhamento das forças no neo-liberalismo. Este, incontestavelmente cretino)))))))))))))))))))))))))))))))___________________O sonho na vigília é a fantasia com a qual o sonhador veste a realidade. Daí que quando ele diz que sonha mudar sua vida, apenas afirma sua fantasia e a vigília continua a vida que lhe agrada)))))))))))))))

____________Alguém que finge protestar,lamentando ser a vida um eterno sofrimento, espera satisfeita seu assassino((((((((((((((((((((((________________SE a festa fosse um acontecimento alegre, a indumentária exigida seria supérflua))))))))))))))))))))))))))))))))

___________________________________Foi mistificando a Vida que o homem inventou a imortalidade metafísica. Assim, tirou de si a responsabilidade de afirmar o medo de sua imortalidade)))))))))))))))))))))))))))))))))__________________Se como afirma o filósofo Baudrillard que “a realidade é uma modelo de simulação”, toda nossa existência é virtual. Logo, além de velhas, todas as teletecnologias não nos servem para nada

CLINAMEN

___ oblíquas variações infinitas dos corpos ___

_________________Traduções(((((((((((_________________O sonho na vigília é a anulação do instante real, enquanto o sonho no sono é a conjunção da contigüidade_____________))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))

______________________A miopia como a visão próxima nítida e a distante desfocada, pode insinuar que o míope, ao contrario dos que possuem boa visão, experimenta o momento sem preocupação com o futuro também desfocado_____

________________((((((((((((((((((((((((((((Todo questionamento das verdades são fracassos diante da evanescência do mundo, pois para enunciar uma verdade é preciso que a vida esteja imóvel, o que só ocorre na fotografia, mas a fotografia não ouve e nem fala para confirmar o que ouviu)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
____________________________((((((((((((((((((((((Os saberes são discursos deslocados do tempo. Enquanto afirmam seus conteúdos, mostram o que já passou ao mesmo tempo que pretendem implicar o que poderá ser__________________))))))No capitalismo, onde a essencialidade das relações sociais é o lucro, o primeiro homem que surtou, fragmentando a mesma realidade que defendia, foi aquele que entrou na ordem da riqueza: o capital divorciado da necessidade__________)))))))))))))))Quando um homem rico deixa de fazer circular seu dinheiro para guardá-lo, ele ritualiza o dinheiro morto, assim como são mortas suas relações((((((((((((____________________Uma das grandes ironias da pós-modernidade é o uso das tecnologias para fabricação de transportes velozes para diminuição das distâncias e do tempo, sem com isso atingirem nem o espaço perceptivo e nem alterarem as vivências que constituem os movimentos reais. Logo, estes transportes fazem parte de um mundo que não cabe no mundo das alteridades ____________))))))))))))))))))))))))))))Os debates eleitorais em estúdios de televisão servem para mostrar ao eleitor que o discurso político é harmônico já que não causam nenhuma fissura no texto dominante como relações sociais))))))))))No mundo da mediocridade, o artista passou àquele que contribui com sua parte para manter a parede que Van Gogh pretendia vazar mais impenetrável(((((((((((((((((((Quem pretende mais claridade, para poder ver os objetos para não se equivocar, erra de percepção, pois  a visibilidade se dá no escuro(((((((((((((((((((((

CLINAMEN

___ oblíquas variações infinitas dos corpos ___

__________Surto___________________________Como racional, o homem é o único animal que precisa delirar para passar a Vida, os outros animais vivem_____________

_________________Sentindo-se indiferente para a cidade que morava, um homem fez-se rico para poder carregá-la cidade em seu bolso___________________Alguns sujeitos monetarizados afirmam que o dinheiro tudo pode. Leda ilusão: o dinheiro não pode deixar de ser dinheiro____________________________A ilusão do intelecto: acreditar na junção dos objetos. Desilusão do intelecto: acreditar na disjunção dos objetos___________________________________________________________

______Marx é cruel com o capitalista ao afirmar que o dinheiro é mercadoria: em seu mundo objetificado o capitalista desespera procurando encontrar, em cada mercadoria adquirida, o dinheiro____________________Se com o desapareciemnto do social desapareceu também o político, então todo candidato é um espectro do político. Logo, a democracia é espectral_____________________________A Lei Maria da Penha é um direito institucional de proteção da mulher, principalmente contra a violência exercida por seu parceiro. Como algumas mulheres casadas da classe média são violentadas por seus maridos, e não os denunciam, presume-se que diante da lei não são mulheres, só diante do hábito patriarcal___________________Enquanto no mercado das vaidades há uma luta violenta entre os sujeitos, no mercado livre indivíduos escolhem princípios sem preocupação com a história_________________________O hábito de enterrar os seus mortos é mais uma hipocrisia cultural do homem moderno quando se sabe que o primeiro homem que morreu não foi enterrado____________________É terrível alguém ter que convencer outro alguém para lhe amar, mas o mais terrível é se esse outro alguém for convencido_________________________No sistema capitalista quando alguém sentencia que não trocaria sua vida por nada, assina sua total inutilidade________________________Na lógica do clichê infalível, se diz: “Verdadeiro como o sal nasce todo dia”. Infalivelmente, duas sentenças falsas: 1 – O sol nunca nasceu. 2 – Se o sol nascesse ele não nasceria para os mortos

CLINAMEN

___ oblíquas variações infinitas dos corpos ___

________________Mutatum____________________Enquanto os homens se perturbam para controlar a vida, ela se dilacera em turbilhões_______O filósofo Walter Benjamin diz que a origem é histórica, mas não é a gênese das coisas enquanto percebida em um tempo e território definido, e sim o que está “em via de nascer no devir”. Nisso, blefaram todos que vaidosamente apontaram o tempo e o espaço das origens das idéias__________________________________________________

___________________A impossibilidade de que todos os animais, inclusive o homem, possam se reunir para uma eventual defesa do meios ambiente, não está em suas impossibilidades de pensar, excluindo o homem, mas porque cada um tem o sentido do mundo por si mesmo________________________________A empresa maior do virtual não é a hiper-virtualização do mundo, e sim tornar o real outro real. Um real/virtual denegação do mundo_____________________________O catolicismo medieval afirmava que “fora do catolicismo não há salvação”. Na pós-modernidade, o PTB de Getúlio Vargas adotou para si esta sentença. Hoje, outros credos se tomam salvadores, e o PTB de Getúlio não pôde ele mesmo se salvar__________________Uma das maiores ignorâncias dos críticos do mercado da Arte Moderna é querer arrolar Duchamp como artista moderno quando ele é póstumo______________________________ _________________________________________Quem joga para ganhar medalhas não joga___________________________________Se Freud pensasse a psicanálise como uma ciência capaz de proporcionar a felicidade do homem, teria ficado no Princípio do Prazer e não teria criado o Princípio de Realidade___________ ___________________________O teatro é um agenciamento sintético conectivo de produção de produção. Desta forma não é arte, e sim um processual maquínico ontológico__________ O beijo possui dois sentidos. Um sentido sensorial-tátil e outro sentido-semiótico. Este segundo que diz o que pretende o beijo

CLINAMEN

___ oblíquas variações infinitas dos corpos ___

____________indiscernibilidade_________________________Os escritores, como homens fervorosos, escrevem para afirmar o mundo. Os não-escritores, como descrentes do mundo, escrevem para deslocá-lo______________________Raul Seixas afirma que o Diabo é o pai do rock. De acordo com a genética e a pedagogia, todo pai é proveniência para o filho. Assim, não há filho sem um pai. Para o Diabo ser pai, ele foi filho de outro. Como ele é uma criatura de Deus, Raul Seixas equivocou-se: O Pai do Rock é Deus. Nisso, sendo o Rock uma força transgressora do contido, nega Deus todo aquele que tem o ressentimento, a culpa e má consciência como atributos para salvação, por isso condena  o Rock. Logo, quem condena o Rock jamais será salvo_________________As imagens-lembranças são afetos usados pelo homem para tranqüilizá-lo de que existe um mundo objetivo. As imagens-lambanças são afetos embaralhados para tirar as tranqüilidade do mundo objetivo. O filósofo prefere as segundas_______________________Para Marx os problemas só são verdadeiros quando produzidos pelo homem. Entende-se que inteligente não é aquele que resolve problemas, mas os que produzem-no_____________________________Se fosse possível um erudito perceber a evanescência da Vida, ele compreenderia quão patética é sua vaidade______________________O Mito de Adão revela dois temas edipianos em Deus. 1 – Ele nunca enunciou ao seu povo quem é sua mãe. Alguns, ingenuamente, podem responder: “É Maria!” Não, Maria é mãe de Cristo. 2 – Se Eva é criada de uma costela de Adão, Adão não é o primeiro filho de Deus no mundo, e sim Eva. Talvez, ocultando Eva como a primeira no mundo, Ele tenha tentado revelar inconscientemente, sua ligação edipiana com sua mãe. Se essa teoria estiver certa, os fiéis podem não saber quem é a mãe de Deus, mas sabem qual o nome dela: Eva________________________

_________________________Dizem que as tecnologias estão sempre à frente da sociedade. Não é verdade se entendermos que os engendramentos científicos começam nas relações sociais____________________________O filósofo Baudrillard mostra a disparidade da morte e a aposentadoria na existência: quando alguém se aposenta seu tempo de existência é menor que o tempo que trabalhou. Pouco lhe resta para usufruir do estado de aposentado. Mas isso é para aqueles cujo profissionalismo alienado foi a grande  sabotagem da existência. Para aqueles cujo trabalho coletivo – não alienado -, é alegre, estão sempre aposentados_____________A alegria do atleta ao bater um recorde é a ocultação de sua depressão por saber que está chegando ao Ponto-Zero

CLINAMEN

___ oblíquas variações infinitas dos corpos ___

___________________Incandescência_________luzeira______veloz______O ridículo é a graduação da intolerância_______________________________A compulsão da luta contra a poluição ambiental deixa escapar um vestígio da própria poluição mental_____

______________O bom de reatar um antigo namoro é a ilusão de imobilizar o tempo___

____________________O ritual de deitar o defunto no caixão com os olhos para cima, simboliza a última esperança de desejar o céu que acaba logo que o caixão é fechado__

______A imagem do homem na a TV digital confirma sua repulsa por sua própria imagem natural_______________________A preocupação dos impérios com a paz mundial é a manifestação da paz como sintoma de si mesma: não ter paz____________

________________________Observar o álbum de fotografia de sua família não é recordar feliz um passado, mas confirmar o quanto se foi logrado___________A grande diferença de Narciso de nós, conturbados mortais, é que ele pôde ver seu verdadeiro rosto: o reflexo do rosto de sua irmã. Entretanto, para nós, que nunca vimos nossos rostos, temos a vantagem que Narciso não teve: a perturbação de procurar nossos rostos ____________________Não nos enganemos. Na temporalidade da morte, o tirano não almeja que o escravo morra primeiro que ele. O que quer é morrer antes para não precisar mais do escravo. É por isso que no estágio pré-morte o tirano tem dois júbilos: um, é que mais uma vez venceu o escravo. Outro, é saber que o escravo nunca o esquecerá: como escravo não pode viver sem ele__________________Ao encontrar a mulher de seus sonhos ele enlouqueceu: o amor é experiência do real_____________

____________________________Todo candidato que diz que ama o povo, mente. De acordo com filósofo Pascal, “ninguém ama ninguém, mas sim qualidades”, e a qualidade do povo é a democracia. A qualidade que tal candidato não vê no povo. Se visse não diria que o ama_________________________________A estupidez dos institutos de sondagem de opinião pública é afirmar que esta opinião encontra-se em um lugar quando ela não se encontra em lugar algum. Como Deus ela está em todo lugar e em nenhum lugar. Daí ser incognoscível e inapreensível______Se um corpo espacial colidir com a terra e ela for extinta ambos realizaram suas funções. Não há nada de mal. Na Vida não há moral

CLINAMEN

___ oblíquas variações infinitas dos corpos ___

__________________________________infinitivo______O filósofo Platão construiu a teoria do Mundo das Idéias, o mundo perfeito, onde não há cópias, simulacros e muito menos imitações, só idéias. Sem perceber baniu o homem. Então, como filosofar?_____________________________________________________________

_________Na Grécia Antiga os deuses habitavam o Olimpio, mas eram os homens quem produziam e realizavam as Olimpíadas. Hoje, sem o Olimpio, são os deuses que produzem as Olimpíadas___________________O colsultório de Freud era sombrio, decorado com tapetes, móveis antigos, estatuetas, quadros, vasos, objetos que adquiria em suas viagens, principalmente por cidades antigas. Nesse ambiente, Freud realizava suas sessões de análises com os pacientes deitados em um divã coberto por um tapete, enquanto sentado, próximo a sua cabeça, fazia as associações fumando charutos. Um ambiente de constante névoa. Um dos fundamentos da psicanálise é tornar consciente o inconsciente. Qual inconsciente perturbava Freud?________________O ministro da propaganda nazista, Goebels, dizia que toda vez que ouvia falar em cultura tinha vontade de puxar a pistola. Na pós-modernidade clonada o nazista teria cometido suicídio_______________A informação cria e mantém a forma para que a notícia não se rebele contra a comunicação de massa____________________________________

____________Na pós-modernidade, o ritual da abertura das Olimpíadas, dado o mágico grau de simulação, não é para mostrar a harmonia da paz dos povos, mas a harmonia desrealizada dos sentidos___________________________O filósofo Sartre disse que um livro lido era um cadáver. Com a profusão da literatura de encomenda, é muito difícil encontrar um livro morto______________________Na sociedade de consumo as datas comemorativas não são para lembrar seus causadores, mas para acionar o fluxo da circulação comercial_________________Muitos dizem, que a única certeza da existência é que no final não vai dar em nada. Patético pessimismo, se a existência não é para o fim e sim para os meios_______________________O Nada não anuncia seu vazio, mas o logro do ser____________Dotar uma criança da subjetividade do adulto é confessar o fracasso da educação_________________O filósofo Barthes afirmava que em literatura era preciso matar o autor para fazer nascer o leitor. Acontece que os escritores teimam em se manter imortais. Daí não haver leitores___________________

___________Amo todo o absoluto feminino, até seu relativo masculino

CLINAMEN

___ oblíquas variações infinitas dos corpos ___

__________________Vácuo_____________________Vago__________Enquanto, nos céus, Deus & Diabo lutam por mim, percorro as cavernas ___________Precisamos nos encontrar! Qualquer hora. Pode ser meio-dia ou meia-noite. Se for para nos encontrarmos que seja meio-dia quando não há sombra, só dissipação______________

____________________________Se o social ao manifestar-se no século XIX fez emergir o político, e hoje, na pós-modernidade, não existe mais o social, quem é este que está se passando por político?_________________________________O Mito da Infância é a narrativa que os pais contam para os filhos e que só se encontram em suas imaginações, e não na existência desconhecida da criança__________________Se uma voz têm milhares de vozes, o que fazer para que destas milhares de vozes salte uma voz?________________________________ Na ânsia de encontrar um grande amor, nunca amou. Sempre que encontrava o grande amor, ele era grande demais. Já não era amor_______________________________________________ No futebol o gol é a passagem da bola além da fronteira da trave com a rede. Enquanto a bola não ultrapassa essa fronteira não há gol. Por isso, nenhum jogador perde gol. Muito menos feito_____

_________________________A informação é um cadáver usado pela mídia para assombrar os zumbis. Patético propósito: o cadáver são resíduos zumbis da mídia_____

_________________________________ — Eu te conheço! — Então, por favor, não me apresenta a mim mesmo, que não pretendo me conhecer!_________________________

__________________As historinhas infantis que os adultos contam para as crianças, são fabulações das próprias infâncias dos adultos que eles não conhecem___________

__________O sol olha a lua. A lua olha o sol. O sol aquece a lua. A lua esfria o sol. Nisso, errante, a terra, nem cool e nem hot, rola solitária em sua cegueira___________

___________________ Os homens criaram as flores de plástico no momento em que as flores desapareceram____________________ A palavra se esforça para tornar o objeto objetivo. Nostalgia do sujeito que acredita que o real é sua própria objetividade de homem___________A razão de não haver milagres para o homem é que o homem é demasiado humano, e os milagres são da ordem do inumano

CLINAMEN

___ oblíquas variações infinitas dos corpos ___

_______________________viscosidade___________opacidade_________Introduzidos no mundo pela crença que toda imagem é a forma real da matéria e que se realiza inquestionavelmente pelo conceito, muitos homens são incapazes de abstrações. Não podem ser artistas. Não podem criar. Não podem ser governantes.          Daí que são democratas só na idéia. _____________A muralha da China foi erguida para proteger seus criadores de inimigos invasores do norte.                       O povo arquiteto jamais viu os invasores. Os invasores nunca se mostraram diante da muralha.            Os arquitetos esperaram.                             Como não apareceram, teceram o tempo da espera que  foi apresentado para as posteriores gerações como história da muralha, a fortaleza da liberdade chinesa.                                    Em agosto começam as olimpíadas. Vários povos chegarão. Os arquitetos mostrarão a muralha.        Os povos escalarão. Satisfeitos realizarão seus desejos.                            Quem conquistarão? Os nômades, os imperadores, os comunistas ou os capitalistas?               Ainda existe a muralha da China?                   “A natureza humana, na sua essência imutável, instável como a poeira, não consegue suportar prisões; se se prende, ela própria depressa começa furiosamente a rasgar as cordas, até conseguir destruir tudo, a parede, as cordas e o seu próprio eu” Kafka                  ____________________Há profissões que foram engendradas pelo homem nos percursos de seus movimentos históricos.    A agronomia, a medicina, a engenharia são algumas.     Porém, existem profissões que não foram engendradas nos atributos naturantes do homem, e sim postas como necessidades artificiais da cultura capitalista.                    A publicidade é uma destas profissões.   Os publicitários publicaram seu manifesto esta semana, onde consta, como principal reivindicação profissional social, a posição contrária ao interesse do governo em querer estabelecer critérios de classificação às propagandas de alimentos e remédios. Acreditam eles que este ato é claramente uma forma de censura por parte do governo e que vai refletir no lucro das mídias, principalmente as TV’s. Elas que, segundo a lógica do marketing, têm sua base de sustentação econômica nas publicidades.  Sem publicidades elas não sobreviverão.     Não esqueçamos: muitos que operam nas mídias são proprietários de empresas de publicidade.          Logo, as mídias se irmanaram com os publicitários contra o governo                        Todavia, sabe-se que a publicidade é uma prática supérflua, que só foi possível emergir graças às armadilhas do capitalismo com sua força mágica de produzir uma sociedade da opulência cruel, como diz o filósofo Marcuse.           Ou uma sociedade de consumo, onde o desejo desapareceu, como indica Baudrillard.               Universo objetal das inutilidades fascinantes.    O que nos meados do século XX levou o escritor George Orwell chamar de “o fruto mais sujo produzido pelo capitalismo”.        Os antigos diziam: “O que é bom não precisa ser embalado”.     Mas a psicologia sensualista da publicidade, não lê este texto.        Precisa realizar seu lucro com os objetos-reificados lançados pela industria de consumo.      Não vê que o que ela chama de trabalho, não é nada mais do que parasitismo profissional.                                A publicidade vive do que os outros produzem. O que ela chama de trabalho não passa de psicodelismo sensorial audiovisual.          Embrulhar a boneca-hipnogógica para realizar o consumo.   Ou envernizar o produto com notas fascinantes.    Também, não ouve o dito popular: “Quem muito elogia uma coisa, esconde outra”.   Segundo informações sobre o mal da publicidade, os produtos que mais são veiculados pelas empresas televisivas são alimentos e remédios.          Os alimentos são responsáveis pelo aumento de doenças geridas pelos açúcares e gorduras, e os remédios por efeitos colaterais perniciosos à saúde, dado a abusiva automedicação.     Os publicitários ainda se consideram censurados quando são eles que, adeptos da mais baixa psicologia social, a psicologia do “otimismo”,  impõem um tipo de censura ao comprador, insinuando uma mercadoria que, juntamente com outros objetos da sociedade de consumo, agem sobre sua vontade, confundindo sua livre escolha. Já que o comprador é constantemente envolvido pelos signos-mercadorias do universo objetificado.         Não há qualquer humanismo na publicidade.     A publicidade não é ingênua.            Goebels, o senhor da publicidade nazista, conhecia muito bem esta lógica.           O publicidade carrega afetos que só aumentam as paixões e diminuem as ações.                      Nisso, ser um mau encontro de corpos materiais e imateriais.                                 “Sou um efêmero e não demasiado descontente cidadão de uma metrópole considerada moderna, porque todo o gosto conhecido foi subtraído tanto dos mobiliários e do exterior das casas quanto da topografia da cidade. Aqui não encontrareis os vestígios de nenhum monumento de superstição.” Rimbaud

CLINAMEN

___ oblíquas variações infinitas dos corpos ___

_____________Circularidade________________________Salto______Mesmo___Se falar fosse realizar o mundo, seriamos só destroços, dado tantas colisões.            Um país não é uma unidade como acredita o pensamento geo-jurídico do Estado. Ao contrário, é uma multiplicidade. Nisso sua riqueza produtiva-afetiva.            Garrincha tinha uma perna torta, não era problema para ele resolver.  Era problema da física que morreu com ela.  Dizem que a essência do futebol é o gol.  Não é! É o craque. O Resto é claque.    “Corta a sola remendão!”       Quem inventou o sapateiro não foram os pés, as estradas e muito menos a distância, foi a arte.                      “Vida ruim nunca que chega ao fim. Andando só, e ninguém pensa em mim. Até bicho do mato tem seu bem” Anísio Silva

__________________________________2008. Julho. Dia 18. Há sol no Brasil. A subjetividade dolorosa torna-se visível aos transeuntes. A praça sendo o povo como o céu são os pássaros, ver Bangu e Jardins. Ver Cacciola & Daniel Dantas. Diziam que não havia sol no Brasil, até que um operário espalhou-o do Nordeste a todos os quadrantes brasileiros.             Cacciola diz que não é foragido, tinha passaporte brasileiro. Então, porque não voltou para visitar mais uma vez a azul de anil? Passaporte só de ida.               Cacciola não entende porque seus comparsas Chico Lopes, Teresa Grossi e outros não estão presos.           Cacciola não quer duvidar da lei que o prendeu.  Mas Cacciola tem uma nesga de esperança: se os outros não estão presos, ele pode ser absolvido. Viva o Brasil! Cacciola foi condenado. Ele tem memória. Perversa memória. Para quê trazer imagens-conceitos ímpios?                     A mídia anuncia e apresenta a imagem desativada de Cacciola, Fernando Henrique gostaria que o passado fosse apenas o passado, nada de ídeo-motor: imagem se atualizando como instante presente. Fernando tem pendências democráticas. Como Daniel Dantas, Cacciola é seu credor a-temporal.  Essa deusa não descuida da consciência. Quando se pensa que ela deixou de ser consciência, lá aparece conscienciosa. No travesseiro, nos lençóis, nos punhos das redes, nos cachecóis.        “Serra da boa esperança, esperança que encerra. No coração do Brasil, um pedaço de terra” L. Babo               __________“Te balança eu me balanço”     Capoeira é patrimônio histórico cultural. Foi elevada à categoria de movimento-criativo negro histórico no dia 16 deste julho pelo Instituto do Patrimônio Histórico Cultural. Na elevação, alguns preceitos vão ser cumpridos pelo governo, como salário para os antigos mestres de ensinamento do jogo afro-brasileiro. Oxalá! Saravá, meu  XAngÔ!   Corpo para que te quero? Para desequilibrar o equilíbrio pelos movimentos-negros transgressores.   __________________________Brasil bate recorde de empregos com carteira assinada.                          A região que mais sentiu a eficácia trabalhista foi a Nordeste.                                  O estado que mais contribuiu foi Pernambuco.                      Os setores que mais empregaram foram agricultura, serviços gerais e indústria de transformação.     Censura(“”””””)Censura. Muita frescura! Ainda bem! O calor tá de lascar, meu”              Havia chovido. No meio da rua ficou uma poça  com água. Era noite de lua. A lua passou e não viu a rua.           O bêbado chegou perto da poça e viu a lua.                        Soluçou alegre, pois não se viu.             ___________________Dizem que a lei é lenta. Mas qual será a velocidade dela quando depois de vários passados se torna presente.                  A justiça aprecia os pedidos de impugnação das candidaturas de alguns prefeituráveis de Manaus vistos pelos olhos das ‘fichas sujas’ por atos passados.                           Se forem impedidos, a lei é veloz?            ____________________“Eu expulsaria do meu Estado ideal os chamados ‘homens cultos’, como Platão expulsou os poetas: esse é o meu terrorismo” Nietzsche                     Era uma vez um belo reino. Entretanto, acontecia algo que muito perturbava seu povo. Advogados de uma sociedade seleta estavam sempre a enriquecer, já ameaçando a riqueza herdada e produtiva do rei.                      Para o povo o motivo de tal enriquecimento era gritantemente torpe.                                  Estes advogados enriqueciam advogando em defesa dos corruptos que se tornaram ricos de tanto roubar o dinheiro público.                           Um dia o rei convocou o povo, que, em assembléia popular, assinou uma lei que a partir daquele momento nenhum advogado poderia mais defender os ladrões dos cofres públicos.         Resultados: acabaram os corruptos, diminuíram os números de estudantes de direito e aumentou a quantidade de estudantes em outros cursos. Assim, o povo viu a justiça social ser justa.                      “Tire seu sorriso do caminho, que eu quero passar com a minha dor. Hoje, para você eu sou espinho. Espinho não machuca a flor. Eu só errei quando juntei minha alma a sua. O sol não pode viver perto da lua” Guilherme de Brito

CLINAMEN

___ oblíquas variações infinitas dos corpos ___

_____________________________Límpida__________Lisa______________________________“A emancipação humana só se realizará quando o homem individual real tiver absorvido o cidadão abstrato…” Marx                  O caso Daniel Dantas não é um caso Daniel Dantas.          É o caso de uma subjetividade patológica que tece pelo meio e pelas bordas o sistema capitalista que só sub-vive pelas crostas rígidas da perdição racional.        Uma subjetividade que se transmuda como replicância de células cancerosas escrevendo um código de quase imortalidade.            Nisso, não há Dantas sozinho. Se assim houvesse, o perigo seria maior, pois estaríamos diante de um deus teratológico capaz de fecundar outros monstros. O que nos permitiria acreditar que também outros deuses teratológicos poderiam existir e fecundar outros monstros.     O que aumentaria nossa existência Téo-Teratológica.                   Não foi por um felicíssimo acaso que Dantas enveredou-se pelo sistema financeiro.     Pelas maquinações bancarias.   O ‘gênio’ sabia que o banco é a fundamental abstração do capital transfigurada em real.  Real molar-econômico e místico apoiado na culpa do trabalho não consignado.    A força de produção que não enriquece.    Mas cria o suporte protetor do empresário.         Dantas só apanhou o já posto e cruzou os dados, para si, em jogo marcado por outros.  Sempre fronteiriço nos poderes auxiliares: executivo, legislativo e judiciário.  Personagens principais, e não coadjuvantes.            Nenhum homem é um homem, mas um humanismo.     Não importa de que tipo. __________ _______________________          “Em uma sociedade como a nossa, conhecemos, é certo, procedimentos de exclusão. O mais evidente, o mais familiar também, é a interdição” Foucault                        Lar Doce Lar!         Lá, só sabe  quem estiver lá.       Nunca fui lá.   Como posso saber o que há lá.    Entretanto, afirmo que há. Superstições.  Assim fingem os homens quando falam de seus saberes.          “Disse um campônio a sua amada: ‘Minha idolatrada, por ti faço o que quer. Por ti vou matar, vou roubar, embora tristeza me causes, mulher’” Vicente Celestino_______

_________________________Em 1990, portanto, há exatamente 18 anos, foi criado o ECA: Estatuto da Criança e do Adolescente.                Entidade cujo objetivo é afirmar e proteger os direitos naturais e sociais das crianças e adolescentes.            Passadas quase duas décadas, pode-se afirmar que houve mudança na maneira de tratar-se institucionalmente as duas existências.            Entretanto, se pelo lado institucional observa-se melhor atuação dos órgãos públicos referentes à violência, maus-tratos e, principalmente, a exploração sexual, por outro lado, o ontológico, em que expressa o modo de ser criativo e transformador da realidade opressiva pela própria criança e o adolescente, como autores da fragmentação deste mundo para a emergência de um mundo singular em que  não sejam apenas fantasia enunciativa futurista da culpa social do adulto, isso ainda é quase nada.            A proteção jurídica não é o fundamental.                É preciso mudar a subjetividade expressiva dominante com seu conteúdo alienante que permeia todos os territórios onde é possível sua atuação.                   É preciso modificar os conceitos de educação escolar, onde os saberes surgem diante deles como uma obrigação-dívida: aprender o que já está codificado para serem os “grandes guardiões” da verdade social.  Os ritualistas das palavras, fixadores de papéis como sujeitos falantes e proprietários do discurso com seus poderes e saberes, como fala Foucault.                     Quando o que precisam é atuar como Vontade de Saber: o que dispõe o sujeito cognoscente, antes de qualquer experiência, “a certa posição, certo olhar, e certa função: ver, em vez de ler, verificar, em vez de comentar” (Foucault).             Nisso implicam também as mudanças em suas forças de “entretenimento”, principalmente a perversa programação das TV’s, que, compulsivas pelo lucro, desviam o objetivo filosófico-pedagógico da infância e da adolescência.                                   De qualquer sorte, historicamente, longos parabéns!

___________________“Como qualquer um, o filósofo é aquilo que ele vive, e ele sempre vive, querendo ou não, o que tem de viver” Frédéric Schiffter

CLINAMEN

___ oblíquas variações infinitas dos corpos ___

_________Ocaso_______________Acaso______________Aurora________ “Quem está perto de mim, está perto do fogo. Quem se distancia de mim, se distancia da vida” Cristo             O governo Lula lançou o Programa Computador Para o Professor. O Programa, que é uma parceria com os Correios, empresas e bancos, tende a atender milhões de professores tanto sem curso superior quanto com curso superior. O Programa, também conhecido como Computador Portátil para o Professores, é um plano de financiamento em que o professor pagará apenas quarenta e poucos reais. O que será facilitado com o aumento de sua taxa salarial.       Para o ministro da educação, Fernando Haddad, o importante no Programa é que o computador não será apenas uma conexão técnica, mas uma ferramenta de produção de textos e pesquisas, já que é o que importa para o avanço da educação no Brasil.                     “Sei que uma vida é apática e pastosa. Injustificável, contigente. Mas isso não importa, sei também que tudo pode me acontecer” Sartre                                     Famílias de baixa renda dos estados da Paraíba, Bahia, Minas Gerais, Rio Grande do Norte, entre outros, receberão auxílio financeiro para construção de cisternas para apanhar água da chuva para melhorar suas condições de vida afetada pela seca. Nesse programa, o Governo Federal distribuirá mais de 50 milhões de reais.                   Transcender não é sair de uma imanência para surgir em outro território. Transcender é emaranhar-se continuamente em uma imanência e se fazer sempre um novo dizer, já que a transcendência não é uma maneira de escapar para outro território.                    “Eu quero sim! Mas o que eu quero mesmo são as vidas. Eu grito sim! Mas grito o meu delírio…” Taiguara________

______________________________Os blogs ecolálicos, os que ecoam o que a mídia atrofiada adesiva, noticiaram efusivamente um anúncio da Globo em que cruzando imagens dos pais de um baby pode-se saber qual será seu rosto futuro.  Verdades inúteis da tecnologia paranóica. Nisso salta um sinal. Que tal que estes blogs pedissem para alguém pesquisar como seria a rostidade (linguagem de alguém além da sonorização das palavras) de uma criança cujos pais estão aprisionados pela Globo? Teriam, sem nenhuma contestação, a resposta que o jovem seria um globotário, já que alguns pais são verdadeiros hipnotizadores de filhos. Cruzou os enunciados capturados do pai e da mãe, não dá outro: a rostidade alienada, indiferente, individualista, reacionária. O bom consumidor de ‘frangos’ da sociedade de consumo na forma de ‘expressão’ e entretenimento. Das telenovelas ao chamado rock-Brasil.                       “Carcará pega, mata e come! Carcará não vai morrer de fome” João do Vale     _________   _____________________              O aparecimento de Ingrid Betancourt nas percepções atuais de alguns personagens trouxe para o tirano Uribe, títere de Bush, dolorosas preocupações. Preocupações inesperadas, já que acreditava ser o maior beneficiado com tal aparição.                                 Os autores de tais dores são nada mais que Lula, ao afirmar que foi uma vitoria do governo colombiano;                                         Chávez, ao se pronunciar oficialmente se postando contra os seqüestros, e por último (não último)                                       o comandante Fidel, ajuizando que os seqüestros não são revolucionários.                                Péssimo entendedor do que seja política, Uribe não contava com as lúcidas enunciações-políticas dos três principais latinos, o que arrefece sua ambição de querer status quo de democrata da América Lática com a aparição de Ingrid.                                               É o vago político de Uribe preenchido pelos três estadistas, sem deixar espaço ao tiranete.                        Enunciações-políticas nada contra as Farc. Mas tudo contra a estupidez política de Uribe. Daí não ver como não pode ser importante na América do Sul.                        “O herói não ‘libera’ os acontecimentos nem as forças históricas, nem constrói uma história. Encadeia as figuras do mito e da lenda; é por isso que nem a Revolução nem a Democracia têm necessidade de um herói” Baudrillard

CLINAMEN

___ oblíquas variações infinitas dos corpos ___

_______________Ritornelos____________Disjuntivos_________Passar pela ponte não é uma questão de vontade, mas de equilíbrio: se deixar cair ou não. Para frente ou para trás. Para esquerda ou direita. Mas passar.   Quanto ao que se encontra nessa passagem, não importa.                  “Que as aparências não nos enganem: há casos em que é a linguagem imagética que fala cientemente no sentido próprio, e a linguagem abstrata que fala inconscientemente no figurado” Bergson                Pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde e Universidade de Brasília mostra que a maioria das propagandas divulgadas nas mídias é de alimentos(?) que contém grandes quantidades de gordura, sal e açúcar. Enquanto isso, o SUS, Sistema Único de Saúde, gasta 60% de suas verbas em tratamento de hipertensão e diabetes.               Sabe-se: quando um alimento precisa de marketing para ser consumido, já demonstra sua inutilidade alimentar.      O alimento é um corpo protetor de prevenção contra as enfermidades.  O marketing é um recurso virtual de convencimento do consumidor. Logo, esse produto, que se auto denomina de alimento, é um corpo diminuidor das defesas do organismo.  Nisso, também, a mídia auxilia nas enfermidades físicas do telespectador. Além das cognitivas e afetivas.     Não faltam exemplos audiovisuais: Faustão, Jô, Jabor, Datena, Luciano do Vale, Boris Casoy, Hebe etc.            “Para quem tem sede, um copo d´agua. Para quem tem tédio, um novo amor” Anísio Silva  _____________________

_________________________Fala-se muito da magia do espelho. Mas o espelho não é mágico. Ele apenas duplica, e isso não é refletir. Se fosse, candidatos perversos veriam a si próprios e, então, teriam certeza que é desta forma que o povo os vê.   Todavia, como não refletem a si mesmos, cabe ao eleitor rejeitar estas formas.                “Multipliquei-me para me sentir, para me sentir, precisei sentir tudo” Pessoa          ______________

____________Quinta-feira, 26, foram realizadas em Brasília, as cerimônias do Dia Internacional de Combate à Tortura com o tema “Tortura é Intolerável”.  Com a participação de autoridades da União Européia, a Secretaria Especial dos Direitos Humanos, e outras entidades compromissadas com os direitos humanos, comentaram-se e analisaram-se os discursos e práticas que carregam esta patológica violência executada pelo homem contra o próprio homem. Principalmente como justificativa policial/jurídica de proteção dos bons contra os maus que habitam a sociedade.  Moral aceita por grande parte da elite e classe média. Em quem quase não é atingida pela perversa prática, ao contrário das classes pobres, as principais vítimas.         Além das demonstrações da relação das políticas do Estado com a tortura, já que quem tortura quase sempre é um agente a seu serviço, o que ficou muito visível foi o grau de anomalia que carrega o torturador, que age irracionalmente sem qualquer signo-empático referente ao outro (o torturado), o que lhe coloca excluído das relações sociais de alteridade, que só é possível  quando o outro é tido como concreto diante de si, e também as seqüelas físicas e mentais que  as vítimas passam a ser dominadas no pós-tortura, como também os sofrimento de seus familiares e amigos.    Fundamental para a convivência social, os debates e estudos sobre a tortura.                Entretanto, é preciso também discutir-se sem hipocrisia sua principal causa: a moral perversa do sistema capitalista.                  Sabe-se que indivíduos torturam pelo simples prazer de causar dor ao outro, mas a tortura oficial está diretamente ligada a dois signos: um místico e outro econômico.        O um, o hebraico “Não roubarás”!              Roubar é passível de punição.                  Dois, “a propriedade privada”. Se apossar do que é alheio é passível de punição.            Junta-se a lei capitalista com a tara para tortura e o que se tem? A bestialidade.     Por que os órgãos policiais dos Estados Unidos torturam outros povos?  Por causa da ambição capitalista. Suas guerras são eminentemente econômicas.                        “Eu quero é botar, meu bloco na rua! Brigar, botar pra gemer” Cesar Sampaio          ________________A maior parte da população dos Estados Unidos é a favor da tortura contra terrorista.             Pergunta-se, sob os fluxos das equivalências:        Seria essa maioria a favor da tortura em Bush?  Se for, deve ser também a favor de ser torturada, já que é cúmplice de Bush, que segundo muitos homens e mulheres íntegras e solidárias, ele é um terrorista.                 “Só os homens livres são utilíssimos uns aos outros e se ligam uns aos outros pelo laço mais estreito de amizade e se esforçam, por um movimento de amor igual, por fazerem bem uns aos outros e, por conseguinte, só os homens livres são gratíssimos uns para com os outros” Spinoza

CLINAMEN

___ oblíquas variações infinitas dos corpos ___

__________sombra_____luz_____________________eclipse_____passagem_______________________________________Fim da linha: descida, subida. Fim da linha: subida, descida. Lá vai, lá vem, lá vai, lá vem, lá vai, lá vem, lá vai, lá vem… E o trem? Quantas fornadas? “Por ‘crueldade’ do real entendo, em primeiro lugar, é claro, a natureza intrinsecamente dolorosa e trágica da realidade” rosset O delírio, como ultrapassagem, ou dissipação da objetividade, não é um mal em si. Alguns filósofos sabem disso. O delírio em filosofia, é a linha de corte do real, pela potência criadora de novas existências. Só há acontecimento, o novo, quando o homem delira da objetividade em movimento estético. Nisso novos conceitos, novas criações artísticas e novos afectos. O delírio só é patológico quando o homem abstrai o real se perdendo em sua própria abstração. Delírio político. Estágio-imóvel. Mundo ecolálico fragmentado. Ressonância dos fragmentos. Estágio circular dos reacionários: proteção compulsiva da mesma idéia. Daí porque a direita jamais será democrática: seu delírio é em si mesmo, nunca uma ultrapassagem do mundo dado. “Alberto, foi morar na casa da sogra, e não deu certo. Alberto, era bom demais” Vanzolline _________________________________________________________ _________________________________________Notícias saltam em abundância descrevendo a produção administrativa do governo Lula: crescimento econômico, recorde histórico brasileiro de empregos formais, criação da Universidade Aberta do SUS, reconhecimento internacional da produção econômica do Brasil, Brasil referência ao combate a AIDS…………………………………., etc…….. São as instituições do Estado Brasileiro atualizando-realizando o virtual (potência) como real social através do trabalho de seus agentes de carreira e indicados do governo. A direita desespera. Atribui as realizações somente, e tão somente, ao Lula, indivíduo isolado. Não vê sua equipe a qual comanda. Alucina um Lula Deus em sua intriga. Não percebe. Como não percebe que quanto mais alucina, odienta, Lula, mais ele cresce e se distancia de suas garras. Assim, ela mesma se vitima: jamais poderá ter um candidato para concorrer com este Deus que ela criou e mantém com sua alucinação. Lula é, para ela, uma imagem inalcançável. Que bom! A Democracia está protegida. ___________ “Tenho cada vez mais certeza de que tudo que tem sido feito em torno da AIDS é uma armação extremamente sofisticada que terá conseqüências muito mais graves que toda capacidade de extermínio do próprio vírus”

Herbert Daniel _________________________________________

__________________________________“E lá vai meu boi, prenda da cidade. A maré invade no meio do boqueirão, levando recado ao meu senhor São João, lá na capital São Luiz do Maranhão” Rogério do Maranhão Os artistas singulares visibilizam o invisível com suas artes. Os artistas midiatizados desaparecem em seus simulacros. Na partida cacofutebolística entre Brasil X Argentina, quando o jogador Adriano deixou o campo, a torcida o aplaudiu. Quando Messi, jogador argentino, deixou a partida, a torcida também aplaudiu. O argentino é um craque. O brasileiro não é. O futebol do brasileiro se resume a sua estatura e seu peso, na linguagem passada: sua compleição física. Disputa bola com os adversários como um tanque. Nenhuma lembrança ao tanque do tufão da colina São Raimundo Futebol Clube: o craque Santarém. A torcida sentencia a seleção de Dunga como horrível. O futebol brasileiro mudou para pior, dizem. É verdade. Mas a torcida mudou também. Não porque aplaudiu o inimigo, nada disso. Sabemos que certos amantes quando abandonados desfilam aos abraços com mulheres que suas ex consideravam inimigas. Os aplausos para Messi foram para atingir Dunga. Quem conhece a estorinha de Branca de Neve sabe muito bem que não atingiu. A torcida mudou, porque tem Adriano como craque. Se houvesse moral aplicada ao futebol, fato que não há, essa torcida não poderia sentenciar Dunga. Dunga e Adriano, para o futebol, são semelhantes. Logo, a torcida também. E a maioria da mídia esportiva, principalmente da Globo. “Eu quero ver como é, Didi, Garrincha e Pelé, dando um baile de bola! Ééééééééééééééé…..” Jackson do Pandeiro


USAR O CONTROLE REMOTO É UM ATO DEMOCRÁTICO!

EXPERIMENTE CONTRA A TV GLOBO! Você sabe que um canal de televisão não é uma empresa privada. É uma concessão pública concedida pelo governo federal com tempo determinado de uso. Como meio de comunicação, em uma democracia, tem como compromisso estimular a educação, as artes e o entretenimento como seu conteúdo. O que o torna socialmente um serviço público e eticamente uma disciplina cívica. Sendo assim, é um forte instrumento de realização continua da democracia. Mas nem todo canal de televisão tem esse sentido democrático da comunicação. A TV Globo (TVG), por exemplo. Ela, além de manter um monopólio midiático no Brasil, e abocanhar a maior fatia da publicidade oficial, conspira perigosamente contra a democracia, principalmente, tentando atingir maleficamente os governos populares. Notadamente em seu JN. Isso tudo, amparada por uma grade de programação que é um verdadeiro atentado as faculdades sensorial e cognitiva dos telespectadores. Para quem duvida, basta apenas observar a sua maldição dos três Fs dominical: Futebol, Faustão e Fantástico. Um escravagismo-televisivo- depressivo que só é tratado com o controle remoto transfigurador. Se você conhece essa proposição-comunicacional desdobre-a com outros. Porque mudanças só ocorrem como potência coletiva, como disse o filósofo Spinoza.

Acesse esquizofia.wordpress.com

esquizofia.wordpress.com

CAMPANHA AFINADA CONTRA O

VIRTUALIZAÇÕES DESEJANTES DA AFIN

Este é um espaço virtual (virtus=potência) criado pela Associação Filosofia Itinerante, que atua desde 2001 na cidade de Manaus-Am, e, a partir da Inteligência Coletiva das pessoas e dos dizeres de filósofos como Epicuro, Lucrécio, Spinoza, Marx, Nietzsche, Bergson, Félix Guattari, Gilles Deleuze, Clément Rosset, Michael Hardt, Antônio Negri..., agencia trabalhos filosóficos-políticos- estéticos na tentativa de uma construção prática de cidadania e da realização da potência ativa dos corpos no mundo. Agora, com este blog, lança uma alternativa de encontro para discussões sociais, éticas, educacionais e outros temas que dizem respeito à comunidade de Manaus e outros espaços por onde passa em movimento intensivo o cometa errante da AFIN.

"Um filósofo: é um homem que experimenta, vê, ouve, suspeita, espera e sonha constantemente coisas extraordinárias; que é atingido pelos próprios pensamentos como se eles viessem de fora, de cima e de baixo, como por uma espécie de acontecimentos e de faíscas de que só ele pode ser alvo; que é talvez, ele próprio, uma trovoada prenhe de relâmpagos novos; um homem fatal, em torno do qual sempre ribomba e rola e rebenta e se passam coisas inquietantes” (Friedrich Nietzsche).

Daí que um filósofo não é necessariamente alguém que cursou uma faculdade de filosofia. Pode até ser. Mas um filósofo é alguém que em seus percursos carrega devires alegres que aumentam a potência democrática de agir.

_________________________________

BLOG PÚBLICO

Propaganda Gratuita

Você que quer comprar entre outros produtos terçado, prego, enxada, faca, sandália, correia, pé de cabra ou bola de caititu vá na CASA UYRAPURU, onde os preços são um chuchu. Rua Barão de São Domingos, nº30, Centro, Tel 3658-6169

Pão Quente e Outras Guloseimas no caminho do Tancredo.
PANIFICADORA SERPAN (Rua José Romão, 139 - Tancredo Neves - Fone: 92-8159-5830)

Fique Frio! Sabor e Refrescância!
DEGUST GULA (Avenida Bispo Pedro Massa, Cidade Nova, núcleo 5, na Rua ao lado do DB CIdade Nova.Todos os dias).

O Almoço em Família.
BAR DA NAZA OU CASA DA VAL (Comendador Clementino, próximo à Japurá, de Segunda a Sábado).

Num Passo de Mágica: transforme seu sapato velho em um lindo sapato novo!
SAPATEIRO CÂNDIDO (Calçada da Comendador Clementino, próximo ao Grupo Escolar Ribeiro da Cunha).

A Confluência das Torcidas!
CHURRASQUINHO DO LUÍS TUCUNARÉ (Japurá, entre a Silva Ramos e a Comendador Clementino).

Só o Peixe Sabe se é Novo e do Rio que Saiu. Confira esta voz na...
BARRACA DO LEGUELÉ (na Feira móvel da Prefeitura)

Preocupado com o desempenho, a memória e a inteligência? Tu és? Toma o guaraná que não é lenda. O natural de Maués!
LIGA PRA MADALENA!!! (0 XX 92 3542-1482)

Decepcionado com seus desenganos? Ponha fé nos seus planos! Fale com:
PAI GEOVANO DE OXAGUIÃ (Rua Belforroxo, S/N - Jorge Teixeira IV) (3682-5727 / 9154-5877).

Quem tem fé naõ é um qualquer! Consultas::
PAI JOEL DE OGUM (9155-3632 ou paijoeldeogum@yahoo.com.br).

Belém tá no teu plano? Então liga pro Germano!
GERMANO MAGHELA - TAXISTA - ÁGUIA RADIOTAXI - (91-8151-1464 ou 0800 280 1999).

E você que gostaria de divulgar aqui seu evento, comércio, terreiro, time de futebol, procurar namorado(a), receita de comida, telefone de contato, animal encontrado, convites diversos, marocagens, contacte: afinsophiaitin@yahoo.com.br

Outras Comunalidades

   

Categorias

Arquivos

Blog Stats

  • 4.243.268 hits

Páginas

agosto 2021
D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Arquivos